Pular para o conteúdo

Arquivo de

Com vídeo: Líderes têm decisão difícil pela frente na Vendée Globe

O tempo continua instável enquanto os líderes de Vendée Globe se aproximam do Cabo da Boa Esperança. A dúvida entre eles é: fazer o caminho mais curto ou fazer o caminho mais rápido? O líder Armel Le Cléac’h optou pela rota mais rápida que, por enquanto, tem dado certo. A diferença entre ele e Alex Thomson, segundo colocado, é de 134,2 milhas. Já a briga entre segundo, terceiro e quarto está mais acirrada e apenas 25 milhas os separam, após 19 dias no mar.

Sandro Ribas apresenta seu novo projeto de travessia no próximo dia 2

No próximo dia 2 Sandro Ribas irá promover um café da manhã no São Francisco Sailing Club, em Piratuba, SP, para apresentar sua nova travessia oceânica, de Copacabana a Santos. Na ocasião ele também apresentará o caiaque que usará junto com seu filho. Para mais informações e inscrições, basta mandar um email para franco.vela@yahoo.com.br.

Primeiro barco não tripulado a tentar travessia do Atlântico afunda após partida

O barco britânico Snoopy Sloop, de apenas cinco pés, tinha como objetivo ser o primeiro barco não tripulado a cruzar o Atlântico. Porém o sonho acabou algumas horas depois da partida de Hempshire na última terça, quando ele afundou.

O barco custou £450 para o cientista aposentado Robin Lovelock, seu idealizador, e um total de quatro anos de pesquisas. O maior problema foi a forte corrente, que arrastou o barco para a praia. A previsão era de que o percurso fosse feito em seis meses.

Touché faz sua última regata em águas brasileiras

Equipe de Ernesto Breda representará o Brasil no Mundial de ORC, em 2013, na Itália e, depois da competição, será vendido

Touché veleja pela última vez no Brasil neste final de semana

Ilhabela(SP) – A Copa Suzuki Jimny chega à sua grande final e terá um capítulo especial neste fim de semana em Ilhabela. Pela última vez, o vitorioso barco Touché disputará uma competição no País. A equipe, que defenderá o Brasil no Mundial de ORC de 2013, é favorita para sair com mais um título na classe, eles estão usando o campeonato para teste de velas e outros itens novos.

A tripulação faz os ajustes para brigar de igual para igual com os tops da categoria no Mundial de Ancona, na Itália. Ernesto Breda ainda não pensou e nem quer abrir o jogo sobre o futuro dele e de sua tripulação após o fim do Touché. “Vai depender de muitos fatores. Vou consultar a família”, pondera o velejador, que tem no currículo três títulos do Circuito Rio, três Campeonatos Brasileiros, três edições da Rolex Ilhabela Sailing Week e outras conquistas em Florianópolis, Búzios e Buenos Aires/Punta Del Leste.

“A fase de testes é muito trabalhosa, já que é tudo novo. É preciso ajustar cada uma das velas, experimentar tensão, mandar para fábrica para últimos reparos e outras coisas mais. A segunda parte é otimizar o rating em função das velas. Até final de dezembro estaremos nesse trabalho”, conta Ernesto Breda.

O Touché é o grande favorito a levantar mais um título da Copa Suzuki Jimny. Os números apontam isso: a equipe lidera com vantagem de 14 pontos para o Orson Mapfre (Carlos Eduardo Souza e Silva). Foram 11 vitórias em 17 regatas disputadas durante as etapas do ano. “Eu já estou com saudades do Touché. Aqui em Ilhabela tivemos grandes batalhas na raia. Terei muito orgulho de representar o clube e os velejadores paulistas em Ancona, no Mundial”, lembra Breda. A embarcação, um Botin & Carkeek de 46 pés, parte no final de fevereiro para a Europa e o Mundial será disputado no meio do ano (21 a 29 de junho).

Outras classes – A disputa é acirrada nas classes que não precisam de rating, aquelas em que os barcos são iguais. No HPE, o Ginga (Breno Chvaicer) é o favorito para o tri da Copa Suzuki Jimny, mas o SER Glass Eternity (Marcelo Bellotti) tentará retomar a ponta nas regatas de sábado (1) e domingo (2). Na C30, o Loyal TNT (Marcelo Massa) lidera, mas o Barrcuda (Humberto Diniz) está apenas dois pontos atrás.

Entre os RGS, os campeões serão conhecidos em Ilhabela neste fim de semana. A tabela dá vantagem para Fram (RGS-A), Nomad (RGS-B)Ariel (RGS-C) e Hélio II – Hospital Sírio Libanês (RGS-Cruiser).

Confraternização – Como de costume, a última etapa da Copa Suzuki Jimny encerra em grande estilo o calendário de eventos top da vela oceânica da América Latina. É um momento especial para confraternização no Yacht Club de Ilhabela depois de uma temporada de regatas equilibradas. E, para deixar o ambiente ainda mais divertido, a organização prepara a tradicional canoa de cerveja e refrigerante, além dos quitutes para a turma que velejou no litoral norte paulista. No sábado (1/12) haverá uma banda para divertir a galera.

A Copa Suzuki Jimny / XII Circuito Ilhabela de Vela Oceânica tem organização do Yacht Club de Ilhabela, com patrocínio máster da Suzuki Veículos e co-patrocíno da SER Glass. Os apoiadores são a Prefeitura Municipal de Ilhabela, Brancante Seguros, Ancoradouro e Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião.

Da ZDL

Oracle Racing apadrinha duas equipes para a Youth America´s Cup

Competição será disputada em barcos da classe AC45

Durante os próximos nove meses duas equipes de velejadores com idade entre 19 e 24 anos treinarão intensamente ao lado dos velejadores da Oracle Racing visando o pódio da Red Bull Youth America´s Cup. O evento será disputado em São Francisco, a partir do dia 1 de setembro de 2013. As equipes selecionadas foram Team America Racing, que representará os Estados Unidos, e American Youth Sailing Force, que representará a cidade de São Francisco.

Com vídeo: Torben Grael comanda o Team Brasil no final da Extreme Sailing Series no RJ

Rio de Janeiro se prepara para receber os catamarãs Extreme 40 pela primeira vez na América do Sul e o Brasil será representado por três membros da família Grael, além de André Mirsky, Alex Welter e do português Diogo Cayolla

Em apenas uma semana os catamarãs Extreme 40 desembarcarão com seus tripulantes de peso no Rio de Janeiro para as batalhas finais de 2012 da Extreme Sailing Series, que vai de 06 a 09 de dezembro. O “Team Brasil”, que fará parte da disputa como a equipe convidada do país sede do evento, terá um dos maiores nomes do esporte Olímpico brasileiro, Torben Grael, como comandante.

Dono de cinco medalhas Olímpicas – sendo duas delas de ouro – Torben se encaixa perfeitamente na liderança de um time formado para homenagear medalhistas Olímpicos brasileiros e futuras estrelas do esporte. Ele será acompanhado por seu filho, Marco, da mais nova geração da família Grael que representará o país no Rio em 2016 na classe 49er. O técnico dessa equipe, e tripulante reserva, será Lars, que também tem na carreira a conquista de duas medalhas Olímpicas.

“Para mim, é um grande prazer velejar essas máquinas da Extreme Sailing `em casa´. A oportunidade de ter o meu irmão Lars, um amante dos multicascos, como técnico, e meu filho Marco como proeiro é muito legal também. Nós sabemos o quão difícil é competir na Extreme Sailing Series. Nós queremos apenas nos divertir na Baía de Guanabara e representar nossa cidade e país na frente do público”, declarou Torben.

O clã Grael será reforçado por outros iatistas de extrema importância. O português Diogo Cayolla se junta ao time com suas campanhas Olímpicas e de America´s Cup na bagagem. Ele será fundamental para o “Team Brasil” por já ter participado de outras edições do Extreme Sailing Series.
“Depois da extraordinária visita em julho passado da Extreme Sailing Series às águas do Rio Douro na minha cidade natal do Porto (Portugal), e tendo sido uma espécie de “embaixador” do evento no meu país, é com grande satisfação que desta vez entrarei em ação em pleno campo de regatas, numa cidade muito especial para mim, onde tenho grandes amigos”, declara Diogo.

Além dele, o especialista em catamarãs, Alex Welter, engrandece a tripulação com sua medalha de ouro Olímpica na classe Tornado. Para fechar a lista de astros do “Team Brasil”, André Mirsky acrescenta toda sua experiência Olímpica na classe star ao grupo.

Para os outros oito times que farão parte da competição no Rio, quatro deles têm grandes chances de levantar o maior troféu da temporada 2012 – duas equipes de Omã, uma francesa e outra austríaca. Nenhum deles quer voltar para casa de “mãos abanando” e, com os 15 pontos necessários para vencer o Act 8, tudo pode acontecer. Líder desde o Act 2 em Qingdao, na China, o time “The Wave, Muscat” é o que se encontra na posição mais confortável no ranking.

A ação começará no dia 06 de dezembro nas águas abertas da Praia de Copacabana antes de rumarem a arena montada para os três dias seguintes de disputas, na Praia do Flamengo. Os entusiastas do esporte poderão acompanhar o desenrolar dos embates ao vivo pelo SPORTV no domingo, dia 09 de dezembro, a partir das 15h, horário de Brasília.

O EXTREME SAILING SERIES – ACT 8 RIO é uma realização da OC Sport, em parceria com Oman Air, Marinepool, Omega, GAC Pindar e Jaguar NeilPryde Racing Series. A BR Marinas é parceira oficial da prova no Brasil, com Revista Náutica e o Canal SPORTV como parceiros de mídia no Rio. A Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e o Governo do Estado do Rio de Janeiro são apoiadores da etapa final.

Ranking Extreme Sailing Series após Act 7 Nice – França
1. The Wave, Muscat – 61.5 pontos
2. Oman Air – 53 pontos
3. Groupe Edmond de Rothschild – 51 pontos
4. Red Bull Sailing Team – 48.5 pontos
5. GAC Pindar – 39.5 pontos
6. SAP Extreme Sailing Team – 33 pontos
7. Alinghi – 28 pontos
8. ZouLou – 23.5 pontos

%d blogueiros gostam disto: