Pular para o conteúdo

Arquivo de

Matheus Dellagnelo é campeão sul-americano de Laser Radial

Terminou nesta terça-feira em Montevidéu, no Uruguai, o Campeonato Sul-Americano de Laser Radial. O título ficou com o catarinense Matheus Dellagnelo, seguido pela argentina Cecilia Carranza e pelo também argentino Juan Biava. Adriana Kostiw, em 4º foi a melhor brasileira na competição. Matheus e Adriana irão representar o Brasil no Pan-Americano de Guardalajara, nas classes Sunfish e Laser Radial.

Bohemia Express, com Amiguinho a bordo, conquista mais um título na região italiana da Sicília

A equipe tcheco-brasileira conquistou mais um título da classe ORC

O time de vela Bohemia Express conquistou na última semana o Troféu Ignazio Florio na classe ORC International, na ilha italiana de Favignana.
A equipe tcheco-brasileira, que conquistou o Vice-Campeonato Mundial da categoria realizado em Junho desse ano na cidade de Cres, na Croácia, contou nessa tradicional regata na região da Sicília com Alexandre ‘Amiguinho’ Tinoco, atual campeão mundial de Snipe, a bordo, além de quatro italianos  e seis tchecos. “Foram três dias incríveis de navegação, incluindo uma regata em volta da paradisíaca Ilha deFavignana”, declarou o cara. A segunda colocação ficou com a tripulação da Itália Extra1, com velejadores vindos de campanhas italianas na conceituada competição America’s Cup.


Scheidt e Prada retomam preparação para o Mundial de Perth

Dupla brasileira da Star volta a competir nesta quinta-feira (22/9), no Campeonato Italiano para as Classes Olímpicas, em Garda

Robert Scheidt e Bruno Prada voltam a competir nesta quinta-feira (22/9), na sequência da preparação para o Mundial de Perth, em dezembro, na Austrália. Depois de pouco mais de um mês sem atividades, desde a vitória na classe Star no evento-teste para os Jogos Olímpicos de Londres/2012, em Weymouth, em agosto, o retorno será no Campeonato Italiano para as Classes Olímpicas, em Garda.

Scheidt e Prada aproveitaram a folga nas competições para aprimorar a parte física e testar equipamentos. Os treinos com o sueco Fredrik Loof, atual medalhista de bronze olímpico, no Lago di Garda, local de disputa do Italiano, foram bastante proveitosos. “É claro que, para nós, obter um bom resultado no Italiano é importante, mas esse período de treinamento também está sendo muito válido para mantermos um bom ritmo de preparação para o Mundial de Perth”, avalia Scheidt. Na Austrália, ele e Prada vão lutar para classificar a classe Star do Brasil para Londres/2012 – a dupla foi medalha de prata em Pequim/2008.

O nível do Campeonato Italiano, segundo Scheidt, “será altíssimo”. “Além do Loof, vamos enfrentar adversários como o inglês Iain Percy, campeão olímpico em Pequim, o suíço Flávio Marazzi, o italiano Diego Negri”, enumera o velejador, lembrando que os rivais também se preparam para a disputa do Mundial – 11 das 16 vagas disponíveis para a Star na Olimpíada de Londres estarão em jogo em Perth.

Da assessoria de imprensa

C’est la Vie é o campeão do XX Circuito Conesul de Vela

O XX Circuito Cone Sul de Vela de Oceano teve seus campeões conhecidos nesta terça-feira (20), no Veleiros do Sul, em Porto Alegre. O barco C’est la Vie VI, de Henrique Dias ficou com o título na classe BRA-RGS – A, enquanto o Magia, de Rodrigo Castro foi o vencedor na BRA-RGS B. E na classe J/24 deu o Iuca, de Cláudio Ruschel.  O Circuito começou no dia 10 e teve seis regatas no total. As duas últimas foram realizadas nesta tarde, feriado Farroupilha, com vento de intensidade média no Guaíba e garoa esparsa. 

O comandante Henrique Dias festejou o seu segundo título no Circuito Conesul. O primeiro veio em 2004, ano em que ele adquiriu o barco. Ele obteve quatro vitórias em seis regatas e essa boa média lhe garantiu o título do Circuito. “Antes corria na ORCi e agora medi o barco na RGS. Os acertos nas três primeiras regatas nos deram confiança. Na prova longa, o Troféu Seival, infelizmente chegamos em segundo e hoje cometemos alguns erros. Mas no somatório de resultados nossa participação foi bem positiva e eu e minha equipe estamos felizes com mais este título,” disse o comandante do C’est la Vie.

Na BRA-RGS B, o Magia, liderado por Roberto Castro não teve dificuldade para chegar à vitória. Sua tripulação está junta há três anos e o entrosamento foi fundamental para velejar bem na competição. “O Circuito foi bom, com muitas regatas e percursos diversificados. Uma pena o número pequeno de participantes na minha classe”, comentou. 

Desde que a classe J/24 foi integrada ao Circuito em 2008 a tripulação do Iuca conquistou o seu terceiro título consecutivo. O comandante Cláudio Ruschel comemorou especialmente dessa vez porque “foi o mais difícil de todos”. Eles ficaram apenas com um ponto de diferença para o segundo colocado, o barco Tango, de Boris Ostergren. “Foi uma final muito dura, com duas regatas tensas. A primeira chegamos em terceiro lugar e o Boris em primeiro. Na última do dia vencemos por décimos de segundos. As equipes estão bem treinadas e por isso a dificuldade aumenta, mas tivemos êxito por mantermos a qualidade do barco.”    

No último dia do Circuito o vento foi de direção sul-sudeste e a intensidade de 6 a 10 km/h. As tripulações enfrentaram uma garoa que persistiu até a metade da tarde. A festa de encerramento da competição foi no salão do Veleiros do Sul com a presença das tripulações, sócios e convidados.

O Circuito teve o patrocínio do Banrisul e apoio da Delta Yachts.  

Classificação final do Circuito Conesul
Classe BRA-RGS A
1º C’est La Vie VI – Henrique Silva Dias (VDS) – (1º – 1º – 1º – 2º – 1º – 3º ) 6
2º Delirium – Darci Rebello Jr. (CDJ) – ( 2º – 3º – 2º -1º – 3º – 2º ) 10
3º Kamikaze XI – Hilton Piccolo (CDJ) – ( 4º – 2º – 3º – 4º ) 12
4º Little Wing – Jorge Romero (ICG) – (3º – 4º – 4º – 3º – 6º – 6º) 20
5º Áquila – Natanael Coll Oliveira (VDS) ( 5º – 5º – 5º – 6º – 6º – 6º) 27

Classe BRA- RGS B
1º Magia – Rodrigo Porto Castro (CDJ) – (1º – 1º – 1º – 1º – 2º – 1º) 5
2º  Hawa – Marcelo Kern (CDJ) – (2º – 2º – 2º – 5º – 1] – 2º) 9
3º Cibs – Jacson Lumertz (SAVA) – (5º – 3º – 3º – 3º – 5º – 5º ) 18
4º  Five Stars – Luis Fernando Silveira (ICG) (5º – 5º – 5º – 5º – 5º – 5º) 25 

Classe J/24
1º Iuca – Cláudio Ruschel (VDS) (1º – 2º – 1º – 3º – 1º) 5
2º Tango – Alex Luiz (VDS) (2º – 1º – 2º – 1º- 4º) 6
3º Diferencial – Nelson Horn Ilha (VDS) (3º- 3º – 3º – 2º – 2º) 10
4º Vento Negro – Eduardo Ribas (VDS) (6º- 4º – 4º – 4º – 3º) 15
5º Sapeca II –  Walther Bromberg (VDS)  (5º – 6º – 6º – 5º – 5º ) 21 
6º  Cosa Nostra – Francisco Freitas (CDJ)  (4º – 5º – 5º – 7º – 7º) 21

Por Ricardo Pedebos, da assessoria do VDS

Ginga pode confirmar título da Copa Suzuki Jimny neste final de semana

Barco da classe HPE25 abre ampla vantagem sobre os adversários após o início da terceira etapa do evento

O barco Ginga está sobrando na classe HPE25. Atual campeão brasileiro e líder da classificação geral da Copa Suzuki Jimny, a tripulação de Ilhabela pode definir o título do evento neste final de semana. De quebra, a equipe de Breno Chvaicer poderá conquistar o Campeonato Paulista de Vela Oceânica. O evento reúne também as classes ORC, BRA-RGS-A, B, C e Cruiser, Delta 32 e Skipper 21.

Nas últimas regatas foram três vitórias e um quarto lugar para o time da classe HPE25. No soma geral, incluindo as três etapas, o Ginga tem 33 pontos de vantagem para o Avanto, que está em segundo. Para o tático Vicente Monteiro, o treinamento é que faz a diferença.

“Não estamos sobrando na categoria. O fato é que nosso time veleja melhor taticamente e também está mais treinado, por isso os resultados aparecem. O conjunto é a palavra chave. O Ginga tem entrosamento, tempo de largada, tática e muito treino”, disse o velejador de 23 anos.

Outro fator que ajuda o tático Vicente Monteiro é a experiência adquirida na classe Snipe, o que ajuda na ‘tocada’ do barco, principalmente em condições de vento forte. “Isso é muito importante, porque você decide a melhor tática com convicção, enquanto os outros barcos têm dúvidas e aí acabam não arriscando tanto”, contou Vicente Monteiro.

A estratégia do Ginga para as regatas finais do próximo final de semana será manter a vantagem apenas ‘marcando’ os adversários, já que o líder da classe HPE25 não precisa ganhar as provas para confirmar os títulos da Copa Suzuki Jimny por antecipação e também do Campeonato Paulista.

Classificação da classe HPE no Campeonato Paulista – após 4 regatas e 1 descarte
1º – Ginga (Breno Chvaicer) – 7 pp (4+1+1+1)
2º – Bixiga (Pino Di Segni) – 11 pp (1+4+4+2)
3º – Avantto (Dario Galvão) – 14 pp (5+3+3+3)

Por Flavio Perez, da ZDL de Comunicação

WSSR Council reconhece recordes do Abu Dhabi e Banque Populaire na Fastnet

O World Speed Sailing Record Council reconheceu mais duas quebras de recorde, durante a Rolex Fastnet Race deste ano. A equipe Abu Dhabi, de Ian Walker, foi a mais rápida entre os monocascos a completar a regata, levando 1 dia, 18 horas e 38 minutos para completar o percurso de 595 milhas náuticas. A velocidade média foi de 14 nós. A equipe estará na próxima Volvo Ocean race, que larga agora em outubro, de alicante, na Espanha.

Entre os multicascos o WSSR Council reconheceu o trimarã de 105 pés Banque Populaire 5 também como o mais rápido no mesmo percurso. A equipe comandada por Loick Peyron levou 1 dia, 8 horas, 48 minutos e 46 segundos para completar a regata, com uma velocidade média de 18,1 nós.

%d blogueiros gostam disto: