Pular para o conteúdo

Resumito: Inglaterra vence batalha de Weymouth hoje, mas a guerra ainda não acabou. Outro papo: Joyon estraçalha recorde mais uma vez.

Com a faca nos dentes hoje, Robert e Bruno se safaram de um dia que poderia ter sido desastroso. Amanhã tem mais!! Pra cima deles alemão!!

Boa tarde, londrino companheiro de olímpiadas sem fim. Eis-me aqui em mais uma missiva resumística, direto da maravilhosa cidade que abrigará 2016, compartilhando as informações de nosso esporte tão maltratado pela mídia geral.

Antes, porém, não resisto e já dou uma da vela de oceano. O incrível Francis Joyon, o francês, que detém o recorde solitário da da volta ao mundo (57 dias) e têm o terceiro melhor tempo absoluto da história(!!), bateu mais um. Ele singrou, solito, 668 milhas (1.237km) no seu trimarã IDEC à uma média de 27,83 nós. Caaaracaaa!!

Bem, voltando à terra do cimento Portland (é sério!) e sua linda vizinha Weymouth. Hoje foi dia super hiper mega power nas águas do canal da Mancha. As duas classes mais técnicas e prestigiadas (a Isaf parece que não sabe disso…) da Vela de monotipos, Star e Finn, tiveram batalhas incríveis nesta quinta-feira de meu Deus.

Nas estrelas, como você e o Edu, de Cabo Frio, estão carecas de saber, a guerra naval envolve uma nave verde e amarela. No Finn, a coisa é com a Dinamarca. Os contendores – imperialistas! – são sempre os britânicos. Humpf!

No Star, a coisa foi simplesmente adrenalizante. Robert Scheidt e Bruno Prada, fizeram duas regatas de recuperação para se manter na posição de prata, mas sofreram sérios ataques nos dois flancos. À frente, Ian Percy e Andrew Simpson (GBR) em dia de primeiro e segundo. Atrás, com um primeiro e um quarto, os almirantes suecos Fredie Loof e Max Salminem, empataram o jogo.

Na primeira boia do dia, a dupla brasuca montou em 15º (penúltimo) e com a garra e competência que só os grandes do esporte têm, galgaram posições até chegar em terceiro na primeira prova, atrás apenas de ingleses e polacos. Na segunda do dia, quase o mesmo: primeira boia em 10º, luta feroz, muita disposição e chegada em quinto.

Agora, a parceria tricampeã mundial, sino-prateada em 2008 e líder do ranking do Star, tem 22 pontinhos, o mesmo que os suecos que perdem no desempate e ocupam o terceiro posto. Para gáudio dos espectadores locais e dos narradores da BBC (ô irritação!!) o British Team tem 13 pontos e ganha precioso espaço nesta reta final rumo ao ouro.

No entanto, na flotilha de mais alto nível de todas, a coisa sempre pode mudar e amanhã teremos mais duas provas para fechar a fase classificatória e partir para a Medal Race no domingo, onde os pontos são dobrados e só os dez primeiros correm. Vamos torcer, meu povo!!

Hoje, é descanso para os laseres, mas não posso deixar de comentar aqui (já que ontem não rolou cartinha) a queda de rendimento, da estrela em ascensão Annalise Murphy, da Irlanda. Depois de vencer as quatro primeiras, a moça conseguiu se enterrar nas duas regatas de ontem (em termos, claro).

Explicações místico-pessimistas diriam que foi a energia negativa do olho grande geral depois que ela fez todas as manchetes do mundo. Os místicos-positivos devem achar que foi a energia do planeta balanceando as coisas depois de tantos triunfos seguidos.

Os freudianos, sabendo que o mastro é um evidente símbolo fálico, podem dizer que foi a inveja do pênis, já que papai treinou (e papou) mamãe olímpica no passado. Os escribas, como eu, não sabem nada… Mas registram o fato de que com um 8º e um 19º ontem, a concorrência belga agradece e comemora estar agora a apenas dois pontos da liderança na Laser Radial, que ainda é de Murphy. A velejadora, não a lei. Que fique claro!

Voltemos ao presente.  Na classe Finn o irado (eu estava em Perth) ídolo inglês Ben Ainslie – outro, além de Robert Scheidt, que deve alcançar Torben Grael em número de medalhas olímpicas, cinco –, está em disputa feroz com o dinamarquês Jonas Høgh-Christensen.

O britânico Carlos Benedito Ainslie, venceu a primeira regata de hoje e viu o rival chegar em oitavo. Na segunda, Ainslie foi terceiro e Høgh-Christensen quarto. Sendo assim, no topo da súmula consta ainda o danês com 18 pontos, mas o inglês com 21 vem babando. O croata tem 34 pontos em terceiro. Fervendo!

Nosso bebeólico zarifinho, o atleta mais novo de Pindorama na excursão londrina, mandou sua melhor regata hoje, 14º na primeira do dia. Quem se ligou na RMC, a Rede Manza de Comunicações, no www.murillonovaes.com, feici, tuiti, etc. viu que na segunda prova Jorginho fez um 21º e agora ocupa a 19ª posição com 121 pontos. Assim como o Star, o Finn termina a série de 10 regatas amanhã, só que a Medal Race deles é no sábado. Vai ser bonito!

Na RS:X feminina, Patrícia Freitas, a mulher que manda no seu Jorge, fez um 13º e um 17º hoje e já com o único descarte computado, está na 14ª posição com 67 pontos. A incrível Marina Alabau (ESP) lidera com 7 pontos perdidos, Zofia Noceti-klepacka  da Polônia tem 12 e a israelense  Lee-el Korsiz (não confundir com El-Al, embora as duas voem) tem 15 pontos.

Na RS:X masculina, Ricardo “Bimba” Winicki, teve um dia ruim hoje. Com um 14º e um 22º, Zibimba se afastou da zona da Medal Race e está agora em 14º geral, depois de 6 regatas, com 66 pontos, já descontado o descarte. O holandês Van Rijsselberge lidera com 6 pontos. Germânia, 17 pontos; Polônia, 19 pontos, e Inglaterra, 19 pontos, estão por ali, emboladas no caminho que leva aos degraus do pódio. Amanhã rola folguinha pros prancheiros, machos e fêmeas!

Na parte desbrasucada do torneio olímpico, hoje rolou a estreia do 470 masculino (Calma! Fernandinha e Ana estreiam amanhã, no 470F) e com duas regatas, claro, os inglese lideram, seguidos por Áustria e Finlândia. No 49er, já rolaram oito de 15 regatas e, por enquanto, a Union Jack está na três bandeiras do pódio. Pela ordem: Austrália, Grã-Bretanha e Nova Zelândia lideram. Os tugas Xico Rebello de Andrade e Bernardo Freitas continuam em quarto geral, ó pá! Go Tugs!! Ou em português castiço: vão rebocadores!!

No match race feminino, o trio da australopiteca cangurulândia, Price/Curtis/Whitty continua 100% com 10 vitórias em 10 matchs! Caraca! As russas estão com 8 vitórias em 9 matchs e as hispanas com 7 em 10. E amanhã é descanso para a mulherada pegar um frio na praia de veraneio do sul da Grande-Bretanha. E isso é tudo para o momento!

Fui!! Sem mais…

 Murillo Novaes

 

 

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: