Pular para o conteúdo

Arquivo de

Tigre vence o Circuito de Santa Catarina na RGS

O Campeonato Brasileiro de BRA RGS 2011 terminou neste sábado, em Florianópolis, com a vitória de Davi sobre Golias. O Tigre, de 21 pés, derrotou com folga o 40 pés Feitiço, segundo colocado. Nas seis regatas disputadas, o Delta 21, de Alberto Santoro, obteve uma vitória, três segundas colocações e chegou em terceiro em apenas duas regatas, somando nove pontos, após um descarte.

O Feitiço, FAST 395, de Carlos Augusto de Matos, acumulou 14 pontos, seguido de Zephyrus (Velamar 29, de Tarcísio Mattos) com 15, e Jyllic (FAST 395, de Martin Alejandro Bonato), com 16 pontos perdidos.

Walter Becker, presidente nacional da BRA-RGS e tripulante do Jyllic, ficou satisfeito com os resultados vistos na primeira competição disputada após as substanciais alterações na regra que passaram a vigorar este ano. “A regra está muito mais justa, os resultados mostraram isto. Quem velejou melhor, chegou na frente. Em seis meses todos estarão adaptados e as reclamações cessarão. A regra está blindada e para vencer, agora tem que velejar bem”.

Fabrício Nees, tripulante do Zephyrus, não sabe de onde tirar os segundos que os separam do Tigre. “A exceção da largada em que fomos desclassificados, chegamos à frente deles na água em todas as regatas e exatamente uma posição atrás na planilha. E sempre entre dez e 30 segundos, tempo que está dentro da diferença favorável de 20 segundos que eles obtiveram em relação a nossa hora de regata com os novos cálculos”, lamenta.

Outra novidade na disputa do Campeonato Brasileiro de BRA-RGS 2011, que contou com poucos barcos na raia (somente 16 inscritos, sendo 13 de Santa Catarina, dois de São Paulo e um do Rio Grande do Sul), foi a fórmula, que não premiou as clássicas subdivisões A, B e C. Houve somente a Geral, com todos contra todos.

As duas últimas regatas foram disputadas em quatro pernas e sob vento nordeste, firme na primeira e com muitas rondadas na segunda. Parabéns aos bravos velejadores da RGS e seus novos campeões!!

Por Tarcísio Mattos, tripulante do Zephyrus.

Claudio Biekarck quer disputar o oitavo pan-americano da carreira

No clique de Márcio Rodrigues, Biekarck e equipe (esq.) na seletiva para o Pan de 2007

Experiente velejador da classe Lightning é o maior medalhista brasileiro da modalidade

 Claudio Biekarck já está com sua equipe em Florianópolis para a disputa da Semana Brasileira de Vela, a partir desta quarta-feira, no Iate Clube de Santa Catarina, na praia do Jurerê. O evento define os integrantes da modalidade nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, em outubro. A competição também aponta os integrantes da equipe nacional de vela para as disputas das principais competições da Isaf  na temporada 2011. A Semana Brasileira de Vela inclui a seletiva pan-americana entre 15 e 20 e a olímpica entre 21 e 27 deste mês.

O velejador Claudio Biekarck busca classificação para o oitavo Pan da carreira ao lado de Gunnar Ficker e Marcelo Batista da Silva. O trio conquistou a medalha de bronze na classe Lightning na última edição do Pan, em 2007. Para repetir a dose, a equipe trabalha desde o início do ano em Ilhabela para a competição e chegou mais cedo à Santa Catarina para conhecer a raia. “A disputa por uma vaga na classe é bastante acirrada. Temos, no mínimo, três concorrentes fortes. Por isso, a nossa equipe treinou para conseguir o primeiro lugar nas regatas”, explica Biekarck.

Claus, como é conhecido no meio da vela, é o recordista brasileiro de medalhas pan-americanas na vela, com sete honrarias. Em 75, na Cidade do México, o velejador ganhou a medalha de prata na classe Finn. Depois, passou para a classe Lightning onde faturou o ouro em Caracas/83, prata em Mar Del Plata/95 e Winnipeg/99, além de bronze em Indianápolis/87, Havana/91 e Rio/2007. “A Lightning é uma classe amadora, mas muito forte tecnicamente na América”, conclui Biekarck.

Além de maior ganhador de medalhas pan-americanas na vela, Claus tem um currículo vitorioso como técnico de Robert Scheidt. Ele orientou o velejador desde o início da carreira participando ativamente das três medalhas olímpicas conquistadas na Laser – ouro em Atlanta/96, prata em Sidndey/2000 e ouro em Atenas/2004 – e nos oito títulos mundiais da Classe.

Além da Lightning, a seletiva para o Pan terá as classes Hobie Cat 16, Snipe e Sunfish (será disputada com barcos da Classe Laser Radial). Apenas a classe J24 não está incluída na disputa, em Santa Catarina. A Confederação Brasileira de Vela e Motor definirá, por critérios técnicos, a equipe que representará o Brasil em Guadalajara.

As seletivas das classes Laser Standard (masculino), Laser Radial (feminino), RS:X (masculino) e RS:X (feminino), que são olímpicas e pan-americanas, serão disputadas na semana seguinte, entre 21 e 27. Os representantes destas classes para os jogos do México serão definidos na somatória dos resultados da seletiva olímpica e do Campeonato Brasileiro.

No mesmo período serão realizadas também as seletivas de mais seis classes olímpicas: Star (masculino), Finn (masculino), 49er (masculino), 470 (masculino), 470 (feminino) e Match Race (feminino). Os melhores em cada classe, na soma dos resultados da Semana Brasileira de Vela e dos Campeonatos Brasileiros, formarão a Equipe Brasileira de Vela, que disputará os principais eventos internacionais desta temporada.

Inscrições continuam abertas – As inscrições para a seletiva pan-americana estão abertas até esta terça-feira (15), às 18 horas. Os interessados em participar da seletiva olímpica poderão inscrever-se até o dia 21, às 18 horas. A cerimônia de abertura da Semana Brasileira de Vela está programada para a quarta-feira (16), às 11 horas, na sede do Iate Clube de Santa Catarina – Veleiros do Sul. As regatas começam ao meio-dia. Muito bom!!

Por Flavio Perez, da ZDL de Comunicação

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan já treinam em Florianópolis

Fernandinha e Ana treinam em Floripa

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan tiveram pouco tempo para saborear a conquista do tricampeonato brasileiro de 470, primeiro título da dupla em 2011. Uma semana depois de vencerem a competição  no Rio, as velejadoras voltaram para a água nesta segunda-feira, 14, com atenção total aos treinamentos visando a Pré-Olímpica de Vela.

As atletas deram início aos trabalhos em Florianópolis, Santa Catarina, onde será realizada a competição que tem início marcado para terça-feira, dia 22. O local foi escolhido pela Confederação Brasileira de Vela e Motor, CBVM, por apresentar condições de vento parecidas com as de Weymouth, cidade que será sede das provas de vela nos Jogos Olímpicos da Inglaterra no ano que vem.

Juntamente com o Campeonato Brasileiro, a Pré-Olímpica de Vela é um dos eventos que conta para a montagem da Equipe Brasileira de Vela Olímpica da temporada. Atuais campeãs da Pré-Olímpica, Fernanda e Ana buscarão a manutenção da vaga, que garante o apoio da entidade à campanha internacional das atletas. Boa sorte à dupla!!

Equipe brasileira faz bonito em campeonato no Peru

A equipe do (ou no) Peru que representou Brasília e o Brasil.

Fernando Junqueira, Gustavo Farias, Afonso Montezuma, Erasmo Aimone, Lima  e Mauro Rossi, representando o Clube da Aeronáutica de Brasília e, Tato (dono do veleiro) e seu fiel marinheiro Epifanio, estiveram na Baía de Tucusana, em Lima, no Peru, para participar da 11ª edição da Copa Pelicanos, realizada nos dias 5 e 6 de fevereiro.

A bordo do veleiro CounterPoint, 43 pés fabricado na década de 80, que na época foi um dos melhores projetos na antiga classe IOR, representaram muito bem a vela brasiliense, conquistando o 3º lugar geral dentre mais de 12 veleiros. A iniciativa foi do governo peruano, retribuindo o convite e a participação de alguns velejadores de lá na regata Santos Dumont, em 2010. O CAer, presidido pelo confrade Mauro Rossi, assessorado pela Confraria do Guilhon, aceitou co convite e fez bonito, uma vez que a equipe mal teve tempo para treinar e conhecer o barco. Aêeee! É galera do velho Farasan fazendo história no Pacífico!!

Inmarsat fecha parceria com a Volvo pelo 3º ano consecutivo

A Inmarsat, empresa que fornece comunicação via satélite, fechou uma parceria com a Volvo Ocean Race pela terceira vez consecutiva. Na edição 2011-12 da regata, cada barco levará a bordo um equipamento de última geração, que irá transmitir som e imagem de alta qualidade em máxima velocidade, além de sua posição em tempo real (mas, sem querer ser chato e já informando o amigo, nada disso vai via Inmarsat meeesmo…). Já as imagens captadas pelos Media Crew Members com estes equipamentos valerá a um deles, no final da regata em Galway, na Irlanda, em 2012, um prêmio de €10 mil, pelas melhores fotos. Sempre são lindas!!

Primeiro barco da Buenos Aires Rio chegou ontem à tarde.

O fita-azul da regata cruzou a linha de chegada no Rio de Janeiro às 17h29 minutos do domingo.

O Abbey Sea Shipping Service Bacarat foi o primeiro barco da regata Buenos Aires Rio a cruzar a linha de chegada. No final da tarde deste domingo e veleiro argentino cruzou a linha  montada em frente ao Arpoador.  No total, foram 8 dias, 2 horas e 29 minutos para percorrer 1120 milhas desde a capital argentina até a Cidade Maravilhosa. E provavelmente o Bacarat será também o vencedor no tempo corrigido. Parabéns!!

%d blogueiros gostam disto: