Pular para o conteúdo

Arquivo de

Adriana Kostiw tem dia ruim e cai 10 posições em Weymouth

Velejadora caiu para a 21ª posição, no segundo dia de disputas em Weymouth

São Paulo – A velejadora Adriana Kostiw não teve um bom dia em Weymouth, onde estão sendo disputadas as regatas da classe Laser Radial dos Jogos Olímpicos. O vento relativamente fraco para a região, variando entre 13 e 16 nós, prejudicou a brasileira, que prefere velejar no vento mais forte. Depois de somar um 27º e um 31º lugares, Adriana caiu para a 21ª colocação geral, com 84 pontos perdidos. A líder é a irlandesa Annalise Murphy, que venceu as quatro regatas disputadas até agora e tem 4 pontos perdidos.

A primeira regata do dia começou com vento mais fraco. Adriana montou a primeira boia na 32ª posição, mas conseguiu se recuperar no decorrer do percurso e chegou a estar em 25º. Na última perna, a velejadora foi ultrapassada e acabou a prova na 27ª colocação.

O vento aumentou um pouco de intensidade na segunda regata, mas não foi o suficiente para que Adriana velejasse do jeito que gosta. A atleta, que tem patrocínio da AON, Lorenzetti e Veet e apoio da Alatur Turismo, através da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte, começou a regata na 28ª colocação, mas caiu para a 31ª nas duas últimas pernas.

Outras duas regatas estão programadas para esta quarta-feira (1/8), e a partir da sexta prova da série entrará o descarte do pior resultado. A quinta-feira será dia de descanso e o campeonato volta sexta e sábado, com mais duas regatas por dia. Na segunda-feira (6), será disputada a medal race, em que participam apenas as 10 primeiras colocadas e que tem pontuação dobrada.

Adriana Kostiw está na Equipe Brasileira de Vela, que é patrocinada pelo Bradesco e tem o apoio do COB – Comitê Olímpico Brasileiro e do COB – Comitê Olímpico Brasileiro.

No dia do aniversário de Bruno, dupla de ouro da Star sobe para segunda colocação

Brasileiros fizeram um 2º e um 1º lugar nas regatas desta terça e assumiram a vice-liderança da Star, atrás dos ingleses

No dia em que completa 41, Bruno tem dois motivos para comemorar

São Paulo – O terceiro dia de regatas da classe Star é de comemoração em dobro para Robert Scheidt e Bruno Prada. A dupla tricampeã mundial da Star fez um segundo e um primeiro lugar nas disputas desta terça-feira (31/7), em mais um duelo emocionante com os britânicos Iain Percy e Andrew Simpson, líderes com 10 pontos perdidos. Com os resultados, os brasileiros assumiram a vice-liderança da competição, somando 14 pontos perdidos, em dia marcado pelo aniversário do proeiro Prada.

Scheidt e Prada entraram na água mais confiantes, nesta terça-feira, e chegaram a liderar a flotilha na primeira boia, mas foram ultrapassados pelos ingleses na segunda perna. Já na segunda regata, sexta da série, foi a vez dos brasileiros virarem o jogo. A dupla montou a primeira boia em sexto lugar, mas mostrou mais uma vez um grande poder de recuperação, emparelhando com Percy e Simpson até cruzar a linha de chegada em primeiro, oito segundos à frente dos britânicos.

“A gente sabia que não poderia velejar hoje como velejamos ontem (segunda). O nível das regatas está muito forte, e qualquer erro pode custar a competição. Estamos concentrados em velejar sempre entre os cinco primeiros, para poder crescer ao longo da disputa e chegar à medal race”, destacou o aniversariante Bruno Prada.

Os resultados desta terça-feira mostram equilíbrio entre as duplas brasileira e britânica, que devem protagonizar um duelo acirrado até o final da competição. Mas ainda terão que enfrentar os suecos Friedrik Loof e Max Salminen, que estão com 17 pontos e também permanecem com boas chances de medalha.

Os velejadores da Star terão uma folga na quarta-feira e retomam as disputas na quinta, com previsão de duas regatas por dia. No domingo será disputada a medal race, em que participam apenas os dez primeiros colocados e tem pontuação dobrada.

Resultados após seis regatas e um descarte
1. Iain Percy e Andrew Simpson, GBR, [(11)+2+3+2+1+2], 10 pontos perdidos
2. Robert Scheidt e Bruno Prada, BRA, [4+1+(9)+6+2+1], 14 pp
3. Fredrik Loof e Max Salminen, SUE, [(10)+4+4+1+5+3], 17 pp
4. Eividin Melleby e Petter Pedersen, NOR, [7+5+2+4+(16)+11], 29 pp
5. Mateusz Kusznierewicz e Dominik Zycki, POL, [9+3+(12)+10+3+4], 29 pp

Resumito: terceiro dia em Weymouth tem vitória de Scheidt e Prada e irlandesa 100% na Laser Radial.

E o aniversariante, Bruno Prada, ganhou presentinho hoje! Ele e Robert venceram a segunda regata do dia!

Boa tarde olimpizado amigo! Eis que no meio desta campanha eleitoral – aos que não sabem, sou verdinho nº 43 e um dos (ir)responsáveis pela campanha de Aspásia à prefeita do Rio–,  vamos transmitindo direto do covil atlântico do Posto 6 com as últimas deste terceiro dia de batalha naval em águas da Mancha. E que dia!!

Na terça-feira nublada, cinza, fria e ventosa, ou seja, um belo dia de verão inglês, nossas estrelas de 5ª grandeza, na gloriosa classe Star, Robert Scheidt e Bruno Prada, este último soprando as velinhas (nos dois sentidos) hoje, fizeram bonito depois de uma segunda-feira ontem com cara de… Segunda-feira!

Os marujos bandeirantes simplesmente mandaram um 2º e um 1º (contra um 1º e um 2º dos rivais britânicos) e se mantiveram na vice liderança do certame olímpico de Weymouth e cercanias. Hoje entrou o primeiro e único descarte da série de 10 regatas e Iain Percy  e Andrew Simpson (GBR) com 10 pontos perdidos lideram. Nossa dupla de ouro (tomara!) possui 14 pontinhos e está na cola dos ingleses que faturaram o ouro de Pequim há quatro anos, deixando o argento chinês para “nossotros”.

Os suecos Fredrik Loof  e Max Salminen, com 17 pontos, também estão no páreo. Já Eivind Melleby  e Petter Pedersen (NOR), com um 16º e um 11º hoje, têm agora distantes (na classe Star…) 29 pontos e estão empatados com os poloneses de sobrenomes indizíveis. Em quarto e quinto, respectivamente. Amanhã rola descanso no istmo de Portland para as estrelas e quinta e sexta-feira o bicho volta a pegar geral. Não saia daí!!

Hoje, lá no temporário olimpo aquático do sul da Inglaterra, rolou a estreia do windsurfe. Aquela modalidade que os gênios da Isaf conseguiram tirar do Rio 2016. Na RS:X masculina, nosso sempre favorito, campeão mundial, ouros pan-americanos, et caetera, Ricardo “Bimba” Winicki, começou em posições medianas. Com um 14º e um 9º, o bimbástico buziano está em 13º lugar de 38 atletas.

O neerlandês Van Rijsselberge (caraca!!) venceu as duas e lidera tudo. Legal que o polonês e o alemão foram segundo e terceiro nas duas de hoje e completam, assim, simetricamente, a zona de pódio neste primeiro dia das pranchas másculas.

Já a gatalhada da RS:X feminina também estreou. E quem estava ligado (www.murillonovaes.com, Face, Twi) acompanhou a primeira-dama do Jorginho, Patrícia Freitas, mandar dois 13ºs para ficar em 14º de 26 pranchistas. A espanhola Marina Alabau, com um 2º e um 1º, lidera. Israel e Polônia completam a trinca de cima da tabela. Amanhã rolam mais duas regatas para homens e mulheres windsurfistas de meu deus Zeus. Estaremos ligados!!

Por falar em Jorginho, o frio não fez muito bem a nossa criança olímpica da classe Finn. Fora o risco de ficar gripadinho (Menino, você levou um casaco?) a cria do clã Zarif sofreu um 24º (último…) na segunda do dia e com o 16º da primeira de hoje, soma 86 pontos perdidos para ocupar a 20ª colocação geral.

No entanto, é lá nos píncaros da glória do topo da súmula, que a coisa está quente. O irado (sacou?) ídolo inglês Ben Ainslie, que entrou nos jogos com um casaquinho anti-homofobia à la Elton John acendendo a pira de Weymouth e as esperanças de ser o maior de todos os tempos, com sua 4 medalhas (3 de ouro), está sofrendo.

Quem inflige a punição a Sir Charles Benedict Ainslie, Carlos Benedito para os íntimos, é o dinamarquês Jonas Høgh-Christensen, bi-mundial de Finn e tufão monçônico nestes jogos que, neste começo do segundo tempo, já tem: três primeiros, dois segundos e um sétimo, devidamente descartado.

Com 7 pontos perdidos, Jonas está com 10 pontos de vantagem sobre o inglês. Em terceiro, com 23 pontos, está Jonathan Lobert, da França. Mas muita água ainda vai passar debaixo destas quilhas na quinta e sexta-feira, já que amanhã é day off para as feras. Veremos!!

Analise bem a lei de Murphy. A irlandesa Annalise Murphy venceu, até agora, as quatro regatas que disputou. É o melhor desempenho de toda a Vela de flotilha até agora em Londres 2012.

Nos laseres hoje foi dia de duas regatas também, para machos e fêmeas. Com quatro completadas ainda não entrou o descarte, mas já dá para tirar algumas conclusões. A mais fácil: a irlandesa Annalise Murphy, de 22 anos, é a maior estrela da Vela nos jogos até agora. A moça simplesmente ganhou quatro de quatro regatas na Laser Radial!

A mãe de Murphy, Cathy McAleavey esteve nos jogos de Seul 1988 na classe 470, onde foi treinada por seu marido, o assediante pai de Annalise, Con Murphy. Papai também foi comodoro do Iate Clube Nacional, em Dun Laoghaire, uma verdadeira fábrica de jovens velejadores de alto nível e… Voilà! Eis a pequena Murphy enchendo de orgulho a terra dos duendes.

Nossa veterana Adriana Kostiw, com um 27º e um 31º hoje, está em 21º geral de 41 barcos. Fechando as posições de medalha no Laser Radial, temos Evi van Acker da Bélgica e a então favorita, Marit Bouwmeester, da Holanda. A primeira-dama do Star nacional, a senhora Gintarė Volungevičiūtė Scheidt, medalhista olímpica de prata da Lituânia em 2008, com um 9º e um 10º hoje, está em 7º geral. Isso que, entrementes, ela pariu o germano-brasuco-lituano Erik, de 3 anos. Fera!

Entre os homens, Bruninho Fontes fez o que pode hoje na Laser Standard. Na primeira do dia, ele, que havia tirado um segundo lugar ontem, mandou um bom 12º na enorme flotilha (a maior do evento) de quase 50 barcos. Já na segunda prova, a quarta da série de 10, nosso amigo fez um 19º. Com isso, ele está quase Top10, em 11º geral com 50 pontos.

O líder e favorito Tom Slingsby (AUS), se manteve no topo com 11 pontos perdidos (2º e 6º hoje), mas quem brilhou foi o cipriota Pavlos Kontides, vencedor das duas regatas desta terça-feira e vice-líder com 15 pontos. Em terceiro está o sueco Rasmus Myrgren com 25 pontos. Amanhã tem mais duas. Força na peruca, Bruninho!!

Nas desbrasucadas classes meio sem graça (brincadeira…) a coisa andou hoje também. No festival de capotagens do 49er quem sobreviveu e lidera após 4 regatas é a dupla australiana. Ainda na Oceania, os neozelandeses estão em segundo e os dinamarqueses em terceiro. Nossos patrícios Xico Rebello de Andrade e Bernardo Freitas permanecem em quarto geral e bem na briga pela medalha portuguesa. Bonita festa, ó pá!

No match race feminino, Olivia Price e suas asseclas correram 6 e venceram os 6 matchs para liderar o “todos contra todos”, vulgarmente conhecido como Round Robin (em tradução livre: à volta do rouxinol. Bobagem!). As Espanholas e Russas com apenas uma derrota cada, completam o topo da tabela. Lá no fim, ainda zeradas, portuguesas e suecas. Olímpiada é fogo na roupa, pipol!!

Amanhã eu volto e relembro que no feici, no tuíti e no www.murillonovaes.com rola toda manhã o boia a boia das regatinhas olímpicas (na medida do possível!). E nos canais do Manza Sailing Communications International Incorporated você encontra, sempre, é claro, o melhor da Vela no planetinha azul.

Fui!! Mas para seu desespero, eu volto…

 Murillo Novaes

 

 

FenêtréA Cardinal 3 poderá quebrar o recorde da Transat Quebec-St Malo ainda esta noite

O multi 50 FenêtréA Cardinal 3

Mais algumas horas e o novo recorde da travessia Transat Quebec-St Malo será confirmado. A previsão é que Erwan Le Roux, Yvon Cardinal, Mathieu Souben e Antoine Carpentier, a bordo do FenêtréA Cardinal 3, cruzem a linha de chegada entre nove e meia noite desta terça-feira, quase um dia à frente do atual recorde. Em 1992, o Merit, de Franck-Yves Escoffier, completou a prova em 11 dias, 3 horas e 19 minutos.

Para acompanhar a flotilha, clique aqui.

Regata Patescaria larga neste sábado

Neste sábado, às 13h, nas proximidades da Ilha da Laje, será dada a largada da Patescaria, tradicional regata de Oceano. Os barcos poderão pernoitar na Ilha de Palma, com direito a churrasco de confraternização. Até agora 19 barcos já confirmaram a participação no evento.

Adriana estreia entre as melhores em Weymouth

Com 38 primaveras no currículo, La Kostiw escora bonito. Dá-lhe Adriana!!

Após as duas regatas do dia, representante brasileira da classe está em 12º lugar, entre 41 competidoras

São Paulo – A velejadora Adriana Kostiw estreou com o pé direito em Weymouth, local onde estão sendo disputadas as regatas olímpicas da classe Laser Radial. Ela alcançou a 12ª colocação, nesta segunda-feira (30/7), primeiro dia de disputas. A líder é a irlandesa Annalise Murphy, que ganhou as duas regatas do dia.

Apesar de Weymouth ter um clima frio e chuvoso mesmo durante o verão, o sol esteve presente no início das disputas da vela, e o vento também apareceu em boa intensidade, em torno dos 15 nós na raia da Laser Radial. Adriana largou mal na primeira regata, montando as duas primeiras boias na 20ª posição. Mas a velejadora conseguiu se recuperar e chegou a ser 10ª colocada, perdendo apenas uma posição na última perna.

Adriana, que tem patrocínio da AON, Lorenzetti e Veet e apoio da Alatur Turismo, através da Lei Paulista de Incentivo ao Esporte, não foi tão bem na segunda regata. Apesar de iniciar a prova na sétima colocação, caiu oito posições nas montagens seguintes de boia, cruzando a linha de chegada no 15º lugar.

A flotilha da Radial, com 41 competidoras, é considerada pela Federação Internacional (Isaf) como uma das mais fortes, com diversas velejadoras com chances de medalha, dentre elas Gintare Scheidt, esposa de Robert Scheidt e atual campeã mundial.

A classe Laser Radial segue até o dia 4 de agosto, com 10 regatas e o descarte do pior resultado. No dia 6 será disputada a Medal Race, em que participam apenas as 10 primeiras colocadas, com pontuação dobrada e sem poder descartar o resultado. O dia 2 será dia de folga.

Adriana Kostiw está na Equipe Brasileira de Vela, que é patrocinada pelo Bradesco e tem o apoio do COB – Comitê Olímpico Brasileiro e do COB – Comitê Olímpico Brasileiro.

Mundial de ORCi começa em uma semana

Faltando uma semana para começar o Mundial de ORCi 135 barcos, de 12 países já confirmaram a sua inscrição. O evento acontece de 6 a 11 de agosto em Helsinki, na Finlândia. Esta será a maior edição do evento, superando o campeonato de Cres, disputado ano passado, que teve 119 inscritos.

As regatas estão programadas para começarem às 10h30 nos dias 4 e 5. O dia 6 terá a primeira regata de percurso, com comprimento determinado pelas condições do tempo. Nos três dias seguintes serão realizadas regatas barla-sota, com mais uma regata de percurso programada para o dia 10, a partir das 10h. O último dia de competições terá novamente regatas barla-sota, a partir das 11h, tudo, claro, em horário local.

FenêtréA Cardinal 3 pode bater o recorde da Transat Quebec-St Malo

O sistema de baixa pressão que atinge a flotilha da Transat Quebec-St Malo poderá ser muito bom para o líder FenêtréA Cardinal 3, de Erwan Le Roux. Se continuar velejando na velocidade em que está, ele poderá quebrar o recorde da regata de 11 dias, 3 horas e 19 minutos, estabelecido em 2010 por Franck-Yves Escoffier. Para conquistar o recorde ele deverá cruzar a linha de chegada antes das 20:34:14 CEST de quinta-feira. A previsão é de que a equipe complete a prova na quarta-feira.

Já entre os Classe 40 os quatro primeiros colocados abriram uma grande vantagem sobre o resto da flotilha. O líder é o Campagne de France, de Halvard Mabire, seguido por Eole Generation, Geodis e Mare.

Para acompanhar a regata online, clique aqui.

Copa Inverno reúne mais de 120 barcos no Rio de Janeiro

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nos dias 21, 22, 28 e 29 de julho o ICRJ realizou a Copa Inverno. Foram convidadas as classes Laser Radial, Standard e 4.7, Star, Snipe, Finn, 420, J/24, Ranger 22, HPE, Dingue, Velamar 22 e 23 e Escaler. No total 124 barcos participaram da competição, que teve sol e ventinho social nos dois finais de semana. Para ver os resultados completos, clique aqui.

Resumito: no segundo dia olímpico, Robert e Bruno sofrem, Fontes começa bem e Ainslie se preocupa.

A rapadura é doce, mas não é mole não. No Star os detalhes fazem a diferença. Mas com dois pontos atrás, Robert e Bruno ainda estão completamente no páreo. Vamos torcer!!

Olá querido amigo e mais que querida amiga, neste retorno extemporâneo das Manza News na sua caixinha todo dia, no velho formato do começo do século, vamos informando o que de melhor aconteceu hoje em Weymouth/Portland nos jogos londrinos do ano 12 deste milênio.

Nossas estrelas do Star (pleonasmo multilíngue?), Robert Scheidt e Bruno Prada, também conhecidos como “os caras”, fizeram um 9º e um 6º (entre 16 barcos) hoje e, por um pontinho, deixaram a zona de pódio. Eles ocupam a 4ª posição geral do torneio olímpico com 20 pontos.

Já os rivais, pela ordem, Iain Percy  e Andrew Simpson (GBR) lideram com 18 pontos,  Eivind Melleby  e Petter Pedersen (NOR) também têm 18 pontos  e os suecos Fredrik Loof  e Max Salminen têm 19. Uma constelação!! E a Isaf tirou o Star do Rio 2016… Mas isso é outro papo.

Amanhã estão previstas mais duas regatas para as classes Star, Finn, 49er, Laser, Std. e Radial, e a continuação do Round Robin (o todos contra todos) do match feminino. Com a quinta prova de cada classe entrará o primeiro e único descarte da série de 10 regatas previstas antes da prova final, a Medal Race.  No 49er é diferente porque são 15 regatas… Mas prossigamos.

A classe Finn também vai ter a quinta e sexta regatas corridas amanhã (descarte entrando também, claro). Jorginho Zarif, nosso menino-prodígio fez hoje o mesmo que ontem: um 15º na primeira do dia e um 20º na segunda e agora ocupa a 19ª colocação geral de 24 barcos.

Quem está roubando a cena e dando dor de cabeça no super ídolo inglês Ben Ainslie – que rivaliza com Robert e Torben pelo cume da vela olímpica mundial –, é o dinamarquês Jonas Hogh-Christensen. O danês tem 11 pontos contra 19 de Jonathan Lobert (FRA) e 22 de Ainslie. Pegado!!

Detalhe: o croata, o holandês e o esloveno também têm 22 pontos perdidos no Finn. Briga bonita no monotipo monoposto mais técnico de todos! Saudades do “Meu Finn”. Enfim… Essa foi podre! Podrin…

Já nos laseres rolou hoje a estreia de dois brasucas. Bruno Fontes, no Standard e Adriana Kostiw, no Radial. Ambos começaram bem a batalha naval nas águas da Mancha. Com um 11º e um 15º , Adriana está em 12º geral de 41 meninas. A liderança é da irlandesa Annalise Murphy.

Entre os homens, Bruninho começou tendo que se recuperar de uma largada ruim e cravou um 17º entre 49 barcos. Já na segunda do dia, o “catarinaquático” mandou bem e chegou em segundo para terminar o primeiro dia em 8º, com 19 pontos. O líder e favorito Tom Slingsby (AUS), tem 11 pontos perdidos. Força, Bruno!!

Nas classes desbrasucadas, ou seja, aquelas em que não há tupiniquins, a coisa também está intensa. No 49er a dupla dinamarquesa Norregaard/Lang lidera após duas regatas hoje. O nossos patrícios Francisco Rebello de Andrade e Bernardo Freitas estão em quarto geral para alegria dos tugas de plantão. Alô terrinha!! Começaram bem!

No match race feminino, onde não há as mais gatas de todas, as brasileiras, claro, todas as 12 equipes já correram quatro matchs cada uma. E as Russas e Australianas são as únicas que continuam 100%. Espanha e Holanda vêm logo atrás com um match perdido cada. Dinamarca, Portugal e Suécia ainda não viram a cor da vitória. Acontece.

Bem, como estava escrito no Pernalonga da minha infância: that’s all folks!

Amanhã eu volto e já lembro que no feicibuqui, no tuíter e aqui no www.murillonovaes.com (tudo integrado) estou transmitindo as regatas boia a boia, na medida do possível. Na Rede Manza de Comunicações você também encontra, claro, o melhor do planetinha Vela. Fui!!

Murillo Novaes

%d blogueiros gostam disto: