Pular para o conteúdo

Arquivo de

Touché, barco de Ernesto Breda, disputa sua última competição no Brasil

Quarta etapa do circuito começa neste fim de semana em Ilhabela e marcará a despedida do Touché, hoje chamado de Tomgape, que vai para Itália disputar o Mundial. A tradicional Volta a Ilhabela é o destaque da abertura da competição

Touché se despedirá em Ilhabela

Ilhabela(SP) – A última etapa da Copa Suzuki Jimny será especial e histórica para a vela oceânica nacional. O evento, nos dois próximos fins de semana, marcará a despedida do barco Tomgape, conhecido como Touché Super. O veleiro dominou o cenário da classe ORC nas principais competições da modalidade e fará as últimas regatas no País nos dias 24 e 25 de novembro e 1 e 2 de dezembro. Depois do compromisso, a tripulação de Ernesto Breda parte para o Mundial da categoria, em 2013, em Ancona, na Itália. A embarcação, um Botin & Carkeek de 46 pés, fecha o seu ciclo com três títulos do Circuito Rio, três Campeonatos Brasileiros, três edições da Rolex Ilhabela Sailing Week e outras conquistas em Florianópolis, Búzios e Buenos Aires/Punta Del Leste.

Ernesto Breda, que parte para a Itália navegando em fevereiro, elogia a organização da Copa Suzuki Jimny e ressalta que o evento faz parte da história do Touché. “Foi um grande campeonato , um dos melhores que corremos, com todos juntos na classificação geral da ORC. Foi bom demais. Disputaremos o Mundial de 21 a 29 de junho, na Itália e, no dia 30 de junho de 2013, a trajetória de sucesso do Touché será encerrada”.

“Vamos usar as regatas para testar a otimização do barco para o Mundial de Ancona. Temos mestra quadrada e genôas novas. Ainda faltam uma genôa e um balão, que devem ser instaladas ainda neste ano. O barco ainda vai passar por uma remedição completa das velas e, por isso, não vamos pontuar. Vamos testar as rotinas de jibe e as novas funções de cada um. Enfim, teremos muito trabalho de regulagens e testes nesta fase”, explica Ernesto Breda.

Volta a Ilhabela – A despedida do Touché (Tomgape) terá mais um momento especial. O evento será a última etapa do circuito e terá como uma das atrações a Volta a Ilhabela – Sir Peter Blake. A prova de aproximadamente 35 milhas náuticas (65 quilômetros) tem duração aproximada de sete horas e é apontada por velejadores como imperdível, misturando estratégia, tática, desempenho e belas paisagens. A largada será neste sábado (24), a partir das 12h30, para os barcos das classes ORC, C30, RGS (A e B e RGS Cruiser maior que 30 pés). Já as embarcações menores, que medem nas categorias ORC Club 700, RGS C e RGS Cruiser menor do que 30 pés, terão uma regata de percurso médio ou barla-sota. O veleiros da classe HPE participam de uma regata em outra raia, porque os modelos não têm características para velejar em mar aberto.

A prova homenageia Sir Peter Blake, lendário navegador da Nova Zelândia falecido em 2001 e que esteve presente na primeira edição da prova, em 2000, com seu veleiro Polar Seamaster no YCI. A Volta a Ilhabela passa pelos quatro faróis da Ilha: Ponta do Boi, Ponta Grossa, Ponta da Sela e Ponta das Canas. Em 2012, a premiação ao vencedor da regata será a maquete do farol da Ponta da Canas.

Para a quarta etapa estão convidados os barcos das classes ORC, RGS (A,B,C e Cruiser), HPE e C30. As inscrições serão feitas na secretaria do evento, com valor de R$ 80,00 por tripulante (exceto mirim, que é isento da taxa). O Yacht Club de Ilhabela está pronto para receber os velejadores e os mais de 50 barcos previstos.

Confraternização – Como de costume, a última etapa da Copa Suzuki Jimny encerra em grande estilo o calendário de eventos top da vela oceânica da América Latina. É um momento especial para confraternização no Yacht Club de Ilhabela depois de uma temporada de regatas equilibradas. E, para deixar o ambiente ainda mais divertido, a organização prepara a tradicional canoa de cerveja e refrigerante, além dos quitutes para a turma que velejou no litoral norte paulista. No sábado (1/12) haverá uma banda para divertir a galera.

A Copa Suzuki Jimny / XII Circuito Ilhabela de Vela Oceânica tem organização do Yacht Club de Ilhabela, com patrocínio máster da Suzuki Veículos e co-patrocíno da SER Glass. Os apoiadores são a Prefeitura Municipal de Ilhabela, Brancante Seguros, Ancoradouro e Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião.

Da ZDL

Slideshow do Carioca de Snipe por Fred Hoffmann

Este slideshow necessita de JavaScript.

Windsurfista quebra a barreira dos 52 nós pela primeira vez na história

E o desafio de velocidade continua em Luderitz, na Namíbia. Com 45 nós de vento o windsurfista Antoine Albeau conseguiu chegar a 52,05 nós de velocidade. Esta foi a primeira vez que uma prancha ultrapassou a barreira dos 52 nós. O número ainda deverá ser reconhecido pelo WSSRC. Para saber mais sobre o desafio, clique aqui.

Com vídeo: Armel Le Cleac’h cruza o Equador enquanto Gutek desiste da Vendée Globe

Vendée Globe

Foram necessários 10 dias, 19 horas e 18 minutos de regata para que Armel Le Cleac’h, primeiro colocado da Vendée Globe, cruzasse a linha do Equador. O tempo foi o segundo mais rápido da história da competição, perdendo apenas para Jeam Le Cam em 2004, que foi de 10 dias, 11 horas e 28 minutos. Enquanto ele ainda tem uma folguinha em relação ao resto da flotilha, François Gabart, Bernard Stamm e Vincent Riou, segundo, terceiro e quarto colocados respectivamente, não podem dizer o mesmo. Menos de cinco milhas separam os três.

E, como aconteceu nos últimos dias, mais um velejador abandonou a regata. Zbigniew ‘Gutek’ Gutkowski, do Energa Sailing Team, teve problema com os eletrônicos do barco e optou por desistir. “Hoje eu anuncio oficialmente o que eu tenho pensado nos últimos quatro dias. Ser corajoso não é apenas lutar, é também saber a hora de parar. Sei que fiz tudo o que pude para consertar os eletrônicos nos últimos dias (…), mas não ter piloto automático significa que não posso velejar. Esta foi uma decisão difícil, uma das mais difíceis da minha vida. Mas esta é a Vendée Globe. Este é o poder do oceano e não é possível lutar contra ele”.

Com isso, dos 20 velejadores que partiram da França, restam apenas 14.

Com vídeo: ETNZ e Luna Rossa treinam juntos e preocupam concorrentes

ETNZ

Pela primeira vez dois AC72 podem ser vistos treinando juntos. ETNZ e Luna Rossa estão no Golfo Hauraki, na Nova Zelândia, onde aproveitam o verão e as boas condições climáticas para conhecer um pouco mais o barco e chegar preparados para a próxima America´s Cup.

“É possível aprender bem mais rápido quando se tem outro barco ao lado para te punir pelos erros”, disse o técnico neozelandês Rod Davis.

Mas eles não estão sozinhos, não. Simon Daubney, tripulante do Oracle Racing, também está por lá, de olho nas duas equipes. Para o chefe do ETNZ Grand Dalton, isso significa que os americanos estão nervosos com o progresso deles.

Italiano Ricardo Leccese é campeão sul-americano de Kite

Os três melhores colocados no Sul-Americano de Kite

Durante o feriado prolongado o Búzios Vela Clube sediou o Sul-Americano de Kitesurf. Depois de dez regatas o campeão foi o italiano Ricardo Leccese. Victor ‘Pimpolho’ Adamo, em segundo, foi o melhor brasileiro da competição. O colombiano Alvaro José Cadena completou o pódio.

Regata Volta a Ilha da Moela acontece neste final de semana em Santos

Neste sábado acontece em Santos a Regata Volta a Ilha da Moela. Estão convidadas as classes RGS e Cruzeiro. As inscrições custam R$ 40,00 por tripulante. A largada está prevista para as 11h30 na baía de Santos.

%d blogueiros gostam disto: