Pular para o conteúdo

Antes de sua quinta olimpíada, Nelson Ilha dita as regras na Rolex Ilhabela Sailing Week

O gaúcho Nelson Ilha comandará os 10 juízes nas regatas em Ilhabela. Maior competição da América Latina começa no dia 7 de julho, com 150 barcos na raia

Ilhabela (SP) – Referência na vela mundial, o gaúcho Nelson Ilha representará o Brasil nos Jogos de 2012, que começam no final do mês de julho na raia de Weymouth, na Inglaterra. Dias antes de sua quinta olimpíada, o árbitro internacional comandará outros 10 juízes na Rolex Ilhabela Sailing Week e terá a importante missão de julgar protestos na água. O maior evento náutico da América Latina será disputado de 7 a 14 de julho no Yacht Club de Ilhabela e terá a participação de 150 barcos.

Na avaliação de Nelson Ilha, a responsabilidade de chefiar os árbitros da Rolex Ilhabela Sailing Week é cada vez maior, já que a modalidade está em crescimento no Brasil. “Eu coloco a competição como a segunda de oceano mais importante do planeta, perdendo apenas para a Copa do Rey, em Palma de Mallorca, na Espanha. O País tem ótima imagem no exterior. Existe uma percepção de que o brasileiro é um povo alegre e informal e esta imagem acompanha inicialmente os juízes, até que provamos o contrário.”

As regatas da Olimpíada e da Rolex Ilhabela Sailing Week, em algumas classes, são teoricamente parecidas para julgamento dos árbitros. Nas categorias C30, S40 e HPE, os barcos são iguais e vence quem chegar na frente, literalmente. A diferença está nas classes BRA-RGS e ORC, nas quais existe rating, ou seja, uma fórmula para calcular o vencedor.

A organização escalou especialistas do Brasil, Argentina, Uruguai e Espanha na água para julgar protestos em tempo real. Serão 10 juízes de nível internacional e dois que irão aos Jogos: Nelson Ilha e o argentino Gonzalo Heredia. “O fato de termos árbitros com experiência olímpica dá credibilidade às regatas. Eles ajudam os nacionais a ganhar know how. O Brasil possui um bom programa de juízes locais, nos moldes do programa da ISAF (Federação Internacional de Vela)”, relata Nelson Ilha.

Os árbitros são formados por meio de um programa internacional padrão. São seis juízes internacionais no quadro e mais um grupo de juízes brasileiros, alguns deles a um passo da aprovação ao nível mundial.

“O grupo de árbitros acompanhará as regatas de HPE, C30 e S40 de perto e julgará os pedidos de protesto na hora, não havendo casos para serem resolvidos em terra. Isso agiliza à competição”, conta Cuca Sodré, presidente da Comissão de Regatas da Rolex Ilhabela Sailing Week.

José Nolasco, diretor de vela do YCI, reforça a importância de ter um grupo de árbitros de alto nível. “Nos últimos 12 anos, o Yacht Club de Ilhabela, por meio de sua Diretoria de Vela, investiu forte na melhoria do processo de julgamento das regatas por considerar este aspecto fundamental para elevar o nível técnico da Rolex Ilhabela Sailing Week. Esse e outros aspectos foram fundamentais para tornar o evento um dos mais importantes do circuito mundial e também para elevar o nível das competições de vela no Brasil e na América do Sul”, analisa.

Da ZDL

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: