Pular para o conteúdo

Arquivo de

Veleiros do Sul realiza Regata Porto Alegre – Pelotas 2014

Com o patrocínio da Vipal, Delta Yachts e Equinautic no próximo dia 01 de novembro o Veleiros do Sul de Porto Alegre e o Veleiros Saldanha da Gama de Pelotas realizam a Regata Porto – Alegre Pelotas 2014. A mais longa regata da vela gaúcha convida as tripulações de barcos das Classes Cruzeiro (bico de proa), Classe Delta, ORC Internacional e BRA RGS para participarem do desafio e contará com apoio da Marinha do Brasil, Rio Grande Yacht Club, Clube dos Jangadeiros e Iate Clube Guaíba. A velejada cruzará a Lagoa dos Patos enfrentando os ventos e testemunhando imagens únicas e a beleza que o estuário reserva aos navegantes.

Serão aceitas inscrições até 30 de outubro às 19h30min ao custo de R$ 30,00 por tripulante. Barcos que desejarem se inscrever devem estar prontos para serem vistoriados pela Marinha do Brasil entre os dias 29 e 30 outubro das 9h às 18h. Cada barco deverá ter um responsável para acompanhar a vistoria. Para quem quiser retornar de Pelotas a Porto Alegre de ônibus, serão aceitas reservas de vagas nos ônibus para retorno no ato da inscrição e o valor da passagem será rateado entre os passageiros (saída de Pelotas dia 02/11 às 21h30min).

Aviso e Instruções de regata: http://bit.ly/1ygGx0H

Da assessoria do VDS

Bruno Fontes disputa a etapa chinesa da Copa do Mundo de Vela

A partir desta segunda-feira, 12, Qingdao, na China, sedia a primeira etapa da Copa do Mundo de Vela 2014/2015, e o velejador Bruno Fontes será o representante do Iate Clube de Santa Catarina – Veleiros da Ilha na competição. Ocupando atualmente a sexta colocação no ranking mundial, Bruno tem uma boa oportunidade de conquistar uma pontuação importante, uma vez que as etapas de Copa do Mundo distribuem 200 pontos.

“Essa é a minha quinta passagem pela China, mas é a primeira vez que vou ter a oportunidade de competir nessa etapa da Copa do Mundo de Vela. Será um grande evento e com vários dos melhores atletas do mundo na raia em Qingdao. Espero sair daqui com mais um grande resultado”, explica Bruno Fontes.

Antes de embarcar para a etapa da Copa do Mundo de Qingdao, Bruno teve outras quatro passagens pela China. Antes das Olimpíadas de Pequim, em 2012, o velejador do Iate Clube de Santa Catarina disputou dois eventos na raia dos Jogos e no ano passado participou de uma série de treinamentos à convite da Federação Chinesa, para passar conhecimento aos atletas do país.

A etapa de Qingdao abre o calendário de eventos da Copa do Mundo 2014/2015, que terá etapas ainda em Melbourne (Austrália), Miami (EUA), Hyéres (FRA) e Weymouth & Portland (Grã-Bretanha). O formato de competição segue os moldes olímpicos com dez regatas mais a Medal Race.

“As etapas da Copa do Mundo de Vela são evento muito importantes e tradicionais, e, consequentemente, atraem os melhores velejadores do mundo. Competir aqui é importante para velejar ao lado destes atletas é mais uma grande oportunidade para ver como está o meu desempenho com relação aos melhores velejadores”, encerra Bruno.

Bruno Fontes viaja para a China através da Lei de Incentivo ao Esporte em parceria com o Iate Clube de Santa Catarina.

Da assessoria

Gabriel Lopes e Tiago Quevedo são o Veleiros do Sul no Mundial de Optimist na Argentina

Equipe brasileira embarcou neste domingo e treina em equipe para o campeonato que começa no dia 20
Tiago e Gabriel na foto de Ane Meira

Tiago e Gabriel na foto de Ane Meira

Embarcaram neste domingo dois jovens talentos do Veleiros do Sul rumo à mais importante disputa da classe Optimist. Pela primeira vez com dois participantes no Campeonato Mundial de Optimist, o clube será representado pelo campeão brasileiro de Optimist de 2014 Tiago Quevedo e o campeão sul-americano de 2013 Gabriel Lopes em San Isidro.
A dupla obteve a vaga no Campeonato Norte-nordeste de Optimist na Bahia em março e integra a equipe brasileira junto com os cariocas Gustavo Abdulklech e Clara Penteado (ICRJ) e com o pernambucano Tiago Monteiro (Cabanga Iate Clube) além de ter o suporte técnico profissional de Filipe Novello e de Jônatas Gonçalves. Os gaúchos ainda contarão com o apoio técnico de Alexandre Paradeda, com quem treinaram por duas semanas, e com o importante estímulo do técnico Geison Mendes, que acompanha a dupla desde o início na Flotilha Minuano. Eles também têm o apoio da Pro Nautic.
Tiago Quevedo representa o país no Mundial pela primeira vez após conquistar o campeonato brasileiro. “Será a minha primeira experiência num mundial. É um campeonato onde vamos enfrentar os melhores velejadores do mundo na nossa classe”, conta o campeão que já conhece a raia e vê muitas semelhanças entre o Prata e o Guaíba. “Tem uma onda muito parecida, a água barrenta e o vento, isso favorece a gente”. Já Gabriel Lopes fará a sua segunda participação no Mundial, pois no ano passado foi ao Lago Garda na Itália integrando a Equipe Brasileira e ficou em 104ª. “Agora é diferente porque tu sabe o que tu tens que fazer. Tu tens que fazer uma boa largada, porque tem muita gente, a raia fica cheia, então é importante começar bem”, sugere o campeão sul-americano.
A equipe, que chega a Buenos Aires e terá treinos em equipe e aclimatação na raia argentina no período de 13 a 20 de outubro, criou um blog onde manterá os pais e a torcida informados sobre a rotina e o desempenho da turma: http://www.mundialoptimist2014.blogspot.com.br/

 

Vídeo: Melhores momentos da etapa francesa do Extreme Sailing Series

 

Com vídeo: Volvo Ocean Race começa com perna até a África

Largada da regata em Alicante, na Espanha

Largada da regata em Alicante, na Espanha

O principal evento de vela oceânica do mundo já começou. Neste sábado (11), sete modernos barcos partiram para a primeira etapa da Volvo Ocean Race 2014-15. Os espanhóis, que sediam a abertura do evento, fizeram muita festa para dar energia aos velejadores que partiram rumo ao Atlântico Sul. O trecho entre Alicante, na Espanha, até a Cidade do Cabo, na África do Sul, terá quase 12 mil quilômetros e deverá ter duração de no mínimo 23 dias. A flotilha irá enfrentar ventos fortes na passagem por Gibraltar, as famosas zonas de baixa pressão nos Doldrums, a Linha do Equador e toda a passagem pela costa brasileira, incluindo Fernando de Noronha, waypoint obrigatório para os barcos.
“A meteorologia indica que serão difíceis os primeiros quilômetros da regata”, indicou André ‘Bochecha’ Fonseca, brasileiro que compete pelo espanhol MAPFRE. Realmente, as primeiras 24 horas de regata terão bastante variação de ventos, começando com intensidade média. Durante a madrugada, a velocidade vai subir para quase 40 km/h. Os barcos devem acessar o Oceano Atlântico apenas na madrugada de segunda-feira (13).
“Eu acho que a saída de Gibraltar deve ser bastante complicada. Acredito que a estratégia das equipes será evitar que um barco se desgarre da flotilha. Normalmente, quem sai primeiro tem a vantagem de entrar no vento antes, abrindo vantagem para os demais. A regata pode ser definida nesse trecho”, disse André ‘Bochecha’ Fonseca.
O MAPFRE do brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca ficou no meio da flotilha após os primeiros quilômetros de regata. A liderança provisória desde a largada está com o Team Brunel, da Holanda. Na cola dele está o Abu Dhabi.
A edição 2014-15 é a mais humana da história da Volvo Ocean Race. Pela primeira vez, os barcos são rigorosamente iguais, ou seja, o vencedor será a tripulação que tomar as melhores decisões ao longo dos nove meses de regata. Serão ao todo 71.745 quilômetros por todos os continentes.
http://bit.ly/1sxb3zN
Posições nesta segunda-feira: 
Na manhã nesta segunda-feira o líder era o Team Vestas Wind, porém a flotilha continua muito junta, com apenas nove milhas de distância entre os sete barcos. O vento estava na casa dos 16 nós e os barcos velejavam a 10 nós.
Da assessoria

Vídeo: Carioca de HPE 25 por Lô Kunze

João Ramos é terceiro colocado no Mundial Máster de Laser

E este foi o time que representou o Brasil na França

E este foi o time que representou o Brasil na França

Terminou neste domingo em Hyères, na França, o Mundial Máster da classe Laser. E o Brasil esteve muito bem representado, por seis brasileiros, nas categorias Radial e Standard. No total, 512 velejadores disputaram a competição. O melhor brasileiro foi João Ramos, de Brasília, que ficou com o terceiro lugar da Radial Master.

Confira abaixo um resuminho do campeonato pelo velejador catarinense Luciano Gubert:

Resuminho para quem tá acompanhando o Campeonato Mundial Master de Laser. O brasileiro João Ramos, de Brasília, foi quem obteve a melhor colocação para o Brasil, levando o troféu de terceiro lugar para casa, entre 73 competidores na categoria radial master. Na Radial Pré-Master Iago Whately (YCSA/SP), terminou em quarto lugar, e Fábio Ramos (Katavento Capas Náuticas) (ICSC – SC), terminou em 11, entre 25 inscritos. Ainda na Radial, na categoria Grand Master, Hélio Araújo (ICRJ – RJ) terminou em 36, entre 77 inscritos.

Fiquei em 30o. Tá ruim mas tá bom!

Foi uma experiência extraordinária, e acredito que dificilmente teremos na história outro campeonato mundial de laser com 500 barcos, recorde que deve durar, ou quem sabe nunca ser batido!

Agradeço a todos pela torcida e pelo apoio à distância!

%d blogueiros gostam disto: