Pular para o conteúdo

Juju Senfft e Gabi Nicolino são campeãs Sul-Americanas de 49er FX

Juju e Gabi, campeãs na classe 49er FX

Juju e Gabi, campeãs na classe 49er FX

Rio de Janeiro – O encerramento do VIII Campeonato Sul-Americano de 49er e do II Campeonato Sul-Americano de 49erFX aconteceu com ventos de sul/sudoeste de 10 a 14 nós no atual epicentro da vela olímpica internacional, a baía de Guanabara, no Rio de Janeiro.

O dia nublado começou cedo para a flotilha masculina, já que eles foram os primeiros a cair na água neste sábado. A primeira regata na raia da Escola Naval teve um novo vencedor, Brad Funk, campeão americano de Laser, e seu companheiro, o também norte-americano, Trevor Burd. Seu sucesso, no entanto, não ajudou muito a melhorar sua posição na classificação geral, 21º na flotilha de 25 barcos de 14 nacionalidades diferentes.

Por outro lado, os vencedores do dia e grandes vencedores do campeonato foram os surpreendentes neozelandeses, para dizer o mínimo, Peter Burling e Blair Tuke. Os dois simplesmente venceram duas regatas hoje para completar cinco triunfos nas 12 provas da série e, mesmo contando 52 pontos de dois dos três DNCs do primeiro dia perdido (quando eles estavam voando de volta da festa de premiação de velejadores do ano da Isaf em Palma de Maiorca), conseguiram ultrapassar toda a concorrência e garantir a vitória geral com 68 pontos.

Outro grande feito para os atuais campeões mundiais e medalhistas de prata em Londres, que estão se tornando uma lenda na classe 49er e desde os últimos Jogos Olímpicos não perderam a primeira posição em nenhum evento que participaram. Peter disse que “a raia é complicada, especialmente por conta da forte corrente. Mas é da mesma maneira para todo mundo”. Só que aparentemente eles não se encaixam na parte ‘todo mundo’ da frase. São os caras a serem batidos.

Protestos – Já o resto do pódio foi outra história, um drama de protestos que estão acontecendo desde ontem e tornou-se uma novela com muitos capítulos e reviravoltas. No início, o duo dinamarquês Jonas Warrer e Anders Thomsen conseguiu uma reparação na 8ª regata por conta de uma situação de linha de largada envolvendo americanos, italianos e austríacos também. Mas nesta manhã novas evidências em vídeo acabaram desqualificado a dupla da regata e outro protesto foi feito por eles, tentando cancelar as novas decisões. Como este último protesto ainda não foi julgado, os franceses Mann Dyen e Stephane Christidis subiram ao segundo degrau do pódio com 76pts e comemoram muito.

Na luta exclusivamente sul-americana, os irmãos Yago e Klaus Lange, filhos da lenda da vela argentina Santiago Lange, não tiveram um bom dia, com duas colocações intermediárias, mas foi o suficiente para garantir o título continental e o 3º lugar geral do evento. Marco Grael e Gabriel Borges, do Brasil, ficaram com o segundo lugar do Sul-americano (7º no geral) e os compatriotas Dante Bianchi e Thomas Low-Beer foram terceiros (13º no geral).

49erFX – As meninas tiveram mais tempo para descansar no sábado quente e úmido e começaram a trabalhar por volta de 13:30 em um engarrafamento de velejadores de fim de semana e outros barcos de classes olímpicas saindo para treinar. Mas nada que perturbasse a paz do barco holandês misto de Anemiek Bekkering e Rick Peacock que, com duas vitórias e um terceiro hoje viu sua imensa vantagem crescer ainda mais e levá-los ao alto do pódio, vencendo o evento com apenas 19 pontos.

Peacock, o treinador das meninas, disse que tinha a intenção “de se divertir e conhecer melhor as manobras dentro do barco e os detalhes da raia. Também é muito bom para deixar o bote inflável de lado um pouco e sentir a coisa real”, acrescentou.

As primeiras colocadas exclusivamente do sexo feminino e vice-campeãs no Rio foram as neozelandesas Alex Moloney e Melly Meech, com 37pts. O terceiro lugar geral teve a dupla britânica Charlotte Dodson e Sophie Ainsworth, com 51pts. O título sul-americano manteve-se no Brasil como Juliana Senfft e Gabriela Nicolino, em 13º no geral, e primeiras do continente entre os 13 países representados no evento.

“Para mim, é ótimo manter o título em casa. No ano passado, Martine e Kahena ganharam, mas este ano elas não correram de verdade pois estavam vindo da entrega de prêmios de velejadoras do ano, em Palma. Foi uma competição de alto nível e para o nosso treinamento foi ótimo”, disse a niteroiense nova campeã sul-americana de 49erFX, Juliana Senfft.

A cerimônia de premiação aconteceu no Iate Clube do Rio de Janeiro, com sanduíches, refrigerantes e cerveja. Os vencedores do evento foram premiados com relógios exclusivos da Seiko e o patrocinador também presenteou a dupla de 49erFX chilena, últimas no geral, com uma vela balão nova para o desenvolvimento delas e da classe no Chile. A Mackey Boats doou o prêmio perpétuo Sul-Americano e os vencedores em ambas as classes tiveram seus nomes inscritos na bonita placa de madeira com uma pintura que mostra os barcos velejando.

O próximo evento importante para os líderes mundiais do ranking das classes 49er e 49erFX e os principais candidatos para os postos de medalhas no Rio 2016 é o Campeonato Intergaláctico que terá início no dia 11 e termina em 14 de novembro também no Iate Clube do Rio de Janeiro.

Resultados 49er: http://bit.ly/49erSA_M

Resultados 49erFX: http://bit.ly/49erFX_SA

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: