Pular para o conteúdo

Arquivo de

Atletas do Veleiros do Sul participam da Copa Brasil de Vela

O evento será o primeiro do ano na raia dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e vai definir quem fará parte da Equipe Brasileira de Vela

Fred Hoffmann registrou a dupla velejando na baia de Guanabara

Fred Hoffmann registrou a dupla velejando na baia de Guanabara

O Veleiros do Sul estará presente em três classes olímpicas nas disputas da Copa Brasil de Vela na praia de São Francisco, em Niterói (RJ). O evento, válido como Campeonato Brasileiro de classes Olímpicas reunirá mais de 300 velejadores de todo o mundo nas classes olímpicas: Laser Radial e Standard, 470 masculino e feminino, RS:X masculino e feminino, 49er, 49er FX, Finn e Nacra 17. O Veleiros do Sul participa com seus velejadores de Nacra 17, Laser Radial e 470 masculino.

No 470 masculino, os campeões sul-americanos Geison Mendes e Gustavo Thiesen defendem sua campanha olímpica após disputarem a etapa de Melbourne da Copa do Mundo de Vela. No Nacra 17, Samuel Albrecht e Geórgia Silva iniciam a parceria na nova classe Olímpica de vela multicasco, enquanto Marcos Pinto Ribeiro e Valéria Fabiano mostram a sua evolução. No Laser Radial, correm as gaúchas Júlia Silva e Ana Barbachan. As regatas de abertura foram disputadas nesta segunda, mas a partir de amanhã (terça) que será dada a largada para as regatas válidas pelo campeonato.

Na competição, a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) pretende utilizar o desempenho dos velejadores como critério para definir as equipes que irão representar o país no Mundial de Santander. O evento na cidade espanhola irá definir metade das vagas dos Jogos Olímpicos do Rio 2016. O Brasil já tem vaga garantida em todas as modalidades.

Da assessoria

Líder do ranking mundial, Martine Grael está ansiosa para competir em casa

Praia de São Francisco, onde ela nasceu e cresceu, é palco da Copa Brasil de Vela até o dia 11

Kyra Mirsky registrou, do mar, a vila da regata

Kyra Mirsky registrou, do mar, a vila da regata

Niterói – O segundo dia da Copa Brasil de Vela agitou a praia de São Francisco, em Niterói. A chegada de boa parte dos velejadores brasileiros e estrangeiros que irão participar da competição agitou a vila da regata, atraindo curiosos tanto na areia, quanto na avenida. E quem ficou feliz de chegar na praia foi Martine Grael, filha do multi medalhista Torben Grael.

A niteroiense, líder do ranking mundial na classe 49er FX ao lado da parceira Kahena Kunze, ficou contente com a estrutura montada pela CBVela e pela prefeitura da cidade.

“É raro vermos eventos de vela na praia e ter a oportunidade de participar de um na porta de casa é especial. Estou bastante contente em ver que um evento como este pode atrair um público grande para a praia”, comenta ela.

A dupla está em campanha olímpica e conhece bem a raia aonde serão disputadas as regatas, porém agora terão um desafio maior. As duas principais duplas inglesas da modalidade também já chegaram na praia de São Francisco e deixam as brasileiras um pouco inquietas.

“Nós queremos ser desafiadas por outras duplas, só assim o nosso nível vai aumentar”, disse Kahena.

No Brasil apenas mais uma dupla, também de Niterói, está fazendo campanha para os Jogos do Rio 2016, o que deixa as competições nacionais com um nível um pouco mais baixo.

Credenciamento – A imprensa interessada em cobrir o evento terá bote disponível para acompanhar as regatas de perto. Para isto, basta enviar um email para imprensa@cbvela.org.br ou mari@peccicom.com com o nome completo da equipe e contato e as datas que deseja acompanhar a competição.

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e da Prefeitura de Niterói e conta com o patrocínio do Bradesco, das Águas de Niterói e da Unimed Leste Fluminense, e com o apoio do Polo Orla Gastronomia.

Programação:

 Das 9 às 18h: Inscrições e medições

7/01:

10h: Cerimônia de abertura

10h30: Reunião de participantes

13h: Regatas

De 8 a 10/01:

13h: Regatas

Dia 11:

13h: Medal Race

 

 

 

 

Ventos fortes matam velejador na Cape 2 Rio

A Cape 2 Rio, considerada uma das regatas mais desafiadoras do mundo, largou da Cidade do Cabo neste sábado e com apenas um dia no mar, boa parte da flotilha de 36 barcos sofreu avarias devido a ventos que chegaram a 60 nós e às ondas, que chegaram a 6 metros. Para o Bille, um Bavaria 54, gêmeo do brasileiro Mussulo, o prejuízo não foi apenas financeiro. Após a quebra do mastro, infelizmente um dos tripulantes veio a falecer e outros estão em estado grave. Os dois barcos estavam correndo com a bandeira de Angola.

Às 20h deste domingo, a situação da flotilha era a seguinte:

  • Black Cat quebrou o leme e estava voltando para a Cidade do Cabo
  • Peekay teve problema com as velas e estava seguindo para Saldanha Bay
  • Explora teve o motor alagado
  • Isla quebrou o motor, mas os geradores estavam funcionando
  • Bille começou com problemas na vela às 10h, às 15h informou que o mastro havia quebrado e várias pessoas estavam em estado grave, incluindo um morto
  • Ava informou que estava com problemas de bateria e acabou acionando o EPIRB às 16h18. Ninguém conseguiu se comunicar com o barco desde então
  • DoDo teve problemas de motor, mas deverá voltar para a regata

Estrangeiros dominam o primeiro dia da Copa Brasil de Vela em Niterói

Ingleses lideram três das dez classes olímpicas

 

Niterói – O primeiro dia de regatas da Copa Brasil de Vela foi marcado por espera em terra e sol forte. Após a abertura da regata, por conta do vento fraco, os velejadores tiveram que esperar em terra por quase meia hora antes de descerem para a área de regatas. Quando finalmente o vento entrou, as classes 49er, 49er FX e Nacra seguiram para a raia da Ponte, o Laser Radial e Laser Standard e os 470 masculino e feminino foram para a raia da Escola Naval, enquanto os RS:X masculino e feminino e o Finn foram para o Flamengo. No final do dia, quem saiu feliz foi a equipe inglesa, que lidera em três classes.

Na raia das pranchas, o vento chegou a 15 nós na segunda regata, para alegria dos velejadores. Menos para a carioca Patrícia Freitas. Apesar de ter conquistado dois primeiros lugares, ela teve problema com o equipamento nas duas provas.

“Na primeira regata eu quebrei uma peça que prende a tala. Consegui trocar e velejar. Durante a regata eu quebrei a tala e aí não teve jeito, tive que pedir para o técnico ir até o clube e pegar uma outra vela para mim”, comentou a representante brasileira da classe RS:X nos dois últimos jogos olímpicos.

Na Finn, deu dobradinha inglesa, com Andrew Mills vencendo a primeira regata e Giles Scott vencendo a segunda. Os dois dividem a liderança da competição e a opinião sobre o dia: “Foi muito bom!”.

Entre os barcos mais rápidos da competição, tanto na 49er masculina quanto na 49er FX feminina, a equipe inglesa largou na frente e lidera a competição. Entre os homens, Dylan Fletcher e Alain Sign venceram as três regatas do dia e deram a receita do sucesso: “Fomos consistentes e conservadores ao mesmo tempo. Como a área de regata era bem aberta, não tinha um lado que favorecia mais e, por isso, conseguimos sempre andar pra frente e nos manter na liderança”, disse o timoneiro Dylan.

Entre as meninas Charlotte Dobson e Sophie Ainsworth ganharam duas, enquanto as companheiras de equipe Frances Peters e Nicola Groves ganharam uma. “Estamos bem felizes, o vento estava ótimo. Nunca tínhamos competido na raia da ponte e foi bem legal”, disse Charlotte.

Na Nacra 17, que tem apenas brasileiros, o casal Clinio Freitas e Cacau Swan lidera, com uma boa média. Os dois foram segundos nas três regatas do dia. “Apesar de estar em primeiro, não estamos satisfeitos com o resultado. Nós erramos muito, não estávamos conseguindo nos concentrar. Mas amanhã é outro dia e ainda temos mais nove regatas pela frente”, disse Cacau.

Na Laser Standard, surpresa. Robert Scheidt, grande favorito, venceu uma regata, enquanto o também paulista João Hackerott venceu outra. “Eu velejei bem, mas o dia foi muito longo, com uma espera muito grande entre uma regata e outra”, comenta o multicampeão. Já na Radial, a líder é a holandesa Marit Bowmeester, seguida pela americana Erika Reineke. Em terceiro está a capixaba Odile Ginaid.

Na 470, apesar de ser dividida em masculina e feminina, todos os barcos correm juntos. Renata Decnop e Isabel Swan lideram entre as mulheres, enquanto os franceses Bouvet Sofian e Mion Jeremie lideran entre os homens. “Estamos cumprindo o nosso objetivo que é ganhar dos homens. A ideia é velejar com eles para aumentar o nosso nível”, disse a timoneira Renata.

Para esta quarta-feira estão previstas mais três regatas para as classes Nacra 17, 49er e 49er FX. As demais classes deverão ter duas regatas. A largada está programada para as 13h, na baía de Guanabara.

Credenciamento – A imprensa interessada em cobrir o evento terá bote disponível para acompanhar as regatas de perto. Para isto, basta enviar um email para imprensa@cbvela.org.br ou mari@peccicom.com com o nome completo da equipe e contato e as datas que deseja acompanhar a competição.

Os resultados e a lista de velejadores inscritos está disponível no site http://www.cbvela.org.br

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e da Prefeitura de Niterói e conta com o patrocínio do Bradesco, das Águas de Niterói e da Unimed Leste Fluminense, e com o apoio do Polo Orla Gastronomia.

Resultados:

RS:X feminino – 2 regatas:

  1. Patricia Freitas – BRA – 1+1, 2 pontos perdidos
  2. Bruna Martinelli – BRA – 2+2, 4 pp
  3. Carmen Rosas – BRA – 3+3, 6 pp

RS:X masculino – 2 regatas:

Finn – 2 regatas:

  1. Andrew Mills – GBR – 2+1, 3 pontos perdidos
  2. Giles Scott – GBR – 1+2, 3 pp
  3. Mark Andrews – GBR – 5+3, 8 pp

Nacra 17 – 3 regatas:

  1. Clinio Freitas e Cacau Swan – BRA – 2+2+2, 3 pontos perdidos
  2. Marcos Ferrari e Caroline Silvestre – BRA –

Laser Standard – 2 regatas:

  1. Robert Scheidt – BRA – 1+2, 3 pontos perdidos
  2. João Hackerott – BRA – 2+1, 3 pp
  3. Alex Mills – GBR – 4+4, 8 pp

Laser Radial – 2 regatas:

  1. Marit Bowmeester – NED – 1+3, 4 pontos perdidos
  2. Erika Reineke – USA – 2+2, 4 pp
  3. Odile Ginaid – BRA – 4+1, 5 pp

49er – 3 regatas:

  1. Dylan Fletcher e Alain Sign – GBR – 1+1+1, 3 pp
  2. Dave Evans e Ed Powys – GBR – 3+2+2, 8 pp
  3. André Fonseca e Mario Tinoco – BRA – 2+4+4, 10 pp

49er FX – 3 regatas:

  1. Charlotte Dobson e Sophie Ainsuworth – GBR – 1+2+1, 4 pontos perdidos
  2. Frances Peters e Nicola Groves – GBR – 2+1+2, 5 pp
  3. Juliana Senfft e Gabriela Nicolino – BRA – 4+3+3, 10 pp

470 masculino – 2 regatas:

  1. Bouvet Sofian e Mion Jeremie – FRA – 1+1, 2 pontos perdidos
  2. Geison Mendes e Gustavo Thiesen  – BRA – 4+3, 7 pp
  3. Victor Schnaider e Alexandre Muto – BRA – 3+4, 7 pp

470 feminino – 2 regatas:

  1. Renata Decnop e Isabel Swan – BRA – 1+1, 2 pontos perdidos
  2. Letícia Nicolino e Mareanna Goiveia – BRA – 2+2, 4 p

Da PecciCom/CBVela

Team SCA anuncia mais duas velejadoras que disputarão a Volvo Ocean Race

 O Team SCA, equipe 100% feminina que disputará a próxima Volvo Ocean Race, anunciou nesta quarta-feira o nome de mais duas tripulantes. A americana Sally Barkow e a suíça Justine Mettraux, se juntam ao time que já conta com Carolijn Brouwer (NED); Sam Davies, Abby Ehler, Annie Lush (GBR), Liz Wardley, Sophie Ciszek and Stacey Jackson (AUS).

Centenas de velejadoras do mundo todo, incluindo o Brasil, enviaram seus currículos para a equipe e, destas, 35 foram pré-selecionadas. Elas passaram por testes rigorosos dentro e fora d’água e dez delas estarão a bordo do barco cor-de-rosa.

Robert Scheidt estreia na temporada 2014 nesta terça, na raia dos Jogos do Rio-2016

Maior medalhista olímpico brasileiro aproveitará a Copa Brasil para testar a raia olímpica, em Niterói

Scheidt é uma das estrelas da Copa Brasil de Vela

Scheidt é uma das estrelas da Copa Brasil de Vela

São Paulo – Para Robert Scheidt, a Copa Brasil, que se inicia nesta terça-feira (7) em Niterói (RJ), será uma oportunidade de testar a raia olímpica ao lado de outros competidores em campanha para os Jogos do Rio de Janeiro/2016. Um dos maiores nomes da vela no mundo, o brasileiro encerrou 2013 com a conquista do 11º Mundial de Laser – o 14º da carreira – resultado que o credencia a buscar a sexta medalha olímpica ‘em casa’, além de vencer a Star Sailors League, em dezembro.

“Vou encarar a Copa Brasil como um precioso treino de início de temporada”, aponta Scheidt. “Além dos brasileiros, como o Bruno Fontes e o Matheus Dellagnelo, teremos a presença do inglês Nick Thompson e do americano Charlie Buckingham, o que aumentará ainda mais o nível da disputa. Todos estão querendo conhecer a raia olímpica.”

A competição reunirá todas as classes olímpicas na Baía de Guanabara, em Niterói. Para a classe Laser, estão previstas oito regatas, duas por dia, a partir das 13 horas, com possibilidade de um descarte. No sábado (11), os velejadores disputarão a medal race, valendo pontos dobrados.

Da Local

Com mais de 50 pessoas, equipe de juízes será peça fundamental da Copa Brasil de Vela

Evento em Niterói servirá como teste para os Jogos Olímpicos de 2016

Niterói – As regatas da Copa Brasil de Vela começam oficialmente nesta terça-feira, mas o trabalho da equipe de juízes começou faz tempo. O evento, que tem como sede a praia de São Francisco, em Niterói, servirá como teste para a equipe que irá trabalhar nos Jogos Olímpicos de 2016.

“Durante as Olimpíadas teremos cinco equipes trabalhando. Aqui na Copa Brasil estamos treinando três, que já irão trabalhar no Evento Teste, em agosto”, disse Nino Shmueli, de Israel, responsável por todos os juízes que irão trabalhar nos Jogos.

Ele explica que a ideia principal é que estes profissionais, especialmente os de fora do Rio de Janeiro, possam se familiarizar com as áreas de regata tal como a profundidade, corrente e os ventos.

“Apesar de esta não ser a mesma época dos Jogos, já serve para as equipes irem se entrosando”, completa Shmueli.

Para o gaúcho Nelson Ilha, responsável pelo cumprimento das regras dentro d’água e pela comissão de protestos, um evento deste porte e com esta importância, deixa os atletas com os nervos à flor da pele.

“Sempre tem uma pressão, pois tem muita coisa em jogo, e por isso alguns velejadores podem acabar protestando por assuntos mínimos”, disse ele, que sabe que terá muito trabalho até o final da competição.

Mas o fato de estar trabalhando na praia, deixa ele mais contente: “A Copa Brasil de Vela me lembra os tempos áureos do iatismo, quando tínhamos eventos assim, com o pé na areia. Porém temos que sempre lembrar os velejadores que isto é um trabalho sério e devemos manter o clima mais formal.

Regatas começam nesta terça – Nesta terça-feira, às 10h, será feita a cerimônia de abertura, com a presença do vice-prefeito de Niterói Axel Grael. As regatas estão programadas para começar às 13h, nas três raias dentro da baía de Guanabara.

Credenciamento – A imprensa interessada em cobrir o evento terá bote disponível para acompanhar as regatas de perto. Para isto, basta enviar um email para imprensa@cbvela.org.br ou mari@peccicom.com com o nome completo da equipe e contato e as datas que deseja acompanhar a competição.

Os resultados e a lista de velejadores inscritos está disponível no site http://www.cbvela.org.br

Programação:

 Das 9 às 18h: Inscrições e medições

7/01:

10h: Cerimônia de abertura

10h30: Reunião de participantes

13h: Regatas

De 8 a 10/01:

13h: Regatas

Dia 11:

13h: Medal Race

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e da Prefeitura de Niterói e conta com o patrocínio do Bradesco, das Águas de Niterói e da Unimed Leste Fluminense, e com o apoio do Polo Orla Gastronomia.

Da PecciCom

%d blogueiros gostam disto: