Pular para o conteúdo

Marcelo Fuchs e Ronie Seifert, em 5º, são a melhor dupla brasileira no Mundial de Star

A flotilha de 92 barcos no Mundial de Star

A flotilha de 92 barcos no Mundial de Star

Terminou no último sábado, 5, em Malcesine, na Itália, o Mundial de Star. Apesar de um campeonato controverso, com muitos erros da Comissão de Regatas, o Brasil terminou com duas duplas entre as dez melhores um proeiro no pódio: Bruno Prada foi terceiro com o norueguês Eividin Meleby, Marcelo Fuchs e Ronie Seifert foram quintos colocados, e Torben Grael e Guilherme Almeida ficaram em nono. O título ficou com os alemães Robert Stanjek e Kleen Frithjof.

A competição tinha tudo para ser perfeita. O lugar é lindo, normalmente o vento está presente em forte intensidade e a flotilha, de 92 barcos, é uma das mais fortes do mundo, com diversos campeões mundiais e olímpicos. No primeiro dia de regatas, no entanto, a Comissão desclassificou nada menos que 24 barcos por terem largado escapado. Nesta leva estavam os brasileiros Lars Grael e Samuca Gonçalves, Marcelo Bellotti e Arthur Lopes, Admar Gonzaga e Alexandre Freitas, Frederico Viegas e Tinha Moura, André Luiz Reis e Antonio Moreira. O que a CR não considerou, no entanto, foi que parte destes velejadores não estava realmente acima da linha quando foi dado o tiro, fato mostrado pelo GPS instalado pela organização em cada barco.

No dia seguinte, a CR cancelou a regata com Torben a 400 metros da linha de chegada.

No terceiro dia, vitória de Lars e Samuca, com Marcelo e Ronie em quarto e Dino Pascolato e Maguila em nono.

No quarto dia de regatas, mais problemas. Lars e Samuca venceram mais uma regata, com Marcelo novamente em quarto e Torben em nono, mas, na segunda do dia, novamente bandeira preta para os brasileiros Lars, Dino e Frederico Viegas, que estava velejando com Renato ‘Tinha’ Moura na proa. Apesar das duas vitórias, Lars e Samuca viram o sonho do título ir embora e a responsabilidade do pódio brasileiro ficou nas mãos de Marcelo e Ronie.

Os dois cumpriram o seu papel e continuaram velejando entre os líderes. Na quinta regata, Lars foi terceiro colocado, Torben sexto e Marcelo, oitavo.

Na sexta e última regata, Torben ficou em sexto, Lars, em nono e Marcelo em 14º, para assegurar a quinta colocação geral na sua primeira participação em Mundiais de Star.

“Obrigado a todos vocês brasileiros que nos trataram muito bem durante todos esses dias. Sem duvida vocês são os melhores”, disse o timoneiro campeão Robert Stanjek, se referindo à flotilha brasileira, que era a mais unida e animada da competição.

“Errei em provavelmente ousar demais no posicionamento de partida, mas a arbitragem amadora e a organização local abusaram nos erros de largadas, montagem de percursos e sinalizações”, disse Lars, lamentando não poder brigar pelo título por conta de erros da CR.

Resultado final do Mundial de Star após seis regatas e um descarte:

1.Robert Stanjek e Kleen Frithjof, ALE, 25 pontos perdidos
2.Diego Negri e Sergio Labertenghi, ITA, 27 pp
3.Eividin Melleby e Bruno Prada, NOR/BRA, 27 pp
4.Augie Diaz e Arnis Baltins, USA, 30 pp
5.Marcelo Fuchs e Ronie Seifert, BRA, 40 pp
9.Torben Grael e Guilherme Almeida, BRA, 44 pp
19.Lars Grael e Samuel Gonçalves, BRA, 102 pp
29.Dino Pascolato e Henry ‘Maguila’ Boening, BRA, 156 pp
31.Admar Gonzaga e Alexandre Freitas, BRA, 175 pp
32.André Reis e Antonio Moreira, BRA, 178 pp
43.Marcelo Bellotti e Arthur Lopes, BRA, 204 pp
83.Frederico Viegas e Renato ‘Tinha’ Moura, BRA, 345 pp

 

 

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: