Pular para o conteúdo

Arquivo de

Bruno Fontes e Robert Scheidt travam duelo nacional na Semana Olímpica Francesa

São Paulo – Na disputa pelo título da etapa francesa da Copa do Mundo, em Hyères, Robert Scheidt trava um duelo particular com outro brasileiro. Dono de três medalhas olímpicas na Laser, o velejador se saiu melhor que Bruno Fontes na primeira regata desta quinta-feira (25), com o quarto lugar. Mas foi superado pelo compatriota, representante brasileiro da classe nos Jogos de Londres/2012, na segunda prova, ficando com o terceiro lugar e a terceira posição geral, com 16 pontos perdidos. Fontes também manteve sua posição, na vice-liderança, mas com apenas um ponto de diferença para Scheidt. O líder é o croata Tonci Stipanovic, com 7 pontos perdidos.

Um anti-ciclone que percorreu o mar na costa da França e o norte da Itália agitou o segundo dia da fase final da Copa do Mundo em Hyères, com ventos fortes, entre 15 e 18 nós, e rajadas de até 28 nós, gerando disputas acirradas. Na primeira regata da Laser, o australiano Tim Burton, o croata Tonci Stipanovic e Pavlos Kontides, de Chipre, foram os primeiros a cruzar a linha de chegada, seguidos de perto por Robert Scheidt. Já a segunda regata teve o francês Jean-Baptiste Bernaz como vencedor e a dobradinha brasileira de Bruno Fontes e Scheidt na sequência. Com os resultados desta quinta-feira (25), vários velejadores entre os dez primeiros estão muito próximos uns dos outros na classificação geral.

“O jogo ainda está aberto, muita coisa pode mudar. Mas amanhã (último dia da fase final da competição) é um dia em que não pode haver erros”, ressaltou Scheidt, que enfrenta os principais nomes da Laser na flotilha ouro. Seguindo o novo modelo adotado para a etapa de Hyères da Copa do Mundo, os velejadores entraram nesta fase somando apenas os pontos referentes à sua classificação. Scheidt, em 6º lugar na fase classificatória, foi para a disputa com 6 pontos perdidos. Os dez primeiros colocados após as regatas desta sexta-feira (26) se classificam para as duas medal races, ambas com valor dobrado, no sábado. As disputas têm início às 11 horas (6 horas no horário brasileiro).

Scheidt está invicto na Laser desde seu retorno à antiga classe, em setembro de 2012. Patrocinado pelo Banco do Brasil, Prada, Gocil e Rolex, conquistou o Campeonato Italiano de Classes Olímpicas, o Brasileiro da categoria, seu 12º título nacional, a Semana Brasileira de Vela, em fevereiro, e a Laser Europa Cup, em março. Os resultados somam-se a oito títulos mundiais e três medalhas olímpicas (ouro em Atlanta/96 e Atenas/04, prata em Sydney/00), até 2004, quando o velejador passou a competir pela Star com Bruno Prada. A parceria lhe deu outras duas medalhas em Olimpíadas (prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012) o inédito tricampeonato mundial da classe.

Resultados após quatro regatas e um descarte

1. Tonci Stipanovic (CRO) – 7 pontos perdidos (0+0+[56]+2+5)
2. Bruno Fontes (BRA) – 15 pp (2+4+[23]+7+2)
3. Robert Scheidt (BRA) – 16 pp (6+3+[16]+4+3)
4. Tom Burton (AUS) – 25 pp (21+2+2+0+[11])
5. Jean-Baptiste Bernaz (FRA) – 30 pp (12+13+[27]+5+0)
6. Sam Meech (NZL) – 42 pp (3+[18]+10+14+15)
7. Daniel Mihelic (CRO) – 48 pp (17+7+[35]+8+16)
8. Pavlos Kontides (CYP) – 49 pp (14+5+[47]+3+27)
9. Andy Maloney (NZL) – 50 pp (13+12+[19]+15+10)
10. Ashley Brunning (AUS) – 54 pp (15+14+8+17+[29])
37. Matheus Dellagnelo (BRA) – 115 pp (27+28+30+30+[36])
55. Alex Veeren (BRA) – 210 pp (50+52+[56]+54+54)

Da Local

Rolex Ilhabela Sailing Week lança site oficial e página no Facebook

A 40ª edição da competição será disputada de 6 a 13 de julho, no Yacht Club de Ilhabela (YCI), e reúne os melhores velejadores de oceano do País. Inscrições começam dia 1º de maio

Carlo Borlenghi registrou a velejada do menor e do maior barco da raia

Ilhabela (SP) – A 40ª edição da Rolex Ilhabela Sailing Week, maior evento náutico da América Latina, apresenta aos fãs da vela oceânica do País o site oficial da competição. Pelo www.risw.com.br, o internauta pode acompanhar todas as informações do tradicional evento, que será de 6 a 13 de julho, no Yacht Club de Ilhabela (YCI). A página tem avisos de regata, resultados das últimas temporadas, fotos, espaço para inscrições e muito mais. Outra novidade para 2013 é a Fan Page do Facebook, que pretende ser um ponto de encontro da comunidade náutica envolvida no evento.

“Os velejadores podem usar os canais para trocar informações sobre a Rolex Ilhabela Sailing Week e se manter bem informados sobre as ações do Yacht Club de Ilhabela na vela oceânica. O evento é um dos mais importantes do mundo e mantém a tradição de levar às raias de Ilhabela durante 40 anos os melhores de cada categoria”, diz Carlos Eduardo Souza e Silva, diretor de vela do YCI.

A Rolex Ilhabela Sailing Week deverá receber barcos de diferentes tamanhos e de vários países. Estão convidadas as classes ORC, S40, HPE25, C30 e RGS (A, B, C e Cruiser). A novidade para a temporada é a entrada da Star, a que mais rendeu medalhas ao esporte brasileiro na história olímpica. Nomes como Robert Scheidt, Bruno Prada, Torben Grael, Lars Grael e Marcelo Ferreira, ícones da modalidade, fizeram e ainda fazem sucesso velejando na categoria. Será uma homenagem dos organizadores aos monotipos, que foram os primeiros a disputar as regatas em 1973.

Inscrições começam dia 1 de maio – A organização da 40ª edição da Rolex Ilhabela Sailing Week já divulgou o Aviso de Regata pelo site oficial. As inscrições serão abertas em 1º de maio e devem ser feitas também pelo www.risw.com.br.

Os participantes devem garantir presença de 1º de maio até 30 de junho. De 1 a 31 de maio, o valor por tripulante será de R$ 270,00. Entre 1 e 15 de junho, sobe para R$ 320,00 e de 16 a 30 de junho, passa para R$ 400,00. Os valores das inscrições são para os barcos que queiram ficar em poitas ou amarras do Yacht Club de Ilhabela.

Terão 25% de desconto nas inscrições os veleiros que ficarem em seus clubes de origem, outros clubes com eles conveniados ou com suas amarras próprias ou alugadas. Vale lembrar que a quantidade de vagas nas dependências do clube é limitada. Além disso, a organização distribuirá as vagas conforme julgar adequado à natureza das embarcações inscritas.

O YachtClub de Ilhabela poderá limitar a quantidade de embarcações inscritas visando segurança dos velejadores e seus convidados, tanto no mar como nas dependências do clube, tendo prioridade aquelas que primeiro formalizarem a sua inscrição.

Da ZDL

3ª Regata de Veleiros Clássicos abre o calendário anual de clássicos em Angra dos Reis

Vinte e sete veleiros são esperados na primeira etapa do maior encontro da classe no Brasil

Entre os dias 3 e 5 de maio, a costa verde do Rio de Janeiro receberá os barcos que participarão da 3ª Regata de Veleiros Clássicos – etapa Angra dos Reis. A sede do evento será novamente o Portobello Resort&Safari. A competição, que já faz parte do calendário da vela nacional, é destinada aos veleiros com mais de trinta anos de fabricação e que, por isso, são considerados clássicos.

Segundo Loic Gosselin, diretor da Media Mundi, agência de conteúdo idealizadora e produtora do projeto, a regata tornou-se uma das principais reuniões entre os praticantes e admiradores da cultura náutica no Brasil:

“Esta regata em Angra tem sido de suma importância, porque mobiliza os velejadores de uma maneira nunca vista anteriormente. Trata-se de uma nova tendência na Vela Oceânica: resgatar e restaurar os barcos clássicos e antigos”, avalia Loic. “Esse tipo de evento vem crescendo bastante no país, despertando cada vez mais interesse de velejadores brasileiros, a exemplo do que já vem acontecendo em outros países como Inglaterra, França, EUA e Argentina”, completa.

Ao todo já estão confirmados 27 veleiros que participarão desta etapa, em clima de total amizade e descontração. O número limite de participantes foi atingido em apenas duas semanas após a abertura das inscrições no site oficial (www.regataclassica.com.br). Entre os lendários participantes, o veleiro Lady Lou, de Torben Grael, além do Cangaceiro (com tripulação basicamente feminina) e a Quatorze, capitaneada pelo Almirante Bernardo Gambôa, da Marinha do Brasil.

A 3ª Regata de Veleiros Clássicos – etapa Angra dos Reis conta com o Patrocínio da Secretaria de Esporte e Lazer do Estado do Rio de Janeiro; Patrocínio Master Servier; Patrocínio Institucional das Prefeituras Municipal de Angra dos Reis e de Mangaratiba; Apoios da Revista Velejar e Meio Ambiente, Bombarco, FOX Sports e L’Oreal (Solar Expertise); Premiação Chandon e Kappa; Produção e Organização Media Mundi; Chancela esportiva FEVERJ (Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro) e ABVO/ABVClass.

Isaf divulga nota sobre briga entre projetista e fabricante do Laser

No último dia 22 a Isaf divulgou uma nota dando a sua posição sobre a briga entre Bruce Kirby, o projetista do Laser, a LaserPerformance, fabricante do barco na Europa, e a Torch, nova fabricante do Laser. Segundo a Federação, a única entidade de classe reconhecida por ela é a International Laser Class Association e o barco que irá para os Jogos do Rio 2016 é o Laser e não o Torch.

A Federação lembra ainda que os anúncios feitos sobre o Torch ser o novo Laser quebram cláusulas contratuais com a classe e, de acordo com assembleia aprovada em 2012 tanto a Isaf quanto a ILCA têm o poder de aprovar quem serão os construtores do Laser e que tem o direito de usar a marca.

Oracle Racing lança seu segundo AC72

O novo USA17

O novo USA17

Nesta terça-feira a Oracle Racing lançou oficialmente o seu segundo AC72. O evento foi realizado no Pier 80, base do time, em São Francisco. “Foi um dia incrível, estamos ansiosos para ir para a água”, disse o skipper James Spithill.

O barco marca o início de uma nova fase de treinamento da Oracle Racing. A ideia é que os dois Ac72 estejam juntos na água até a primavera no hemisfério norte. O treino no USA17 deve começar ainda esta semana.

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan seguem na liderança da Semana Olímpica Francesa

Nesta quarta-feira começou em Hyères a fase fina de competição. Os velejadores das dez classes olímpicas estão divididos em flotilha ouro e flotilha prata. E os brasileiros seguem entre os melhores do mundo.

Na 470 feminina, as gaúchas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan seguem na liderança, com oito pontos de vantagem sobre as americanas Anne Haeger e Briana Provancha, segundas colocadas.

Na Laser, Bruno Fontes e Robert Scheidt fazem uma dobradinha em segundo e terceiro. O líder é o croata Stipanovic Tonci. Os outros brasileiros na classe são Matheus Delagnello, em 36º e Alex Veeren, em 55º. Na Radial, Fernanda Decnop está em 26º.

Na RS:X, Patrícia Freitas subiu uma posição e está em sexto, enquanto Bimba segue em sétimo.Na 49er, Martine Grael e Kahena Kunze subiram para a terceira colocação, enquanto André Fonseca e Francisco Andrade estão em 23º. Na mesma classe, Marco Grael e Gabriel Borges estão em 43º. Na Finn, Bruno Prada está em segundo na flotilha prata.

Entre os paralímpicos, Mario Czaschke subiu uma posição e está em 13º. O trio Tui Oliveira, Marcos do Carmo e José Matias de Abreu seguem na sexta posição.

 

Depois de atravessar o Atlântico, Beto Pandiani e Igor Bely chegam a Ilhabela neste sábado

Dupla saiu da Cidade do Cabo, na África do Sul, no mês passado e, quando completar a aventura, terá enfrentado quase 38 dias de mar

Betão e Igor fazem uma pausa para comer em Arraial do Cabo

Betão e Igor fazem uma pausa para comer em Arraial do Cabo

São Paulo (SP) – Poucas milhas separam a dupla Beto Pandiani e Igor Bely de Ilhabela, na reta final da aventura pelo mar, após 4.000 milhas náuticas. A Travessia do Atlântico começou em 20 de março, na Cidade do Cabo, na África do Sul, e vai acabar 38 dias depois, na escola de vela BL3, na praia da Armação, por volta das 12h deste sábado (27). No caminho, condições adversas como sol forte, tempestades, ondas e zonas de naufrágio. A única parada rápida foi nesta terça-feira (23) em uma praia de Cabo Frio (RJ) para comer um lanche e descarregar o lixo acumulado na viagem.

“Chegamos à praia dos Anjos, em Arraial do Cabo, onde nosso grande amigo Murillo Novaes nos recebeu com sanduiche e refrigerante. Vocês não imaginam o sabor que isso tem depois de tantas refeições liofilizadas. Aproveitamos para retirar o lixo de dentro dos cascos, já que não jogamos na água nada que pudesse poluir o oceano”, disse Beto Pandiani em seu relato pelo site travessiadoatlantico.tumblr.com.

“Parar a viagem para matar um pequeno desejo que naquele momento parecia uma coisa surreal. Algumas horas antes nós estávamos com mau tempo, chuva durante toda a noite, e passado meio dia chegávamos a uma praia linda, com águas serenas e com gente. Fazia tempo que eu não via um carro, uma casa e todas as coisas urbanas”, contou Betão Pandiani.

O barco Picolé passará nesta quarta-feira (24) pela Baia de Guanabara, no Rio de Janeiro, antes de zarpar para Ilhabela.

A Travessia do Atlântico tem o patrocínio de Semp Toshiba, apoio de Mitsubishi, Red Bull e Certisign. Os colaboradores são Reebok, BL3, Sta Constância, Azula, North Sails e Track and Field.

Da ZDL

%d blogueiros gostam disto: