Pular para o conteúdo

Arquivo de

Alinghi vence oitava etapa do Extreme Sailing Series e Luna Rossa lidera campeonato na reta final

Em disputa acirrada, o Luna Rossa ficou com a segunda colocação

Terminou neste domingo em Almería, na Espanha, a penúltima etapa da Extreme Sailing Series. Depois de 32 regatas o vencedor foi o Alinghi, com 254 pontos perdidos, 21 a menos que o Luna Rossa, segundo colocado. ”Estamos muito contentes. Tentamos controlar todos os riscos hoje. Pegamos boa velocidade no barco e o time conseguiu trabalhar bem”, comemorou Tanguy Cariou, capitão da Alinghi.

E a briga pela segunda colocação foi acirrada, com o Oman Air terminando na terceira colocação apenas um ponto atrás dos italianos. “Foi minha primeira experiência neste tipo de evento. Aprendi muito com os mais experientes. Terminar no pódio pela segunda vez em três etapas é ótimo. Cada corrida é muito competitiva, cada equipe lutando por centímetros. É fantástico correr aqui. Mas agora, é hora de focar nos jogos Olímpicos”, disse Ben Ainslie, capitão do time do Emirado Árabe.

Para ver a classificação final, clique aqui.

Isaf divulga o AR da última classificatória de Match Race para as Olimpíadas de Londres 2012

A Isaf divulgou esta semana o Aviso de Regatas do 2012 Women’s Match Racing International Country Olympic Qualifying Regatta, campeonato que acontecerá na Florida, EUA e será a última chance de classificação para os países que disputam uma vaga no Match Race feminino nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. A primeira classificatória acontecerá no Mundial da Isaf, em dezembro, em Perth, na Austrália, quando estarão em disputa oito vagas. Nos EUA serão disputados os últimos três lugares, considerando que a Inglaterra já tem vaga garantida. Cada país poderá inscrever apenas uma equipe.

Tiago Brito domina regatas de Optimist do fim de semana

Provas foram realizadas nos dias 15 e 16 de outubro

A Fevers promoveu este final de semana em Porto Alegre regatas para a classe Optimist. Após a realização de quatro provas, Tiago Brito, do Jangadeiros, terminou em primeiro, com três pontos de vantagem sobre o segundo colocado, o jovem Pedro Zonta, também do mesmo clube. As regatas foram realizadas na raia da Baía da Tristeza e contaram com a participação de 19 velejadores veteranos e três estreantes.

Tiago está tendo um 2011 brilhante. Ele foi vice-campeão brasileiro, campeão do 38º Campeonato Norte e Nordeste e campeão Sul-Americano, quarto colocado no Campeonato Brasil Centro e 12º no Pré-Mundial. Agora ele intensifica os treinos visando o mundial da classe que acontecera na Nova Zelândia, no final do ano.

Confira abaixo o resultado final:
Veteranos
1º Tiago Brito – Juvenil (CDJ)
2º Pedro Zonta – Juvenil (CDJ)
3º Lucas Aydos – Juvenil (CDJ)
4º Philipp Rump – Juvenil (CDJ)
5º Thiago Ribas Splettstösser – Juvenil (VDS)

Estreantes:
1º Ian M. Paim – Mirim (CDJ)
2º Vitor Paim – Infantil (CDJ)
3º Gabriel Kern – Mirim (CDJ)

Da assessoria do Jangadeiros

Vídeo: Medal Race Pan-Americano Rio de Janeiro, classe J/24

Para comemorar a estreia da vela no Pan de Guardalajara, relembre a final da classe J/24 no Pan do Rio de Janeiro, decidida no susto, entre a equipe de Maurício Santa Cruz e a do argentino Alejo Rigoni.

Velejadores brasileiros diminuem de peso para ventos fracos do Pan

Equipe Brasileira de Vela estreia em Puerto Vallarta, no México, nesta segunda-feira

Os velejadores brasileiros iniciam as regatas dos Jogos Pan-Americanos em Puerto Vallarta (300 quilômetros de Guadalajara) nesta segunda-feira (17). Com a previsão de ventos fracos em toda a competição (média de 12 nós), a CBVM montou uma estratégia para conquistar medalhas em todas as classes. Cada atleta teve de reduzir o peso corporal por causa das condições climáticas. Com menos vento, mais leve deve ser o barco.

“O período de aclimatação foi importante para adaptar os velejadores ao clima. Já era prevista essa falta de ventos e nossa equipe multidisciplinar fez uma preparação direcionada ao evento, que incluiu redução de peso e ajuste dos barcos e dicas de meteorologia”, revelou a chefe da equipe Martha Rocha.

O jovem Matheus Dellagnelo, que completa 23 anos neste domingo (16), é um dos favoritos ao ouro na Sunfish. O catarinense é maior exemplo dessa adaptação ao vento fraco. Desde fevereiro, quando conquistou a classificação para o Pan na categoria, o atleta perdeu sete quilos.

“Após a conclusão da primeira etapa de treinamentos iniciei a preparação focada para o Pan. Tive de perder peso e me adaptar a um barco novo. A parte final foi conseguir achar a regulagem ideal para o Sunfish no vento fraco”, explicou Matheus Dellagnelo, campeão mundial em 2011.

A classe Sunfish é nova Brasil. O barco é muito utilizado nas Américas Central e Norte, por isso foi incluído no calendário dos Jogos Pan-Americanos. A estrutura da embarcação é similar ao Laser, que coroou Robert Scheidt com o bi olímpico e o tri do Pan. O biótipo do velejador para a categoria costuma ser 1,83 m de altura e peso variando de 70 a 75 quilos.

“Minha expectativa é fazer um bom campeonato. Espero um evento difícil, decidido nas últimas regatas, onde vários atletas estarão na briga pela medalha. Acredito que será bem diferente dos demais que já tive oportunidade de participar e espero poder curtir ao máximo esse momento”, disse Matheus Dellagnelo.

A vela nacional terá a chance de contribuir com nove medalhas no quadro geral da competição continental (Hobie Cat 16, J24, Laser, Laser Radial, Lightning, Snipe, Sunfish, RS:X masculino e feminino).

Na bagagem, campeões mundiais como Matheus Dellagnelo, a dupla de Snipe e o quarteto de J/24. Os representantes da Hobie Cat 16 querem reaver o ouro cassado no Pan de 2007 e Ricardo Winicki, o Bimba, pode igualar Robert Scheidt e trazer o terceiro título dos Jogos.

“A preparação foi focada para o Pan e também visando uma medalha olímpica. Estou preparado para brigar pelo ouro mais uma vez”, ressaltou Bimba.

Outro nome da vela brasileira de destaque é Cláudio Biekarck. O velejador de Lightning disputará seu oitavo Pan, um recorde entre os atletas brasileiros.

Klaus, como é conhecido no meio da vela, é o recordista brasileiro de medalhas pan-americanas na vela, com sete honrarias. Em 75, na Cidade do México, o velejador ganhou a medalha de prata na classe Finn. Depois, passou para a classe Lightning onde faturou o ouro em Caracas/83, prata em Mar Del Plata/95 e Winnipeg/99, além de bronze Indianápolis/87, Havana/91 e Rio/2007. “A Lightning é uma classe amadora, mas muito forte tecnicamente na América”, concluiu Biekarck.

Além de maior ganhador de medalhas pan-americanas na vela, Klaus tem um currículo vitorioso como técnico de Robert Scheidt. Ele orientou o velejador desde o início da carreira participando ativamente das três medalhas olímpicas conquistadas na Laser – ouro em Atlanta/96, prata em Sidndey/2000 e ouro em Atenas/2004 – e nos oito títulos mundiais da classe.

Atenção especial – Os velejadores brasileiros contarão com uma equipe multidisciplinar em Puerto Vallarta. O argentino Flávio Naveira será consultor de regras. Paulo Lemos ficará responsável pelo suporte de equipamentos e a meteorologista será Silvia Santos, da Marinha do Brasil. O Brasil conta com três técnicos: Bruno Di Bernardi (Laser, Laser Radial e Sunfish) Eduardo Melchert (Snipe, J24 e Lightining) e Fernando Pasqualin (RS:X masculino e feminino e HC16).

Velejadores brasileiros no Pan
Hobie Cat 16:
Bernardo Arndt e Bruno Oliveira

J/24:
Maurício Santa Cruz, Alexandre Saldanha, Daniel Santiago e Guilherme Hamelmann

Laser:
Bruno Fontes

Laser Radial:
Adriana Kostiw

Lightning:
Cláudio Biekarck, Gunnar Ficker e Marcelo Batista

Snipe:
Alexandre Tinoco e Gabriel Borges

Sunfish:
Matheus Dellagnelo

RS:X masculino:
Ricardo Winicki

RS:X feminina:
Patrícia Freitas

Da ZDL de Comunicação

Três barcos perdem o mastro em 24h na Mini Transat

Renaud Chavarria foi a última vítima do vento forte na Mini Transat

A travessia entre a ilha da Madeira, em Portugal, e Salvador não está nada fácil para os 77 velejadores solitários da Mini Transat. O vento forte e as grandes ondas causaram muitos estragos, incluindo três mastros quebrados em 24 horas, dos italianos Andrea Caracci e Tiziano Rossetti e do mediterrânico

Fora isto, também informaram à organização da prova que estão com problemas Jorge Luiz Madden, com um leme quebrado, Thibault Reinhart com avaria na barra de ligação, Marie Duvignac com um suporte de piloto arancado, Bruno Simonnet com problemas de energia, e Chuan Guo também com um leme quebrado.

Dentre os que ainda sobrevivem, o líder entre os barcos de serie é Gwénolé Gahinet. O nosso chino-baiano Kan Chuh é o 19º, de 45 na classe. Entre os protos, o primeiro colocado é Sébastien Rogues.

Lars Grael e Samuel Gonçalves são campeões cariocas de Star

Fred Hoffman, como sempre, estava presente e registrou a dupla campeã

Neste final de semana os melhores velejadores de Star do Brasil estiveram reunidos em Niterói para a disputa do Campeonato Carioca. No total 23 duplas do Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal e Rio Grande do Sul estiveram presentes. Depois de seis regatas os campeões foram Lars Grael e Samuel Gonçalves, seguidos por Torben Grael e Marcelo Ferreira e Dino Pascolato e Henry ‘Maguila’ Boening.

Clique aqui e veja o resultado completo.

%d blogueiros gostam disto: