Pular para o conteúdo

Parem as máquinas! Ventaneiro em primeiro geral! Após 38 anos um barco brasileiro vence a Buenos Aires-Rio!

unknown

Ventaneiro campeão geral da Buenos Aires – Rio!

O Dufour 500 Ventaneiro, do Cmdte. Renato “Massara” Cunha, do ICRJ, ganhou hoje a tradicionalíssima regata Buenos Aires-Rio na ORC International e é o campeão da regata em 2017! Viva!!

Desde 1979, com o “Madrugada”, um brasileiro não vence a prova. Foram 38 anos de argentinos, chilenos, uruguaios e americanos no topo!

Eu, humildemente, dei minha contribuição na navegação/roteamento e acompanhei no site, roendo as unhas, sem poder fazer nada, a velejada fantástica da galera. Foi demais! Parabéns pra tripula vencedora que fez história!! Brasilll!!

Murillo Novaes

Vela: Brasil fatura 2 ouros na 1º competição importante do ciclo olímpico

>>> Romano Olímpico >>>

Começou o ciclo olímpico Tóquio 2020 para a vela, com a 1º etapa de Copa do Mundo, finalizada neste final de semana em Miami.E o Brasil se saiu bem, com duas medalhas de ouro: as campeãs olímpicas Martine Grael/ Kahena Kunze na classe 49er e o campeão mundial de 2013 Jorginho Zarif na Finn.Mas vale ressaltar que muitos atletas medalhistas olímpicos e mundiais não disputaram esta etapa, principalmente nas classes vencidas pelos brasileiros. Mesmo assim, dá para ser otimista com esses velejadores brigando por todos os títulos até 2020.

World Sailing's 2017 World Cup Series Miami 2017

Na 49er, sem as neozelandesas Maloney/ Meech e as dinamarquesas Hansen/ Iversen ( medalhistas olímpicas), além de outras duplas fortes da Itália e Dinamarca, Martine e Kahena não encontraram dificuldades para assumirem a liderança a partir da 3º regata. Das 13 regatas elas venceram 4, mas em 11 delas ficaram entre as 5 melhores. No final terminaram com 21…

Ver o post original 158 mais palavras

Xandi Paradeda e Lucas Mazim são campeões brasileiros de Snipe

Notícias Náuticas

Depois de cinco dias e nove regatas chegou ao fim em Ilhabela o Campeonato Brasileiro da classe Snipe 2017. Com o nível mais alto dos últimos tempos, era previsível que a disputa seria acirradíssima. O vencedor só foi conhecido na linha de chegada e o gaúcho Alexandre Paradeda, que velejou ao lado de Lucas Mazim, levou mais uma medalha de ouro para casa, a 11ª, com apenas um ponto de vantagem sobre Bruno Bethlem e Dante Bianchi, segundos maiores campeões brasileiros da história da classe com nove títulos.

“Cada campeonato tem sua dificuldade. Começamos muito mal, em 10º, e quando tudo parecia que ia se ajeitar, com um dia quase perfeito com dois segundos e um primeiro lugares, fomos penalizados e um dos segundos acabou virando um 30º. Foram muitas dificuldades que tivemos que superar durante a semana, que deram um gostinho especial a este título”, disse Xandi.

“É muito…

Ver o post original 471 mais palavras

A volta ao mundo em 40 dias!! Joyon e cia. detonam o recorde de Peyron e ganham o troféu Júlio Verne!

v16hzdq8hxne.jpg

O maxi-trimarã IDEC SPORT do comandante Francis Joyon, o antigo detentor do recorde de circunavegação do globo em solitário (batido há poucos dias por Thomas Coville), com Clément Surtel, Alex Pella, Bernardo Stamm, Gwénolé Gahinet e Sébastien Audigane a bordo ganhou o Troféu Júlio Verne, o recorde mundial absoluto de circunavegação à vela, esta manhã.

Eles cruzaram a linha às 0749h UTC desta quinta-feira ,26 de janeiro de 2017.
Francis Joyon e sua tripulação navegaram as 22.461 milhas teóricas em 40 dias, 23 horas, 30 minutos e 30 segundos, a uma velocidade média de 22.84 nós.
Na água, entretanto, eles realmente navegaram 26.412 milhas em uma velocidade média de 26.85 nós. Caraca!!

Eles quebraram o recorde anterior de Loïck Peyron e da tripulação do maxi-trimarã Banque Populaire V por 4 dias, 14 horas, 12 minutos e 23 segundos!! Durante a viagem planetária, a tripulação quebrou nada menos que seis recordes intermediários no cabo Leeuwin, ao largo da Tasmânia, na linha de data internacional, no cabo Horn, no equador e em Ushant.

Demais!! Detalhe legal é que o “roteador”, o navegador em terra dos caras, foi Marcel Van Trieste, amigo da galera aqui no Brasil e antigo navegador do Brasil 1, na VOR. Demais!!! Joyon é deus!! E é veloz!! Pacarái…

Começo de temporada quente para o J/70. “Manda Chuva”, de Mario Garcia, termina em 10º lugar em Mônaco na Winter Series. Phil Haegler, com o seu “Cloud Nine”, acaba em 11º lugar na Semana de Key West.

msnda-chuva.jpg

E o ‘Manda-Chuva’ mandou bem em Mônaco na nova coqueluche mundial, o J/70.

Duas equipes brasileiras da classe J/70 começaram a temporada com bons resultados . Phil Haegler na Key West Race Week teve um excelente resultado depois de correr 12 regatas. Entre os 40 participantes, faturou no penúltimo dia o prêmio de segundo melhor barco do dia e fechou tudo com uma vitória na última regata do campeonato para finalizar em 11º geral com o seu “Cloud Nine”(ICRJ).

A semana foi marcada pela alta temperatura e muito sol nas Florida Keys. O campeonato, que começou com ventos médios para fortes e no decorrer da semana viu o vento enfraquecendo, é um dos mais tradicionais do calendário norte-americano. E com a brisa mais leve os resultados dos brasileiros foram melhorando.

“Estou muito satisfeito com o resultado que obtive. Em particular com a vitória na última regata. Os treinamentos no Brasil em 2016 mostraram que tivemos uma evolução”, comentou o comandante Phil. A equipe campeã mundial, de Joel Romming acabou em 5º lugar em Key West.

Resultado final J/70 (Key West Race Week)
1   Tim Healey.             USA.   60 pts.
2   Martim Kilman.     USA.  71 pts.
3   Carlo Alberini.        ITA.    71 pts
11. Phil Haegler.           BRA. 160 pts.

Já na 3ª etapa da Winter Series, a equipe “Manda- Chuva”, de Mario Garcia Soerense, do ICRJ, terminou em 10º lugar geral entre 42 barcos. Este evento teve uma variação grande de vento, bastante frio e tempo limpo. Todas as equipes velejaram muito juntas e com a raia curta o entrosamento da tripulação foi muito importante .

“Os ventos mais fortes revelaram ser vantajosos para o nosso time. Mas ainda temos dificuldade com as tripulações mais leves quando cai o vento e ficam as ondas. Disputamos sempre as primeiras colocações e o décimo lugar se deveu a uma montagem de bóia mal planejada. Mesmo assim fiquei satisfeitos com o desempenho no geral”, explicou o comandante Mario Garcia .

Na série, com 3 etapas corridas e mais duas para o final, a equipe “Manda-Chuva” está em 4º lugar geral.

Resultado Final – Etapa Mônaco J/70 Winter Series
1 Ludovico Fassetelli.  MON.    17 pts
2 Stefano Roberti.         MON.    22 pts.
3 Alain. Stettler.             SUI.      23 pts
10 Mario Garcia.             BRA.     59 pts

Acompanhe a temporada 2017 na página da classe: www.J70brasil.com.br

Classe J/70 Brasil 

 

Copa do Mundo de Miami abre ciclo das classes olímpicas rumo a Tóquio 2020

Notícias Náuticas

Jorginho Zarif, da classe Finn, participa da competição Foto: Pedro Martínez/ World Sailing

A primeira grande competição internacional reunindo as classes olímpicas no ciclo Tóquio 2020 será aberta neste domingo, dia 22. A etapa de Miami marca o início da temporada 2017 da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela), no City of Miami Regatta Park. Velejadores brasileiros medalhistas olímpicos estarão na disputa, como Martine Grael e Kahena Kunze, na 49er FX, e Robert Scheidt, agora competindo na classe 49er ao lado de Gabriel Borges. Além deles, Jorge Zarif também estará na água, defendendo a medalha de ouro que conquistou em Miami no ano passado.

“Agora é outro momento, começo de temporada e de ciclo olímpico. Vai ser o primeiro campeonato na Finn depois da Olimpíada, com vários adversários fortes. Não será fácil repetir essa medalha, mas vou em busca de um bom resultado”, afirma Zarif.

As…

Ver o post original 172 mais palavras

Olivia Belda e Fernanda Blyth lideram o Brasileiro de 420 em Ilhabela

Notícias Náuticas

A Comissão de Regatas liderada por Cuca Sodré bem que tentou, mas o vento está custando a aparecer em Ilhabela. Os dois primeiros dias do Campeonato Brasileiro de 420, que está sendo disputado na Escola de Vela Lars Grael até este sábado, foram de espera e regatas canceladas. Nesta sexta-feira, no entanto, finalmente foram realizadas as três primeiras regatas da competição, suficientes para validar o campeonato. Olivia Belda e Fernanda Blyth, do YCSA e do ICRJ lideram a competição com cinco pontos perdidos.

O dia foi longo, com mais de sete horas na água e a largada da primeira regata só foi dada pouco antes das 17h. A última regata terminou quase no escuro, depois das 19h, na Ponta das Canas, norte da Ilha.

A ideia é fazer mais três regatas neste sábado, porém, o dia amanheceu chuvoso novamente e sem vento. Para ver a súmula completa clique aquiclique…

Ver o post original 2 mais palavras

%d blogueiros gostam disto: