Pular para o conteúdo

Tripulação feminina promete brigar pelo título do Match Race Brasil

Velejadoras em campanha olímpica prometem competir no mesmo nível dos homens nas regatas barco contra barco na Baía de Guanabara

Isabel e Renata, em campanha na classe 470

Isabel e Renata, em campanha na classe 470

São Paulo (SP) – A vela é um esporte em que a força física do tripulante torna-se fundamental para que os equipamentos sejam ajustados e impulsionem o barco conforme a intensidade e a pressão exercida pelo vento. Nada impede que essa força seja aprimorada pela exclusiva percepção feminina. Essa mescla será a arma da tripulação do Rio Yacht Club, formada apenas por mulheres, para enfrentar os homens no Match Race Brasil entre os dias 28/11 e 1º/12 na Baía de Guanabara.

A tripulação feminina terá a seu favor a experiência das quatro velejadoras. Elas competiram no Rio em 2012 e estão em campanha para a inédita olimpíada brasileira, em 2016. A comandante Renata Decnop está treinando na classe 470 com a trimmer, Isabel Swan, bronze nos Jogos de Pequim, em 2008. A responsável pela tática, Fernanda, irmã de Renata, busca a classificação na Laser, mesma classe que acaba de ganhar Larissa Juk, a proeira, como nova candidata brasileira.

“Meu Laser acabou de chegar da Austrália, está zerinho. Consegui comprar graças a uma bem sucedida ‘vaquinha’ pela internet. O barco chegou aqui em Porto Alegre, mas vou levá-lo para iniciar os treinos em Florianópolis”, conta radiante, a velejadora catarinense que disputou o Brasileiro de Match Race no Veleiros do Sul, ao lado de Fernanda, como preparação para o Match Race Brasil. Renata e Isabel seguem treinando de 470 no Rio. As outras três são cariocas.

“A competição aqui no Guaíba terminou domingo (24). Chegamos à semifinal e nesta segunda já estaremos no Rio treinando de J-24. Estamos mais acostumadas a esse barco e o teremos bem mais na mão do que o Beneteau 40.7, modelo muito maior, utilizado em 2012. Teremos melhor desempenho porque ganhamos confiança. Se o vento estiver fraco, também vai ajudar. Somos bem mais leves do que as tripulações masculinas”, considera Larissa.

Na edição anterior do Match Race Brasil, que neste ano completa a 11ª temporada, a tripulação feminina contou com oito velejadoras e representou o Ciaga – Centro de Instrução Almirante Graça Aranha, da Marinha do Brasil. As corajosas velejadores venceram a equipe do Búzios Vela Clube. “Ganhamos o respeito que merecíamos e foi bem legal porque não terminamos o campeonato em último”, lembra Renata Decnop, que mais uma vez estará no leme, responsável pelo rumo a ser tomado pelas mulheres.

“Acredito que nesse ano, por velejarmos na classe J24, teremos chances de competir de igual para igual com os homens, diferentemente do ano passado com o Beneteau 40.7, bem maior e exigia muito fisicamente. Tivemos bastante dificuldade em dominar o barco”, avalia a comandante da tripulação feminina, animada também com o a evolução em busca de uma vaga para os Jogos de 2016. “Eu e a Isabel estamos juntas há um ano em campanha olímpica. O entrosamento vai ajudar. Montamos um time muito competente de profissionais e patrocinadores que nos apoiam, como, Embratel, Nissan e Marinha do Brasil, além da CBVela e do Time Brasil. Já alcançamos a marca de ‘Top 15’ do ranking mundial de 470”, enfatiza Renata.

Reta final de inscrições – As inscrições para o Match Race Brasil 2013 acabam nesta segunda-feira (25) e devem ser solicitadas pelos clubes. Os times são formados por quatro velejadores, mais um convidado. A premiação total será de 100 mil reais, divididos entre os oito primeiros colocados, e estará em disputa o troféu de posse transitória Roger Wright. A equipe campeã será premiada com um total de 26 mil reais.

O grande desafio da edição será quebrar o domínio dos aspirantes da Escola Naval da Marinha do Brasil, que conquistaram o bicampeonato nos anos de 2011 e 2012, com uma tripulação comandada pelo jovem Henrique Haddad, de 26 anos, que neste ano comandará a tripulação do Iate Clube do Rio de Janeiro. Na última edição, o Veleiros do Sul, com o timoneiro Samuel Albrecht, ficou em segundo lugar e a família Grael, sob comando do filho de Torben, Marco, terminou na terceira posição representando o Rio Yacht Club.

Classificação em 2012:
1º – Marinha do Brasil – Henrique Haddad
2º – Veleiros do Sul – Samuel Albrecht
3º – Rio Yacht Club – Marco Grael
4º – Búzios Vela Clube – Alexandre Saldanha
5º – Yacht Club Ilhabela – Maurício Santa Cruz
6º – Iate Clube do Rio de Janeiro – Thomas Low-Beer
7º – Ciaga – Renata Decnop
8º – Clube Naval Charitas – Rafael Pariz

O Match Race Brasil 2013 tem o patrocínio de Volvo, Sportv, Lorenzetti e TIM. A promoção é da IMX, com apoios da Marinha do Brasil e do Iate Clube do Rio de Janeiro. O projeto foi viabilizado pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte. A realização é da Federação de Vela do Estado do Rio de Janeiro.

Mais informações : www.matchracebrasil.com.br

Da ZDL

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: