Pular para o conteúdo

Nova classe C30 mostra agilidade e custo benefício em sua estreia na Rolex Ilhabela Sailing Week

Categoria one design reunirá os seis barcos já construídos na 39ª edição da maior regata de oceano da América Latina. Projeto foi desenvolvido por Horácio Carabelli

Barracuda será um dos representantes paulista na classe C30

Ilhabela(SP) – A Rolex Ilhabela Sailing Week será especial na edição de 2012. Pela primeira vez, os seis barcos da nova classe C30 já entregues se enfrentam em uma competição. O maior evento náutico da América Latina será disputado entre os dias 7 e 14 de julho e os velejadores poderão comprovar na prática que a classe Carabelli 30 atende as exigências das regatas de oceano: custo benefício, velocidade e competitividade.

O veleiro é desenhado para regatas sem tempo corrigido (rating), idêntico ao do adversário, e a tripulação é o único diferencial. Ou seja, vence quem veleja melhor. O peso do barco é de 1900 quilos e pode receber seis velejadores (timoneiro, tático, dois trimmers, proeiro e secretaria) somando 500 quilos.

O C30 é 100% nacional e se junta ao HPE e ao S40 como opções para regatas de oceano sem rating. Os barcos, projetados por Horácio Carabelli, experiente velejador de Volta ao Mundo, foram construídos em São José dos Campos. “O Carabelli 30 é um projeto que desenvolvi para um grupo de São Paulo antes de me incorporar ao Telefónica, na Volvo Ocean Race. Eles queriam criar uma classe monotipo de 30 pés com características de regata, que fosse economicamente viável sem deixar de ser inovador. É um barco com um estilo moderno, boa estabilidade, leve e com alguns ingredientes tecnológicos interessantes como a quilha de carbono, sistema propulsor retrátil e mastro de carbono”, explica Horácio Carabelli.

Nas regatas em Ilhabela estarão presentes os veleiros: Loyal TNT, Barracuda Matrix e +Realizado, representando São Paulo e Katana Energia, Kaikias e Corta Vento de Santa Catarina. “É impossível ter previsão de resultados em um one-design. Vence quem veleja melhor e erra menos. A ideia é treinar e evoluir nas provas”, revela o presidente da classe, Tarcísio Matos.

Destaques da vela nacional migraram para a C30 como Alexandre Paradeda e Gustavo Thiesen, ambos no Loyal TNT. “Numa comparação rápida, o C30 chega a 85% do desempenho do S40. Por isso, aposto de olho fechado na classe, que já é sucesso. Em 2013 deveremos ter até 15 barcos velejando”, relata Marcelo Massa, que é tio do piloto de Fórmula 1, Felipe Massa.

O Loyal foi campeão da Rolex Ilhabela Sailing Week em 2009 velejando com outro barco, um Judel Vrolic de 47 pés, que media na classe ORC. No ano passado, Marcelo Massa vendeu o antigo veleiro para um grupo de Campinas, que o batizou de Tembó Guaçu.

Na avaliação dos velejadores, o C30 é um barco com desempenho diferenciado, muito rápido comparado com os atuais. Estão presentes modernidade, tecnologia e inovação, além de ser focado no cliente, robusto e seguro.

“O Yacht Club de Ilhabela (YCI), mais uma vez, é palco de uma estreia mundial. Depois do HPE, temos uma classe 100% nacional que chega para ficar. Defino o C30 como performance ideal para o tamanho do barco, que é super moderno, excelente construção, muito rápido e com ótimo custo beneficio. A classe fez a estreia com dois barcos no segundo semestre do ano passado no YCI, durante a Copa Suzuki Jimny, mas agora a competição será para valer com seis veleiros”, explica José Nolasco, diretor de vela do YCI.

Da ZDL

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: