Pular para o conteúdo

I COPA BRASIL DE VELA JOVEM É OPORTUNIDADE INÉDITA PARA A JUVENTUDE DA MODALIDADE COMPETIR AO LADO DE GRANDES ATLETAS 

Iniciativa da CBVela de criar a competição dá continuidade ao trabalho de investimento nas categorias de base e detecção de novos talentos

Não é todo dia que jovens velejadores têm a oportunidade de competir ao lado de grandes nomes da vela brasileira e internacional. Foi pensando em proporcionar aos novos talentos a chance de convívio com nomes como Robert Scheidt que a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) criou a Copa Brasil de Vela Jovem.  A competição, com sede na Praia de São Francisco, em Niterói (RJ), está sendo realizada na Baía de Guanabara ao mesmo tempo em que a III Copa Brasil de Vela, campeonato que já se tornou o maior evento da vela olímpica na história do país.

“Nossa ideia, desde o início, era a de trazer os jovens para conviverem de perto com nossos velejadores da equipe olímpica. Por isso, a CBVela trabalhou para realizar os dois eventos juntos. Acho que está cumprindo o objetivo, eles estão vendo grandes nomes da vela competindo, como se comportam. Esse intercâmbio é bom para os jovens verem que é possível chegar ao alto rendimento. Todos estão satisfeitos com este convívio”, afirmou o Diretor Técnico da Vela Jovem, Alexandre Paradeda.

A I Copa Brasil de Vela Jovem conta com 49 atletas divididos nas classes RS:X masculina e feminina, Laser Radial masculina e feminina, 29er masculina e feminina e 420 masculina e feminina. Nas duas primeiras, os jovens atletas têm a oportunidade de velejarem ao lado dos grandes nomes da modalidade. As outras duas são classes específicas das categorias de base.

Uma das jovens revelações que está tendo a oportunidade de velejar ao lado de grandes nomes da classe Laser é Martin Lowry, de 19 anos. “É uma experiência única. A oportunidade de ter os melhores do mundo velejando ao seu lado é rara. Lógico que o nível é muito maior, mas só de poder olhar o que eles fazem já é um baita privilégio. Estar perto do Scheidt é incrível e até consegui velejar junto dele. Somos do mesmo clube e trocamos ideias”, disse Lowry, que foi velejador da Laser Radial na Vela Jovem e disputou quatro mundiais.

Outro destaque do Brasil é Rodrigo Luz, que veleja na classe 420 ao lado de Leonardo Lombardi. A dupla está convocada para disputar o Mundial da Juventude em Langkawi, na Malásia, entre os dias 27 de dezembro e 3 de janeiro. “É o campeonato mais importante para os jovens e a expectativa está muito grande. Aqui está sendo um grande aprendizado e estamos vendo o nível de profissionalismo da vela. É muito legal ver como cada um age nas diversas classes, como é a preparação física, mental e dos barcos”, comentou Luz.

Em 2015, a CBVela realizou 11 clínicas, nas mais diversas classes, em cinco estados (Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia) e no Distrito Federal, proporcionando uma inédita pluralidade nas ações da Vela Jovem. A confederação apoiou a participação dos velejadores em seis competições internacionais, ajudou na organização da Copa da Juventude, em São Paulo, e irá custear a ida dos atletas para o Mundial da Juventude.

Por Felipe Mendes / In Press Media Guide

 

 

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: