Pular para o conteúdo

Arquivo de

Brasileiros lutam pelo podio nos Mundiais de Star e Laser

Robert Scheidt e Bruno Prada se mantêm em segundo lugar na Star. Já Bruno Fontes avança às regatas finais na Laser

São Paulo (SP) – Os representantes brasileiros nos mundiais das classes Star e Laser estão na disputa por medalhas após metade das regatas. Destaque para a dupla Robert Schedit e Bruno Prada, que continua na segunda colocação do Mundial de Star, em Hyères, na França. Já o catarinense Bruno Fontes, que compete em Boltenhagen, na Alemanha, está na flotilha ouro lutando pelo pódio da Laser. Nesta segunda-feira (7), também teve início o Mundial de 49er, em Zadar, na Croácia. Únicos representantes do País, André Fonseca e Marco Grael tentam a classificação para a Olimpíada no evento croata.

O destaque brasileiro nas competições europeias continua sendo a dupla bicampeã mundial Robert Scheidt e Bruno Prada. Os dois fecharam a regata do dia em sexto lugar e continuam em segundo na classificação do Mundial de Star. O campeonato chegou à sua metade em um dia de ventos fortes na baía francesa (20 nós). A partir de agora, os atletas vão mudar a estratégia e velejar de maneira mais agressiva. “Nossa regata não foi muito boa, cometemos alguns erros táticos, mesmo assim chegamos em sexto. Cumprimos nosso plano de fazer as três primeiras regatas entre os 10 primeiros”, diz Bruno Prada, proeiro. A dupla está um ponto atrás dos novos líderes do Mundial, os campeões olímpicos Iain Percy e Andrew Simpson, da Grã-Bretanha, que somam 14 perdidos contra 15 dos brasileiros.

Segundo a meteorologia, as condições em Hyères devem mudar novamente nesta terça-feira (8). A previsão é de ventos fracos. “Por essa variação e pela possibilidade de vento fraco nas próximas regatas, nossa estratégia foi muito importante no início. Conseguimos uma boa média e estamos na briga pelo título”, emenda Bruno Prada. A temperatura em Hyères deve esfriar novamente, caindo para 16 graus e com possibilidade de chuva. O evento da classe Star tem a presença de outra dupla do País: Dino Pascolatto e Henry Boening ocupam a 36ª posição com 113 pontos perdidos.

No Mundial de Laser, em Boltenhagen, na Alemanha, o frio joga contra os competidores. O brasileiro Bruno Fontes, classificado para a flotilha ouro, que definirá os medalhistas, reclama das condições. “Velejamos com chuva, frio e temperatura na casa dos quatro graus. Congela até o pé”, explica o brasileiro, 14º colocado na classificação geral.

O frio, segundo o catarinense, atrapalhou o desempenho dele nas águas alemãs na última prova antes das finais. Bruno Fontes fechou sua regata em 34º, mas o resultado entrou para o descarte. Ao todo o brasileiro soma 57 pontos perdidos. “Foi um dia difícil, com vento fraco e muito rondado. Não consegui acertar o lado e o frio também está complicando tudo. Na terça deve entrar vento mais forte, que eu gosto. Espero fazer duas grandes regatas e subir no geral”, finaliza o atleta. Outro brasileiro na competição, o paulista João Hackerott ocupa a 56ª posição com 115 pontos perdidos em sete regatas.

49er – Em Zadar, na Croácia, a dupla André Fonseca e Marco Grael estreou nesta segunda-feira na 41ª posição no geral. Os brasileiros correram na flotilha azul e fizeram um 16º, 22º e 5º lugares, respectivamente. São 74 veleiros na água e, não necessariamente, a dupla nacional precisa ficar entre os líderes para conquistar a vaga para a Olimpíada. São cinco em jogo e o Brasil precisa ficar na frente dos países que não tem representantes garantidos em Londres/2012.

A outra vaga que o Brasil pode confirmar é no 470 masculino. O Mundial começa no fim de semana em Barcelona, na Espanha, e o masculino conta com duas duplas: Fábio Pillar/Gustavo Thiesen e Henrique Haddad/Nicolas Castro.

Da ZDL de Comunicação

YCI divulga o AR da segunda etapa da Copa Suzuki Jimny, válida como Warm Up da RISW

Segunda etapa do XII Circuito Ilhabela de Vela Oceânica ocorre em dois fins de semana: 26 e 27 de maio e 2 e 3 de junho

Ilhabela (SP) – O Yacht Club de Ilhabela (YCI) divulgou o aviso de regata para a segunda etapa da Copa Suzuki Jimny de 2012 / XII Circuito Ilhabela de Vela Oceânica. Denominado de Warm Up, o evento reúne as principais equipes do País em dois fins de semana: 26 e 27 de maio e 2 e 3 de junho. Estão convidadas as classes ORC, BRA-RGS, RGS-Cruiser, C30, HPE25 e M24.5.

As inscrições custam R$ 80,00 por tripulante, exceto os mirins, que são isento da taxa. O procedimento deve ser feitas até a véspera da regata inicial, marcada para o sábado (26). A organização informa também que a estadia no YCI para os veleiros que não são da cidade está liberada de sábado (19) até o dia 9 de junho.

“As regatas devem ser bastante técnicas, já que serão as últimas antes da Rolex Ilhabela Sailing Week. Além de brigar pelo pódio e manter a regularidade da edição passada, as equipes também ajustam os equipamentos e entrosam as tripulações em um teste real, valendo pontos”, explica José Nolasco, director de vela do Yacht Club de Ilhabela.

A competição teve início em março com seis regatas em todas as categorias, menos na HPE com nove. As raias serão separadas novamente para tornar as provas mais justas e técnicas.

Depois da segunda etapa, os barcos voltam a se enfrentar no litoral norte paulista em setembro (22, 23, 29 e 30) e decidem os campeões entre 24 e 25 de novembro e 1 e 2 de dezembro.

Resultados da primeira etapa
ORC – após seis regatas e um descarte
1º – Tomgape (Sérgio Cardoso) – 5 pontos perdidos (1+1+1+1+1+5)
2º – Orson/Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva) – 12 (2+2+4+3+4+1)
3º – Carioca (Roberto Martins) – 13 (4+3+2+2+2+4)

ORC 30 pés- após quatro regatas
1º – Sextante (Thomas Leomil Shaw) – 5 (1+1+2+1)
2º – Colin (Sebastian Menendez) – 8 (2+1+2+3)
3º – Mashallah (Guillermo Henderson Larrobla) – 13 (4+4+3+2)

HPE – após nove regatas e um descarte
1º – Bond Girl (Rique Wanderley) – 15 (1+3+9+1+1+1+5+2+1)
2º – SER Glas Eternity (Marcelo Bellotti) – 33 (10+10+4+6+3+2+2+1+5)
3º – Take Ashauer (Marcos Ashauer) – 38 (3+7+2+2+4+7+6+11+7)

RGS-A – após seis regatas e um descarte
1º – Fram (Felipe Aidar) – 6 (7+1+2+1+1+1)
2º – Inaê-Transbrasa (Bayard Umbuzeiro Filho) – 9 (1+3+1+2+3+2)
3º – BL3 (Clauberto Andrade) – 12 (2+2+3+4+2+3)

RGS-B – após seis regatas e um descarte
1º – Nomad (Mauro Dottori) – 6 (1+1+1+2+1+2)
2º – Blue Too (Domingos Carelli) – 12 (2+2+2+3+6+3)
3º – Anequim (Paulo de Moura) – 17 (7+7+4+1+4+1)

RGS-C – após seis regatas e um descarte
1º – Ariel (Luis Pimenta) – 7 (3+2+1+1+1+2)
2º – Rainha (Leonardo Pacheco) – 7 (1+1+3+2+2+1)
3º – Jazz 4 (Volnys Bernal) – 17 (4+3+3+3+4+4)

RGS-Cruiser – após seis regatas e um descarte
1º – Helios/Sírio Libanês (Marcos Lobo) – 5 (1+1+1+1+1+1)
2º – Pirajá (Rubens Bueno) – 12 (3+5+2+2+3+2)
3º – Cocoon (Luiz Caggiano) – 12 (2+2+3+3+2+3)

C30 – após seis regatas e um descarte 
1º – Barracuda (Humberto Diniz) – 5 (1+1+1+1+2+1)
2º – Realizado (José Apud) – 9 (2+2+2+2+1+2)

Da ZDL

Brasileiros mantêm regularidade nos Mundiais de Vela

São Paulo (SP) – Robert Scheidt e Bruno Prada seguem em segundo lugar no Mundial de Star, que está sendo disputado em Hyères, na França. A dupla ficou em 10º lugar na regata do dia, mas viu seus maiores rivais, os ingleses Iain Percy e Andrew Simpson, vencerem a regata do dia e abrirem vantagem na classificação geral. Nas demais classes, destaque para Jorginho Zarif, da classe Finn, que terminou em 9º lugar no Campeonato Inglês da classe, que contou com grande parte dos velejadores que vai disputar o mundial da próxima semana.

Na França, Scheidt e Prada tiveram um dia difícil. Eles foram punidos por bombar a vela (em que os velejadores movimentam suas velas para ganhar velocidade), tiveram fazer um giro de 360º para cumprir a punição e perderam velocidade.

“Hoje o resultado foi muito ruim. fomos penalizados com uma bandeira amarela e com a vitória dos ingleses a disputa pelo título ficou um pouco mais complicada. Ainda estamos em segundo, pois não entrou o descarte, mas quando isto acontecer, podemos ser ultrapassados pelos poloneses e pelos irlandeses”, disse o proeiro Bruno Prada.

Scheidt e Prada somam 25 pontos perdidos, incluindo um 10º lugar, e ocupam o segundo lugar na classificação geral. Percy e Simpson são líderes com 15 pontos (o pior resultado é um 7º). Logo depois, vêm os irlandeses Peter O’Leary e David Burrows, com 26 pontos (12º como pior resultado) e os poloneses Mateusz Kusznierewicz e Dominik Zycki, com 29 (20º como pior resultado).

Na Inglaterra, Jorginho Zarif, 19 anos, mais jovem integrante da Equipe Brasileira de Vela, fechou bem sua preparação para a Finn Gold Cup, o Mundial da classe Finn, que será disputado em Falmouth, na Inglaterra, a partir de domingo.

Ele terminou o campeonato inglês, disputado na mesma raia da Gold Cup e contra a maioria dos velejadores que vai disputar o Mundial, na 9ª posição, com 71 pontos perdidos. O campeão foi o inglês Giles Scott, que bateu o tricampeão mundial Ben Ainslie, vice-campeão.

No Mundial de Laser, o catarinense Bruno Fontes estreou na Flotilha Ouro, que reúne apenas os melhores do torneio, com uma performance muito boa. Ele marcou um quinto lugar na primeira regata do dia, mas fez apenas um 25º na segunda prova e só ganhou uma posição na classificação geral, subindo para o 13º lugar na classificação geral, com 75 pontos (já contando dois descartes).

No Mundial de 49er, a dupla André Fonseca, o Bochecha, e Marco Grael está tendo dificuldades em sua busca por uma vaga nos Jogos Olímpicos de Londres. Os brasileiros ocupam a 54ª posição no torneio, com 77 pontos perdidos.

Para se classificar, Bochecha e Marco precisam entrar no grupo das cinco nações mais bem colocadas na classificação geral que ainda não tem a vaga olímpica. Atualmente, os últimos colocados do grupo são os gregos Dionisis Dimou e Mihalis Pateniotis, 25ª dupla na classificação geral, com 44 pontos perdidos.

A outra vaga que o Brasil pode confirmar é no 470 masculino. O Mundial começa no fim de semana em Barcelona, na Espanha, e o masculino conta com duas duplas: Fábio Pillar/Gustavo Thiesen e Henrique Haddad/Nicolas Castro.

Da ZDL

Scheidt e Prada têm dia ruim, mas seguem na vice-liderança do Mundial de Star

Dupla foi penalizada com bandeira amarela e fez regata de recuperação

São Paulo – Robert Scheidt e Bruno Prada não tiveram um bom dia no Campeonato Mundial de Star que está sendo disputado em Hyères, na França. A dupla foi penalizada com uma bandeira amarela e teve de pagar uma penalidade de 360°, acabando a única regata do dia na 10ª posição. Apesar do mau resultado eles ainda ocupam a vice-liderança da competição. Os líderes são os ingleses Iain Percy e Andrew Simpson, que venceram a regata pelo segundo dia consecutivo.

“Hoje o resultado foi muito ruim. fomos penalizados com uma bandeira amarela e com a vitória dos ingleses a disputa pelo título ficou um pouco mais complicado. Ainda estamos em segundo, pois não entrou o descarte, mas quando isto acontecer podemos ser ultrapassados pelos poloneses e pelos irlandeses”, disse Prada.

Classificação da Star após a quarta regata:
1º Iain Percy/Andrew Simpson, Inglaterra, 15 pontos perdidos (6+7+1+1)
2º Robert Scheidt/Bruno Prada, Brasil, 25 pp (7+2+6+10)
3º Peter O’Leary/David Burrows, Irlanda, 26 pp (3+4+12+7)
4º Mateusz KuszNierewicz/Dominik Zycki, Polônia, 29 pp (5+20+2+2)
5º Flavio Marazzi/Enrico de Maria, Suíça, 33 pp (14+1+14+4)
6º Xavier Rohart/Pierre Alexis Ponsot, França, 44 pp (1+19+5+19)
7º Robrt Stanjek/Frithjof Kleen, Alemanha, 46 pp (8+8+16+14)
8º Michael Hestbaek/Claus Olesen, Dinamarca, 48pp (25+3+7+13)
9º Hamish Pepper/Jim Turner, Nova Zelândia, 48 pp (18+5+8+17)
10º Arapov Mate/Mikulicic Sihisa, Croácia, 56 pp (16+12+19+9)

A quarta-feira será dia de descanso e as competições serão retomadas na quinta. Ainda faltam duas regatas para o término do campeonato, que serve como seletiva para as quatro últimas vagas olímpicas da classe.

Da Local 

Regata de Aniversário do YCB começa para as classes Dingue, Laser, Hobie Cat 16 e Super Cat 17

 

Em comemoração ao mês de aniversário de seus 77 anos, o Yacht Clube da Bahia realizou neste fim de semana as primeiras regatas da Copa Aniversário, nas classes Dingue, Laser, Hobie Cat 16 e Super Cat 17.  A competição é válida para o ranking do YCB, responsável por movimentar a vela do clube durante todo o ano e definir os integrantes da equipe que representarão o clube nos principais campeonatos do país.

 

Na classe Dingue, as três primeiras colocações ficaram para as duplas Luis Carlos Abbehusen/Ícaro dos Santos; Alexandre Garboggini/Ivan Fernandes; e Sérgio Domingos/Cláudio Imbassahy. Na Hobie Cat 16, Yam Vidal/Tammy Vidal; Roney Andrade/José Augusto Souza e Marcelo Almeida/Gabriel Almeida. Na Laser 4.7,Bruno Menezes; Kim Vidal e André Mata Virgem. Na Laser Standard, os três primeiros foram Guilherme Caracas; Michel Kalil e Alberto Vita.

 

A disputa da Copa continua, com regatas de outras classes programadas para os dias 19 e 20, nas classes Optimist e Skipper 21; e 26 e 27, finalizando com a classe Snipe. Os barcoselegíveis poderão ser inscritos na gerência de Vela do clube até às 13 horas do primeiro dia de regatas de cada classe, sem cobrança da taxa de inscrição.

 

Da assessoria de imprensa


 

 

Sexta etapa da VOR deve terminar nesta quarta-feira

A briga pelo título da 6ª perna da Volvo Ocean Race está acirrada. Faltando pouco mais de 200 milhas para o final da etapa o líder Puma e o segundo colocado Camper estão separados por apenas 11,9 milhas. A batalha pelo terceiro posto também promete. Groupama, em terceiro, e Telefónica, em quarto estão separados por 15 milhas. A decisão final dos match races deverá ser feita nas Bahamas, quando o vento poderá aumentar um pouco. A previsão é de que os barcos cheguem em Miami já nesta quarta-feira.

%d blogueiros gostam disto: