Pular para o conteúdo

Com vídeo: Penúltima etapa da Extreme Sailing Series é disputada em Nice antes de final em Florianópolis

As oito equipes com vários dos melhores velejadores do mundo disputam penúltima etapa da temporada. Título deve ser disputado na inédita etapa de Florianópolis, em novembro

São Paulo – Os velozes barcos Extreme 40 estão em Nice, na França, disputando a penúltima etapa da temporada do Extreme Sailing Series 2013™, que começou na quinta-feira (3) e segue até domingo (6), com o patrocínio de Land Rover. Pelo terceiro ano consecutivo, as oito equipes competem no paradisíaco cenário da baía dos Anjos, na Riviera francesa. A novidade, como acontece a cada etapa, é a entrada dos velejadores da casa. O First Club by ALL4ONE desafia as outras sete embarcações que vêm competindo desde o início do ano. Será a última oportunidade para as tripulações somarem pontos na tabela de classificação antes do confronto final entre os dias 14 e 17 de novembro em Florianópolis.

Para definir o primeiro dia de regatas, a palavra “extreme” pode ser literalmente aplicada. Os oito veleiros tiveram de enfrentar ventos com velocidade média de 20 nós (quase 40 km/h) e rajadas que atingiram 25 nós, provocando ondas de até dois metros. Quem melhor aproveitou as condições extremas foi a tripulação do The Wave Muscat, de Omã, que manteve a liderança com quatro vitórias em oito provas disputadas. Os times suíços, Alinghi e Realteam conquistaram duas vitórias cada. Os catamarãs SAP e Pindar quase capotaram e tiveram de reparar as avarias sofridas.

Nos dois últimos anos, Nice tem oferecido aos velejadores as mais variadas condições para se velejar. Em 2011, uma brisa leve e inconstante predominou durante as regatas, exigindo técnica e perseverança das tripulações. Em compensação no ano passado, o chamado mistral atingiu 30 nós nas rajadas e o público pode conferir a adrenalina dos Extreme 40 a mais de 60 km/h. Precavidas, as equipes se preparam para velejar sob a condição que estiver presente. “Nice pode apresentar uma variedade de situações. Não importa como o vento estiver. O campeonato está chegando ao fim e precisaremos ser consistentes. No vento fraco, paciência será fundamental”, considera o comandante do barco suíço Alinghi, Morgan Larson.

Bicampeões da tradicional America’s Cup, os experientes velejadores do Alinghi têm sido os mais regulares nesta temporada, os únicos que chegaram ao pódio em todas as etapas, mas a liderança é do barco de Omã, The Wave Muscat, ganhador de quatro das cinco regatas já disputadas. “Nice é absolutamente crucial para encaminhar o que vai acontecer no Brasil. Nosso objetivo é manter a vantagem sobre o Alinghi e levar a decisão para Florianópolis. Nossa equipe veleja muito bem quando está sob pressão”, relata o comandante da tripulação que lidera o Extreme Sailing Series, o britânico Leigh McMillan.

Florianópolis decide o campeonato em novembro – A decisão do Extreme Sailing Series será em Florianópolis, no feriado de 15 de novembro, entre os dias 14 e 17. A capital catarinense já está preparando-se para receber os barcos velozes. Um Race Village será montado em frente ao Trapiche da Beira Mar Norte (avenida Rubens de Arruda Ramos/Praça de Portugal) e transformará o local em uma autêntica arena de vela para levar ao público o privilégio de conferir as manobras dos bólidos a poucos metros de distância.

Os catamarãs Extreme 40 super velozes têm 40 pés de comprimento (12 metros), são idênticos e fabricados em fibra de carbono e levam a bordo cinco tripulantes, mais um convidado.

No ano em que o Extreme Sailing Series comemora a 7ª edição, o circuito visita três continentes: Muscat (Omã), Singapura, Qingdao (China), Porto (Portugal), Cardiff (País de Gales), Nice (França) e Florianópolis (Brasil). Em 2012, pela primeira vez na América do Sul, os Extreme 40 competiram na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, com a participação de uma equipe brasileira comandada pelo bicampeão olímpico Torben Grael.Na última etapa deste ano, em agosto, em Cardiff, País de Gales, o time The Wave Muscat, de Omã, ficou em primeiro lugar, acompanhado por um público de 120 mil fãs da vela.

O Extreme Sailing Series é um circuito mundial que pertence a OC Sport, com patrocínio da Land Rover. A organização da etapa brasileira está sob a responsabilidade da Mais Brasil Esportes, com apoio do Governo do Estado de Santa Catarina e da Prefeitura Municipal de Florianópolis.

Classificação após o segundo dia em Nice 
1 – The Wave Muscat (Omã) – 125 pontos – Leigh McMillan (GBR)
2 – Alinghi (SUI) – 107 pontos – Morgan Larson (EUA)
3 – Red Bull Sailing Team (AUT) – 98 pontos – Roman Hagara (AUT)
4 – Realteam (SUI) – 92 pontos – Jérôme Clerc (SUI)
5 – China Spirit (CHI) – 86 pontos – Phill Robertson (NZL)
6 – SAP Extreme Sailing Team (DEN) – 73 pontos – Jes Gram-Hansen (DEN)
7 – First Club by ALL4ONE (FRA) – 70 pontos – Jean Mourniac (FRA)
8 – GAC Pindar (NZL) – 58 pontos – Will Tiller (NZL)

Da ZDL

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: