Pular para o conteúdo

Antônio Aranha e Alexander Essle conquistam o Audi 29er Challenge na Represa Guarapiranga

Os quatro barcos em ação na Guarapiranga

Os quatro barcos em ação na Guarapiranga

 

São Paulo (SP) Antonio Aranha e Alexander Essle venceram a primeira edição do Audi 29er Challenge neste fim de semana (30 e 31) na Represa Guarapiranga. A dupla do Yacht Club Santo Amaro (YCSA) conquistou duas vitórias e um segundo lugar em três regatas, totalizando quatro pontos perdidos, mesma pontuação de Leo Lombardi e Marcelo Peek (RJ/SP), porém, com vantagem no confronto direto, como critério de desempate. André Fiuza e Stephan Kunath, também do YCSA, ficaram em terceiro, com seis pontos.

Com oito tripulações, cada uma com nome de um carro da Audi, ocupando quatro barcos, em rodízio, Antonio e Alexander chegaram a vencer mais duas regatas no domingo, que seriam quarta e quinta provas, mas outras duplas ainda não haviam deixado o bote de apoio para embarcar no 29er quando o vento noroeste, entre 10 e 12 nós, repentinamente, rondou para sul com rajadas de até 22 nós (40 km/h). Por medida de segurança, a Comissão de Regatas ordenou que os velejadores retornassem ao YCSA.

As regatas que chegaram a ser disputadas no domingo (31) foram canceladas e prevaleceu a classificação do dia anterior, suficiente para validar o campeonato. “O desafio foi muito importante para divulgar a classe e fazer com que mais velejadores conhecessem o barco”, afirmou o vencedor Antonio, representante brasileiro na 29er no Mundial da Juventude, em julho, em Tavira (POR), ao lado de Stephan Kunath.

O novo proeiro de Antonio no Audi 29er Challenge, Alexander Essle, ficou empolgado com a experiência. “Já havia velejado algumas vezes na classe para que o Antonio tivesse adversário durante os treinos. Gosto muito do barco porque é veloz, é divertido, mais fácil de planar. Meu objetivo é correr o Mundial da Juventude de 29er em 2015, na Malásia”, revelou o velejador do Audi YCSA Sailing Team.

Campanha olímpica – O vice-campeão Leo Lombardi, do Iate Clube do Rio de Janeiro, subiu no barco pela primeira vez. “Fiquei impressionado com a rapidez do 29er, mas apesar da asa, o barco é mais instável. A velejada torna-se mais desafiadora do que na classe 420 porque no início é difícil conciliar velocidade com estabilidade”. O proeiro Marcelo Peek (YCSA), vice com Lombardi, também é velejador de 420. “Talvez eu faça campanha olímpica de 49er para Tóquio, em 2020″, resumiu Lombardi.

A classe 29er, consolidada principalmente na Europa e na Austrália, é considerada como categoria de acesso à olímpica 49er. As mulheres, mesmo pouco entrosadas com a classe, encararam com boa vontade o Audi 29er Challenge. “Foi minha primeira velejada no barco. Notei que, apesar de monocasco, é semelhante aos catamarãs em que velejo com relação à velocidade. Vieram duplas da Bahia e do Rio. O desafio foi bem interessante”, comparou Caroline Sylvestre, que desenvolve campanhas olímpica de Nacra e pan-americana de Hobie Cat, ao lado de Marcos Ferrari, para os Jogos de 2016 e 2015, respectivamente.

Com apoios da CBVela, que escalou o técnico Bernardo Arndt, o Baby, para acompanhar e orientar as duplas, e da Fevesp (Federação de Vela do Estado de São Paulo), os organizadores consideraram a missão cumprida. “O objetivo de reunir os velejadores interessados em conhecer melhor a classe, foi atingido. Eles viram que o barco é moderno, veloz e que plana sem muita dificuldade”, considerou o gerente geral do YCSA, Marcos Biekarck. A North Sails também apoiou a iniciativa.

O YCSA conta com três embarcações 29er. Um é de Antonio Aranha, outro dos gêmeos Philipp e Alexander Essle e o terceiro do Audi YCSA Sailing Team. “Pretendemos organizar até o final do ano mais dois desafios com esse formato, com disputa das regatas em revezamento. Os velejadores aprovaram”, concluiu o coordenador náutico do YCSA, Marco Del Porto, também coordenador nacional da classe 29er.

Classificação final
1º Aranha/Essle (YCSA) – 4 pontos – Equipe Audi R8
2º Lombardo/Peek (ICRJ/YCSA) – 4 pontos – Equipe Audi RS6
3º Fiuza/Kunath (YCSA) – 6 pontos – Equipe Audi Q5
4º Philipp/Hilbert (YCSA/ICRJ) – 6 pontos – Equipe Audi RSQ3
5º Guguinha/Breno (ICRJ) – 8 pontos – Equipe Audi Q3
6º Irmãos Carvalho (YCBahia) – 9 pontos – Equipe Audi RS7
7º Cruz/Sylvestre (YCB/YCSA) – 14 pontos – Equipe Audi S3
8º Hollnagel/Buuk (YCSA) – 15 pontos – Equipe Audi Q7

Veleiros do Sul realiza 23ª edição do Circuito Conesul de Vela de Oceano

Flotilha gaúcha no Guaíba

Flotilha gaúcha no Guaíba

Está chegando a hora de a classe Oceano gaúcha testar mais uma vez a sua força no 23º Circuito Conesul de Vela de Oceano. A disputa ocorre entre 13 e 21 de setembro.

A novidade desta edição é a volta da classe ORC Internacional à competição, que abrirá com as regatas de médio percurso e barlasotas no primeiro final de semana. No fim de semana seguinte é a vez das regatas longas: a tradicional 44ª Regata Troféu Seival e a 25ª RegataTroféu Farroupilha. Paralelamente haverá o 17º Velejaço Farroupilha sem medição, onde todos os navegadores são convidados a celebrar em ritmo de navegada.

Programação

13/09/2014, Sábado
12h – Término do prazo de inscrições
13h – Regata de percurso médio classes ORC Internacional, BRA RGS, J24 e Microtoner 19

14/09/2014, Domingo
13h – Duas regatas barlasota classes ORC Internacional, BRA RGS, J24 e Microtoner 19

20/09/2014, Sábado
11h – 44ª Regata Troféu Seival: ORC Internacional e Bico de Proa acima de 27 pés.
25ª Regata Troféu Farroupilha: BRA RGS e Microtoner 19
17º Velejaço Farroupilha

21/09/2014, Domingo
17h Entrega de prêmios

 

Tangará II, de Lars Grael, é campeão da regata Aratu Maragojipe

Este final de semana foi de festa na Bahia. Pelo 45º ano o Aratu Iate Clube promoveu a regata Aratu Maragojipe, uma das mais tradicionais do calendário da vela oceânica brasileira. A bordo do Farr 40 Tangará II, Lars Grael e sua família somaram mais um título na classe RSG-A em 2014.

“São 45 anos de tradição e magia. É uma sensação única em uma regata, quando o mar encontra o Rio. A entrada do Rio Paraguaçu em competição é inesquecível! O evento ganhou relevância nacional e é uma das regatas mais desejadas do calendário da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano – ABVO, que comando como Comodoro desde 2012”, disse Lars.

Esta edição da competição teve vento ideal para que os barcos pudessem completar o percurso de 30 milhas entre a Base Naval de Aratu, na baía de Todos os Santos, e Maragojipe, entre quatro e cinco horas.  No total, 104 veleiros participaram da competição.

Na regra ORC, a vitória foi do veleiro baiano Marujo`s Bomix, um Farr 42 do Comandante Gerald Wicks.

Na regra de Veleiros multicascos MOCRA, o evento foi válido como a 1ª etapa do Campeonato Brasileiro. A vitória coube ao veleiro fluminense Pick Nick, um Dolphin 46, do lendário Comandante Mattos.

Estiveram ao lado de Lars nesta vitória: Renata Pellicano Grael, Roberto Bailly, Colin Gomm, Samuel Gonçalves, Nicholas Pellicano Grael, Douglas Gomm e Lourdes Guimarães. Agora o time se prepara para disputar a Refeno, que larga no próximo dia 27 de setembro.

 

 

 

Com argentino a bordo, Team Vestas mistura de experiência e energia juvenil no barco

August 22, 2014. Team Vestas Wind sails for the first time in Southampton.
O comandante Chris Nicholson definiu a equipe que levará o Team Vestas à disputa da Volvo Ocean Race. Último time a entrar na regata, o barco dinamarquês via misturar atletas experientes com jovens promessas. Uma dessas peças é o argentino Maciel Cicchetti, primeiro sul-americano da Volta ao Mundo.
Além do hermano, o comandante Chris Nicholson recrutou dois neozelandeses que já correram por várias vezes a Volvo Ocean Race. Tony Rae e Rob Salthouse foram confirmados na equipe ao lado do holandês Wouter Verbraak. O time terá ainda o australiano Tom Johnson, os dinamarqueses Nicolai Sehested e Peter Wibroe, além do irlandês Brian Carlin, que será o repórter a bordo.
“Precisamos de uma equipe que sabe exatamente o que é a Volvo Ocean Race. Devemos ser competitivos no menor tempo possível. A regata será definida por detalhes e as pequenas decisões fazem a diferença”, disse Chris Nicholson.
Mais novidades da Volvo Ocean Race
Dongfeng Race Team - Primeiro eram quatro e agora são seis. O Dongfeng colocou mais dois velejadores chineses na sua tripulação: Kong Chencheng (Kong) e Liu Xue (Black). Agora, o comandante Charles Caudrelier fará um rodízio entre os asiáticos, ou seja, três por vez.
Team Brunel – Bouwe Bekking e sua equipe já estão em Alicante. Eles foram os primeiro a chegar à sede da Volvo Ocean Race depois de uma viagem de quatro dias desde Lanzarote, também na Espanha.
Team SCA – O time 100% feminino ganhou uma madrinha especial. A princesa da Suécia, Victoria, recebeu as meninas em Estocolmo. “Foi ótimo dar uma visão sobre o nosso mundo, o mundo da vela”, disse Dee Caffari. “É fantástico tê-la como nossa madrinha durante a prova”.
Team Espanha – Depois da Round Britain and Ireland Race, os espanhóis ainda estão em sua base, localizada em Sanxenxo. A viagem para Alicante está marcada para 8 de setembro. “Nós montamos uma equipa forte”, disse Xabi Fernandez”.
Team Alvimedica –  A tripulação está a caminho de Alicante depois de deixar a costa do Reino Unido na semana passada. O time já projeta grandes batalhas no mar, como explica um integrante da equipe técnica, Matt Noble “As duas pernas que eu estou mais ansioso são Alicante até a Cidade do Cabo e Auckland para Itajaí”.
Abu Dhabi Ocean Racing –  Ian Walker e sua equipe estão desfrutando de um último respiro antes da regata começar. Merecido descanso após a quebra do recorde de monocasco e vitória da Volta da Grã-Bretanha. Enquanto isso, os preparativos para a parada de Natal / Ano Novo de Abu Dhabi estão esquentando. No domingo, eles anunciaram o compositor George Fenton, cinco vezes vencedor do Oscar, fará o show com o aclamado Blue Planet in Concert.

Regata Baía Sul acontece neste sábado em Florianópolis

Largada acontece na Baía Sul, próximo a Ponte Pedro Ivo Campos, às 12h, com organização do Iate Clube de Santa Catarina.

O C30 Katana Energia na regata de Volta a Ilha

O C30 Katana Energia na regata de Volta a Ilha

Florianópolis (SC) – 29/08/2014 – Neste sábado (30), o Iate Clube de Santa Catarina organiza a Regata Baía Sul, válida como quarta etapa da Copa Veleiros da Ilha. Estarão nas disputas as classes ORC, C30, RGS e Proa Rasa no evento que terá início de sinalização de partida às 12h, na Baía Sul, próximo a Ponte Pedro Ivo Campos.

As inscrições para a Regata já estão abertas e podem ser feitas até as 11h do sábado (30), na Secretaria Náutica do Iate Clube de Santa Catarina. Nessa quarta-feira, 27, acontecerá ainda a Reunião dos Comandantes, na Sede Central, a partir das 19h30.

A Regata Baía Sul terá sua largada, para as classes ORC, C30, BRA-RGS “A” e BRA RGS “B” seguindo em direção a Ponta de Coqueiros, onde estará posicionado a primeira boia por boreste (referência ao lado direito da embarcação). Após o contorno, as embarcações seguem rumo a Baía de São José contornando a próxima bóia a bombordo (referência ao lado esquerdo da embarcação).

Na sequência, os veleiros encaram um barla-sota (fazem o percurso contra o vento, contornando uma boia e retornando no sentindo contrário) com três pernas de aproximadamente 1,5 milhas náuticas cada, com a raia sendo formada pela boia da Baía de São José e a outro colocado ao sul. Após esse trecho, os veleiros contornam novamente uma boia por boreste próxima a Ponta de Coqueiros e retornam para a chegada em frente ao Iate Clube de Santa Catarina Veleiros da Ilha.

As classes BRA-RGS “C”, Cruzeiro e Proa Rasa realizam o mesmo percurso, mas ao chegarem a boia na Baía de São José fazem o contorno por bombordo e retornam para a Baía Sul onde haverá outra boia a aproximadamente 1,5 milha náutica na direção sul da Baía de São José. Após essa etapa, eles prosseguem para a próxima boia na Ponta de Coqueiros e finalizam a regata em frente ao Iate Clube de Santa Catarina.

Após a regata haverá a premiação para os campeões de cada categoria.

Para mais informações: eventosnauticos@icsc.com.br

Veleiros do Sul realiza 23ª edição do Circuito Conesul de Vela de Oceano

Está chegando a hora de a classe Oceano gaúcha testar mais uma vez a sua força no 23º Circuito Conesul de Vela de Oceano. A disputa ocorre entre 13 e 21 de setembro.
A novidade desta edição é a volta da classe ORC Internacional à competição, que abrirá com as regatas de médio percurso e barlasotas no primeiro final de semana. No fim de semana seguinte é a vez das regatas longas: a tradicional 44ª Regata Troféu Seival e a 25ª Regata Troféu Farroupilha. Paralelamente haverá o 17º Velejaço Farroupilha sem medição, onde todos os navegadores são convidados a celebrar em ritmo de navegada.
Programação
13/09/2014, Sábado
12h – Término do prazo de inscrições
13h – Regata de percurso médio classes ORC Internacional, BRA RGS, J24 e Microtoner 19
14/09/2014, Domingo
13h – Duas regatas barlasota classes ORC Internacional, BRA RGS, J24 e Microtoner 19

20/09/2014, Sábado
11h – 44ª Regata Troféu Seival: ORC Internacional e Bico de Proa acima de 27 pés.
25ª Regata Troféu Farroupilha: BRA RGS e Microtoner 19
17º Velejaço Farroupilha
21/09/2014, Domingo
17h Entrega de prêmios

Família Schurmann batiza barco que será usado na Expedição Oriente

kat

O veleiro Kat homanageia a filha do casa, falecida em 2006

Há praticamente dois anos, a Família Schurmann vem se dedicando à construção de Kat, uma das peças fundamentais da Expedição Oriente. Nas redes sociais, os seguidores da primeira família brasileira a dar a volta ao mundo a bordo de um veleiro acompanharam cada etapa do processo. E assim, no estaleiro em Itajaí, Santa Catarina, mais um sonho acaba de virar realidade.

A praticamente um mês da partida da Expedição Oriente, o novo veleiro da Família Schurmann chega ao mar pela primeira vez. Reunindo elementos de alta tecnologia, inovação e sustentabilidade, a embarcação foi oficialmente batizada como Kat em homenagem à encantadora Kat Schurmann, filha caçula do casal, falecida em 2006. Seguindo a tradição de marinheiros de todo o mundo, a Família Schurmann se reuniu para uma cerimônia, que incluiu a mística quebra de uma garrafa de champanhe no casco da embarcação para proteger o veleiro de eventuais perigos do mar.

Pronto e devidamente batizado, o novo veleiro fica em Santa Catarina até o dia 21 de setembro de 2014, data da partida da Família Schurmann em sua Expedição Oriente.

Durante dois anos, Kat percorrerá cerca de 30 mil milhas e passará por quatro oceanos, cerca de 50 portos em 29 países distribuídos em cinco continentes. Terceira grande aventura ao redor do mundo a bordo de um veleiro, a Expedição Oriente coloca a Família Schurmann na rota de polêmicas teorias que defendem os chineses como os primeiros grandes navegadores e, consequentemente, descobridores do planeta. Para esta missão, os Schurmann construíram o próprio veleiro, associando alta tecnologia e sustentabilidade. Kat conta, por exemplo, com geradores eólicos, painéis solares, bicicletas ergométricas capazes de gerar energia, sistema de tratamento de efluentes de águas, composteira para lixo orgânico, entre outras inovações.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.318 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: