Pular para o conteúdo

Arquivo de

Team Brunel vence regata de porto de Lisboa na VOR

m105628_13-02-171103-asv-05987-0145.jpg

Barco holandês, de Bouwe Bekking, segura investidas do MAPFRE e ganha prova na capital portuguesa. Agora o foco é total na saída para a Cidade do Cabo, que será neste domingo

A Mirpuri Foundation In-Port Race de Lisboa, disputada nesta sexta-feira (3), foi vencida pelo Team Brunel, barco comandado pelo holandês Bouwe Bekking e que tem com tripulante de destaque o neozelandês Peter Burling, apontado como o velejador do momento! A equipe resistiu a pressão do MAPFRE durante todo percurso e cruzou a linha de chegada em primeiro lugar no Rio Tejo com oito segundos de vantagem para o time espanhol.

“Eu acho que nós fizemos um bom trabalho, nós melhoramos como equipe. É sempre bom vencer, mas acho que navegamos muito bem com bastante vento no final. Tomamos as decisões corretas nessas condições”, disse Bouwe Bekking.

O pódio teve ainda o Dongfeng Race Team em terceiro. Com a brasileira Martine Grael a bordo, o team AkzoNobel foi o quarto colocado. A campeã olímpica foi confirmada horas depois na Etapa 2, que larga no domingo de Lisboa, Portugal, para a Cidade do Cabo, na África do Sul.

Com isso, a crise do time holandês parece ter arrefecido. Simeon Tienpont vai realmente ser o skipper, mas conseguiu que o navegador Jules Salter retornasse ao barco e ainda trouxe como capitão de turno o experiente Chris Nicholson, que comandou o Vestas na regata passada. A tripulação confirmada pelo AkzoNobel para segunda perna é:

Simeon Tienpont (NED) – skipper

Jules Salter (GBR)

Brad Farrand (NZL)

Martine Grael (BRA)

Luke Molloy (AUS)

Emily Nagel (GBR/BER)

Chris Nicholson (AUS)

Nicolai Sehested (DEN)

Peter van Niekerk (NED)

 

Voltando à regata de porto… Os ventos fortes obrigaram as equipes a fazer muitas manobras, não apenas nos contornos de bóias. Para piorar, a chuva não deu trégua aos velejadores no percurso, montado próximo à terra para garantir que o público das cidades-sede acompanhe a prova.

O Brunel liderou desde o começo, sempre mais à direita do resto da flotilha. O MAPFRE e Dongfeng apertaram pra tentar passar até o fim. ”Foi intenso. Sabíamos que seria difícil hoje com as rajadas de vento. Começamos bem, mas na marca de barlavento nós ficamos muito lentos e caímos. Mas voltamos pouco a pouco terminando em segundo lugar”, disse Xabi Fernández, campeão olímpico a bordo do MAPFRE.

O segundo lugar na prova deixou o MAPFRE na liderança do campeonato paralelo das In-Port Races, que assim como na última edição da VOR só conta mesmo como critério de desempate caso dois times tenha o mesmo número de pontos ao final

Resultado da Mirpuri Foundation In-Port Race Lisboa
1. Team Brunel
2. MAPFRE
3. Dongfeng Race Team
4. team AkzoNobel
5. Vestas 11th Hour Racing
6. Sun Hung Kai/Scallywag
7. Turn the Tide on Plastic

 

Captura de Tela 2017-11-03 às 18.20.59.png

Com Flavio Perez/VOR

 

 

#ihdeumerda… Barco da Clipper Race que encalhou na África do Sul e teve tripulação evacuada deve ficar fora da regata.

Captura de Tela 2017-11-03 às 06.43.24

Como diria um grande filósofo futebolístico: o barco foi fondo, foi fondo, foi fondo e iu…

Após uma análise cuidadosa da situação e estado do Clipper Race Yacht CV24, o escritório da Clipper Race confirmou que o veleiro está parcialmente submerso depois de ter encalhado no lado oeste da Península do Cabo, na África do Sul, e não fará mais parte na Clipper Race 2017-18, a regata de volta ao mundo para amadores (que pagam uma boa grana para participar).

A equipe do “Greenings” (CV24), havia sido evacuada com segurança depois de ter encalhado aproximadamente às 2140UTC (2340 horas locais) na última terça-feira, 31 de outubro, depois de sair da cidade do Cabo no início do dia para a terceira perna (de 8 totais) da regata de circunavegação.

A decisão foi comunicada ao skipper interino, Andy Woodruff, e as discussões aconteceram também com o skipper oficial, David Hartshorn (que estava se recuperando de uma lesão) e a equipe sobre a futura participação de todos nesta edição da prova.

A segurança do skipper e da tripulação foi a principal preocupação ao longo deste incidente e todos estão bem, já de volta à Cidade do Cabo, e nenhum ferimento foi relatado.

As seguradoras nomearam um técnico que irá ver o barco e, ao receber seu relatório, será tomada uma decisão sobre se a embarcação será recuperada ou não.

Está em andamento uma investigação completa do incidente. Outras atualizações estão disponíveis no site da Clipper Race: www.clipperroundtheworld.com

Race_Viewer_Greenings

Como se pode ver no rastreador da regata, o CV24 “Greenings” se desviou de sua rota e foi de encontro a terra. O porquê ainda é motivo de investigação.

 

%d blogueiros gostam disto: