Pular para o conteúdo

Arquivo de

Medalhista olímpico Bruno Prada retorna ao Brasil nesta quinta

Depois do bronze na Star com Robert Scheidt, que permanece em Londres para o encerramento dos Jogos, proeiro desembarca em São Paulo às 6 h da manhã, em Guarulhos

Bruno e Robert, medalhas de bronze em Londres

Medalha de bronze na Olimpíada de Londres/2012, o proeiro Bruno Prada retorna ao Brasil nesta quinta-feira (9/8). O desembarque do atleta, que viajará pela TAM, está previsto para as 6 horas, no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Já seu parceiro na Star, Robert Scheidt, permanecerá em Londres para a cerimônia de encerramento dos Jogos, no domingo. A dupla tricampeã mundial conquistou em Weymouth sua segunda medalha olímpica e a quinta seguida de Scheidt. No mesmo voo de Bruno vem outra velejadora, Adriana Kostiw, que terminou na 25a. colocação na Classe Laser Radial.

Scheidt e Prada já estavam com a medalha garantida quando foram para a Medal Race, no último domingo, para brigar pelo ouro. A regata, somando pontos dobrados, contava com as dez melhores duplas na disputa e foi vencida pelos suecos Fredrik Loof e Max Salminen, que tiraram o ouro dos britânicos Iain Percy e Andrew Simpson, medalha de prata.

“Não foi o desfecho que a gente imaginava, por tudo o que construímos nos últimos quatro anos do ciclo olímpico, mas independente disso a medalha olímpica é a maior honraria que um atleta pode receber, e estamos felizes por contribuir para o quadro de medalhas do Brasil”, disse Bruno Prada, que aproveitou a passagem por Londres para assistir à final do salto com vara feminino, nesta terça-feira.

Com a medalha de bronze, Robert Scheidt é o primeiro brasileiro a conquistar cinco medalhas olímpicas consecutivas (ele já tinha dois ouros – na Laser, em Atlanta/1996 e Atenas/2004 -, e duas pratas – na Laser, em Sydney/2000, e na Star, em Pequim/2008, com Bruno). E se junta aos outros três grandes nomes da história da vela mundial em olimpíadas. O brasileiro Torben Grael, também tem cinco medalhas olímpicas, sendo dois ouros, dois bronzes e uma prata; o dinamarquês Paul Elvstrom, é dono de quatro ouros, conquistados nos Jogos de 1948, 1952, 1956 e 1960 e o inglês Ben Ainslie, que tem quatro ouros e uma prata, o último ouro também conquistado neste domingo na classe Finn.

Londres/2012: Brasileiras da 470 entram na regata final com chance de medalha de bronze

Fernanda e Ana estão em quinto, nove pontos atrás das terceiras colocadas. Medal Race será na sexta-feira (10). O medalhista Bruno Prada chega nesta quinta-feira a São Paulo

Ana Brabachan faz sua estreia nos Jogos Olímpicos

São Paulo (SP) – A dupla brasileira de 470, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, está garantida na regata final, a chamada Medal Race, que será disputada nesta sexta (10), na raia olímpica de Weymouth. As gaúchas conseguiram manter a quinta colocação, porém com um bom desempenho nas últimas provas do calendário (um quinto e um quarto lugares), nesta quarta-feira (8), reduziram a desvantagem para a zona de medalha. Com chance de bronze, as atletas nacionais somam 61 pontos perdidos, mas na frente estão as francesas Camille Lecointre/Mathilde Geron, em quarto com 55, e as holandesas Lisa Westerhof/Lobke Berkhout, com 52. As neozelandesas Jo Aleh/Olivia Powrie e as britânicas Hannah Mills/Saskia Clark estão empatadas na tabela e são as únicas com chance de conquistar a medalha de ouro.

As brasileiras precisam tirar nove pontos das holandesas e seis das francesas, ou seja, ficar cinco posições na frente das primeiras e três das segundas para subir ao pódio. A Medal Race tem peso dobrado e o resultado não pode ser descartado. Para o treinador Paulo Ribeiro, técnico da dupla, as meninas estão focadas para votar da Inglaterra com uma medalha. “O nível técnico da flotilha está muito elevado. Nossa dupla conseguiu se manter entre as 10 e agora é a vez de lutar pelo bronze.”

Nesta quarta-feira, Fernanda e Ana entraram confiantes para reduzir a vantagem das holandesas, que era de 25 pontos e caiu para nove. Na primeira regata, com ventos médios de 11 nós, as brasileiras largaram bem, oscilaram na primeira boia, mas depois se seguraram em quinto até a linha de chegada. Na última prova, as gaúchas voltaram a ser agressivas na largada, mas a estratégia não deu certo. Chegaram a ficar em 17º, mas fizeram uma prova de recuperação para chegar em quarto. A 10ª regata teve ainda menos vento, média de oito nós.

A timoneira Fernanda Oliveira tenta sua segunda medalha olímpica. Nos Jogos de Pequim, em 2008, ela conquistou o bronze velejando ao lado de Isabel Swan.

Outros dois barcos com brasileiros foram à Medal Race na Olimpíada. Robert Scheidt e Bruno Prada levaram a medalha de bronze na classe Star e Ricardo ‘Bimba’ Winicki ficou em nono na RS:X. Nas demais classes, o Brasil não conseguiu levar atletas à regata da medalha. Na Laser, Bruno Fontes ficou na 13ª posição e na Laser Radial, Adriana Kostiw fechou o campeonato em 25º. Na Finn, Jorge Zarif foi o 19º e Patrícia Freita terminou na 13ª colocação na RS:X.

da ZDL

%d blogueiros gostam disto: