Pular para o conteúdo

Resumito VOR: Abu Dhabi vence etapa mais parelha da história da regata. MAPFRE, com Bochecha no timão, é vice.

Abu_win_itajai2015

Depois de quase 7 mil milhas e um Horn no meio flotilha da VOR faz chegada histórica em Itajaí e entre o vencedor, Abu Dhabi, e o quarto colocado, Brunel, houve menos de uma hora de intervalo. 

Nota: Lars (com Samuca na proa, claro) é hexa brasileiro de Star. Torben vence a Búzios Sailing Week.

Caraca!! Você não tem ideia!! Transmitindo direto do covil itajaiense, neste santo litoral catarinense, vamos atualizando os amigos neste pré-resumão com as maravilhas da vela volvica.

Antes, porém, uma nota rápida sobre os irmãos Brothers (que depois vem completa no resumão). Eles venceram de novo! Lars Grael e Samuca foram os grandes campeões do Brasileiro de Star na Guarapiranga e, com isso, o cara faturou seu hexa campeonato brasileiro na classe e só está atrás do irmão Torben. Já o irmão Torben faturou no S40 Magia V/Energisa mais uma Búzios Sailing Week na ORC Geral. Estavam endiabrados na semana santa!

Mas vamos às novas novidades desta costa sul porque a festa foi linda demais. E, desde já, agradeço a oportunidade de pela terceira vez (4ª se contar a transmissão ao vivo na TV em 2005) ser parte integrante deste time vencedor e ter a oportunidade de comandar a festa na vila da regata. É muito para um manza qualquer! E não acabou ainda…

Como não preciso reinventar a roda, já tomo emprestado o “prez rilize” do brother Flavinho Perez para contar a historinha co meus pitacos também. Segue.

A história da vela oceânica mundial foi escrita neste domingo de Páscoa. Pela primeira vez na história da regata, a etapa mais longa da Volvo Ocean Race – quase 13 mil quilômetros entre a Nova Zelândia e o Brasil – foi decidida nos detalhes. Os quatros barcos que chegaram à cidade catarinense terminaram a prova muito próximos, com menos de uma hora entre eles. A vitória foi do Abu Dhabi e o público se emocionou com a conquista do brasileiro e catarinense André ‘Bochecha’ Fonseca.

A quinta etapa da Volvo Ocean Race será impossível de tirar da memória. A vitória do Abu Dhabi, a diferença mínima entre os barcos, um brasileiro a bordo, recorde de milhas velejadas, Cabo Horn, icebergs, frio e quebras…Ufa…Serão necessários vários parágrafos para contar toda a história da perna entre Auckland e Itajaí. Vamos resumir os fatos:

m37936_livestream-2015-04-05-at-17-00-29

Árabes venceram

Abu Dhabi, barco árabe comandado pelo medalhista olímpico Ian Walker, cruzou a linha de chegada da quinta etapa da Volvo Ocean Race em primeiro lugar, depois de 18 dias 23 horas e 30 minutos. Pouco tempo depois – em exatos 55 minutos – chegaram MAPFREAlvimedica e Brunel. A equipe abriu sete pontos na liderança do campeonato e ainda quebrou o recorde de milhas velejadas em 24 horas (o troféu IWC) nesta edição: 550,8 milhas náuticas.

“Foi uma etapa dura e desgastante! Um final apertado e os barcos ficaram próximos do começo até o fim da regata. Resultado do ótimo desempenho da nossa tripulação no percurso. O segredo dos barcos de design único é velejar bem. Se fizer tudo direito dá tudo certo”, disse Ian Walker, comandante do Abu Dhabi Ocean Racing.

Na edição passada, o Abu Dhabi não chegou em Itajaí por problemas na embarcação, mas dessa vez deram a volta por cima, vencendo e convencendo. A melhor notícia (para eles!) é que a equipe árabe lidera a competição com sete pontos de diferença para o segundo colocado, o Dongfeng que partiu a jaqueira nas proximidades do Horn e agora faz um cruzeiro vela-motor rumo a Itajaí.

O próximo barco a chegar será o feminino SCA. O Dongfeng também é esperado, claro.

m37956_vor-150405-mendes-012

Um novo ídolo nacional

Recebido como herói, o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca conduziu o barco MAPFRE nos momentos finais. “Bochecha..Bochecha…Bochecha…gritavam os torcedores que lotaram a Vila da Regata na Páscoa. A emoção maior foi quando o velejador mostrou a bandeira do Brasil e de Santa Catarina. “Foi incrível essa recepção. Não sei como retribuir o carinho do público. Fizemos um resultado especial e mostramos nossa evolução na Volvo Ocean Race”, disse o também atleta olímpico.

Milhares de pessoas lotaram a Vila da Regata e os molhes de Itajaí e Navegantes para ver a chegada do Bochecha. Mas ele tinha a torcida particular da família com camisetas do MAPFRE e o número 12 nas costas. O vice-campeão da etapa desejou um churrasco e um banho quente como presentes de herói. “Estamos esgotados. Mas se alguém perguntar pra todos se faríamos tudo outra vez agora, a resposta seria sim”.

O comandante Iker Martínez fez questão de homenagear o brasileiro. “Estamos todos contentes por chegar no Brasil. E homenageamos o Bochecha, que chegou em casa timoneando o barco”, lembrou o campeão olímpico. O MAPFRE, apesar do segundo lugar, enfrentou dificuldades e problemas a bordo. “O resultado foi ótimo e conseguimos dois pódios nas última regatas. Mas confesso que o jaibe chinês foi a coisa mais assustadora que passei. Vou lembrar daquele momento por toda a vida”.

Os velejadores ganham um descanso nos próximos dias antes de voltar aos treinos na semana que vem. No sábado (18), está marcada a In-port Race de Itajaí. No dia seguinte, as equipes sobem o Oceano Atlântico para Newport, nos Estados Unidos.

press_conference_iatajai2015

O que eles disseram

“Eu nunca vi uma recepção como essa. Impressionante tanta gente nos esperando. Espero que a minha cidade – Newsport – faça o mesmo”, Charles Enright, comandante do Team Brunel.

“Bater o recorde de milhas velejadas em 24 horas foi uma mistura de sorte com pouca mudança de vela. Pegamos um vento constante e um rumo perfeito. Quando percebi essa possibilidade avisei minha equipe para acelerar e buscar o recorde mesmo que perdêssemos um pouco na etapa propriamente dita”, Ian Walker, comandante do Abu Dhabi.

“Chegar no Brasil é especial. Participei do Brasil 1 e tenho um carinho especial pelo país”, Chunny Bermudez, um dos timoneiros do Abu Dhabi.

“Foi uma perna difícil. Estou feliz por chegar ao Brasil, mas não gostei de ter terminado na quarta colocação”, Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel e o cara que montou o Horn 8 vezes.

“Melhoramos muito, mas acho que será difícil pegar o Abu Dhabi na liderança”, André ‘Bochecha’ Fonseca, timoneiro do MAPFRE.

Por enquanto é isso aí!! Para quem quiser saber tudo da regata o clique é em: http://bit.ly/VOR_14_15

E para quem quer acompanhar as novidades gerais basta acessar meu perfil público no Facebook que sempre atualizo as coisas por lá: http://bit.ly/FB_MuNov

E vamos que vamos que o show não pode parar!

Murillo Novaes

 

3 Comentários Comente
  1. Adalberto Casaes #

    Murillão, Não esqueça do Maestrale, viu…. Vencemos na IRC Geral e ficamos em segundo na ORC Geral!

    Nota em Off: na última regata perdi mais de um minuto para recuperar um tripulante que caiu n’água. Fomos superados pelo Torben por exatos 36 segundos. Talvez, sem esse incidente, o resultado nos colocaria também com o título da ORC. Abs, Casaes

    Adalberto Casaes Sent by IPAD

    >

    06/04/2015
  2. Marcos Madeira #

    Só não entendo porque não falar dos outros vencedores da semana de vela de Búzios

    07/04/2015
    • murillonovaes #

      É fácil! Pq este era um resumito da VOR e escrevi que falaria dos campeonatos mencionados na notinha rápida depois, no resumão. Só isso! 😉

      07/04/2015

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: