Pular para o conteúdo

Arquivo de

Nota de falecimento

Na foto, Nando disputa o Mundial de Soling no Veleiros do Sul

No último dia 29 de outubro faleceu em Porto Alegre o velejador Nando Krahe. Ele sofria de câncer há algum tempo e acabou não resistindo. A ele, grande incentivador da Vela e velejador, todas as homenagens da coluna. Aos seus familiares e amigos nossos profundos sentimentos de pesar e de solidariedade.

Torben Grael reassume o comando da equipe do Sailing no Match Race Brasil

Principal campeão da modalidade, Torben Grael ajudará o filho na edição 2012, que começa nesta quinta-feira(8) na Baía de Guanabara

Torben comemora o título de 2010

Rio de Janeiro (RJ) – Um dos maiores campeões da vela mundial confirmou presença na edição 2012 do Match Race Brasil, competição barco contra barco que mudou a cara da modalidade no País e que completa 10 anos de sucesso nessa temporada. O bicampeão olímpico e vencedor da Volvo Ocean Race Torben Grael tentará retomar para o Rio Yacht Club a hegemonia da categoria, perdida no ano passado para a Marinha do Brasil, de Henrique Haddad. As regatas estão marcadas para o período desta quinta-feira (8) até domingo (11) na Baía de Guanabara e o público poderá acompanhar de perto os duelos na Enseada de Botafogo e no Aterro do Flamengo.

O retrospecto é favorável à equipe do Sailing, como são conhecidos. A turma de Niterói levou o troféu Roger Wright em 2009 e 2010 e esteve no lugar mais alto do pódio em 8 das 14 edições do campeonato. “O Match Race foi importante para a vela, já que permitiu aos patrocinadores e à mídia nacional perceber a modalidade como um esporte mais organizado e profissional, além dos tradicionais resultados olímpicos”, explica Torben.

Desta vez Torben será o timoneiro e quem comandará o Beneteau First 40.7 do Rio Yacht Club nas águas da Baía de Guanabara será o filho Marco Grael. A jovem promessa espera repetir o bom desempenho de 2009, quando fez a função do pai e se sagrou campeão. “Tínhamos praticamente a mesma tripulação de 2012 e conseguimos sair vitoriosos. Porém, desta vez, os nossos adversários estão mais fortes”, diz Marco, que emenda: “O Match Race desenvolve muito a largada, tática e estratégia. O conhecimento das regras é mais exigido e, como as regatas são menores, acontece tudo rapidamente, dando pouca margem a erros.”

Marco Grael sempre esteve presente nas competições de Match Race ao lado do pai e da mãe Andrea. E essa oportunidade ajudou na sua formação como atleta profissional. “Minhas primeiras lembranças foram a de um evento inovador, misturando regatas com os melhores velejadores do País em um tipo de competição pouco vista pelos brasileiros. Tudo isso ao mesmo tempo que se tem uma boa confraternização com os amigos”, conta Marco, que sonha em participar da America´s Cup, evento que inspirou o Match Race.

O filho de Torben Grael fez campanha olímpica na classe 49er e tem resultados expressivos em regatas de oceano, como na Mit Cup e Rolex Ilhabela Sailing Week. Fatos que o credenciam como nova esperança de medalhas para o Brasil. Marco irá rivalizar contra outro pupilo da modalidade, o atual campeão do evento Henrique Haddad. “Somos filhos de velejadores e temos, desde pequeno, esse envolvimento com o mar. Infelizmente no Brasil temos pouca infraestrutura para que o esporte seja mais divulgado e praticado, coisas que ajudam a proporcionar uma maior renovação e consequentemente mais resultados”.

Equipes e comandantes para 2012:
Marinha do Brasil (Henrique Haddad)
Ciaga (Renata Decnop)
Búzios Vela Clube (Alexandre Saldanha)
Veleiros do Sul (Samuel Albrecht)
Rio Yacht Club (Marco Grael)
Iate Clube do Rio de Janeiro (Thomas Low-Beer)
Clube Naval Charitas (Renato Cunha)
Yacht Club de Ilhabela (Maurício Santa Cruz)

Da ZDL

Mateus Tavares e Daniel Claro vencem o Norte Nordeste de Snipe

Durante o feriado prolongado foi realizado em Recife o Campeonato Norte Nordeste de Snipe. No total 25 duplas da Bahia, Sergipe, Alagoas, Recife e Rio de Janeiro estiveram presentes. Os campeões foram o baiano Mateus Tavares e o niteroiense Daniel Claro, que nem precisaram correr a última regata da série. O campeonato serviu como treinamento para a disputa do Hemisfério, que será disputado em Olivos, na Argentina, entre os dias 16 e 24.

Campeonato Baiano de Oceano será realizado em Itaparica

Entre os dias 15 e 18 de novembro será realizado em Itaparica o Campeonato Baiano de Veleiros de Oceano. Estão convidadas as classes ORC, RGS, Multicascos e Trinidad 37. Estão programadas regatas de percurso para os três dias. As inscrições custam entre R$ 100 e R$ 250 reais e devem ser feitas pelo email cbvo.feneb@gmail.com.

Vídeo: Veleiro Phantom of the Opera na Refeno

Com o melhor do país no comando, Marinha do Brasil é favorita ao bi do Match Race Brasil

Comandante Henrique ‘Gigante’ Haddad desafia ídolos da modalidade, como Torben Grael, nas regatas barco contra barco. Duelos começam na quinta-feira (8), no Rio de Janeiro

AGIF

Equipe comemora o título em 2011

Rio de Janeiro (RJ) – Símbolo da renovação da vela brasileira, Henrique Haddad pode ser apontado como o melhor do País quando o assunto é regata barco contra barco. Atual campeão do Match Race Brasil com a equipe da Marinha, o atleta de 25 anos tentará conquistar o bicampeonato para as Forças Armadas. O evento, que completa 10 anos, será disputado de quinta a domingo (8 a 11 de novembro), no Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ) com a presença de oito times e distribuirá R$ 75 mil em prêmios.

Especialista nesse formato de provas, o jovem apelidado de ‘Gigante’, uma brincadeira à sua altura (1,65 m), é o líder do ranking nacional. “Competir com um ídolo da vela, como Torben Grael, e até mesmo ganhar dele é indescritível. É o maior do mundo. É nessas horas, quando cruzamos na frente que penso: escolhi a profissão certa”.

Henrique tem a vela no sangue e o Match Race no coração. Quando tinha 15 anos, na estreia da competição no Brasil, acompanhava o pai, Alexandre Haddad, a bordo de uma lancha. Alexandre tem um programa especializado em vela, o “Mar Brasil”, veiculado pela ESPN, filma as regatas até hoje e agora tem o filho como ídolo.

Feliz pelo momento na carreira, Gigante destaca a importância de ver tudo de pertinho. “Quando comecei não fazia a menor ideia que um dia poderia competir com os caras. Além de ajudar meu pai na lancha, eu auxiliava os convidados na popa dos barcos. Dava para ver a movimentação e o clima das tripulação de pertinho. Isso me motivou a ser um velejador”, conta o comandante da Marinha do Brasil.

Em 2011, a equipe da Marinha do Brasil teve um desempenho perfeito: 100% aproveitamento. O time, que se preparava para os Jogos Mundiais Militares, bateu a Marina da Glória (RJ), do campeão mundial de Star Alan Adler. Os inéditos vencedores levaram o troféu Roger Wright para o clube. “Estamos prontos para conquistar o bi, mas agora somos os adversários a serem batidos”, indica Haddad, que terá a ajuda de um velejador experiente neste ano: André ‘Bochecha’ Fonseca, medalha de bronze na Volvo Ocean Race (regata de volta ao mundo), com o barco Brasil 1.

Da ZDL

%d blogueiros gostam disto: