Pular para o conteúdo

Arquivo de

Circuito Rio recomeça com Chrispin, Magia V e Ângela star na liderança

Regata de S40 por Fred Hoffmann

Regata de S40 por Fred Hoffmann

Nesta sexta-feira finalmente todos os veleiros inscritos no Circuito Rio foram juntos para a água. A competição, que reúne as classes ORC, IRC, RGS e S40, teve seu início no final de semana passado, com a disputa da Santos – Rio e continuou nesta quinta-feira, com regatas apenas para a classe S40. Nesta sexta foram disputadas duas regatas barla-sota e os líderes em cada classe são: Chrispin na RGS, Magia V, na IRC e Angela V na ORC. A competição segue até domingo e terá ainda regatas de percurso médio. Resultados completos em http://icrj.com.br/classificacao.html

 

Mundial de Optimist: Brasil tem dobradinha no top 10

Competição reuniu mais de 250 velejadores, de 50 países, em San Isidro, na Argentina

 

Terminou nesta quinta-feira em San Isidro, na Argentina, o Mundial de Optimist. E o Brasil mostrou que é também uma potência na vela jovem ao terminar a competição com dois atletas entre os dez melhores. Tiago Quevedo foi 5º colocado, enquanto Gustavo Abdulklech foi 6º , coma penas seis pontos de diferença entre eles. O título ficou com o suíço Nicolas Rolaz.

“Tinha confiança que conseguiria chegar no final da competição entre os cinco melhores do mundo”, disse Tiago, de  13 anos, que é também o atual campeão brasileiro da classe Optimist.

No total foram 11 dias de competição, com nove regatas disputadas, sendo seis da fase classificatória e três da fase final, quando os velejadores foram divididos em flotilha ouro, prata e bronze, de acordo com o seu desempenho na primeira fase. No início do campeonato o vento estava de fraco a médio, porém nos dois últimos dias uma frente fria levou ventos fortíssimos à raia, que chegaram aos 23 nós (41 km/h). Nestes dias, Gustavo chegou a vencer uma das regatas e foi segundo em outra.

Além dos dois, a equipe brasileira contou com o reforço de Gabriel Lopes, 8º colocado na flotilha prata, Tiago Monteiro, 18º na mesma flotilha, e Clara Penteado, 21ª na bronze.

Aclimatação foi essencial: Como sempre faz nos Mundiais de Optimist, a CBVela enviou os velejadores, o técnico Filipe Novello e o chefe de equipe Jônatas Gonçalves uma semana antes para a Argentina.

“Como o mundial é a principal competição do ano, e somos representados por nossos cinco melhores velejadores, a CBVela entende q o investimento no mundial de OP é importante, principalmente como forma de reconhecimento pelos méritos por terem chegado a este campeonato depois de uma difícil seletiva. A aclimatação faz parte para que os velejadores se acostumem com a raia , barco alugado, etc.”, disse Alexandre Paradeda, coordenador da vela jovem na CBVela.

A delegação brasileira disputou o Mundial de Optimist com o apoio da CBVela. A CBVela tem patrocínio do Bradesco por meio da Lei de Incentivo ao Esporte e conta com a Slam como fornecedora oficial.

Vídeo: Conheça melhor o velejador André ‘Bochecha’ Fonseca

%d blogueiros gostam disto: