Pular para o conteúdo

Equipe de Vitor Genz vence Desafio SER Glass de Vela

Evento reuniu grandes nomes do automobilismo, como Cacá Bueno, e da vela, como o medalhista olímpico Bruno Prada
Ilhabela – O Yacht Club de Ilhabela foi palco na tarde desta sexta-feira (21) de um evento inédito de vela. Quatro pilotos de automobilismo se juntaram a velejadores e disputaram o Desafio SER Glass de Vela. Mesmo com o vento fraco, todos se divertiram a bordo dos quatro barcos da classe HPE. No final da única regata do dia, realizada no Canal de São Sebastião, o campeão foi o barco SX4 Bond Girl, de Rique Wanderley, que contou com a ajuda do piloto Victor Genz, líder da Mini Challenge.

“Pena que o vento estava fraco e o barco andou muito devagar. Apesar de estar acostumado com velocidade, me diverti e aprendi muito com a equipe”, contou, muito animado com o resultado, Victor Genz. Bernardo Arndt e Douglas Thisted completaram o time vencedor.

Em segundo lugar ficou a equipe do Jimny Take Ashauer, que teve o reforço de Patrick Gonçalves, da Stock Car. O baiano, que veleja de kite, comparou o barco com a pipa. “A noção do vento é a mesma, porém no barco existe todo um trabalho em equipe. Antes da regata estávamos bem relaxados, mas na hora da largada a adrenalina vai lá em cima. Deu para aprender bastante e eu até cruzei a linha de chegada no comando do barco”. Completaram sua tripulação Cassio Ashauer, Juan de La Fuente e Anthony Muller.

Cacá Bueno e Bruno Prada, em terceiro

Os favoritos da regata, Bruno Prada, medalhista de bronze em Londres ao lado de Robert scheidt, e Cacá Bueno, líder da Stock Car, tripularam o SER Glass Eternity, e terminaram o dia na terceira colocação. Para Cacá, foi tudo uma questão de tática. “Nós não vencemos a regata para deixar o Bruno vencer o campeonato”, brincou se referindo à terceira etapa da Copa Suziki Jimny, que começou neste sábado (22), na qual o SER Glass Eternity é o líder na classe HPE. “Adorei a velejada, a única coisa é que o vento fraco deixa o barco lento, o que não é uma sensação comum para nós pilotos”, completou. Diogo Aguiar e Wallace Attie reforçaram a equipe.

Já Bruno conta que aprendeu bastante com a troca de experiência. “Conversando com o Cacá pude perceber que a Stock Car tem muita coisa a ver com a vela. Tanto para eles, quanto para nós, o segredo da vitória está nos detalhes”.

Na última colocação chegou o SER Glass 10 anos, único com mulheres a bordo. Para o piloto Fábio Viscardi, da Copa Porsche, a experiência foi inesquecível. “O barco estava devagar, mas mesmo assim deu pra aprender muita coisa. Ficamos em último, porque batemos na boia e tivemos que pagar uma penalidade e por isso quero velejar de novo para sentir o gostinho de ganhar uma regata”, explicou. Além de Fábio, Tatiana Almeida, Renata Bellotti, Mariana Peccicacco e Alexandre Wissembach completaram o time.

A regata terminou no início da noite e todos voltaram para a sede do Yacht Club muito animados e contando os feitos de cada tripulação. Esta foi a primeira ação que a SER Glass realizou com os dois esportes que patrocina e tudo indica que vem mais por aí. “Foi muito legal ver todos na água. Espero poder reunir pilotos e velejadores novamente em breve em um mesmo evento”, disse Fábio Santos, presidente da SER Glass. A empresa é co-patrocinadora da Copa Suzuki Jimny e patrocina vários pilotos.

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: