Pular para o conteúdo

Trimarã Sodebo, de Coville e Nelias, é campeão da Transat Jacques Vabre na classe Ultime e chega à Salvador com recorde.

 

 

Bom dia amigos e lindas amigas, neste feriado (em alguns lugares que têm consciência negra, eu apoio) a vela de oceano continua a todo vapor e o cara que é o solitário mais veloz a circunavegar o planeta, Monsieur Thomas Coville, quebrou mais um recorde no seu tri de 100 pés. Desta feita em dupla com o compatriota Jean-Luc Nelias. Os caras vieram de Le Havre, às bordas da Mancha, até a Bahia em 7d22h07m27s. Zaaaazzzz!!

Pouco menos de duas horas depois, chegou o Edmond de Rotschild, com Seu Josse e Thomas Rouxel. A regata Transat Jacques Vabre 2017 – maior prova transatlântica de vela do mundo – será marcada pelos recordes. Os trimarãs voadores Sodebo e Edmond de Rotschild reduziram em quase três dias a melhor marca obtida. Em 2007, na mesma Salvador, o Groupama 2 fez o regata desde Le Havre em 10 dias e 38 minutos.

Na vela, como você sabe, o primeiro barco entre todas as classes a cruzar a linha de chegada é chamado de Fita-Azul. E ter essa chancela é especial! Nas edições passadas – 2013 e 2015 – os primeiros no Brasil, mais precisamente em Itajaí (SC), foram Edmond de Rothschild e Macif.

Os veleiros das outras classes devem cruzar a linha de chegada nas próximas semanas. A Vila da Regata, que está ao lado do Terminal Turístico, ficará aberta ao público de 12 a 24 de novembro.

A Transat Jacques Vabre largou de Le Havre, na França, e passou por pontos de difícil navegação, como o Canal da Mancha, a Baía de Biscaia, a calmaria dos Doldrums e a chegada ao Brasil. A prova é disputada em duplas e chega sempre num país produtor de café, por isso é chamada também de Rota do Café. São quatro classes em disputa: duas multicascos – Ultime e Multi50 – e duas monocascos: IMOCA e Class40

As outras classes

A regata tem outras três classes competindo a todo pano em busca de mais recordes. Na Multi50, o FenétreA Mix Buffet segue liderando a flotilha. São cinco multicascos rumo ao Brasil e apenas um saiu da prova. O Drekan Groupe capotou na semana passada e ficou de fora.

Na IMOCA, o St Michel – VIRBAC já percorreu mais de 65% do caminho entre Le Havre e Salvador e é perseguido de perto por outros veleiros.

Barco brasileiro

A Transat Jacques Vabre tem mais uma vez um barco brasileiro. O Mussulo 40 Team Angola Cables compete na categoria Class40, a mais lenta de todas entre as super máquinas, mesmo assim singradouros de 300 milhas são comuns… . A dupla Leonardo Chicourel e José Guilherme Caldas está em 13º lugar após ficar, na semana passada, mais de 24 horas parada pra arrumar problemas no veleiro. Vai Leo, vai Zé!! Estamos esperando!!!

 

Murillo Novaes (Com Flavio Perez/TJV)

 

Não há comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: