Pular para o conteúdo

Arquivo de

Juízes desclassificam Bernard Stamm da Vendée Globe

Os juízes da Vendée Globe anunciaram nesta quarta-feira que o velejador suíço Bernard Stamm estava desclassificado da regata por ter recebido assistência após uma parada nas Ilhas Auckland para consertar o hidrogerador. Na ocasião, o barco de Stamm estava ancorado, quando um barco maior parou ao seu lado. No meio da noite ele percebeu que estava sendo arrastado e entrou em contato como capitão do outro barco. Os dois concordaram em amarrar um barco no outro por segurança, ação que não infringiria as regras da regata por ser uma emergência. No dia seguinte, no entanto, quando Stamm foi tirar a sua âncora para ir embora, percebeu que havia um tripulante do outro barco fazendo isso a bordo do seu veleiro, ou seja, estava ajudando-o. Ele não teve a reação de mandar o sujeito embora e, por conta disso, foi desclassificado.

Stamm, que disputa a sua quarta Vendée Globe, entrou com recurso para reabrir o protesto e ainda aguarda resposta. Apesar de ter o apoio dos outros velejadores, por enquanto a decisão do júri prevalece, porém ele seguirá velejando até completar a volta ao mundo.

Enquanto isso, Jean Pierre Dick, terceiro colocado, também passa pelo cabo Horn. Esta foi a quinta vez que o velejador francês passou pelo ponto mais ao sul da América do Sul. Desta vez, o vento estava na casa dos 25 nós. Já os líderes, na manhã desta quinta-feira, passavam pelas ilhas Falkland, com vento fraco. O próximo velejador a cruzar o mítico cabo deverá ser Alex Thomson. Ele estava a 370 milhas de distância e deverá entrar no Atlântico já nesta sexta-feira.

Juízes desconsideram protesto contra organização da America´s Cup

O júri internacional desconsiderou o protesto do Luna Rossa contra a organização da America´s Cup World Series por conta do cancelamento da etapa de Veneza da competição e a adição de mais duas etapas nos Estados Unidos. A decisão foi feita em duas partes e considerou que o pedido em relação às regatas nos EUA foi feito tarde demais, enquanto a decisão de cancelar a etapa italiana cabe apenas aos organizadores, ficando o júri de fora desta discussão, já que ela envolve contratos e obrigações das duas partes.

Enquanto isso o Emirates Team New Zealand anunciou que irá boicotar os eventos da ACWS. Segundo eles esta competição tira o foco do objetivo principal, que é a disputa da America´s Cup. Eles seguirão treinando e desenvolvendo novas tecnologias para o seu AC72. Como as equipes são obrigadas a participar de todos os eventos que envolvem a America´s Cup, o diretor da equipe Grant Dalton anunciou que irá enviar seu time B, formado por velejadores mais jovens e comandados pelo medalhista olímpico Peter Burling.

Oracle é considerado culpado por espionagem

Os juízes da America´s Cup consideraram a equipe Oracle Racing culpada por ter espionado os italianos do Luna Rossa durante uma sessão de treinos na Nova Zelândia. Segundo eles um integrante da equipe americana chegou a menos de 200 metros do barco italiano, ação proibida pelo protocolo da regata. Como punição, a Oracle Racing terá que devolver as fotos para a Luna Rossa, além de pagar uma multa de US$ 15.200 e perder cinco dias de treinamento a bordo do AC72.

%d blogueiros gostam disto: