Pular para o conteúdo

Resumão atrasado: VOR, Soto40, Star, Soling, OP, AC e mais

A melhor parada da VOR 2014/2015 segundo todos. Viva Itajaí!

A melhor parada da VOR 2014/2015 segundo todos. Viva Itajaí!

In-Port em Itajaí. Patagonia campeão mundial de Soto40 em Floripa. Lars e Samuca liderando Star em Miami de novo.

E mais: Brasil vice-campeão SulAm por equipe de OP, Argentina vence. Demolidor vence Centro-Sul de Soling. Equipe olímpica pronta em Hyères. Com Clagliari fora ACWS começa em Portsmouth.

Agenda: Brasileiro de HPE25 e Regata Cmdte. Miranda – Volta às Ilhas no Rio.

Vídeos: Mundial de S40 no Mar Brasil. O melhor de 2014 na vela.

Boa tarde querido amigo e queridíssima amiga, transmitindo direto do covil itajaiense, onde a vida é extrema e os compromissos deste MC/Locutor/Jornalista/Animador de Auditório/Papagaio são infinitos já vamos citando o poema de José Paulo Paes intitulado ‘Menage a trois': “Casa de Ferreira, espeto de Paulo”. Ou seja, estou aqui no centro dos acontecimentos e o único que não consigo e escrever para os amigos…

Mas vamos que vamos, porque entre a saída dos barcos daqui da vila da regata e a largada da regata In-Port de Itajaí achei este tempo para não almoçar e cozinhar esta sopa de letrinhas para vós. E já digo que a merreca aqui hoje é fato e talvez nem rolasse a regata… Mas largou e as meninas estavam na frente neste momento. Para acompanhar as novidades depois visite meu FeiciBuque: http://bit.ly/FB_MuNov e já comecemos por aqui mesmo!

VOR – A regata de volta ao mundo está bombando aqui no litoral catarinense, depois de uma intervalo onde deu tempo do Dongfeng chegar e encontrar com seu mastro novo, dos times descansarem e da galera de terra preparar tudo para a largada, amanhã (domingo), as atividades na água foram retomadas com força nos últimos dois dias. Foram 3 regatas Pro-Am, que reúnem os convidados e os profissionais e uma regata-teste para os times.

A nota chata ficou por conta do MAPFRE, do nosso ídolo André “Bochecha” Fonseca que teve um probleminha recorrente (há 5 dias da chegada já tinha rolado) numa das cruzetas e teve que retirar o mastro novamente para garantir que tudo esteja certo para os prováveis 20 dias de mar até Newport. Além disso o barco foi punido em 2 pontos pelo júri internacional por ter feito reparos na retranca e na proa do barco não comunicados na 5ª perna.

A regra da classe Volvo Ocean 65 diz que se uma equipe considera fazer um reparo deve informar imediatamente à autoridade da classe. O medidor Jack Lloyd – diretor da regata –, apresentou um protesto ao entender que a equipe espanhola não informou a tempo sobre o conserto feito, bem como da maneira exigida. Apesar de tudo, o júri internacional reconheceu em seu documento que as reparações realizadas pelo MAPFRE não foram feitas com a intenção de melhorar o rendimento do barco. Nem mesmo para aumentar a velocidade. Claro que a equipe ficou muito desapontada com a decisão.

Outra resolução do júri desapontou as meninas do SCA. Sam Davies havia pedido autorização para usar uma das velas da pré-regata, já que seu Code Zero Fracionado, o FRO, ficou em frangalhos depois de um jaibe chinês nos mares do sul. Como a vela foi consertada no estaleiro da VOR (agora comum a todos os times), o júri negou o pedido.

E falando de consertos, quem esteve na conferência de imprensa aqui foi o comandante do Vestas, Chris Nicholson, que contou que as obras estão no prazo e, provavelmente, o barco deve voltar em Lisboa. Tomara!

Bem, agora com a (me)Recon em baixo a in-port está rolando e amanhã temos a largada da sexta perna rumo a Newport, EUA. Fique ligado!

Para saber tudo da regata clique em http://bit.ly/VOR_14_15

Soto40 – Depois de liderar a classificação geral desde a primeira regata, o veleiro argentino Patagoniaconquistou o título no Mitsubishi Motors Soto 40 World Championship. Com boa vantagem sobre os outros barcos, coube à equipe apenas administrar o resultado, terminando o campeonato com 44 pontos perdidos.

“Abrimos uma boa vantagem nas duas primeiras regatas da competição. Seguimos nos mantendo bem colocados todos os dias, com uma estratégia mais conservadora, já que essa é uma competição sem descartes. Assim, conquistamos um título bastante importante contra tripulações muito qualificadas”, comemorou o timoneiro do Patagonia, Juan Grimaldi.

Na quinta-feira, último dia de regatas, o tempo fechou, e o dia teve muita chuva e ventos de 10 e 13 nós de SW. A equipe alemã EarlyBird, do tático, lenda alemã (oriental) e medalhista olímpico Jochen Schümann, aproveitou bem as condições e venceu a primeira regata do dia, subindo posições e terminando a competição em 5º na geral.

Já o brasileiro Pajero, destaque na terça-feira com duas vitórias, fez ótimas regatas, chegando em terceiro na primeira e vencendo a segunda, confirmou a boa campanha e fez de tudo para aproximar do líder. Chegou ao fim do campeonato mundial em segundo, com apenas um ponto de diferença do campeão.

“Temos uma tripulação muito qualificada e um barco ótimo. Viemos para brigar pelas primeiras colocações e sabíamos que qualquer detalhe poderia decidir o campeonato. Fomos o veleiro que mais venceu no campeonato, mas os nossos adversários conquistaram o título com méritos e estão de parabéns”, explicou o vice-campeão Serginho Rocha, do Pajero.

Os chilenos Itaú e Santander, que fizeram ótimas regatas na quarta-feira, chegaram em terceiro e quarto lugares, respectivamente. “Foi a primeira vez que competimos em Jurerê, e nossa expectativa era terminar entre os quatro mais bem colocados. Conquistamos um bom resultado”, ressaltou Dag von Appen, do Itaú.

O chileno também conquistou a primeira colocação na categoria Owner Driver, destinado aos proprietários que também são timoneiros de seus veleiros. O alemão Hendrik Brandis, do EarlyBird, ficou em segundo e o brasileiro Roberto Martins, do Carioca, em terceiro na categoria.

Na sequência da classificação geral, o alemão Earlybird, o chileno Mitsubishi Motors, os brasileiros Carioca e Crioula, o chileno Estampa DelViento, e os brasileiros Ocean Pact e Magia V / Energisa. Confira, abaixo, os resultados completos e os pontos perdidos.

Detalhe que em 45 anos de vida e 38 de vela eu jamais havia visto Torben ser último em qualquer campeonato. Bem… Nem ele lembra de ter sido último em nada. De fato, nosso ídolo disse que o barco nunca achou a melhor regulagem/velocidade desde que teve o mastro quebrado há algum tempo e que ele velejou mal mesmo. Caramba… Para esquecer!!

Resultados após 10 regatas:
1º Patagonia (ARG) – (1+1+3+5+6+2+3+8+4+11) – 44pp
2º Pajero (BRA) – (3+6+7+10+1+1+2+11+3+1) – 45pp
3º Itau (CHI) – (4+5+10+2+5+5+7+4+2+8) – 52pp
4º Santander (CHI) – (7+3+6+7+3+12DNF+5+1+5+4) – 53pp
5º Early Bird (ALE) – (6+9+4+4+4+4+4+10+1+7) – 53pp
6º Mitsubishi Motors (CHI) – (9+8+11+8+2+5.9RDGb+1+2+6+3) – 55.9pp
7º Carioca (BRA) – (8+4+2+1+7+6+6+7+10+10) – 61pp
8º Crioula (BRA) – (2+2+5+9+11+3+10+6+8+6) – 62pp
9º Estampa Delviento (CHI) – (11+7+1+6+8+7+9+3+9+2) – 63pp
10º Ocean Pact Racing (BRA) – (10+11+8+11+9+8+8+5+7+5) – 82pp
11º Magia V Energisa (BRA) – (5+10+9+3+10+9+11+9+11+9) – 86pp

Resultados categoria Owner Driver:
1º Itau (CHI) – (4+5+10+2+5+5+7+4+2+8) – 52pp
2º Early Bird (ALE) – (6+9+4+4+4+4+4+10+1+7) – 53pp
3º Carioca (BRA) – (8+4+2+1+7+6+6+7+10+10) – 61pp

Star – Uma quase rajadinha… Advinha quem está liderando o campeonato do Hemisfério Ocidental de Star em Miami? Quem apostou em Lars Grael e Samuca Gonçalves ganhou! Os caras estão se especializando na raia do próximo mundial em na baía de Biscayne!! Bom!!

(\_~~ (\_ Rajadinhas (\_~~ ~ (\_

** A equipe brasileira BRA 1 composta por Gabriel Lopes, João Emílio Vasconcelos, Tiago Quevedo e Tiago Monteiro é a vice-campeã sul-americana de Optimist por equipes 2015. O campeonato foi disputado nesta quarta-feira, no Peru, com a participação de 16 equipes. A equipe vencedora foi a ARG 1 da argentina e em terceiro lugar ficou a CHI 1 do Chile. Três dos quatro velejadores vice-campeões Gabriel Lopes e Tiago Quevedo do Veleiros do Sul e João Emílio, velejador do Clube dos Jangadeiros são gaúchos, comprovando o bom momento do Rio Grande do Sul na vela brasileira de base.

** Ainda otimista… E depois de uma pausa o SulAm de Optimist voltou às disputas individuais na sexta-feira, com o gaúcho Tiago Quevedo na liderança. Força molecada!! Termina hoje…

** O trio do El Demolidor foi o vencedor do Campeonato Sul-brasileiro da classe Soling, realizado no fim de semana passado no Veleiros do Sul. Kadu Bergenthal, Eduardo Cavalli e Renan Oliveira comemoraram o primeiro título da equipe, após um desempenho consistente nas quatro regatas realizadas no sábado e domingo na raia da Pedra Redonda no Guaíba.

** Mais Soling… Em segundo lugar ficou o barco Don’t Let Me Down com Cícero Hartmann, Flávio Quevedo e André Renard e em terceiro o time do Coringa, formado por Lucas Ostergren, Beto Trein e Roger Lamb. A disputa não fugiu do nível de equilíbrio da flotilha gaúcha, mostrando que qualquer uma das tripulações tinha chance de chegar ao título. Não dúvido!! A gauchada é especializada em Soling!

** E a força completa de nossa equipe olímpica de vela já está na costa do Mediterrâneo. Em Hyères, na França, começa amanhã mais uma etapa da Copa do Mundo de Vela da ISAF. Vamos torcer!!

** A Copa América virou novamente uma briga e uma confusão, mas com o mundo não para e Lusitana roda, os organizadores vão seguir com a programação da America’s Cup World Series. Claro que Cagliari, na Itália, que ia abrir a série caiu fora junto com a desistência do Luna Rossa/Prada. Mas de 23 de julho a 26 de julho, rola a 1ª etapa em Portsmouth, na Inglaterra. Gotemburgo, Suécia , de 28 a 30 de agosto e, claro, Hamilton, nas Bermudas, de 16 a 18 de outubro completam a programação de 2015. Apesar de tudo, é sempre lindo de ver!…

(\_~~ (\_ Agenda (\_~~ ~ (\_

** Classe HPE comunica: “O Campeonato Brasileiro de HPE a ser realizado na Ilhabela de 28 a 31 de maio, nem começou e já é um sucesso. Já confirmaram presença uns 20 barcos. Muitos que estavam parados decidiram colocar seu barco na água e participar não só do Brasileiro, mas também da 2ª Etapa da Copa SWIFT SPORT, que será no fim de semana anterior, ou seja dias 23 e 24 de maio. Se programe, vamos lá participar. Nosso objetivo é chegar em 30 barcos, o que seria bem legal e divertido!”. Não resta a menor dúvida!! Alô HPEs!!

** Essa vem direto do Cmdte. José Cunha Faria, portanto, uma ordem. “Mais um pleito de gratidão ao nosso saudoso Comte. GERALDO MIRANDA, autor de vários livros relacionados à Navegação, verdadeiras fontes de estudo , destinados a desenvolver uma mentalidade náutica em nosso País / Continente, de ampla costa marítima. O clássico ‘Velejar é Fácil’, com inúmeras edições, é leitura obrigatória para aqueles iniciantes que buscam ‘navegar com segurança’, como o Miranda relembrava a todo momento.

Sua dedicação, sua entrega total, enaltece o velejar, como um ato de total sensação de paz e liberdade, independente de idade, incluindo na capa do seu livro ‘Velejando dos 8 aos 80′, um velejador idoso no timão do veleiro e um jovem como proeiro.

Assim, participamos que já faz parte do calendário da vela do ICRJ 2015 a regata em homenagem ao Comte. Geraldo Luiz Miranda de Barros, com cobertura por satélite, assim, seus familiares e amigos poderão de casa, acompanhar toda a regata. A largada da Regata Comte Miranda – Volta as Ilhas será no dia 23 de abril, às 11.00h, em frente ao Farol da Escola Naval.” Homenagem merecida!

(\_~~ (\_ Vídeos (\_~~ ~ (\_

** Kerekes Zsombor (alguém conhece? Eu não!) fez uma compilaçãoo bem legal dos melhores momentos da vela em 2014. Vale a espiada!! Em: http://bit.ly/Best_sail14

** Alê “Sempre Ele” Haddad e Flavinha Freire estavam na boca do gol em Floripa e o Mar Brasil, que agora é um canal na web, fez a cobertura do mundial Mitsubishi de Soto40 em Jurerê. Clique e veja: http://bit.ly/MBr_S40

(\_~~ (\_ Entre Aspas (\_~~ ~ (\_

“No meio da confusão, encontre a simplicidade. A partir da discórdia, encontre a harmonia. No meio da dificuldade reside a oportunidade”. De Albert Einstein sem saber aconselhando Larry Ellison e Russell Coutts na condução da Copa América.

Fui!! Meio confuso…

Murillo Novaes

Resumão de quinta de um jornalista idem: VOR, STAR, Búzios, Sofia, 420, Snipe, Copa América e mais.

Elas chegaram! E foi bonita a festa ó pá!

Elas chegaram! E foi bonita a festa ó pá!

VOR agita Itajaí. BSW agita Búzios. Star agita Guarapiranga.

E mais: Dante e Thomas são 3º no 49er em Palma. Corbela e Marin em 3º em Barcelona. Palavras duras na Copa América. Floripa pronta para mundial de S40. Brasucas no pódio do SulAm de 420. Termina SulAm de Snipe na Argentina, Luis Soubie/Diego Lypszyc vencem.

Agenda: 101 do Rio Sailing; Copa YCP e 1º Brasileiro de 29er em SP

Vídeos: VOR no Mar Brasil; Final do Star na Garapiranga e #SAL com Bukowski

Boa tarde querido amigo e mais que querida amiga, transmitindo direto do covil itajaiense, onde, como você sabe, a vida é mais extrema, vamos, desde já, agradecendo novamente (puxa saco!) à organização a oportunidade que este manza tem de novamente ser o MC/Locutor/Tradutor oficial da VOR no Brasil e apresentar a coisa toda para esta multidão catarinense que comparece em peso às cerimônias na vila da regata. No domingo, foram 22 mil pessoas… Tava bonito!

Sem mais delongas, já que no Brasil a procrastinação parece ser esporte nacional, vamos direto aos heróis do oceano que aqui chegaram neste Itajaí-Açu de águas ora gentis.

VOR – A regata de volta ao mundo, como você já leu no último resumito, fez-se em mares (e rio) catarinenses. O cara que parece ter mais ganas de inscrever o nome no anel prateado do troféu da regata, Ian Walker, e sua galera no Abu Dhabi chegaram em primeiro. Nosso novo herói nacional e futuro vereador, se quiser, de qualquer cidade do estado, André “Bochecha” Fonseca, veio timoneando o MAPFRE para ser segundo. Os novatos americanos, de patrocínio turco, Alvimedica, fecharam o pódio e o gente boa e veterano de seis edições Bouwe Bekking e seu Brunel cruzaram metros atrás (incrível!!) em quarto.

Anteontem (terça) foi a vez das gatas (umas sim, outras nem tanto…) do SCA chegarem para as caipirinhas e a sequência de camarão. Com dois jaibes chineses que lhes custaram a perda do FRO, o balão assimétrico fracionado que é a maior vela de proa e puxa bem os VO65, e duas colisões com OFNIs (objetos flutuantes não identificados) no currículo da quinta perna, entre outros perrengues, as moças merecem todo nosso respeito também. E convenhamos, chegar com o barco e tripula inteiros enquanto dois outros times não o fizeram é um ponto a se considerar também. Para ganhar é preciso chegar, diz um dos lemas da regata. Fora o oceano austral, o Horn e tudo mais que se interpôs entre Auckland e este porto catarina. Mandaram bem!

E por falar nos que não vieram ainda, o Vestas já voltou a ser um barco. Isso mesmo. No estaleiro Persico, em Bergamo, na Itália, o combalido veleiro que deu um cavalo e pau nos recifes de Cargados Carajos (adorooo!), no Índico, já teve seu reformado casco e convés postos juntos novamente. Tudo parece correr bem para a reestreia lisboeta. A ver!

Outro que corre contra o tempo é o sino-gaulês Dongfeng. Os caras estão motorando e velejando costa acima e a ainda a 1000 milhas de Itajaí. Se der tudo certo, chegam na segunda-feira. Dia que em que, possivelmente, chegará também o mastro novo que, além de voar de Amsterdã para São Paulo, precisa ser liberado na alfândega antes de passear de caminhão até Santa Catarina. Que os deuses da bur(r)ocracia estejam de bom humor!

Com o fim desta quinta perna a liderança do Abu Dhabi agora é mais folgada, já que os caras que estavam empatados com eles na tabela tiveram a desventura de quebrar o mastro. Sendo assim, na súmula geral vê-se o seguinte agora: Abu Dhabi em primeiro com 9 pontos, o Dongfeng permanece em segundo com 16pts; em seguida estão Brunel (3º) e MAPFRE (4º) com 18pts, o Alvimedica vem em quinto com 19pts e fechando a tabela estão SCA com 29pts e Vestas com 36pts.

Para saber tudo da regata dê seu clique em http://bit.ly/VOR_14_15 e divirta-se!

Na foto do Balaio vemos Lars a caminho do seu sexto brasileiro de Star com o auxílio sempre luxuoso de Samuca Gonçalves. São os caras!

Na foto do Balaio vemos Lars a caminho do seu sexto brasileiro de Star com o auxílio sempre luxuoso de Samuca Gonçalves. São os caras!

Star – A classe das estrelas fez um dos maiores e melhores campeonatos brasileiros dos últimos tempos na represa (cheia!) de Guarapiranga em São Paulo. Experiente e perspicaz, Lars Grael mostrou na raia do Yacht Club Paulista porque ainda é um dos principais ícones da vela brasileira. Junto com o proeiro Samuel Gonçalves conquistou seu sexto título do Campeonato Brasileiro de Star. Favorito desde que colocou o “Come Together” contra os outros 23 barcos da raia, Lars e Samuca mostraram que sabiam das dificuldades e do nível da galera e deram o melhor.

“A competição foi uma das mais equilibradas de todos os tempos. Foram mais de 20 barcos correndo e uma disputa excelente. A nova geração está em alto nível e eles estão se somando aos demais, trazendo um grande impulso para a classe”, contou Lars, que agora está à uma conquista do irmão, Torben Grael, maior vencedor da classe com sete ouros no Brasileiro.

No pódio, ao lado de Lars e Samuel, nada menos do que outro medalhista olímpico. Bruno Prada e o timoneiro Alexandre Paradeda – ouro pan-americano de Snipe – terminaram o Brasileiro de Star na segunda colocação, seguidos por Alessandro “Dino” Pascolato e Henry Boening, na terceira.

Acostumado a correr de Snipe, Xandi Paradeda não poderia ter saído mais satisfeito com sua estreia na classe. “Correr com o Bruno e contra feras como o Lars, Conrad, entre outros, foi realmente uma experiência muito boa proporcionada pela Star”.

“O Lars mostrou muita superioridade, andando bem, com folga. Não é nada fácil chegar nesse nível e ele sempre surpreende”, afirmou Dino Pascolato, do MIISCCA, terceiro colocado na classificação geral.

Mesmo fora do programa olímpico, a classe Star mostrou por que é uma das mais prestigiadas da vela nacional. A competição contou com a presença de campeões mundiais, pan-americanos e medalhistas olímpicos, além de velejadores de outras modalidades iniciando sua experiência na classe e, claro, da nova geração, que busca aprender e se firmar no barco.

“Há muito tempo não velejo uma regata tão bem feita. Conseguimos reunir uma grande qualidade técnica entre os participantes e acho que nunca tivemos uma entrega para o patrocinador tão bem feita como esta. O conceito aplicado ao evento está super adequado”, contou Marcelo Bellotti, do F7 Ser Glass.

Para Marcelo Sansone, organizador do evento, o apoio de todos os envolvidos foi essencial para realização de um campeonato de alto nível. “O campeonato teve uma excelente qualidade técnica e uma competição muito acirrada entre os melhores velejadores do Brasil, se não do mundo. Agradeço muito todos os apoiadores do campeonato. O ano que vem esperamos todos no 7º Distrito em São Paulo”.

Mario Buckup, o campeão grão mestre exaltado da parada, mandou um plá para o resumão também: “Foi com prazer que participei do campeonato brasileiro da classe star 2015, no Yacht Club Paulista, com uma grande ajuda do meu tripulante Caio Prado, do meu amigo Robert Rittscher que me emprestou o seu 2º star (um Folli “BRA 7400” de primeira classe!) e de todos participantes que me deram muitas dicas! Meu pai teve um Star há muito tempo, depois velejei um campeonato brasileiro na proa do Eduardo Souza Ramos, há alguns anos. O star ficou mais técnico e prazeroso de velejar. No contravento tem mais regulagens e qualquer mexidinha faz grande diferença, tanto que as vezes éramos super rápidos e as vezes lentos e/ou sem ângulo de orça. No popa o Star bem tocado é um ‘avião’.

Igual a todas as outras classes de barco que velejei, o ‘tunning guide’ da North Sails é fundamental, pois te dá a certeza que o barco está regulado, pelo menos, igual à maioria. Parabéns ao Lars, Xandi, Dino, Marcelo e todos que têm deixado a vela brasileira no topo das listas de campeonatos internacionais em várias classes como Star, Snipe, Lighnting, J/24, J/70, Finn, 49er e muitas mais, tanto que quando velejo no exterior, muitos velejadores de fora me perguntam como o brasil pode ter tão bons resultados com tão poucos velejadores, relativamente!? Vamos continuar assim…!!!!”. sem dúvida Mario! Que Mario?!…

Além dos três primeiros colocados no Geral, foram premiados no Brasileiro de Star 2015:

Categoria B (estreantes na classe)
1º – Iago Whately e Henrique Cabette
2º – Patrick Woodyatt e Rogério Barbato
3º – Luis F. Mosquera e Roberto Freire

Categoria Master
Marcelo Fuchs e Ronald Seifert (Clementine)

Categoria Grand Master+ Exalted
Mario Buckup e Caio H. Prado

Black Star (Barco mais antigo)
Marco Szili e Marlyn Nigri

Confira a classificação final após três dias de regata (Top10):
1º – Lars Grael e Samuel Gonçalves (Come Together) – 8474
2º – Alexandre Paradeda e Bruno Prada (Al Hammed) – 8391
3º – Alessandro Pascolato e Henry Boening (MIISCA) – 8494
4º – Marcelo Fuchs e Ronald Seifert (Clementine) – 8398
5º – Marcelo Bellotti e Marco Lagoa (F7 SER Glass) – 8390
6º – Fabio Brugioni e Marcelo Sansone (Team Wine) – 8468
7º – Fabio Bodra e Arthur Lopes (TatiTatao) – 8337
8º – Admar Gonzaga Neto e Alexandre Freitas (Maricota) – 8477
9º – Maurício Bueno e Cristiano Ruschmann (DDL) – 7441
10º – Robert Rittscher e Carlos Rittscher (Born Free) – 8300

Saravah, meu pai! O barco do ICAB não frequentou o pódio de 2015 em Búzios, mas embelezou o dia nem tanto.

Saravah, meu pai! O barco do ICAB não frequentou o pódio de 2015 em Búzios, mas embelezou o dia nem tanto.

Búzios – Mais uma vez, a Búzios Sailing Week agitou a Semana Santa no sempre acolhedor e charmoso Iate Clube Armação de Búzios. Antes de vir para o sul estive lá na abertura e como sempre, a recepção do Comodoro Alain foi irretocável: um concorrido coquetel na véspera do evento, o já tradicional churrasco da quinta feira e uma peixada para santo nenhum botar defeito na Sexta-feira Santa.

Na água, foram 5 regatas ao longo dos 3 dias de campeonato com ventos mais fracos do que o habitual, entre 8 e 15 nós, o que é incomum para Búzios. Ainda assim, muitas disputas entre os barcos cariocas mais competitivos da atualidade, com destaque para o Magia V de Torben Grael, que faturou na ORC, contra 12 barcos, o Maestrale II, do Almte. Casaes, derrotando seus 11 concorrentes na IRC e o Mahalo, que dominou a série na BRA-RGS.

Destaque também para a participação da tripulação paulista do Inaê-Transbrasa, do Yacht Club de Ihabela que veio até Búzios testar forças com a nata local e para a Escola Naval e o Colégio Naval que mais uma vez foram em peso prestigiar este belo evento.

Este ano, a Búzios Sailing Week teve o patrocínio da Prefeitura de Armação Dos Búzios, da Privilège, do Captain’s Buffet e da Silk Beach Club. Além disso, contou com o apoio da Raquel Abdu – Assessoria e Cerimonial, da FEVERJ e da ABVO. Olha o mole total!! Viva Búzios!! Ano que vem não perco!!

Dante e Lowba andaram muito na Maiorca. Bronze merecido e muito comemorado!

Dante e Lowba andaram muito na Maiorca. Bronze merecido e muito comemorado!

(\_~~ (\_ Rajadinhas (\_~~ ~ (\_

** A princesa acabou… Terminou em Palma o tradicional Troféu Princesa Sofia. No fim, a esquadra brasuca acabou fazendo 3 medal races e chegando a um pódio: a dupla Dante Bianchi e Thomas Lowbeer, no 49er, levou o bronze mediterrâneo para o ICRJ. Uhuu! As gatas Martine Grael e Kahena Kunze, em 4º, e Fernanda Oliveira e Ana Barbacham, em 5º, também fizeram bonito em águas hispânicas. Parabéns!!

** Por falar em pódio e por falar em Espanha, a festa de premiação da Barcelona World Race já tem os três degraus definidos. Ana Corbela e Gerard Marin, no GAES, cruzaram a linha catalã em terceiro lugar na volta ao mundo em duplas sem escalas e sem assistência. Foi dureza!!

** E por falar em dureza… A coisa ficou triste para os velejadores paralímpicos. Mesmo com a gestão do presidente da ISAF junto ao IPC, o Comitê Paralímpico Internacional, a vela está mesmo de fora do Jogos de Tóquio em 2020. Entretanto, com a fusão do IFDS, que cuidava da vela paraolímpica, coma própria ISAF o IPC abriu a possibilidade de reinclusão em 2024. De todo modo, a ISAF ainda luta por qualquer brecha para colocar os barcos paralímpicos na baía de Tóquio. Tomara!!

** E já que estamos na tristeza… A Copa América, mais uma vez, mostra que polêmica e viradas de mesa são tão intensas quanto as regatas que disputam a Auld Mug desde 1851. O imbróglio da mudança de classe da AC62 para a AC48 com peças one design, no meio do processo, depois de alguns times investirem milhões em pesquisa e desenvolvimento, continua a gerar a ira de muitos. Agora, além do Luna Rossa/Prada o tradicionalíssimo Team New Zealand ameaça deixar a copa. Caraca!

** Seguindo… Isso sem falar em Bruno Troublé, timoneiro em duas ocasiões e invetor da série de desafiantes Louis Vuitton Cup, que, depois de dizer que há alguns anos os organizadores (leia-se Larry Ellison e Russel Coutts) estão destruindo a tradição e legadi da competição emendou: “O que temos agora é um evento de praia vulgar com cheiro de protetor solar e batatas fritas. Esta não é definitivamente a Copa América.” Complicado!!

** Floripa já cheira a S40. Desde aqui, em Itajaí, já sentimos os ares de vela de alto nível que sopram direto de Jurerê. O ICSC já está cheio de velejadores e com praticamente todos os barcos que vão disputar, de 12 e 16 de abril, o mundial de Soto40. Com 10 regatas previstas, a competição reunirá grandes nomes da vela planetária, que juntos somam 15 medalhas olímpicas e mais de 20 títulos mundiais. “A nata do esporte participará dessa competição, o que por si só já torna o evento especial. Podemos esperar regatas bastante disputadas”, adianta o comandante chileno Horácio Paves, do veleiro Mitsubishi Motors. Eu tenho certeza!! E vou ver! Uhuu!

** Terminou o SulAm de 420 no Club Nautico San Isidro, em Buenos Aires. Entre os 28 barcos participantes o pódio teve duas duplas brasucas. No final, Felipe Diniz e Ivan Aranguren, do Yacht Club Argentino foram os grandes campeões. Mas na cola vieram Tiago Brito e Andrei Kneipp, do Clube dos Jangadeiros, e Leonardo Lombardi e Rodrigo Luz, do ICRJ. Bom!! Muito bom!!

** E já que estamos na Argentina… Acabou por lá também, em Mar del Plata, o SulAm de Snipe. Entre os 32 barcos, apenas dois brasileiros e eles foram 5º e 6º no final. A súmula assim ficou: ARG 28701 Luis Soubie/Diego Lypszyc em 1º; ARG 29887 Augusto Amato/Constanza Alvarez em 2º; ARG 29828 Eduardo Fumagallo /Gonzalo Caceres em 3º; BEL 31274 Manu Hens/Victor Perez em 4º; BRA 31195 Gabriel Kieling/Lucas Callate em 5º e BRA 31004 Rafael Gagliotti/Henrique Wisniewski em 6º. Narcejas de Cuba, Equador, Chile e Peru também surfaram no mar do Prata. Legal!!

(\_~~ (\_ Agenda (\_~~ ~ (\_

** As classes ORC, IRC, BRA/RGS, Época, Clássicos e Antigos, Bico de Proa, Snipe, Velamar 22, Laser (Standard, Radial e 4.7), Dingue, Monotipos Clássicos e Optimist estão convidadas para a Regata do 101º Aniversário do Rio Yacht Club, no dia 11 de Abril de 2015, este sábado, em Nikiti City. Os barcos e competidores poderão ser inscritos preenchendo o formulário próprio e/ou remetendo via e-mail para: ryc@oi.com.br ou no fax: (21) 2610-5811 ou ainda na secretaria de vela do Rio Yacht Club até às 11:00 do dia 11 de Abril de 2015 ou entregando formulário, já preenchido, no barco da Comissão de Regata até o sinal de atenção do Grupo 1, início de procedimento de largada. Não tem desculpa! Vamos lá galera!!

** O 1º Campeonato Brasileiro de 29er rola de 18 a 21 de abril, no Yacht Club Santo Amaro, na represa Guarapiranga, em São Paulo. Para se inscrever basta clicar no link ao lado: http://bit.ly/YCSA_29erComapreça!!

** Nos próximos dias 11 e 12 de Abril ocorrerá a 3ª etapa da Copa YCP 2015, no Yacht Club Paulista, na Guarapiranga. A Copa YCP será composta de 9 etapas em formato de circuito anual, com premiação em jantar de gala ao final do ano, aos três primeiros colocados (geral) de cada classe. Além da premiação anual, haverá premiação em cada uma das nove etapas. Algumas atrações e novidades da Copa YCP 2015: Largadas em sequência para as classes convidadas; Uso de spare buoy e gate no percurso; Percursos diferentes aos sábados (triangular) e domingos (barla-sota); Descarte de até 25% das regatas que compõem a série anual; Almoço e confraternização aos sábados (de cada etapa) no YCP, antes das regatas, para todas as tripulações (custo coberto pela inscrição); Clínicas rápidas para os velejadores (dicas de táticas de regata e regulagens); Familiares e convidados dos participantes serão bem-vindos aos almoços (pagamento avulso) e ao YCP, inclusive para assistir a saída e retorno dos barcos; Jantar ao final do ano com entrega de prêmios. Clique aqui e faça sua inscrição http://bit.ly/YCP_2015 A festa é boa! As regatas também!!

(\_~~ (\_ Vídeos (\_~~ ~ (\_

** Confira a chegada da última regata do Brasileiro de Star 2015 na Guarapiranga. O ventinho tava bom! http://bit.ly/BraStar2015

** O Mar Brasil, do meu, do seu, do nosso mestre Alexandre Haddad agora é um canal na web e como sou esperto já vou usando os vídeos para deleite dos amigos aqui também. Comecemos com a chegada da Volvo em Itajaí: http://bit.ly/MBr_VOR_Itj

** Mais Mar Brasil e Mais VOR. Confira a chegada de Bochecha em casa. Foi show!! http://bit.ly/MBr_VOR_Bch

** E seguindo sempre em alto nível, o #SAL misturou mar e Bukowski para fazer de um belo poema um belo vídeo. Rolem os dados! Veja em: http://bit.ly/SAL_Bukw

(\_~~ (\_ Entre Aspas (\_~~ ~ (\_

“O problema com o mundo é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, enquanto os estúpidos estão cheios de confiança.”  Charles Bukowski

Fui!!! Cheio de confiança…

Murillo Novaes

Resumito VOR: Abu Dhabi vence etapa mais parelha da história da regata. MAPFRE, com Bochecha no timão, é vice.

Abu_win_itajai2015

Depois de quase 7 mil milhas e um Horn no meio flotilha da VOR faz chegada histórica em Itajaí e entre o vencedor, Abu Dhabi, e o quarto colocado, Brunel, houve menos de uma hora de intervalo. 

Nota: Lars (com Samuca na proa, claro) é hexa brasileiro de Star. Torben vence a Búzios Sailing Week.

Caraca!! Você não tem ideia!! Transmitindo direto do covil itajaiense, neste santo litoral catarinense, vamos atualizando os amigos neste pré-resumão com as maravilhas da vela volvica.

Antes, porém, uma nota rápida sobre os irmãos Brothers (que depois vem completa no resumão). Eles venceram de novo! Lars Grael e Samuca foram os grandes campeões do Brasileiro de Star na Guarapiranga e, com isso, o cara faturou seu hexa campeonato brasileiro na classe e só está atrás do irmão Torben. Já o irmão Torben faturou no S40 Magia V/Energisa mais uma Búzios Sailing Week na ORC Geral. Estavam endiabrados na semana santa!

Mas vamos às novas novidades desta costa sul porque a festa foi linda demais. E, desde já, agradeço a oportunidade de pela terceira vez (4ª se contar a transmissão ao vivo na TV em 2005) ser parte integrante deste time vencedor e ter a oportunidade de comandar a festa na vila da regata. É muito para um manza qualquer! E não acabou ainda…

Como não preciso reinventar a roda, já tomo emprestado o “prez rilize” do brother Flavinho Perez para contar a historinha co meus pitacos também. Segue.

A história da vela oceânica mundial foi escrita neste domingo de Páscoa. Pela primeira vez na história da regata, a etapa mais longa da Volvo Ocean Race – quase 13 mil quilômetros entre a Nova Zelândia e o Brasil – foi decidida nos detalhes. Os quatros barcos que chegaram à cidade catarinense terminaram a prova muito próximos, com menos de uma hora entre eles. A vitória foi do Abu Dhabi e o público se emocionou com a conquista do brasileiro e catarinense André ‘Bochecha’ Fonseca.

A quinta etapa da Volvo Ocean Race será impossível de tirar da memória. A vitória do Abu Dhabi, a diferença mínima entre os barcos, um brasileiro a bordo, recorde de milhas velejadas, Cabo Horn, icebergs, frio e quebras…Ufa…Serão necessários vários parágrafos para contar toda a história da perna entre Auckland e Itajaí. Vamos resumir os fatos:

m37936_livestream-2015-04-05-at-17-00-29

Árabes venceram

Abu Dhabi, barco árabe comandado pelo medalhista olímpico Ian Walker, cruzou a linha de chegada da quinta etapa da Volvo Ocean Race em primeiro lugar, depois de 18 dias 23 horas e 30 minutos. Pouco tempo depois – em exatos 55 minutos – chegaram MAPFREAlvimedica e Brunel. A equipe abriu sete pontos na liderança do campeonato e ainda quebrou o recorde de milhas velejadas em 24 horas (o troféu IWC) nesta edição: 550,8 milhas náuticas.

“Foi uma etapa dura e desgastante! Um final apertado e os barcos ficaram próximos do começo até o fim da regata. Resultado do ótimo desempenho da nossa tripulação no percurso. O segredo dos barcos de design único é velejar bem. Se fizer tudo direito dá tudo certo”, disse Ian Walker, comandante do Abu Dhabi Ocean Racing.

Na edição passada, o Abu Dhabi não chegou em Itajaí por problemas na embarcação, mas dessa vez deram a volta por cima, vencendo e convencendo. A melhor notícia (para eles!) é que a equipe árabe lidera a competição com sete pontos de diferença para o segundo colocado, o Dongfeng que partiu a jaqueira nas proximidades do Horn e agora faz um cruzeiro vela-motor rumo a Itajaí.

O próximo barco a chegar será o feminino SCA. O Dongfeng também é esperado, claro.

m37956_vor-150405-mendes-012

Um novo ídolo nacional

Recebido como herói, o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca conduziu o barco MAPFRE nos momentos finais. “Bochecha..Bochecha…Bochecha…gritavam os torcedores que lotaram a Vila da Regata na Páscoa. A emoção maior foi quando o velejador mostrou a bandeira do Brasil e de Santa Catarina. “Foi incrível essa recepção. Não sei como retribuir o carinho do público. Fizemos um resultado especial e mostramos nossa evolução na Volvo Ocean Race”, disse o também atleta olímpico.

Milhares de pessoas lotaram a Vila da Regata e os molhes de Itajaí e Navegantes para ver a chegada do Bochecha. Mas ele tinha a torcida particular da família com camisetas do MAPFRE e o número 12 nas costas. O vice-campeão da etapa desejou um churrasco e um banho quente como presentes de herói. “Estamos esgotados. Mas se alguém perguntar pra todos se faríamos tudo outra vez agora, a resposta seria sim”.

O comandante Iker Martínez fez questão de homenagear o brasileiro. “Estamos todos contentes por chegar no Brasil. E homenageamos o Bochecha, que chegou em casa timoneando o barco”, lembrou o campeão olímpico. O MAPFRE, apesar do segundo lugar, enfrentou dificuldades e problemas a bordo. “O resultado foi ótimo e conseguimos dois pódios nas última regatas. Mas confesso que o jaibe chinês foi a coisa mais assustadora que passei. Vou lembrar daquele momento por toda a vida”.

Os velejadores ganham um descanso nos próximos dias antes de voltar aos treinos na semana que vem. No sábado (18), está marcada a In-port Race de Itajaí. No dia seguinte, as equipes sobem o Oceano Atlântico para Newport, nos Estados Unidos.

press_conference_iatajai2015

O que eles disseram

“Eu nunca vi uma recepção como essa. Impressionante tanta gente nos esperando. Espero que a minha cidade – Newsport – faça o mesmo”, Charles Enright, comandante do Team Brunel.

“Bater o recorde de milhas velejadas em 24 horas foi uma mistura de sorte com pouca mudança de vela. Pegamos um vento constante e um rumo perfeito. Quando percebi essa possibilidade avisei minha equipe para acelerar e buscar o recorde mesmo que perdêssemos um pouco na etapa propriamente dita”, Ian Walker, comandante do Abu Dhabi.

“Chegar no Brasil é especial. Participei do Brasil 1 e tenho um carinho especial pelo país”, Chunny Bermudez, um dos timoneiros do Abu Dhabi.

“Foi uma perna difícil. Estou feliz por chegar ao Brasil, mas não gostei de ter terminado na quarta colocação”, Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel e o cara que montou o Horn 8 vezes.

“Melhoramos muito, mas acho que será difícil pegar o Abu Dhabi na liderança”, André ‘Bochecha’ Fonseca, timoneiro do MAPFRE.

Por enquanto é isso aí!! Para quem quiser saber tudo da regata o clique é em: http://bit.ly/VOR_14_15

E para quem quer acompanhar as novidades gerais basta acessar meu perfil público no Facebook que sempre atualizo as coisas por lá: http://bit.ly/FB_MuNov

E vamos que vamos que o show não pode parar!

Murillo Novaes

 

Parem as máquinas! Luna Rossa/Prada sai da Copa América!

Olhe bem esta imagem pode ser a última de um AC45 da Prada treinando para a Copa América

Olhe bem esta imagem pode ser a última de um AC45 da Prada treinando para a Copa América

Bomba! Bomba!! Luna Rossa resolve abandonar a 35ª Copa América em protesto às novas regras

Boa noite! Sem mais delongas vamos às últimas porque são quentes quase pelando. Ao contrário do que foi dito, inclusive por este manza no resumão de hoje, o desafiante principal Luna Rossa (que se transformou em challenger of record justamente quando os australianos de Hamilton Island desistiram) não concordou com a proposta de uma nova classe e Patrizio Bertelli, presidente da Prada, resolveu tirar o time depois de quatro disputas, sendo que logo na primeira, com Torben de tático, venceram a Louis Vuitton Cup e correram a Copa América contra os neozelandeses.

Segundo nota da equipe “esta mudança radical implica também um desperdício de recursos importantes já investidos com base nas regras que foram sancionadas em junho do ano passado. Isto significa que o pedido de redução de custos, revela-se como um pretexto destinado a aniquilar os ganhos em pesquisa e desenvolvimento de algumas equipes”. A organização, ACEA, só escreveu que lamentava a decisão dos italianos e que sua intenção (e dos outros times que concordaram) era apenas reduzir custos e permitir que mais equipes fizessem parte do jogo.

Como sempre, tudo que envolve a Copa América é nebuloso e cheio de subtextos. Por trás da decisão, agora sabemos, quase unânime, de reduzir o tamanho do barco da disputa e de fazer algumas peças comuns em conjunto, supostamente no intuito de reduzir os investimentos dos times, pode ter algo mais que simples boas intenções. E Bertelli, que sempre foi um grande entusiasta da Copa, certamente viu alguma coisa que nós não sabemos.

A Prada pediu desculpa aos fãs do time e aos profissionais envolvidos e disse que vai cumprir os contratos até o fim. Uma pena já que nosso Horacinho Carabelli era parte do time de designers e um dos responsáveis justamente pelos desenvolvimentos que os italianos dizem que haviam alcançado. Quem viver verá!!

Murillo Novaes

 

 

Resumão de quinta de um jornalista idem: Sofia, VOR, Copa América, Ilhabela, RC44, Alinghi, Transat, velho Chico e mais

Tipo assim, Rick Tomlinson registrou o Mapfre e o Brunel montando o Horn praticamente como se fosse uma boia, só que depois de 4700 milhas da largada!

Tipo assim, Rick Tomlinson registrou o Mapfre e o Brunel montando o Horn praticamente como se fosse uma boia, só que depois de 4700 milhas da largada!

Dante/Lowbeer e Fernanda/Ana em 3º em Palma. Dongfeng perde mastro na VOR e flotilha monta o Horn e já está a 800 milhas de Itajaí. Nova classe de catamarãs com fólios vai correr a 35ª Copa América. Vento bom e muita disputa no final da primeira etapa da Copa Swift Sport em Ilhabela.

E mais: SulAm de Snipe em Mar del Plata. Alex Welter vence SulBra de A-Cat em SP. IRN/Projeto Grael recusa convite para limpar Guanabara. Ventão e muita adrenalina na abertura da RC44 em Malta. Novo livro de Isabella Nicolas conta a história da vela no Brasil. Caravana do Esporte, com Samuca Gonçalves, visita o velho Chico. Clippers 70 vão correr a Round the Island Race no Solent. Plymouth é porto de partida da próxima Transat. Alinghi vai correr circuito de GC32. Carkeek 47 vence em Tortola.

Agende-se: Lars em busca do hexa no Brasileiro de Star. Floripa se prepara para receber o mundial de Soto40.

Vídeos: Bochecha no Horn. Dongfeng quebra o mastro. O melhor da vela extrema de todos os tipos e um rolê de RS:X em Búzios. 

Boa tarde querido amigo e queridíssima amiga, direto do covil neste cabo nem tão frio assim vamos logo a uma errata. Na semana que se foi, em alusão à regata mais antiga deste nosso varonil, pouco sutil e nada pueril Brasil, a Darke de Mattos, que chegou à sua 71ª edição, sempre corrida na classe Star, este manza em um claro desrespeito ao régio direito de pairar acima de todos nós, errou. Errei sim! E justo com nossa majestade. Na referida missiva afirmei que John King havia vencido a prova por 7 vezes. Não!! O cara ganhou, contando com este 2015, nada menos que 13 vezes a Darke de Mattos. Sois rei! Sois rei!! Sou manza, sou manza…

Evitei escrever ontem, no 1º de abril (mentira!), para manter a credibilidade deste jornalista e também por motivos etílico-gastronômicos. É que no Iate Clube Armação de Búzios – ICAB rolou o coquetel de abertura da Búzios Sailing Week 2015. Como sempre, Alain Joullié, Pierre e Dona Vera, com o auxilio luxuoso do Almir e do buffet da boate Privilége, receberam os convivas com a simpatia e o bom gosto de sempre. Tudo ótimo!! Como vou novamente locutar oficialmente a VOR em Itajaí, não poderei correr as regatas, mas já adianto: Búzios é sempre do baralho! Quem não foi perdeu!! Perdi!…

E para manter a pegada nas altas esferas vélicas planetárias vamos direto para a palma da Sofia, ou melhor, para o Troféu Princesa Sofia em Palma de Maiorca. Por lá nossa seleção olímpica começa a temporada europeia neste ano-prólogo do Rio 2016 em alta voltagem. E a coisa anda mediterraneamente boa! Direto para o meio do Med…

Sofia – As maiores promessas olímpicas do planetinha azul estão reunidas na ilha que já foi grega, fenícia, romana e os catalães retomaram dos muçulmanos em 1.229 para a 49ª edição do Troféu Princesa Sofia, neste ano com o sobrenome mercadológico de Iberostar. E comecemos pela nova categoria da vela mundial sob gestão da Isaf, o kitesurfe.

Depois de sete regatas corridas, ontem (quarta) foram disputadas as medal races do Formula Kite em águas pálmicas. E dois brasucas ficaram entre os top10. Em 7º Wilson Veloso e em 9º Ian Germoglio, ambos do Bodete Kitepoint, em João Pessoa. Começamos bem!

No resto da esquadra brasuca, o destaque fica por conta de Dante Bianchi e Thomas Low-Beer, na 49er, em terceiro geral, com direito a vitória na 4ª regata da série e com a nossa pioneira medalhista feminina Fernanda Oliveira e sua parceira, Ana Barbachan, também em terceiro geral com uma vitória na 3ª regata qualificatória e um 2º ontem na primeira das séries finais, na flotilha ouro, claro. O resto do time está da seguinte forma:

Classe Laser (164 barcos, 6 regatas corridas): Bruno Fontes, 36º, 96pts; João Pedro Oliveira, 82º, 113pts e Alex Veeren 104º, 155pts.

Laser Radial (117 barcos, 6 regatas): Fernanda Decnop, 31ª, 96pts; Maria Cristina Boabaid, 57ª, 173pts; Odile Ginaid, 71ª, 124pts e Gabriela Kidd, 112º, 248pts.

Finn (74 barcos, 6 regatas): Jorge Zarif, 18º, com 86pts e um 7º como melhor colocação até agora.

RS:X masculino (82 pranchas, 6 regatas): Gabriel Bastos, 21º, 74pts.

RS:X feminina (66 pranchas, 6 regatas): Bruna Mello, 34ª, 104pts.

470 masculino (80 barcos, 6 regatas): Henrique “Gigante” Haddad e Bruno “Bebum” Bethlem, na flotilha ouro em 21º geral com 68pts e Geison Mendes e Gustavo Thiessen, em 45º, com 81pts e um terceirinho esperto ontem na flotilha prata.

470 feminino (62 barcos, 6 regatas): Fernanda Oliveira e Ana Barbachan em 3º geral com 18 pontos e um 2º e um 5º hoje e Renata Decnop e Isabel Swan em 21º, com 66pts.

49er (74 barcos, 7 regatas): Dante Biachi e Thomas Lowbeer em 3º geral com 35 pontos e Marco Grael e Gabriel Borges, também no Top10,, em 8º com 55pts. Detalhe é a impressionante liderança das lendas kiwis Peter Burling e Blair Tuke que descartam como pior resultado um 3º lugar e contam com nada menos que quatro vitórias e dois segundos lugares. Caramba!

49er FX (47 barcos, 7 regatas): Martine Grael e Kahena Kunze em 14º com 53 pontos. Detalhe interessante é que mesmo quando elas não estão nas cabeças, o que é raro, as neozelandesas Alex Maloney e Molly Meech sempre estão no encalço ali do lado. Em Palma as kiwis têm 52 pontos e estão em 13º. Isso que é andar junto!

Nacra (56 barcos, 7 regatas): Samuel Albrecht e Geórgia Rodrigues, 36º, 70pts e um 4º ontem na flotilha prata e João Bulhões e Gabriela Nicolino, em 39º, com 81pts.

Para ver o vídeo do 3º dia em Palma clique em: http://bit.ly/1bQKxMU E hoje tem mais!! Fique ligado!

VOR – Já no atlântico Atlântico, a flotilha da Volvo Ocean Race se desloca célere para águas catarinenses. Óbvio que não sem a dose de drama e aventura que torna esta regata tão atrativa aos olhos de todo o mundo. E fora os dias sempre intensos no sul do Pacífico (que perto do 55°S bem poderia se chamar Belicoso), com ventos de até 50 nós e ondas de quase 8 metros, a carga trágica ancestral dos antigos marinheiros que viam suas naves ceifadas pelo mau humor dos deuses patagônicos sobrou para o sino-gaulês Dongfeng.

Os comandados de Charles Caudrelier vinham a aproximadamente 250 milhas do Horn, em ventos de 30 nós, quando às 0315UTC de segunda-feira viram a parte alta da jaqueira desabar. Com o tope do mastro caiu o FRO (Fractional Code Zero, a maior vela a bordo), quebraram as 2ª e 3ª cruzetas de boreste e como diria o Seu Manoel da padaria, o sonho acabou. Mas tem pãozinho…

Pela manhã, com a luz de Deus, deu para ver o tamanho da caca e Kevin Escofier subiu no que sobrou do pau para cortar fora as adriças e livrar a vela que vinha sendo rebocada pelo barco (veja no vídeo abaixo). Os caras só podiam velejar com amuras a bombordo e lentamente com o que sobrou do mastro e a buja três (J3), mais o possante roncando no porão, se dirigiram para o canal de Beagle, rumo a Ushuaia, para tristeza dos dois velejadores chineses que sonhavam montar o Horn em alto estilo.

Já em Ushuaia, Caudrelier decidiu abandonar a 5ª perna, usar o tanque de lastro de proa como tanque de diesel e mandar o barco, com a tripula de terra a bordo, motorsailing pro Brasil. Detalhe é que os dois chineses, por conta da burocracia da armada argentina (que em Ushuaia é um porre, posso testemunhar), não puderam desembarcar e vão fazer o cruzeiro rumo a Itajaí. Faz parte!

Enquanto isso, na sala de justiça… Os líderes cruzavam o Everest dos mares com beleza, velocidade e… Uma proximidade impressionante depois de mais de 4.700 milhas navegadas desde a Nova Zelândia. Você pode testemunhar na foto acima que o Mapfre e o Brunel estavam no mesmo quadro e passaram o cabo com apenas 0,1 milha náutica de separação (180m), a 18 milhas do líder de então, o Alvimedica, que por sua vez montou o Horn a menos de 4 milhas do vice, Abu Dhabi. Fazendo uma simples regra de três (no caso do Mapfre, assumindo que um GP tem 350km) é como se num a prova de F1 os carros cruzassem a linha a apenas 0,07mm um do outro. Não sei nem se o cronômetro pega isso! Caraca!!! Viva o one design!

No momento, a pouco mais de 800 milhas da santa e bela, o Alvimedica lidera, com o Abu Dhabi 1,7 milha atrás, o Mapfre outras 10,4 milhas na esteira dos árabes e o Brunel apenas 7 milhas no encalço do espanhol. O Dongfeng abandonou a etapa, o Vestas está no estaleiro e as meninas do SCA, que estão sem o Code Zero depois de um jaibe chinês e sofreram com panes eletrônicas também, vêm mais de 700 milhas atrás da galera, mas já passaram o cabo do medo. E é o time mais bonito, sem dúvida!! Viva elas!

Para sabe tudo da regata não deixe de clicar em http://bit.ly/VOR_14_15

Copa América – Conforme você leu aqui na semana passada, os próceres da Copa América, a competição esportiva mais longeva de nossa humanidade, que desde 1851 alimenta sonhos, paixões e desejos intensos, resolveram aliviar o bolsilho dos bilionas que se divertem nos barquinhos que voam e dos nem tão bilionários assim que dependem de patrocínios polpudos para fazer parte da brincadeira também.

Pois bem, agora é oficial. Os catamarãs AC62 já morreram antes de nascer. Com a anuência de todos os times, os donos da bola, OracleUSA, o desafiante principal Luna Rossa/Prada e os outros quatro desafiantes (Artemis, New Zealand, France e Ben Ainslie Racing) anunciaram que concordam em correr, em 2017, nas Bermudas, em um catamarã com fólios e vela rígida entre 45 e 50 pés. Nesta semana deve sair o novo protocolo e regras da classe.

O objetivo é reduzir os custos e atrair novos times para a competição. Embora a coisa toda continue a ser uma disputa na água e nas pranchetas (e computadores) dos designers, até mesmo algumas peças comuns a todos os barcos serão desenvolvidas conjuntamente. Tomara que dê certo e que possamos ver novamente vários e vários desafiantes se aventurando na regata que está no coração do nosso esporte. Sustentabilidade financeira é o novo lema dos caras! Que assim seja!!

Swift – Mestre Pereira Jr., também conhecido como Aryzão, está nas assessóricas lides ilhabelenses neste começo de outono e nos informou direto do front.

“O melhor da etapa de abertura da Copa Swift Sport ficou reservado para o último dos quatro dias dos dois finais de semana de disputas em Ilhabela. O domingo (29) amanheceu chuvoso e o vento não dava nem sinal de vida. A Comissão de Regatas (CR) optou por hastear a bandeira Recon no Yacht Club de Ilhabela (YCI) e saiu em um bote à procura do vento no Canal de São Sebastião. Depois de uma hora e meia veio orientação para que as 32 tripulações embarcassem rumo ao norte de Ilhabela. Valeu esperar.

O vento sueste entrou com média de 15 nós e rajadas que ultrapassaram os 20 nós. A classe HPE correr mais duas regatas, enquanto C30 e RGS disputaram a prova final da etapa. “Depois das mais variadas condições nos dois últimos finais de semana, fechamos a etapa com chave de ouro. É um convite antecipado para que as tripulações retornem na segunda etapa da Copa Swift Sport (23 e 24, 30 e 31/5), o tradicional ‘Warm Up’ para a Ilhabela Sailing Week, em julho”, comemorou o presidente da CR, Cuca Sodré.

Sob condições ideias, os tripulantes puderam levar à prática seus talentos. Na C30, vitória do Barracuda, que assumiu a vice-liderança da classe. O líder e campeão da etapa, Porsche, chegou em segundo lugar. Na HPE, o Ginga venceu as quatro regatas do fim de semana e conquistou a etapa, mantendo a liderança. Suzuki Bond Girl e Aventura 55 ocupam segunda e terceira colocações no acumulado. Na RGS Geral, o líder Asbar II chegou na segunda colocação para garantir a liderança. O Fram venceu a regata, mas Inaê Transbrasa e Hélios II seguem o Asbar II. Na regata da RGS Cruiser deu BL3, o líder da classe, seguido por Jambock e Cocoon.

O HPE Ginga, com tripulação nativa de Ilhabela abriu a liderança mais folgada entre as classes da Copa Swift Sport. São 14 pontos de vantagem sobre o Suzuki Bond Girl. “No primeiro final de semana tivemos muitas dificuldades com o vento. Neste segundo, os ventos ajudaram e corremos muito bem. A classe levou nove barcos à raia e na próxima etapa, em maio, esperamos mais de 20, devido ao Campeonato Brasileiro”, estimou o comandante do Ginga, Breno Chvaicer, lembrando que o Brasileiro também será em Ilhabela, com sede no YCI (28 a 31/5).

Para todas as classes é considerado o descarte do pior resultado a partir da quinta regata. A organização e realização da Copa Swift Sport é do Yacht Club de Ilhabela, com patrocínio máster de Suziki Veículos, patrocínios de Ser Glass e F7 Blindagens e apoios de Revista Mariner, Rádio Antena 1, North Sail, Sail Station, Wind Charter e Prefeitura Municipal de Ilhabela”. Dei mole!!

Três primeiros em cada classe após a 1ª Etapa

RGS Geral
1.Asbar II (Sérgio Keplacz): 3+1+2+2 = 8 pontos perdidos
2.Inaê Transbrasa ( Bayard Umbuzeiro): 6+2+1+3 = 12 pp
3.Helios II (Marcos Lobo): 1+5+3+4 = 13 pp

RGS Cruiser
1.BL3 (Clauberto Andrade): 1+2+1+1 = 5 pp
2.Jambock (Marco Aleixo): 3+1+2+3 = 9 pp
3.Cocoon (Luiz Caggiano): 2+3+3+2 = 10 pp

C30
1.Porsche (Marcos de Oliveira Cesar): 1+3+(4)+1+2 = 11 pp
2.Barracuda (Humberto Diniz): (5)+4+1+2+1 = 13 pp
3.+Realizado (José Luiz Apud): 2+1+(5)+4+3 = 15 pp

HPE
1.Ginga (Breno Chvaicer): 2+1+(3)+1+1+1+1 = 7 pp
2.Suzuki Bond Girl (Rique Wanderley): 4+(10)+1+3+4+4+5 = 21 pp
3.Aventura 55 (José Vita): (6)+2+6+2+2+3+6 = 21 pp

 

No São Francisco ainda se veleja para viver e se vive para velejar, Samuca é testemunha.

No São Francisco ainda se veleja para viver e se vive para velejar, Samuca é testemunha.

(\_~~ (\_ Rajadinhas (\_~~ ~ (\_

** Com oito barcos na água rolou o SulBra de A-Cat na Guarapiranga. Com sede no YCSA, o velejador local e apenas medalha de ouro em Moscou1980 no Tornado, Alex Welter, dominou a coisa toda. Em seis regatas venceu cinco e descartou um segundo lugar. Quem foi rei… Parabéns, Herr Welter!

** O SulAm de Snipe, em Mar del Plata, já está rolando. Primeiro com as categorias misto e máster, lideradas pela dupla argentina Juan Pablo Marchesoni e Paula R. Ramos e, a partir de hoje, com o principal (Sênior, Júnior e Feminino). São muitos barcos argentinos, poucos brasileiros, dois cubanos, um peruano e outro equatoriano. Mas pelas fotos de mestre Capizzano, que é velejador local, já sabemos que a coisa toda está linda no mar do Prata! Vida longa às narcejas!

** A semana foi agitada no lixo de Guanabara, também conhecida como a baía-sede dos jogos olímpicos de 2016. Depois de anunciar que iria fazer um contrato emergencial de R$ 20 milhões com o IRN – Instituto Rumo Náutico/Projeto Grael para que a ONG operasse o plano feito (sem custos) por Axel Grael para mitigar o problema do lixo flutuante, o conselho do instituto, por unanimidade, declinou do contrato.

** Segue… O ex-presidente do IRN (agora é Torben), vice-prefeito de Niterói pelo PV e ambientalista de renome internacional, Axel Grael, comentou: “Comecei a minha vida de militância ambientalista há 40 anos, lutando pela baía de Guanabara, e continuarei fazendo. O Projeto Grael tem sido um importante canal de contribuição para isso e é importante que continue a motivar os seus alunos a se engajarem nessa luta e que contribua sempre com as iniciativas de despoluição. Mas, isso deve ser feito dentro das vocações e das limitações institucionais da nossa organização A decisão do Conselho Diretor do Instituto Rumo Náutico é prudente e correta”. Sem dúvida!

** Limpeza no lixo… O secretário do Ambiente do RJ, André Côrrea, disse em nota que “entendo a posição do conselho do Instituto Rumo Náutico e a minha admiração pela família Grael aumentou ainda mais”. Bem, nestes tempos estranhos, recusar-se a receber recursos sem licitação e não se colocar a serviço de uma possível manobra política e de marketing só me faz aumentar também minha admiração pela Graelada toda. Sou suspeito, mas os caras são demais mesmo! Quem dera houvesse mais gente assim no Brasil!!

** E por falar em Projeto Grael, um dos mais ilustres filhos de lá, Samuel Gonçalves, o multicampeão proeiro de Lars Grael, deu um velejo diferente. Como parte da Caravana do Esporte, da Ana Moser/ESPN/Disney, o arariboiopolitano (também conhecido como niteroiense) foi a Porto da Folha, em Sergipe, às margens do rio São Francisco e, entre atividades sociais e musicais, deu um rolê nas canoas a vela locais. “Uma experiência inesquecível!”, segundo o próprio. Eu não duvido! E segue a caravana!

** Já emendando na vela tradicional. Já que até em canoa de tolda a moça esteve. A nossa documentarista número um da vela brasileira Isabella Souza Nicolas, diretora do “Senhores do Vento”, documentário da saga do Brasil 1 na VOR 2005/6 e do “Mar Me Quer”, que conta na telona a história de nossa vela, está lançando o livro homônimo que promete ser tão completo, bonito e bem feito quanto o filme. Não posso louvar muito porque sendo amigo próximo e colaborador corro o risco, sempre muito feio, do autoelogio. Mas que é do baralho, é!! Aguarde!!

** A Clipper Race e sua flotilha de 12 Clipper70, o vitorioso barco projetado por Tony Castro, que substituiu os velhos 68 pés da regata, vão participar da Round The Islansd Race, na Inglaterra. A tradicional RTI promete reunir mais de 1600 barcos na sua 84ª edição. Com patrocínio da JPMorgan a flotilha dos clipperes vai levar a bordo 144 empregados do banco para o rolê de 50 milhas em volta da ilha de Wight. Vai ser bom!

** Por falar em regata tradicional, a mais antiga das travessias solitárias atlânticas e precursora de uma pletora de desafios solo desde então, a OSTAR, que começou em 1960, é disputada a cada quatro anos e hoje se chama simplesmente The Transat, já tem porto de partido para a edição de 2016. Será Plymouth, no sul da Inglaterra, local de onde partiu também nada menos que a primeira Whitbread em 1973, a hoje Volvo Ocean Race. A chegada do outro lado do Atlântico, nos EUA, ainda vai ser definida. Esta regata é o bicho!! Eu ainda chego lá!

** Regatinha que é o bicho também sempre é qualquer uma na classe RC44. E a temporada 2015 começou com uma etapa pra lá de disputada, com direito a dia de ventão e imagens espetaculares, em Valetta, Malta. No fim, o russo Bronenosec Sailing Team venceu nas regatas de flotilha e o monegasco Charisma foi o melhor no match race. Aqui um vídeo com as incríveis imagens da contenda mediterrânea: http://bit.ly/RC44_Vid_Malta. A próxima etapa é em Porto Cervo. Chatooo…

** E já que estamos nas altas rodas… O time Alinghi anunciou que vai correr o circuito de GC32 este ano. O catamarã one design navega sobre fólios e, como sabemos, enquanto a Copa América for de Larry Ellison (Oracle) o time de Ernesto Bertarelli jamais correrá. Mas os suíços, depois de venceram a eXtreme Sailing Series no ano passado querem manter a mão boa nos cats e agora nos fólios para, quem sabe, até desafiar o eventual vencedor das Bermudas em 2017 e voltar à copa. Veremos!!

** Por fim, uma caribenha. Na já tradicional BVI Spring Regatta, nas Ilhas Virgens Britânicas, o Carkeek 47 Spooke levou a melhor na Round Tortola Race, a regatinha em volta da ilha de Tortola. Correndo no paraíso!!

(\_~~ (\_ Agenda (\_~~ ~ (\_

** Ícone do esporte nacional, Lars Grael disputará, mais uma vez, em busca do hexa, o Campeonato Brasileiro de Star 2015. O evento, marcado para o feriado de Páscoa, promete ser um dos mais equilibrados da história. Além do medalhista olímpico, outros campeões da modalidade estarão na raia do Yacht Club Paulista, incluindo Bruno Prada e Reinaldo Conrad. “O Campeonato Brasileiro de Star é um dos mais tradicionais da vela brasileira”, disse Lars Grael, que terá como proeiro Samuel Gonçalves. Os dois têm o objetivo de subir ao pódio novamente, depois da prata do ano passado em Brasília. Apenas o irmão, Torben Grael – atual campeão com Gustavo Almeida – tem mais conquistas na classe. O bicampeão olímpico foi medalha de ouro no Brasileiro de Star por sete vezes, incluindo uma como proeiro. Começa amanhã!!

** A praia de Jurerê, em Florianópolis, será palco da 3ª edição do Mitsubishi Motors Soto 40 World Championship entre os dias 12 e 16 de abril. Durante as 10 regatas previstas, grandes nomes da vela, medalhistas olímpicos e campeões mundiais, como Torben Grael e o argentino Mariano Parada, participarão da competição totalmente one design. “O que torna a classe Soto 40 especial é que os barcos são completamente iguais. Nenhuma tripulação entra com vantagem de equipamento. Com isso, o trabalho das equipes é destacado”, explica Roberto Martins, do Carioca 25, que já conformou presença no mundial. Eu também!! Vamos?!

 

Olha ele lá de novo! Bochecha manda seu recado no Horn.

Olha ele lá de novo! Bochecha manda seu recado no Horn.

(\_~~ (\_ Vídeos (\_~~ ~ (\_

** Nosso representante na VOR, Don Bochecha de Las Santas y Puertos falou, em português, enquanto montava o famigerado cabo Horn. O cara é o cara!! Confira aqui: http://bit.ly/Buch_Horn

** Viva a Internet! Um maluco compilou cenas incríveis de vela extrema de todos os tipos e colocou neste vídeo. Duca!! Confira em: http://bit.ly/1DtLG7U

** O Dongfeng vinha alegre e contente surfando as ondinhas de 5m nas proximidades do Horn quando um crack (a onomatopeia e não a droga, entenda-se) assustou a todos. A jaqueira partiu! E aqui vemos o intrépido tripulante Kevin Escofier que subiu no pau (não confunda!) e ainda filmou a lerda toda de cima. Vale a espiada! http://bit.ly/1F2jBkl

** A galera do Bimba aqui em Búzios, que você sabe é o bairro mais chique de Cabo Frio, veleja muito de RS:X lá em Manguinhos. Até aí novidade alguma. Só que a rapaziada resolveu filmar o velejo direto do próprio mastro e ficou, para falar em buziano castiço, del extremo carajo. Veja em: http://on.fb.me/1xyGKNP

(\_~~ (\_ Entre Aspas (\_~~ ~ (\_

“Se foi um erro, amanhã vira aprendizado”. Da bela Clarice Lispector 

Fui!!! Errando…

Murillo Novaes

Resumão na quase quinta: Cabo Race. Barcelona Race. VOR. Ilhabela, Floripa, Darke de Mattos e mais

Bernard Stamm e Jean Le Cam vencendo a Barcelona World Race hoje. Duca!

Bernard Stamm e Jean Le Cam vencendo a Barcelona World Race hoje. Duca!

Torben e Disney tomam a tequila primeiro no México. Stamm e Le Can tomam a orchata de chufa primeiro em Barcelona. Bochecha e cia. acham o Nemo primeiro.

E mais: Merreca na Suzuki Sport em Ilhabela. Festa na Cidade de Florianópolis. King reina da Darke de Mattos no Rio. Chorão e João Ramos vencem Centro SulAm de Laser Master em Búzios. Barcos menores e mais baratos na 35ª Copa América. 500 dias para o Rio2016. Equipe olímpica pronta em Palma de Maiorca para o Princesa Sofia. Projeto Grael/IRN vão limpar Guanabara para evento-teste. Optmists brasucas na França.

Agende-se: Circuito Marreco na Guarapiranga. Clínica para oficiais de regata em SP.

Vídeos: Bacardi Sailing Week. Hashtag Sal “Pescando Sonhos”. 

Boa noite querido amigo e mais que querida amiga, direto do covil do manza na ensolarada e quente Cabo Frio, vamos prezando o neo-capitalismo tupiniquim que hoje operou mais um milagre.

Meu vizinho no canal do Itajuru, Carlos Alberto Sicupira, 4º brasileiro mais rico na recém-divulgada lista da Forbes (atrás apenas dos dois sócios na 3G Capital, Jorge Paulo Lemann e Marcel Telles, e de Joseph Safra, o dono do banco homônimo e do icônico prédio-ovo Fabergé – verdadeiro! – em Londres), agora é também o feliz proprietário da Kraft Foods, gigante multinacional do rango industrial, que se junta à Burguer King e a as principais cervejas do mundo (fora Americanas, Submarino, etc.) na lista dos negócios não cabo-frienses do pescador destas águas. Incrível!!

E dizem que eles e o mago de Omaha, Warren Buffet, seu sócio nos negócios, cogitaram comprar até a Coca-Cola… Também com US$ 40bi na carteira para ir ao shopping fica mais fácil!!… E eu aqui dando milho aos pombos!! Enfim… Vamos direto para a maior riqueza que qualquer um pode ter, porque esta é gratuita e democrática: o mar e o vento. E comecemos pelo Pacifico já rumando para Barcelona.

Cabo Race – O comandante-em-chefe da armada de Pindorama, o paulista e candango mais niteroiense de todos os tempos, Turbina Grael, ganhou mais uma! É que nosso querido orelha se juntou às orelhas mais famosas do planeta, as do Mickey Mouse, e sem o atrapalho de nenhum pateta fez história mais uma vez. Desta feita na prestigiada e tradicional Cabo Race, a regata de Newport (em Los Angeles) à Los Cabos (no México).

O percurso de 800 milhas rumo à Baja Califórnia desde 1971 faz a cabeça de 9 entre 10 velejadores de oceano da costa oeste dos EUA. E como o Andrew 70 de Roy Disney, o famoso Pyewacket, fica por lá, nossa lenda foi chamada mais uma vez pelo patrão do Mickey e dos Metralhas para mostrar os caminhos do ouro. E mostrou!

Com o auxílio mais que luxuoso do navegador Stan Honey (o cara que fez o notório relatório do acidente do Vestas, na VOR, recentemente e é um gênio da computação gráfica para TV) Torben, Roy e companhia fizeram a fita-azul dos monocascos e venceram na principal categoria da regata. Bravo!!

Triste mesmo vai ser ele voltar e ter que me aturar navegando o Lady Lou no iPad e olhando para a paisagem… Cuidado com as lajes!!

Barcelona – Acabou!! A dupla mais que experiente, Bernard Stamm (SUI) e Jean Le Cam (FRA) venceu a Barcelona World Race 2014/15 e definiu o tempo de referência para a volta ao mundo em duplas sem paradas: 84 dias, 5 horas, 50 minutos e 25 segundos, em uma média de 11,53 nós nas 23.321,76 milhas do percurso ideal ou 13,82 nós na distância real coberta por eles: 27.950 milhas.

O IMOCA60 Cheminées Poujoulat, co-comandado por Stamm, 51 anos, e Le Cam, 55 anos, venceu a terceira edição da Barcelona World cruzando a linha de chegada hoje (quarta-feira) às 17h:50m:25s UTC em ventos fracos, de 10 a 15 nós, de SE, e mares calmos quase no pôr do sol catalão.

Bernard e Jean estabeleceram o tempo de referência para a regata, que seguiu um percurso diferente nesta edição: de Barcelona a Barcelona, ​​passando pelos três grandes cabos, Boa Esperança, Leeuwin e Horn, deixando a Antártida por boreste, mas, pela primeira vez, indo direto por baixo da Nova Zelândia em vez de desviar para o norte para atravessar o estreito de Cook, entre as ilhas Norte e Sul do país/arquipélago. Isso reduziu a distância em cerca de 1.280 milhas em relação às edições anteriores. Esses são verdadeiros heróis!! E ainda deixaram o segundo colocado, Neutrogena, quase 1.000 milhas navegando no retrovisor…

VOR – E por falar em mares abertos, na Volvo Ocean Race, hoje a flotilha ultrapassou o ponto Nemo, o famoso lugar no oceano mais distante de qualquer massa de terra no planeta água. E quando isso rolou quem esteva nas cabeças? Quem? Quem?? Ele mesmo, Don Bochecha de las Santas Catarinas y Puertos Alegres e seus comparsas no Mapfre.

Depois de dar um jaibe chinês (bem capturado em vídeo), os espanhóis se recuperaram com maestria e a pouco menos de 3.900 milhas de casa, Bochecha já sentia o cheiro da sequência de camarão e acelerava forte rumo ao Horn e à glória de montar o famoso cabo mais uma vez. Antes, porém, eles e seus companheiros de flotilha e de mares do sul têm que negociar com icebergs mais ao norte que o normal e com os humores sempre instáveis de Éolo e Netuno.

No momento, o Alvimedica está na frente, mas entre eles e o Abu Dhabi (4º colocado), com o Brunel e o Mapfre no meio, apenas 5 milhas separam tudo. O Dongfeng vem 25 milhas atrás da galera e as minas do SCA outras 115 milhas na esteira chinesa. Dureza!!

Para sabe tudo da regata (e ver o vídeo do jaibe sino-espanhol) clique em http://bit.ly/VOR_14-15

A moça do Balaio, Aline Bassi, capturou o C30 Porsche liderando a Suzuki Swift na ilha bela.

A moça do Balaio, Aline Bassi, capturou o C30 Porsche liderando a Suzuki Swift na ilha bela.

(\_~~ (\_ Rajadinhas (\_~~ ~ (\_

** O tempo instável e a falta de vento exigiram paciência das 31 tripulações e da CR no primeiro final de semana da 1ª Etapa da Copa Swift Sport, em Ilhabela. No sábado rolou uma regata e os barcos chegaram a largar no domingo com vento sueste fraco, entre seis e sete nós, mas o merrecol e a forte correnteza no canal de São Sebastião impediu que as regatas fossem concluídas. Apenas na classe HPE, quatro veleiros cruzaram a linha de chegada, sob forte chuva, antes do limite de tempo. No próximo findes rola a conclusão da 1ª etapa do velho e bom Circuito Ilhabela. Que Éolo também compareça!!

** Já em Floripa… Com o vento sul predominando durante todo o dia, aconteceu no sábado a Regata Cidade de Florianópolis, segunda etapa da Copa Veleiros de Oceano e os vinte e quatro veleiros que participaram da competição, que fez parte das comemorações dos 289 da capital catarinense, proporcionaram um belo espetáculo ao público na Baía Norte. Na Classe ORC, o Catuana Kin foi o mais veloz, cruzando a linha de chegada à frente do Ataw e Absoluto (3º). Entre os barcos da RGS A, apenas 19 segundos separaram o Plancton, vencedor da etapa, do Argonauta, vice-campeão. O Açores III completou o pódio. A Regata Fortalezas, próxima etapa da Copa Veleiros de Oceano, acontece no dia 24 de abril. Boa!!!

** A 71ª Regata Darke de Mattos, a mais antiga do Brasil, teve um rei no mais alto do pódio pela sétima vez. A tradicional prova da classe Star foi disputada no último sábado na merreca carioca e viu Johnny King e Fernando “Sunguinha” Gioia vencerem com autoridade. Lars Grael e Samuca Gonçalves foram vices e Chicão Siemsen e Baleia, também conhecidos como Francisco S. Bulhões e Fernando Ilha, completaram o pódio. Tradição na água e no pódio!! Parabéns Mr. John, você é realmente o rei da Darke!!

** E por falar na família Bulhões… Não teve choro no Búzios Vela Clube no 8º Centro SulAm de Laser Master neste findi. Depois de 5 regatas corridas em Manguinhos, Pedro Bulhões Carvalho da Fonseca, o Chorão, se sagrou campeão no Standard e o brasiliense João Ramos, sempre honrando o ICB, levou a melhor no Radial. São os velhinhos conservados no raio laser!! Show!!

** Depois de escolher as Bermudas como sede, tirando voluntariamente a disputa da Copa América das águas dos EUA, depois de convidar a lindíssima Classe J para também correr na ilha britânica em 2017, depois de inventar um novo barco, o AC62, como classe da disputa, a organização de 35ª Copa América (Russell Coutts e Larry Ellison) acena com a possibilidade de criar uma nova classe, um catamarã sobre fólios ainda menor que 62 pés para diminuir custos. Uma ideia sensata que agradou a quase todos. Segundo Franck Cammas, do Team France, “daria para fazer um barco vencedor com apenas 20 milhões de Euros”. Apenas… Mas, acredite, é quase um quinto do que já custou uma equipe. Ou mais ou menos o que um gerente na Petrobras rouba em alguns poucos anos. Vou ali e já volto!!…

** A 500 dias do começo das olimpíadas no Rio alguns atletas falaram sobre a data: “Desses 500 dias em diante vamos continuar fazendo o nosso passo a passo, tentando não pular etapas, para chegar aos Jogos Olímpicos bem preparadas. Dependendo do ponto de vista pode faltar pouco ou muito tempo, mas é um grande evento esportivo vindo por aí. Vivemos uma grande expectativa” disse Kahena Kunze.

** Já a timoneira do 49erFX de Kahena, a também careteira Martine Grael falou: “Esse ano é de muita preparação para a gente. Principalmente pelo fato de que no ano passado tivemos resultados excelentes. A gente sabe que é difícil repetir isso, mas como está bem próximo dos Jogos, a gente continua dando o nosso máximo. É um período de muita preparação, tanto psicológica quanto física, mas estamos tranquilas. Nossos objetivos seguem no topo. Se tudo der certo, a gente chega bem preparada em 2016″

** Pra fechar os 500. .. A lenda Robert Scheidt declarou: “É um marco importante, estamos nos aproximando bem rápido das Olimpíadas. É um período importante, pois ainda dá tempo de nos prepararmos, mas ao mesmo tempo já não estamos mais no começo do ciclo olímpico, o que não nos deixa com tanto tempo assim. O ano de 2015 é muito importante para nós, temos muita coisa pela frente. Temos Mundial, Jogos Pan-Americanos e evento-teste. Preciso velejar muito no Rio de Janeiro ainda, e me sentir cada vez mais à vontade para quando o grande dia chegar”. Amém!

** Por falar em preparação, a maioria da nossa equipe de vela já está em Palma de Maiorca se aquecendo para o 46º Trofeu Princesa Sofia (e Martine/Kahena já ganharam a regatinha antecipatória por lá). A competição marca o início da temporada europeia e reúne a nata da vela olímpica mundial. Começa nesta sexta! Fique ligado!!

** A ONG Instituto Rumo Náutico, do Projeto Grael, foi contratada em regime de urgência pelo governo do RJ para retirar o lixo flutuante das águas da baía de Guanabara antes do evento teste de vela, em agosto, o último antes dos Jogos de 2016. Cinco ecobarreiras serão construídas no canal do Cunha e nos rios Meriti, Bomba e Imboaçu, pontos críticos dos resíduos. O roteiro de coleta feito pelos ecobarcos também passará a ser definido por computador, que vai antecipar o movimento das marés. “Todos os custos são transparentes e vão estar publicados na internet. E não há ninguém que eu conheça que reúna todas as características técnicas e pessoais para um desafio de curto prazo como esse”, justificou o secretário de ambiente do RJ, André Corrêa, referindo-se à Axel Grael, o irmão mais velho dos caras. Boa sorte na empreitada!! A velo e o meio ambiente agradecem!!

** Pra fechar com optimismo… Um grupo de velejadores de Optimist do Cabanga Iate Clube de Pernambuco vai participar da Copa Internacional de Verão 205m em Plérin, na França. O evento acontecerá de 11 a 18 de julho e são esperados 500 optimistas de 14 países. Sem dúvidas, um dos maiores eventos abertos da classe! Força à molecada pernambucana!!

(\_~~ (\_ Agenda (\_~~ ~ (\_

** O CIRCUITO MARRECO 2015 começou em 21 de fevereiro na represa de Guarapiranga em São Paulo. Dezoito barcos alinharam-se para a largada em frente ao Clube de Campo do Castelo (1º Sweet Eagle – Antonio Correa e Haroldo Ficco; 2º Poita – Cássio Lopes e Andres Jurado; 3º Adesso – Wilson e Madalena Kato) e como já é tradição, após a prova houve a premiação, com medalhas e troféus, acompanhado de um delicioso churrasco. A próxima regata será no dia 28/03, com sede e celebração no Yacht Clube Itaupu. Participe!!!
.

** A Confederação Brasileira de Vela – CBVela, em parceria com o Comitê Organizador Rio 2016 e ​a Federação de Vela do Estado ​de São Paulo e o ​Yacht Clube Santo Amaro​, ​realizará ​a ​Clinica de ​Introdução para Oficial de Regata, ​nos dias ​​03 e ​04 de ​abril de 2015,​na Cidade de ​São Paulo. A Clinica será realizada simultaneamente a realização ​​do Campeonato ​Brasileiro da Classe ​​A Cat, ​o que permite o aprendizado prático. “Esta Clinica ​tem o objetivo de passar uma noção básica das atividades de um oficial de regata, seja Gerente de Regata ou Juiz de Regata ou Arbitro de Regata ou Medidor; possibilitando um bom entendimento de como é a organização técnica de uma regata e de como cada oficial de regata atua”, explica Kadu Baggio. Inscreva-se em: cbvela@cbvela.org.br Vale a pena!!

(\_~~ (\_ Vídeos (\_~~ ~ (\_

** Como você sabe, a Bacardi Miami Sailing Week foi a glória tupiniquim. Lars e Samuca, no Star, e Santinha e cia. no J/70, venceram. E o vídeo oficial do evento saiu agora e ficou bem legal. Confira em http://bit.ly/Bac_Mia

** O Hashtag Sal já está se tornando um clássico programa de vela, apesar de tão novo. A competência do Adriano Plotzki, as bela imagens e a escolha dos temas fazem a diferença. Já está no ar o novo episódio: “Pescando Sonhos”. Vale a espiada! http://bit.ly/Sal_16

(\_~~ (\_ Entre Aspas (\_~~ ~ (\_

“Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor”. Walt Disney filosofando sobre o sucesso.

Fui!!! Impossibilitado…

Murillo Novaes

Resumão: VOR larga finalmente, eXtreme em Omã, Bruschetta, HC16 e Pan. Op, Star, Safran e superiates. E mais…

A VOR entrou em sexta marcha no Pacífico Sul. No fechamento desta missiva o Abu Dhabi passou todo mundo e lidera bonito, muito bonito.

A VOR entrou em sexta marcha no Pacífico Sul. No fechamento desta missiva o Abu Dhabi passou todo mundo e lidera bonito, muito bonito.

Pam adia, mas VOR larga rumo ao Horn e a Itajaí. Wave Muscat vence 2º ato da eXtreme Sailing Series em casa, em Omã.

E mais: Bruschetta vence e vai ao Pan 2015 no J/24. Cláudio Teixeira e Bruno Oliveira vencem e vão ao Pan de HC16. Equipe para Toronto 2015 está quase fechada. Thiago Quevedo vence SulBra de OP e vai ao mundial. Clipper Race é sucesso em feira de negócios esportivos na Inglaterra. Novo TP52 Azzurra toca a água em Valência. P2 e Marie vencem a Loro Piana Superyacht Regatta em Virgin Gorda.

Agende-se: Copa Swift Sport/Circuito Ilhabela; Circuito Guarapiranga; Passeata Náutica no dia da água; Copa Cidade de POA no Janga; 95 anos de ICRJ de OP; Brasileiro e Darke de Mattos de Star.

Vídeos: RORC600 e o novo IMOCA60 (com fólios) Safran.
Boa noite querido amigo e queridíssima amiga, neste Brasil varonil do céu de anil e dos políticos que devíamos mandar para a fruta que os pariu, a semana que passou foi agitada. Mas, na minha humilde opinião, o foi no melhor dos sentidos, o sentido nobre e sempre desejável da democracia e do confronto de opiniões e ideias com civilidade e respeito.

Fora, claro, pela inovação histórica que só é possível mesmo aqui em Pindorama ou, como diria o Zé Simão, o Brasil é mesmo o país da piada pronta. Nas demonstrações de domingo, talvez pela primeira vez na história da humanidade, se viu um grupo (pequeno, amém!) que se manifestava com entusiasmo justamente pelo direito de… Não se manifestar! Ou alguém acha que em qualquer regime militar, no passado, presente ou futuro, de qualquer espectro ideológico, rola de sair com cartazinho na mão gritando contra o governo ou qualquer outra coisa? Sinceramente… Vamos rir que é melhor! E, democraticamente, respeitar as opiniões mais diversas.

Mas sigamos a procissão marítima porque é nas águas sempre generosas do planetinha chamado Terra que as melhores coisas acontecem. E agora, enquanto lês estas mal traçadas, elas acontecem justamente em direção ao nosso litoral. Com um Horn no meio, é claro! E um brasileiro na parada!

VOR – Partiu!! Depois de 67 horas de adiamento por conta de Pam, o ciclone, eis que finalmente as defensas foram suspensas e os cabos de atracação recolhidos nos seis VO65 que deixaram, Auckland, a autodenominada cidade das velas, rumo a Itajaí na nossa Santa e bela Catarina.

A perna, de aproximadamente 6.800 milhas, é a maior desta edição da Volvo Ocean Race e aquela que, finalmente, toca o lugar mítico da vela de altura mundial, o oceano Austral, a porção de água mais perigosa do planeta e o lugar onde se fez a história dos grandes navegadores de todos os tempos.

O sul dos oceanos Pacífico, Índico e Atlântico, desprovido de massas continentais para barrar o vento e as ondas que circundam o globo de oeste para leste, com intensidade e velocidade, permite que ali se forme o pior de todos os mares da Terra. E para adicionar mais pimenta na salada salgada de nossos amigos, o funil que a península antártica e a ponta da América do Sul forma, com o cabo Horn na extremidade é verdadeiramente o “Everest dos mares”. Dureza!!

E no boletim de hoje de manhã o cérebro eletrônico da organização apontava justamente o único barco a levar um coração verde e amarelo, o espanhol Mapfre, como o líder. Bochecha e sua galera, já com o comandante Iker Martinez à bordo, saiu queimando pneu da Nova Zelândia e, a apenas 6.380 milhas de casa, liderava a flotilha com 1,3 milha sobre o Alvimedica em 2º; 1,5 milha sobre o Brunel em 3º; 1,9 sobre o Dongfeng em 4º; 2 milhas sobre o Abu Dhabi em 5º e 4,4 milhas sobre as meninas do SCA em sexto.

E por falar nelas… Advinha quem venceu de novo a regata de porto? Isso mesmo! Pela segunda vez consecutiva a única tripula feminina colocou os barbados na esteira e ganhou uma in-port com autoridade e categoria. Agora as meninas estão em terceiro na série de regatas costeiras (que é um torneio à parte e só vale como desempate da série principal) com 16 pontos. Na liderança das in-port está o Abu Dhabi com 14pts e em segundo, também com 14pts, mas sem vitórias até agora, vem o Brunel.

E a súmula da regata, após 4 pernas, mostra o Abu Dhabi, de Ian Walker, e o Dongfeng, de Charles Caudrelier, rigorosamente empatados com 8 pontos. Ambos têm uma vitória, dois segundos e um terceiro lugar, sendo que os árabes lideram porque na última perna chegaram na frente dos chineses. Em terceiro está o Brunel , de Bouwe Bekking, com 14pts e em 4º e 5º, respectivamente, empatados com 16pts estão Alvimedica (Charles Enright) e Mapfre (Iker Martinez). Em sexto está o SCA (Sam Davies) com 24pts e em 7º o Vestas (Chris Nicholson) que, óbvio, não está velejando.

E por falar neles… O milagre da reconstrução já está sendo feito em solo quase papal. Em Bergamo, no norte da Itália, o estaleiro Persico (responsável pela fabricação dos VO65 junto ao francês Multiplast, ao suíço Dècision e ao britânico Green Marine) já recebeu os restos mortais da nave abatida em Cargados Carajos (eu adoro este nome!) e já pôs mãos à obra com vistas a entregar o ressuscitado veleiro em Lisboa, em junho, para as duas últimas pernas da regata. Oxalá!

Clique aqui para ver tudo da regata: http://bit.ly/VOR_14-15

 

Extreme – A eXtreme Sailing Series, a série de regatas nos super catamarãs de 40 pés que prenunciaram até mesmo o que hoje é a Copa América, chegou ao seu segundo ato de 2015. Nas águas de Mascate, capital do sultanato de Omã, terra de Simbad, o marujo, o time local venceu pelo terceiro ano consecutivo.

A tripula comandada pelo inglês Leigh McMillan, bicampeão do torneio, não deu mole para os dinamarqueses do SAP e arrancou a vitória nas últimas regatas do último dia, impedindo Jes Gram-Hansen e companhia de vencer seu primeiro ato (etapa) em anos de circuito. De virada é melhor, você sabe…

Já o Red Bull, que chegou em terceiro em águas árabes, lidera a coisa toda depois de dois atos (Cingapura e Mascate). Curiosamente o The Wave, Muscat e o SAP tem os mesmos 18pts e a galera já se prepara para a próxima etapa em Qingdao, na China, no final de abril, para ver quem vai liderar com mais folga a súmula extrema. Veremos!!

Vovó já dizia: uma santa e uma bruschetta fazem milagres. E nosso vencedor J/24 vai para seu quarto Pan seguido e quem sabe para o a quarta medalha e o terceiro ouro.

Vovó já dizia: uma santa e uma bruschetta fazem milagres. E nosso vencedor J/24 vai para seu quarto Pan seguido e quem sabe para o a quarta medalha e o terceiro ouro.

(\_~~ (\_ Rajadinhas (\_~~ ~ (\_

** A seletiva nacional da Classe J/24 para os Jogos Pan Americanos de Toronto terminou como todas a outras dos últimos anos: com uma bruschetta servida pela santa. O Bruschetta, 4 vezes campeão mundial e 3 vezes medalhista no Pan, venceu novamente. Além do referido Maurício Santa Cruz, no timão, os também multicampeões Daniel Santiago e Alexandre Saldanha se juntaram ao não menos notável Guilherme Hamelmann na tripula. Em vice, engrandecendo a conquista, veio o Malabar com John King, Fernando Gioia, Robert Swan e Fernando Ilha. E em terceiro a tripula mista do Eurus com Juju Senfft, Carlos Eduardo Brandão, Luciana Kopschitz e Douglas Gomm.

** E por falar em Pan, no Hobie Cat 16 também teve disputa pela vaga canadense e os paulistas Cláudio Teixeira e Bruno Oliveira conquistaram a vaga no último domingo. A dupla venceu o Campeonato Sul-Brasileiro da classe Hobie Cat 16, válida como seletiva nacional, no Veleiros do Sul, em Porto Alegre. Em segundo lugar ficaram José Roberto de Jesus e Otávio Cardoso (SP) e em terceiro Bernardo Arndt e Adriana Overgoor (SP). E foi uma final dramática entre as tripulações de Ilhabela porque elas terminaram empatadas em 16 pontos cada uma, sendo tudo definido pelo critério de desempate. Emoção máxima!

** Ainda no SulCat… No Sul-brasileiro de Hobie Cat 14 o vencedor foi o catarinense Adam Max Mayerle, que ganhou o título por antecipação no sábado. Em segundo lugar ficou o gaúcho Márcio Tozzi, do Veleiros do Sul. Em terceiro veio o também gaúcho João Carlos Lindau. Show!

** Pan, pan, pan… Além do J/24 e do HC16 outras vagas para o Pan 2015 em Toronto estão definidas. Confira! Classe Snipe: Alexandre Paradeda, que já tem duas medalhas pan-americanas no currículo, terá como companheiro Lucas Aydos; Classe Sunfish: João Hackerott; Classe Lightning: o veterano Claudio Biekarck, ex-técnico do supercampeão Robert Scheidt, estará ao lado de Gunnar Ficker e de Maria Hackerott. As classes pan-americanas que também pertencem ao programa dos Jogos Olímpicos terão seus atletas convocados após a etapa francesa da Copa do Mundo de Vela 2015, a ser realizada de 20 a 26 de abril na cidade de Hyères. São elas: RS:X Masculina, RS:X Feminina, Laser Standard, Laser Radial e 49er FX. Vamos esperar!! Pra frente Brasil!!

** Após três dias de regatas, o Campeonato Sul-Brasileiro de Optimist, válido como Seletiva para o Mundial, não poderia acabar de melhor maneira. A raia de Jurerê proporcionou ótimas velejadas com ventos de nordeste, de 10 a 14 nós. E quem melhor soube aproveitá-los foram os gaúchos Tiago Quevedo e Lucas Stolf, ambos do Veleiros do Sul. Tiago confirmou o bicampeonato da competição na categoria Veterano, coroando um ano perfeito que começou com o título brasileiro no RJ, enquanto Lucas foi o mais consistente entre os Estreantes. Parabéns à dupla gaudéria, ao VDS e a toda esta molecada fera que vai garantir o futuro de nossa vela!! Estou optimista!

** O Cheminées Poujoulat, líder da Barcelona World Race, a volta ao mundo em duplas sem paradas, de IMOCA60, deve cambar em direção ao Mediterrâneo esta noite, embora ainda com cerca de 1100 milhas a velejar até Gibraltar. A previsão é que Bernard Stamm e Jean Le Cam estejam em águas mediterrâneas neste domingo. A fase final até Barcelona deve demorar cerca de dois a três dias, o que dará a vitória ao duo franco-suíço por volta do dia 25 de março. Com o abandono do sempre meio pé-frio Hugo Boss, a concorrência não foi assim tão forte, mas, de todo modo, eles velejaram muito!! A força da chaminé!

** JabaGoff1… O CEO da Clipper Race, William Ward e sua equipe estiveram no SportsPro LIVE Show de Londres, o encontro anual do esporte, no Estádio do Arsenal, o Emirates Stadium. A Clipper Race foi uma das maiores patrocinadoras do evento e se uniu a outros players globais para apresentar suas oportunidades exclusivas de promoção internacional e desenvolvimento de negócios, compartilhando ideias e melhores práticas sobre como organizar e sediar um evento deste porte. “Como a Clipper Race está em sua décima edição, as oportunidades são maiores do que nunca”, disse o CEO da Clipper Ventures.

** JabaGoff2… Entre as campanhas de sucesso desenvolvidas em parceria com a Clipper estão a da Grã-Bretanha, que contou com um barco na competição para desenvolver mercados ao longo da rota, gerando dezenas de milhões de euros em novos negócios e a da cidade chinesa de Qingdao, sede das competições de vela em Pequim 2008 e que está em sua sexta edição da regata. A Clipper Race 15-16 terá início em 30 de agosto deste ano, no Reino Unido. Mais de 600 tripulantes estarão à bordo da frota formada por doze barcos One-Design de 70 pés, projetados especialmente para o desafio. Os patrocinadores utilizam os eventos de vela, os fóruns em terra, a rede de contatos e as oportunidades de ativação geradas pela Clipper Race para aprofundar as relações empresariais e governamentais, inspirar o público interno, desenvolver novos negócios e mercados, além de ações sociais e ambientais globais. Eu sou testemunha!!

** Em preparação para a 52 Super Series de 2015, o novo Azzurra deu sua primeira velejada nas águas ao largo de Valência(ESP) esta semana. A primeira impressão sobre o barco do Yacht Club Costa Smeralda, na Sardenha, foi excelente. A água salgada tocou pela primeira vez o casco do novo Azzurra logo após seu lançamento no sábado. E na segunda, a equipe do comandante Guille Parada e do tático Vasco Vascotto embarcou no novo TP52, projetado por Marcelino Botin. “Para um marinheiro italiano”, disse o tático Vascotto, “ter o privilégio de navegar a bordo de um barco chamado Azzurra tem um valor único. Isso nos dá a chance de continuar uma tradição de sucesso que começou há mais de 30 anos. É uma grande honra e uma enorme responsabilidade que eu compartilho com uma equipe forte e unida”. Terá a concorrência do Phoenix, do Eduardo Souza Ramos! Vai ser bunituu!!

** E ainda no YCCS… Depois de dois dias de intensa competição, o último dia de regatas da Loro Piana Superyacht Regatta neste domingo – dia da regata Embraer, um dos patrocinadores principais da brincadeira – foi um clássico em Virgin Gorda, na sede caribenho do Yacht Club Costa Smeralda. Reunindo pequenos veleiros de 80 a 190 pés, o rendez-vous nas caraíbas teve tudo que o milanês Pigi Loro Piana sempre proporciona aos seus convidados: regatas espetaculares, barcos de sonho, festas inesquecíveis e cenários de tirar o fôlego. No fim, o Perini Navi de 125 pés, P2 foi o grande vencedor na classe A e o Vitters de 180 pés Marie na classe B. Mas no fundo, no fundo, todos são ganhadores… Dolce vita!!

 

(\_~~ (\_ Agenda (\_~~ ~ (\_

**  O Circuito Ilhabela, uma das principais e mais técnicas disputas da vela oceânica nacional, chega à 15ª edição com uma novidade. A tradicional competição passa a se chamar Copa Swift Sport, modelo esportivo lançado pela Suzuki no final de 2014. O formato e o regulamento das temporadas anteriores serão mantidos. Nada se altera em relação à Copa Suzuki Jimny, além do nome. A primeira das quatro etapas de 2015 será aberta neste final de semana (21 e 22/3), com sede no Yacht Club de Ilhabela (YCI) e segue em 28 e 29 de março.

** Vai começar no próximo sábado (21/3) o Circuito Guarapiranga que segundo os organizadores, “é uma competição de barcos à vela, realizada pelos clubes ASBAC; YCI; CCC; CCSP e YCP cujo objetivo principal é a diversão e confraternização entre velejadores, promovida entre os meses de março a dezembro, com oito etapas”. A competição tem o apoio da FEVESP e reúnde de monotipos aos oceanos que navegam na represa. Divertido e imperdível para os paulistas!

** No dia Mundial da água, 22 de março, os velejadores do interior de São Paulo propõem uma passeata náutica. Visando a necessidade urgente de conscientização da água como um recurso natural finito, o São Francisco Sailing Club está preparando sua 1ª Passeata Náutica em prol da Represa de Itupararanga (que abastece Sorocaba, Ibiúna, Votorantim, São Roque e cidades vizinhas), que acontecerá exatamente no dia mundial da água. “Estamos organizando esta passeata para reforçar o alerta para a importância da conscientização e mostrar a situação atual da represa que, apesar das chuvas dos últimos dias, continua com nível baixo, alcançando quase 30% de volume”, explica José Franco Moraes Neto, diretor do clube. Grande ideia!! E deveria se estender a todo o Brasil!! Todos n’água no dia 22 de março!!

** Neste próximo finde rola a 21º edição da Copa Cidade de Porto Alegre, no Jangadeiros. Iniciada em 1995, a competição teve o Tatina, do Comandante Augusto Streppel como vencedor da primeira edição. O atual campeão da Copa Cidade é o Abaquar, do comandante Caco Moré. O comandante com mais títulos da Copa Cidade é Airton Schneider, que foi campeão em quatro oportunidades, sendo três conquistas com o barco Taz, o que o faz o único tricampeão seguido, e uma com o Hobart em 2013. Bicampeão em 2011/2012, o comandante Hilton Piccolo aparece em segundo, com três campeonatos. Alô gauchada!!

** A Coordenadoria da Classe Star de São Paulo e o 7º distrito da classe Star, convidam os velejadores da classe para participar do Campeonato Brasileiro da Classe Star 2015, com organização e realização do Yacht Club Paulista, Confederação Brasileira de Vela, 7º distrito da classe Star e Arnova Design Thinkers com o apoio da WINE.COM.BR, AGUA MINERAL FRESCCA, SANTA CONSTANCIA E HONEY STINGER nos dias 3, 4 e 5 de Abril, com largada da 1ª regata no dia 3 de Abril às 14h. Tutu Lopes, um dos pais da ideia, disse que vai ser do extremo baralho. Eu acredito!!

** Por falar nas estrelas… Neste sábado rola, no ICRJ, a regata mais antiga do calendário nacional de vela, a 71ª Darke de Mattos de Star. Com presença garantida da nata do mais técnico e prestigiado dos monotipos. A prova de percurso, até o Posto 6, em Copacabana, com uma boia em frente ao Copacabana Palace e chegada na piscina do ICRJ é sempre uma delícia. Eu vou!!

** Mais uma no ICRJ… O Iate Clube do Rio de Janeiro estará realizando, nos dias 21 e 22 de março/2015, a Copa Aniversário 95 anos do ICRJ para a Classes Optimist, regata comemorativa de aniversário do Clube e convida os velejadores, da classe, a participar deste tradicional evento, que será válido para a Copa Interclubes e Ranking Estadual. As inscrições estão aberta até as 12:00h do dia 21 de março/2015 na secretaria do evento, ou no formulário eletrônico no site do ICRJ (http://bit.ly/ICRJ_OP95) , ou por e-mail: vela@icrj.com.br. Prepare seu barco e participe!!

 

(\_~~ (\_ Vídeos (\_~~ ~ (\_

** Mais uma vez a RORC600 produziu imagens fantásticas de suas regatas no Caribe. Clique e delicie-se: http://bit.ly/RORC600_15

** A próxima Vendée Globe promete. E uma de suas maiores promessas é justamente o novo IMOCA60 Safran, dos projetistas Vincent Lauriot Prévost, da VPLP, e Guillaume Verdier para o comandante Morgan Lagravière, com seus fólios laterais que vão ajudar a tirar o casco da água e diminuir o arrasto, aumentando a veloc. Neste vídeo você vê o batismo da fera em Lorient. Vale a espiada! http://bit.ly/Safran_VG

 

(\_~~ (\_ Entre Aspas (\_~~ ~ (\_

“Posso não concordar com nada do que dizes, mas defenderei até a morte o direito que tem de dizê-lo”. Do iluminado iluminista Voltaire dando o tom do que é a verdadeira democracia. 

Fui!!! Dizendo…

Murillo Novaes

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.419 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: