Pular para o conteúdo

Arquivo de

Mais de 20 equipes já confirmaram a participação no Velejaço e Luau dos Cruzeiristas este fim de semana

Idealizado pelo diretor de Cruzeiro do Clube dos Jangadeiros, Pedro Boletto, e aberto a todos os associados, acontece no próximo sábado, dia 19 de maio, o Velejaço e Luau dos Cruzeiristas. A ideia é reunir os amigos em uma divertida velejada até a Praia Areias Brancas/Araçá, onde será realizado um churrasco. A largada será às 13h, em frente à Ilha dos Jangadeiros, e é fundamental que os participantes levem as bebidas que irão consumir e os seus próprios talheres. Cadeiras de praia e botes infláveis também são bem-vindos. As inscrições devem ser efetuadas na Secretaria Esportiva do Clube. Mais informações pelo telefone (51) 3268-0080 – ramal 7 ou pelo e-mail esportiva@jangadeiros.com.br.

Da assessoria de imprensa

Com quase 130 inscritos, organização do Mundial de ORCi divide barcos em duas flotilhas

Com quase130 barcos já confirmados, a organização do Mundial de ORCi, que acontece em Helsinki, na Finlândia, entre os dias 4 e 11 de agosto, optou por dividir a flotilha em A e B. Com esta divisão ficará mais fácil e competir e alojar os barcos durante o campeonato. Na classe A ficarão os barcos com GPH menor que 614.9 seg/milha, enquanto na B ficarão os barcos com GPH igual ou maior que 615.0 seg/milha. Com alista de inscritos até o momento serão 40 barcos na A e mais de 80 na B.

Red Bull terá equipe só de jovens talentos na ACWS em São Francisco

Pela primeira vez na história da America´s Cup velejadores com idade entre 19 e 23 anos anos poderão participar da competição em um barco próprio. A iniciativa surgiu da Red Bull e será colocada em prática na etapa de San Francisco, EUA. Além da restrição da idade, para participar do evento, a equipe deve ser formada por velejadores do mesmo país. Os pedidos de convite podem ser feitos à organização a partir do meio do ano.

“Queria eu ser mais jovem! Esta é uma ótima notícia para os velejadores mais novos. A Red Bull Youth America´s Cup trará os melhores velejadores do mundo a São Francisco onde poderão ensinar estes jovens tudo o que podem fazer”, disse Chris Draper, skipper do Luna Rossa.

Meninas do 470 se classificam para a Medal Race do Mundial

Classificadas para os Jogos Olímpicos, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan se recuperam e vão para regata decisiva na Espanha ao lado de Martine Grael e Isabel Swan

São Paulo (SP) – As velejadoras brasileiras que disputam o Mundial de Barcelona da classe 470 avançaram para a medal race, regata final com pontuação dobrada, que será realizada neste sábado (19). Classificadas para a Olimpíada de Londres, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan se recuperam nesta sexta-feira (18) e estão garantidas entre as 10 primeiras. A dupla Martine Grael e Isabel Swan também avançou para as finais na raia espanhola.

“Conseguimos ajustar o barco em relação às regatas da quinta. Ainda temos acertos a fazer e precisamos focar em alguns detalhes técnicos, mas os resultados indicam que estamos no caminho certo”, relata Fernanda Oliveira. As meninas completaram as regatas do dia em quarto e sexto lugares, respectivamente. Em 12 regatas, a dupla de Porto Alegre (RS) manteve uma boa média, tendo um 25º como pior resultado, que foi descartado.

Com o passaporte carimbado para Londres/2012, a dupla está competindo para testar ajustes e equipamentos novos, pensando na competição olímpica, sem focar nos resultados. “Apesar disso, conseguir ficar entre as 10 primeiras e disputar a Medal Race reforça ainda mais a importância de seguir o nosso planejamento”, concluiu Fernanda, que está em 10º lugar com 95 pontos perdidos. Já Martine e Isabel estão em 6º, com 91.

No masculino, Fábio Pillar e Gustavo Thiesen fecharam a competição na 58ª posição, na Flotilha Prata. A dupla gaúcha não correu as regatas do dia e somou 201 pontos perdidos em 12 regatas. Henrique Haddad e Nicolas Castro foram os 65º, na Flotilha Bronze.

Da ZDL

Em menos de 20 dias, RISW supera 50% dos inscritos

A 39ª edição do maior evento náutico da América Latina tem limite de 150 embarcações e será disputada entre 7 e 14 de julho no litoral norte paulista

Ilhabela (SP) – A 39ª edição da Rolex Ilhabela Sailing Week já atingiu mais de 50% do limite total de inscritos, definido em 150 embarcações. O processo começou no dia 1º deste mês e deve acabar antes do prazo. A cidade deve receber mais de 1.400 velejadores entre os dias 7 e 14 de julho e o Yacht Club de Ilhabela (YCI) está preparado para receber com conforto e segurança os atletas. “Essa procura mostra a importância da Rolex Ilhabela Sailing Week no cenário mundial. É um evento imperdível e todos os amantes da vela de oceano reservam essa data em seu calendário. Por isso, nossa responsabilidade aumenta dentro e fora da raia”, revela José Nolasco, diretor de vela do YCI.

Os velejadores que fazem a história da competição aprovam a estrutura oferecida no clube em Ilhabela, além de validar as disputas, cada vez mais equilibradas. Bicampeão da ORC geral (2010/2011), a tripulação do antigo Touché, hoje chamado de Tomgape, tentará manter o domínio da classe, mas o comandante Ernesto Breda espera regatas apertadas. “O nível das equipes é cada vez mais forte, o que nos obriga a treinar mais e tirar um algo a mais nas provas. Temos um time renovado e preparado para buscar o tri”, conta Breda, que usará o Warm Up, na próxima semana, para treinos.

Outro fator que mostra o sucesso da competição é o número de barcos estrangeiros, principalmente da América do Sul. O valor da inscrição por tripulante até o dia 31 será de R$ 270,00. Entre 1 e 15 de junho, o preço será de R$ 320,00. Depois desta data, até o limite de inscritos, a taxa será de R$ 400,00. No site www.risw.com.br, há um link direto para a área de inscrições. O velejador receberá uma senha e, na sequência, poderá fazer o cadastro.

As classes confirmadas são: S-40, ORC, HPE 25, C30 e BRA-RGS. O calendário de provas começa na manhã do dia 8 de julho, com as regatas Alcatrazes por Boreste – Marinha do Brasil, Ilha de Toque-Toque por Boreste e Renato Frankenthal – HPE 25.

da ZDl

In Port de Miami pode mudar classificação da Volvo Ocean Race neste final de semana

Prova vale pontos para a regata de volta ao mundo. Líder Telefónica espera recuperar boa fase e evitar aproximação dos adversários

Itajaí (SC) – A classificação geral da Volvo Ocean Race 2011/2012 mostra que a regata de volta ao mundo não está nada definida. O Telefónica, que parecia imbatível, viu a vantagem de mais de 20 pontos cair para 11. O Groupama, segundo colocado, é ameaçado de perto pelo Camper e pelo Puma. Uma combinação de resultados pode mudar a ordem dos classificados e agitar ainda mais a disputa. Apenas Abu Dhabi e Sanya estão distantes do grupo da ponta.

Por isso, quatro das seis equipes que disputam o título colocam a Regata do Porto como fundamentais na disputa. A In-port Race de Miami neste sábado (19) terá transmissão ao vivo do canal Bandsports, às 14h. No dia seguinte, os barcos partem dos Estados Unidos para Portugal em um percurso de quase 3.500 milhas pelo Atlântico Norte.

Apesar de dar menos pontos do que uma perna (6 contra 30 para o vencedor), a prova de aproximadamente uma hora poderá ser fundamental no final. “O importante é somar o maior número de pontos possível. Por isso, as equipes fazem todos os esforços para vencer”, diz o comandante do Camper, Chris Nicholson. “Tratamos a Regata do Porto com seriedade desde o início. A prova ganha mais destaque porque estamos chegando perto da definição do título”.

Inconstante nas últimas etapas, o Telefónica quer retomar o caminho das vitórias. O comandante Iker Martínez relata que sua equipe está confiante depois uma série de treinamentos nos Estados Unidos. “Estamos prontos para a regata. Tudo isso se traduz em treinos. Na prática, o objetivo é largar bem e manter a velocidade”, acrescenta o espanhol. “Temos que voltar ao pódio”.

Vencedores da Regata do Porto DHL de Itajaí, no mês passado, os franceses do Groupama não se consideram favoritos. Na avaliação de Franck Cammas, Telefónica e Camper são mais consistentes nesse tipo de prova. “Eles são os únicos que têm mais chance de ganhar, mas todos cometem erros. Por isso, a tática é ficar perto e aproveitar as chances”, diz o comandante do Groupama. Em Itajaí, o Telefónica liderava a Regata do Porto quando cometeu um erro de contorno de boia e acabou em último.

O Puma, que tem a melhor médias das últimas pernas com duas vitórias, corre em casa e espera fazer a festa dos torcedores locais. “Temos fé no barco e fé na equipe. Está tudo dando certo e vamos continuar esse trabalho vencedor, sem focar em um adversário”, acrescenta Ken Read, comandante do Puma.

O Abu Dhabi, mesmo em quinto e quase sem chances de título, espera voltar a vencer. Até o momento, os árabes venceram duas Regatas de Porto, em Alicante e em Abu Dhabi. “Treinamos em Miami para a terceira vitória. Não existem favoritos e espero que sábado seja mais uma vez nosso dia”, explica o líder Ian Walker.

O retorno da equipe do Sanya a Volvo Ocean Race também é o destaque da prova em Miami. Os chineses foram obrigado a abandonar a quinta perna e nem foram para a cidade de Itajaí. “A nossa tripulação quer retomar o caminho com um vitória. Não seremos nada conservadores”, conta Mike Sanderson, que está com apetite de voltar a velejar depois de mais de dois meses.

Classificação geral da Volvo Ocean Race – após seis pernas:
1º – Telefónica – 164 pontos
2º – Groupama – 153 pontos
3º – Camper – 149 pontos
4º – Puma – 147 pontos
5º – Abu Dhabi – 68 pontos
6º – Sanya -25 pontos

da ZDL

%d blogueiros gostam disto: