Pular para o conteúdo

Arquivo de

Vídeo: Velejando ao extremo

Classe IMOCA cogita mudanças na regra para atrair mais velejadores

Pouco antes da largada da Transat Jacques Vabre, os velejadores da classe IMOCA se reuniram para definir o futuro da classe. Apesar da crise, a conclusão a que se chegou foi que a classe continua crescendo e a maior prova disso são os 13 barcos que estarão na largada da regata transatlântica.

Para manter a classe ativa, a cada dois anos continuará sendo feita uma regata de volta ao mundo e entre elas, outras regatas menores, mas não menos importantes. Além disso as regras da classe poderão mudar, mantendo o custo dos barcos o mais baixo possível, atraindo assim mais velejadores. Antes da decisão ser tomada, serão levados em consideração os barcos que já foram construídos. A decisão final será tomada em 2012.

Esimit Europa 2 é bicampeão da Rolex Middle Sea Race

Barco eslovaco foi o primeiro a cruzar a linha de chegada depois de 61 horas de regata

Pouco antes da 1h, horário local, da última terça-feira, o Esimit Europa 2 cruzou a linha de chegada da Rolex Middle Sea Race em Marsamxett Harbour, Malta, Itália. No total foram necessárias 61 horas, 24 minutes e 35 segundos para completar o percurso entre as mais bonitas ilhas da região. Esta foi a segunda vez consecutiva que o veleiro esloveno vence a regata. O segundo lugar ficou com o britânico Rán, que cruzou a linha 10 horas mais tarde. No total 70 barcos participaram da regata. Apenas o Classe 40 Pogo 1 desistiu. Oresultado completo pode ser visto clicando aqui.

Vento volta a soprar na Mini Transat

Os líderes da Mini Transat, David Raison (747 – TeamWork Evolution) e Thomas Normand (787 – Financière de l’Echiquier) seguidos por Bertrand Delesne (714 – Zone Large) reencontraram o vento. Um vento de Sudeste os empurra com bom desempenho rumo à Bahia. Sim, o Brasil ainda está longe de suas proas, a mais de 1.100 milhas. Se eles percorreram um rota Leste antes do Pot au Noir, hoje, eles avançam em linha direta, amura bombordo, rumo à Baía de Todos os Santoa.

Agora, as táticas são simples para esse trio: “Toda vida reto” e o mais rápido possível. Thomas Normand se segurou firme e briga para continuar no encalço dos primeiro colocados. Os outros dois homens seguem uma rota paralela. Agora a diferença dependerá de detalhes que não são nada desprezíveis: trocas e ajustes de velas, o ângulo de incidência, o estado físico dos skippers.

Ontem, na classificação das 16h, David tinha 6,71 milhas de vantagem sobre Thomas. Hoje por volta das 6h a vantagem era de 15,19 milhas e às 10h, de 15,58 milha. O mesmo acontece com Bertrand Delesne. Na Segunda-feira à noite, ele estava a 23,83 milhas de David. Hoje cedo a vantagem de David era de 45,57 milhas e passou para 49,61 por volta do meio-dia

Atrás do trio que encabeça e avança rapidamente, o momento foi um pouco de “relaxamento”, como uma trégua após os dias vividos em um sistema meteorológico totalmente imprevisível que deu uma boa sacudida nos homens e nos materiais. Na categoria série, Benoit Mariette (599 – Odalys Vacances) se mantém na liderança seguido POR Vincent Kerbouriou (435 – CGGVeritas) e Clément Bouyssou (514 – Douet Distribution) que se mantêm a menos de 8 milhas de distância. No total são sete barcos separados por menos de 40 milhas. O chino-baiano Kan Chuh ocupa a 22ª posição, a pouco mais de 160 milhas do líder.

Sessenta e quatro na competição – Com a desistência, hoje de manhã, do australiano Scott Cavagnouh, obrigado a abandonar o seu barco após um acidente com seu mastro, 64 é o número de competidores restantes na prova. Houve oito abandonos em série e cinco em protótipos. Ainda aguardamos a decisão do Italiano Sergio Frattaruolo (769 – Bologna in Oceano), que se apresenta como “o vagabundo dos mares”, e que fez meia-volta e se encontra a aproximadamente 40 milhas de Mindelo, sobre a ilha de São Vicente no Cabo Verde.

Classificação dos Protótipos em 25/10/2011 às 12h00 (hora francesa) – 33 inscritos
1. David Raison (747 – TeamWork Evolution) a 1.114,07 milhas da chegada
2. Thomas Normand (787 – Financière de l’Echiquier) a 15,58 milhas do líder
3. Bertrand Delesne (754 – Zone large) a 49,61 milhas do líder

Classificação dos Barcos de Série em 25/10/2011 às 12h00 (hora francesa) – 46 inscritos
1. Benoit Mariette (599 – Odalys Vacances) a 1 305,5 milhas da chegada
2. Vincent Kerbouriou (435 – CGGVeritas) a 7,09 milhas do líder
3. Clément Bouyssou (514 – Douet distribution) a 7,69 milhas do líder
22. Kan Chuh (472 – Vmax) a 163,62 milhas do líder

Da assessoria de imprensa

Equipes da Volvo Ocean Race estão prontas para regata inport no sábado na Espanha

Seis barcos encaram nove meses de aventura em alto mar no trajeto que abrange os cinco continentes e faz da competição uma das maiores regatas da vela mundial

Tudo pronto em Alicante

A 11ª Volvo Ocean Race começa neste sábado (29) com a regata do porto (In-Port Race), que já valera pontos para a volta ao mundo. Os seis barcos da flotilha estão prontos para os primeiros duelo em Alicante, na Espanha. Abu Dhabi Racing (Emirados Árabes), CAMPER with New Zealand Racing Team (Nova Zelândia/Espanha), Groupama Sailing Team (França), PUMA Ocean Racing powered by BERG Propulsion (EUA), Team Sanya (China) e Team Telefónica (Espanha) decidiram encarar as 39 mil milhas náuticas da edição 2011/12.

Os 66 velejadores (11 tripulantes por barco) irão enfrentar sol, chuva, ondas gigantes, icebergs, baleias e muito mais durante quase nove meses de competição pelos oceanos. As temperaturas irão variar de -15 até +45 graus C. O Brasil terá dois representantes : o diretor técnico Horácio Carabelli, que não velejará, e o chefe de turno Joca Signorini, ambos no Team Telefónica.

A regata conta com tripulantes de 14 países diferentes – 19 da Nova Zelândia, nove da Austrália, sete da Espanha e da França, cinco dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, três da Irlanda e da África do Sul, dois da Suécia e dos Emirados Árabes Unidos e um representante da Alemanha, da Bélgica, do Brasil e da China.

Estima-se que cada equipe gaste mais de 15 milhões de dólares, quantia que inclui o custo do barco, os equipamentos, os salários da tripulação, a promoção, os testes (de velas, por exemplo) e o deslocamento para os 10 portos da regata.

Conheça um pouco mais das seis equipes que participam desta edição:

Abu Dhabi Racing Team
Nome do Barco: Azzam
Nacionalidade: Emirados Árabes Unidos
Patrocinadores: Abu Dhabi Tourism Authority, IWC Schaffhausen e Etihad Airways
Designer: Farr Yacht Design
Construtor: PERSICO (Bergamo, Itália)
Base: Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos)
Comandante: Ian Walker (GBR)
Tripulação: Julian Salter (GBR), Robert Greenhalgh (GBR), Simon Fisher (GBR), Craig Satterthwait (NZL), Justin Ferris (NZL), Nick Dana (EUA), Andrew Lewis (EUA), Wade Morgan (AUS), Justin Slaterry (IRL) e Adil Khalid (ARE).
links:
wwww.volvooceanraceabudhabi.com
facebook.com/AbuDhabiOceanRacing
twitter.com/adorlog

CAMPER with Emirates Team New Zealand
Nome do Barco: CAMPER
Nacionalidade: Nova Zelândia / Espanha
Patrocinadores: Camper
Designer: Marcelino Botín e Emirates Team New Zealand Design Team
Construtor: Cookson Boats (Auckland, Nova Zelândia)
Base: Royal New Zealand Yacht Squadron (Auckland, Nova Zelândia) e Real Club Náutico de Palma – RCNP (Espanha)
Comandante: Chris Nicholson (AUS)
Tripulação: Adam Minoprio (NZL), Andrew McLean (NZL), Daryl Wislang (NZL), Hamish Hooper (NZL), Stuart Bannatyne (NZL), Will Oxley (AUS), Neil Cox (AUS), Roger Badham (AUS), Rob Salthouse (AUS) e Mike Pammenter (RSA).
links:
www.camper.com/volvo-ocean-race
facebook.com/CAMPERwithEmiratesTeamNewZealand
twitter.com/CAMPERETNZ

Groupama Sailing Team
Nome do Barco: Groupama 4
Nacionalidade: França
Patrocinadores: Groupama
Designer: Juan Yacht Design (Juan Kouyoumdjian)
Construtor: Multiplast (Vannes, França)
Base: Lorient (França)
Comandante: Franck Cammas (FRA)
Tripulação: Erwan Israël (FRA), Jacques Caraës (FRA), Jean-Luc Nélias (FRA), Sébastien Marsset (FRA), Charles Craudeiler (FRA), Yan Riou (FRA), Brad Marsh (NZL), Damian Foxall (IRL), Martin Krite (SWE) e Martin Strömberg (SWE).
links:
www.cammas-groupama.com
facebook.com/franck.cammas
twitter.com/cammas_groupama
(Inglês) ou twitter.com/franckcammas (Francês)

PUMA Ocean Racing powered by BERG Propulsion
Nome do Barco: PUMA’s Mar Mostro
Nacionalidade: Estados Unidos
Patrocinadores: PUMA e BERG Propulsion
Designer: Juan Yacht Design (Juan Kouyoumdjian)
Construtor: New England Boatworks (Rhode Island, EUA) e Customline Yachts
(Sidney, Austrália)
Base: Newport, Rhode Island (EUA)
Comandante: Ken Read (EUA)
Tripulação: Arden Oksanen (EUA), Rome Kirby (EUA), Michi Mueller (ALE), Jono Swain (RSA), Brad Jackson (NZL), Kelvin Harrap (NZL), Tony Mutter (NZL), Casey Smith (AUS), Ryan Godfrey (AUS) e Tom Addis (AUS).
links:
www.puma.com/sailing ou www.pumasailingnewsroom.com
facebook.com/PumaOceanRacing
twitter.com/PumaOceanRacing

Team Sanya
Nome do Barco: Sanya
Nacionalidade: China
Patrocinadores: Sanya Tourism Bureau e Discover Ireland
Designer: Farr Yacht Design
Construtor: King Marine (Alginet, Valencia, Espanha), Refit Hamble Yacht Services
(Hamble, Grã-Bretanha)
Base: Hamble (Inglaterra)
Comandante: Mike Sanderson (NZL)
Tripulação: Teng Jiang He (CHN), Bert Schandevyl (BEL), Aksel Magdahl (NOR), Andy Meiklejohn (NZL), Cameron Dunn (NZL), Chris Main (NZL), David Swete (NZL), Richard Mason (NZL) e Ryan Houston (NZL).
links:
www.teamsanya.com
facebook/teamsanya
twitter.com/team_sanya

Team Telefónica
Nome do Barco: Telefónica
Nacionalidade: Espanha
Patrocinadores: Telefónica, El Corte Inglés e Iberia.
Designer: Juan Yacht Design (Juan Kouyoumdjian)
Construtor: King Marine (Alginet, Valencia, Espanha)
Base: Sanxenxo (Pontevedra), Marina Rubicón (Lanzarote,Ilhas Canário) e
Alicante – Espanha
Comandante: Iker Martinez (ESP)
Tripulação: Xavi Fernandes (ESP), Pepe Ribes (ESP), Jordi Calafat (ESP), Diego Fructoso (ESP), Pablo Arrarte (ESP), Ñeti Cuervas-Mons (ESP), Neal McDonald (GBR), Andrew Cape (AUS), Zane Gills (AUS) e Joca Signorini (BRA).
links:
www.teamtelefonica.com
facebook.com/teamtelefonica
twitter.com/teamtelefonica

Da ZDL de Comunicação

Silvio Cassiano, do Mytoy, conta como foi a Santos-Rio 2011

Olá Pessoal da Vela!

Às 13h00 da última sexta feira, na Baía de Santos, foi dada a largada da mais tradicional regata da vela brasileira, a Santos-Rio, com 220 milhas náuticas em mar aberto.Os ventos na baía eram relativamente fortes de 15 a 18 nós. A partir do momento que os veleiros foram alcançando a Ilha da Moela, já em mar aberto, as ondas estavam em torno dos 2,5m e os ventos passavam dos 20 nós, quando começaram as primeiras desistências.

Após 4 horas de regata, quando o valente Myboy já estava com seu través de bombordo na altura da Riviera de São Lourenço e a Ilha do Montão de Trigo por boreste, começou aumentar a força dos ventos, agora já com rajadas de até 30 nós. As ondas lavavam frequentemente nosso convés e fomos obrigados a baixar a vela mestra, ficando apenas com a genoa 3 para equilibrar um pouco mais o barco.

Permanecemos com esta situação por mais de quatro horas, sempre dando bordos curtos próximos de terra, pois sabíamos que quanto ma,is pra fora seria pior. Chegamos nas proximidades da ponta da Sela (parte mais ao sul da Ilhabela) por volta das 2 horas da madrugada de sábado, julgando que subindo o Canal de São Sebastião teríamos alguns momentos de descanso e um pouco mais de conforto, pois todos os tripulantes estavam exaustos, encharcados e com frio…

Aposta errada, porque além da correnteza contrária, em torno dos 3 nós, estávamos num forte contra-vento acima de 20 nós, com rajadas constantes que superavam os 32. Conseguimos apoitar no Yacht Club de Ilhabela às 05h30, após incontáveis bordos, e continuávamos escutando pelas salas de rádio de Santos e Ilhabela, constantes desistências de outros veleiros.

O ponto alto foi a chegada ao clube do Veleiro Miragem, que veio motorando devagar e com seu mastro partido ao meio, ainda com retalhos da sua vela mestra de kevlar, novinha em folha, tremulando como bandeirolas soltas ao vento. Acredito que este tenha sido o ponto decisivo para comunicarmos também nosso DNF na regata às 07h00 do sábado.

Telefonei para o Iate Clube do Rio de Janeiro às 20h00 do domingo, e soube que até aquele momento haviam terminado a regata apenas quatro veleiros dos 25 que largaram de Santos e ainda restava apenas um a cruzar que tinha informado sua posição, minutos antes, próximo à Barra da Tijuca.

Resumindo, houve 20 DNF, do total de 25 veleiros inscritos. O nosso medalhista olímpico Torben Grael, com sua máquina de velejar S40, Mitsubishi Magia V, foi o fita-azul, completando o percurso em 43h31min.

Ano que vem tem mais e voltaremos à raia para mais aprendizados…

San Diego se prepara para receber a próxima etapa da America´s Cup World Series

Em menos de três semanas a cidade americana de San Diego receberá a terceira etapa da America´s Cup World Series. O evento, que acontece na mesma raia da Copa America de 2013, será realizado entre os dias 12 e 20 de novembro.

“Estamos muito empolgados com o evento de San Diego. Como americano, tendo a chance de correr nos Estados Unidos é sempre algo que eu fico ansioso para acontecer”, disse Terry Hutchinson, skipper da equipe sueca Artemis Racing.

Os fãs da vela poderão acompanhar a regata em um telão, em terra, ou ao vivo, no mar, uma vez que as disputas acontecerão perto da costa. A organização sugere uma doação de US$ 10,00 para a entrada na Race Village para ajudar nos esforços de conservação dos oceanos.

%d blogueiros gostam disto: