Pular para o conteúdo

Arquivo de

Negra, com Lars Grael na tática, encontra o caminho no vento rondando e vence para ficar mais perto do título de 2011 na Mitsubishi Sailing Cup.

Lars viu, o Negra foi e os caras venceram. Mestre Capizzano captou a esquerda mágica.

Com metade das regatas corridas na terceira e última etapa, o aniversariante do dia, Samuel Albrecht, no Crioula, continua na frente no S40. O Match Point lidera a HPE25.

A Mitsubishi Sailing Cup 2011 continuou hoje no Rio de Janeiro com mais duas regatas corridas no dia frio com vento sudoeste rondado, de 10 a 15 nós, e maré enchente forte. Nas condições variáveis da baía de Guanabara, os líderes do campeonato no acumulado do ano se deram bem e abriram preciosos pontos sobre seus rivais. Por curiosidade, o ‘Negra’, na S40, e o ‘Match Point’, na HPE25, que foram campeões em 2010, também lideram neste ano.

Entre os monotipos de 40 pés, o destaque ficou por conta da manobra ousada que o tático do barco ‘Negra’, Lars Grael, fez no primeiro contravento da segunda prova do dia. “Nós largamos mal e eu vi dois barquinhos, um Snipe e um Laser, velejando bem na esquerda. Resolvemos ir para lá e ainda achamos um braço de maré vazante no meio da maré enchente. Foi muito bom!”, comemorou Lars.

De fato, o barco argentino de tripulação uruguaia abriu uma vantagem que o permitiu vencer confortavelmente, subir para terceiro lugar na etapa, e abrir 21 pontos sobre o rival chileno ‘Pisco Sour’, no acumulado do ano. Detalhe, o ‘Pisco’ havia vencido a primeira regata desta sexta-feira.

No entanto, quem lidera a classe S40 aqui no Rio é o gaúcho ‘Crioula’ com 14 pontos perdidos nas quatro regatas corridas até aqui. Em segundo na etapa carioca está o ‘Pajero’, de Eduardo Souza Ramos. O barco do multicampeão Torben Grael, timoneado por seu filho Marco, foi o melhor do dia com um quarto e um segundo lugares hoje.

Com isso, o ‘Mitsubishi/Gol’ está em 4º na etapa, apenas um ponto atrás do ‘Negra’. “Foi um dia difícil. O vento e a maré estavam inconstantes, mas conseguimos manter uma boa média e subir na súmula. No S40 tudo é sempre muito igual e é importante conseguir se manter à frente”, disse Torben.

HPE25 – Na classe HPE25, o ‘Match Point’, de Hugo del Priore, campeão de 2010, retomou a liderança geral e da etapa hoje. Com dois segundos lugares nesta sexta-feira, o barco acumula 11 pontos perdidos na etapa e 27 no geral de 2011 já contados cinco descartes.

Aqui no Rio, o campeão da Semana  de Vela de Ilhabela, ‘Atrevido’, de Fábio Bocciarelli, está na vice-liderança e o ‘Max’, timoneado por Bruno Prada, medalhista olímpico e proeiro de Robert Scheidt na classe Star, está em terceiro. “A disputa está bem legal na HPE25. Temos cinco barcos que podem vencer a etapa e a cada regata as coisas mudam na tabela”, contou Brunão, como é conhecido no meio da Vela de competição.

Em quarto no Rio o ‘Ginga’, de Bruno Chvaicer, não teve um dia bom e viu o seu rival, ‘Match Point’, abrir três pontos na súmula geral de 2011. Para amanhã estão previstas mais duas regatas na baía da Guanabara a partir 12h. Os barcos devem deixar o Iate Clube do Rio de Janeiro por volta das onze horas.

Para mais informações, e transmissão boia a boia, acesse: www.twitter.com/mitsailingcup e também o site www.mitsubishisailingcup.com.br

Matheus Dellagnelo participa do Europeu de Sunfish, na Itália

O catarinense Matheus Dellagnelo embarca neste sábado para a disputa do Campeonato Europeu da classe Sunfish, que acontece nas águas do Lago Bracciano, na Itália, entre os dias 07 e 11 de setembro.

Atual campeão mundial da classe, o velejador do Iate Clube de Santa Catarina embarca com antecedência para Itália, acompanhado pelo técnico Sérgio Araújo, com objetivo de buscar a melhor regulagem para o barco em ventos fracos antes da competição. Essas condições serão bem parecidas com as de Puerto Valada, onde serão disputadas as regatas dos Jogos Pan americanos de Guadalajara, em outubro no México.

“Estamos indo mais cedo mesmo para botar o barco na água e treinar até encontrar a melhor regulagem para vento fraco. O campeonato não terá o mesmo nível do mundial, mas espero encontrar gente com boa velocidade para poder comparar meu rendimento. Se puder vencer o campeonato melhor, mas o objetivo lá é ser rápido”, diz Matheus.

Aos 22 anos Matheus preferiu trancar a matrícula na faculdade de Engenharia de Materiais na UFSC para se dedicar ao Sunfish até o Pan. “Quero fazer uma boa campanha, estou no últimos semestre quero me dedicar integralmente a cada coisa em seu tempo”, conclui.

Da assessoria de imprensa

Vídeo: Primeiro dia de regatas da 3a etapa da Mit Sailing Cup no Rio de Janeiro

Resultados: Crioula e Max lideram a última etapa da Mit Sailing Cup no Rio de Janeiro

Resultados do Primeiro dia de Regata – Mit Sail Cup – Rio

S40
1o Crioula (BRA) – 4 pontos perdidos
2o Pajero (BRA) – 4 pp
3o MItsubishi Motors (CHI) – 6 pp
4o Negra (ARG) – 8 pp
5o Pisco Sour (CHI) – 11 pp
6o Celfin Capital (CHI) -12 pp
7o MItsubishi/Gol (BRA) -12 pp
8o Movistar (CHI) -13 pp
9o Patagonia (ARG) – 18 pp
10o Carioca (BRA) – 18 pp
11o Santander (CHI) -20 pp
12o Claro (CHI) – 22 pp

HPE25
1o Max (BRA) – 5 pp
2o Ginga (BRA) – 6 pp
3o Atrevido (BRA) – 6 pp
4o Match Point (BRA) – 7pp
5o Vuarnet (BRA) -8pp
6o BSS (BRA) – 12 pp
7o Aventura (BRA) -14 pp
8o Ah Moquele (BRA) -14 pp
9o Vesper (BRA) – 19 pp
10o Arion (BRA) – 22pp
11o Alifa (BRA) -22 pp
12o Montecristo – 23 pp
13o Repeteco – 28 pp

Da assessoria de imprensa

Americano Charlie Ogletree substitui Mitch Booth no comando do China Team na ACWS

O americano Charlie Ogletree será o substituto do australiano Mtch Booth no comando do China Team na America´s Cup World Series. Após um resultado ruim na primeira etapa da competição em Cascais, Portugal, Mitch deixou a equipe em circunstâncias ainda desconhecidas. Charlie, que, assim como Mitch está com a equipe desde os primeiros treinos em Auckland, atuava como tático. Ele tem bastante experiência em multicascos, tendo competido em cinco Olimpíadas. Ao lado do velejador John Lovell ele ficou bastante conhecido ao usar um Code Zero em um tornado durante a Olimpíada de Pequim, em 2008.

Quem também se junta à equipe é Andreas Hagara, que será o novo timoneiro. Hagara tem dois bronzes olímpicos no curriculum e a experiência dos Extreme 40. Além da nova dupla a equipe está testando alguns velejadores chineses para a equipe que disputará a Copa América em 2013.

Crioula, na S40, e Max, na HPE 25, saem na frente na Mitsubishi Sailing Cup no Rio.

O aniversariante de hoje, Samuca Albrecht, recebeu o presente antecipado ontem na Guanabara. Saiu à frente na 3ª etapa da Mit Sail Cup.

A Mitsubishi Sailing Cup 2011 entrou no seu capítulo final com todos os ingredientes que fizeram deste torneio o mais prestigiado da vela sul-americana nos dois últimos anos: competitividade, adrenalina e belíssimas regatas.

Na classe S40, os monotipos de Oceano de 40 pés que revolucionaram as competições com barcos velozes, modernos e absolutamente iguais, a disputa, como sempre, foi acirradíssima. Lars Grael, que voltou ao torneio nesta última etapa de 2011 como tático do ‘Negra’, campeão de 2010 e líder neste ano, comentou a evolução da classe. “Do ano passado para cá, houve uma evolução grande em todas as tripulações e as regatas ficaram ainda mais técnicas e divertidas”, disse o medalhista olímpico que em 2010 foi tático do chileno Celfin Capital e neste ano está substituindo a estrela italiana Francesco Bruni no barco negro.

Com duas regatas corridas no dia nublado e frio que marcou o Rio de Janeiro, com ventos de sudoeste, de 8 a 12 nós, os sempre regulares gaúchos do ‘Crioula’ pularam na frente na etapa carioca com um terceiro e um primeiro lugares para somar 4 pontos perdidos. Em segundo aparece o ‘Pajero’ de Eduardo de Souza Ramos com dois segundos lugares, sendo o da segunda regata uma reparação devido a uma colisão involuntária com o ‘Patagônia’ que também se retirou da regata. O barco chileno ‘Mitsubishi Motors ’, que conta com o local André Mirsky na tática figura em terceiro.

Na quarta e quinta colocações vêm os dois barcos que brigam pelo título geral da Mitsubishi Sailing Cup 2011, O ‘Negra’, de Juan Ball, que ganhou a primeira prova do dia, e o chileno ‘Pisco Sour’ que conta com a estrela internacional Guille Parada na tática. Torben e Marco Grael, no ‘Mitsubishi/Gol’ aparecem em sétimo entre os 12 S40 que competem na Baia de Guanabara.

HPE25 – A classe HPE25, barco que pode ser considerada o irmão mais velho e versão menor dos S40, também está assistindo a uma disputa apertada. Assim como na S40, os dois candidatos ao título geral de 2011 não começaram na frente. O ‘Match Point’, de Hugo del Priore, campeão de 2010 e líder em 2011, aparece em 4º lugar depois das duas primeiras regatas no Rio. Já o ‘Ginga’, de Breno Chvaicer, que está apenas um ponto atrás na classificação geral do ano, começou vencendo a primeira regata e com um quinto na segunda prova está na vice-liderança também da etapa. O ‘Max’, de Anderson Biason, lidera aqui no Rio com 4 pontos perdidos. O ‘Atrevido’ de Fábio Bocciarelli, terceiro colocado acumulado de 2011, também está em terceiro na etapa carioca.

Para amanhã estão previstas mais duas regatas na baía da Guanabara a partir 13h. Os barcos devem deixar o Iate Clube do Rio de Janeiro por volta do meio dia. A previsão é de ventos de 10 a 13 nós, de sudoeste.

Novidades para os fãs do Esporte: A cobertura desta segunda etapa ganhará novas formas de divulgação. As regatas poderão ser acompanhadas em tempo real pelo Twitter. Para mais informações, acesse: www.twitter.com/mitsailingcup e também o site www.mitsubishisailingcup.com.br

%d blogueiros gostam disto: