Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Copa Brasil de Vela’

Copa Brasil de Vela: Com presença de campeão mundial, Classe Nacra terá disputa acirrada entre brasileiros

Competição será realizada na praia de São Francisco, em Niterói, a partir deste sábado, 13

Regata de Nacra na raia da ponte. Foto: Fred Hoffmann/CBVela

Regata de Nacra na raia da ponte. Foto: Fred Hoffmann/CBVela

A classe Nacra 17 é nova no programa olímpico. Fará a sua estreia no Rio 2016. Porém será uma das mais disputadas entre os brasileiros que estarão em Niterói de 13 a 20 de dezembro para a Copa Brasil de Vela. O evento, que terá como sede a praia de São Francisco, em Niterói, reunirá as dez classes que fazem parte do programa olímpico, nas cinco raias que serão usadas nos Jogos.

Diferente de classes como a 49er FX, por exemplo, em que a vaga na equipe olímpica já está definida com as líderes do ranking, campeãs mundiais e melhores velejadoras do mundo Martine Grael e Kahena Kunze, a Nacra não tem um favorito. Até o momento a dupla gaúcha Samuel Albrecht e Georgia Silva é a primeira no ranking nacional, porém outras duplas poderão surpreender na competição.

“Nós temos uma expectativa boa em fazer um bom resultado e estar entre os primeiros do Brasil. Sabemos que tem muita gente boa que está treinando e que a disputa vai ser grande. Acredito que a Nacra é a classe que tem mais gente disputando a vaga, então por isso treinamos e nos preparamos o máximo que deu dentro da nossa realidade”, disse Samuel, que disputou os Jogos de Pequim na classe 470.

Até esta segunda-feira, 17 equipes já confirmaram a sua participação na competição, incluindo os franceses Billy Bresson e Marie Riou, campeões mundiais, os argentinos Santiago Lange e Cecilia Carranza, vice-campeões mundiais e os neozelandeses Gemma Jones e Jason Saunders, quintos colocados no Mundial. O Brasil será representado por seis duplas. Além de Samuel e Georgia, estarão na água Clínio de Freitas (medalha de bronze em Seul 1988 na classe Tornado com Lars Grael) e Gabriela Nicolino, Martin Lowy e Adriana Overgoor, João Siemsen e Juliana Mota, Patricia Raulino e Felipe Sasaki e Fabio Pilar (que foi para Pequim ao lado de Samuel na classe 470) e Tatiana Almeida.

“Para nós a presença de tantos estrangeiros é muito boa, já que aumenta o nível da competição. São velejadores que já estão há mais tempo na classe e que estão um nível acima. Velejar contra eles é como ter um campeonato no exterior, mas aqui na nossa casa. Antes da Copa Brasil nós vamos disputar o Sul-Americano, que começa nesta terça-feira. Os dois eventos terão os mesmos participantes e contarão com basicamente os dez primeiros no Mundial da Federação Internacional (Isaf). Todos os estrangeiros estão buscando conhecer melhor a raia onde será disputada a olimpíada”, completou Samuel.

Melhores velejadoras do mundo, Martine Grael e Kahena Kunze encerram ano com competição em casa

Copa Brasil de Vela vai ser válida como Campeonato Brasileiro da classe 49er FX

Renata Decnop e Isabel Swan querem o título brasileiro. Foto de Fred Hoffmann

Renata Decnop e Isabel Swan querem o título brasileiro. Foto de Fred Hoffmann

Faltando pouco menos de duas semanas para o início da Copa Brasil de Vela, a dupla Martine Grael e Kahena Kunze intensificou os treinos na baía de Guanabara. O Objetivo delas é não apenas conquistar a medalha de ouro na competição, mas de quebra ficar com bicampeonato Brasileiro da classe 49er FX, já que os dois eventos serão disputados juntos. Além da classe 49er FX, a Copa Brasil de Vela também será válida como Campeonato Brasileiro para as classes 49er e 470 masculino e feminino.

“A Copa Brasil de Vela vale como nosso campeonato brasileiro e para nós vai ser bem importante terminar o ano com um campeonato no Brasil. Estamos treinando bastante! Eu vou literalmente velejar na porta de casa e não sei dizer se é mais fácil ou mais difícil, mas com certeza é muito mais legal!” disse Martine Grael.

“Vai ser muito legal competir mais uma vez em casa, com outros barcos estrangeiros. Não é na mesma época dos Jogos, mas é possível treinar na raia olímpica. Na primeira edição nós tivemos uma experiência muito legal, com a presença do público, e queremos repetir!”, completou Kahena.

Classe 470 será uma das mais disputadas

A 470 será a classe das estrelas. Nomes como Mathew Belcher e Wil Ryan, ouro em Londres e no último mundial, Luke Patience e Elliot Wilis, prata em Londres, e Hanna Mills e Saskia Clarck, prata em Londres e terceiro no Mundial já confirmaram a sua presença na Copa Brasil. E apesar de saber que estarão competindo em nível olímpico, as niteroienses Renata Decnop e Isabel Swan prometem brigar pelo título de campeãs brasileiras.

“A Copa Brasil vai ser nosso primeiro grande evento depois do Mundial da Espanha. Estamos saindo de um longo período de treino, no qual buscamos melhorar as coisas que nos impediram de ter um resultado melhor no Mundial, e vai ser a primeira oportunidade de colocar em prática tudo o que treinamos. Estaremos competindo um Brasileiro com nível internacional já que muitas equipes estrangeiras estarão por aqui. Em campeonatos brasileiros normalmente somos no máximo três equipes femininas, mais uma meia dúzia no masculino, então vamos aproveitar o máximo esta oportunidade”, disse Renata.

As regatas para todas as classes começam no dia 16, terça-feira. As classes 49er e 49er FX, RS:X masculino e feminino, e Nacra tem 12 regatas programadas. As demais, dez. No sábado, dia 20, serão disputadas as regatas da medalha, que são mais curtinhas e bem próximas da praia. Quem estiver em São Francisco vai poder sentir de perto toda a emoção de uma regata e torcer para o seu velejador favorito.

Para saber mais informações sobre a competição, conferir fotos e resultados, acesse www.copabrasildevela.com.br.

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e conta com o patrocínio do Bradesco, Prefeitura de Niterói, Grupo Águas do Brasil e BG Brasil através da Lei de Incentivo ao Esporte, e com o apoio da Slam.

Copa Brasil de Vela é treino de luxo para Olimpíadas

Alto nível técnico da competição e possibilidade de treinar na raia olímpica atrai velejadores estrangeiros

Marit Bouwmeester, da Holanda, virá mais uma vez brigar pelo ouro. Foto Fred Hoffmann

Marit Bouwmeester, da Holanda, virá mais uma vez brigar pelo ouro. Foto Fred Hoffmann

O alto nível da competição e a possibilidade de treinar na raia dos Jogos Olímpicos Rio 2016 estão atraindo diversos velejadores estrangeiros para a 2ª edição da Copa Brasil de Vela. O evento será realizado na praia de São Francisco, em Niterói, de 13 a 20 de dezembro, e contará com a presença de alguns dos melhores velejadores do mundo que estão em busca de uma vaga para as Olimpíadas.

Nomes como o holandês Dorian Van Rijsselberge, medalha de ouro em Londres na classe RS:X, os britânicos Nick Thompson, bronze no Mundial de Laser Standard, e Giles Scott, campeão mundial de Finn, os australianos Mathew Belcher e Will Ryan, ouro em Londres e no Mundial de 470, Billy Besson e Marie Riou, campeões mundiais de Nacra, e a holandesa Marit Bouwmeester, medalha de prata nos Jogos de Londres 2012 e campeã mundial este ano na classe Laser Radial, já confirmaram a sua presença.

“É muito importante para a nossa equipe treinar o máximo possível no Rio para poder aprender o máximo sobre a baía de Guanabara. Além do mais, a Copa Brasil de Vela é um evento muito bom na preparação para os Jogos Olímpicos Rio 2016”, disse Maike Willems, chefe da delegação holandesa.

Além do Brasil, outros nove países já confirmaram a presença na Copa Brasil de Vela:  Holanda, Espanha, Inglaterra, Suíça, França, Austrália, Estados Unidos, Japão e Itália

“Este campeonato é muito importante para as equipes estrangeiras, pois é uma chance para se preparar para as Olimpíadas e conhecer um pouco mais sobre a baía de Guanabara. O time francês está muito feliz em poder fazer parte deste evento”, disse Guillaume Chiellino, chefe da delegação francesa. O time terá representantes nas classes Laser Standard e Radial, 470 feminino e Nacra 17.

Brasil define equipe olímpica:

E se o evento é interessante para os estrangeiros, é ainda mais importante para os brasileiros. Os velejadores que estão em campanha olímpica serão avaliados pela Comissão Técnica da CBVela que definirá a Equipe Brasileira de Vela Olímpica de 2015.

“Pra Confederação Brasileira de Vela uma competição como a Copa Brasil, em que estarão presentes todos os atletas da equipe olímpica brasileira e muitos atletas estrangeiros, é fundamental para uma avaliação nossa da performance na raia olímpica e também para uma avaliação do nível dos atletas estrangeiros. Fora que a cada edição estamos nos aprimorando para realizar um evento ainda melhor, com alto nível técnico, recebendo mais e mais participantes de vários lugares do mundo”, disse Daniel Santiago, Diretor Executivo da CBVela.

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e conta com o patrocínio do Bradesco, Prefeitura de Niterói, Grupo Águas do Brasil e BG Brasil através da Lei de Incentivo ao Esporte, e com o apoio da Slam e da Richards.

Copa Brasil de Vela reunirá os melhores velejadores do Brasil e do mundo no RJ

Segunda edição do evento será realizada na praia de São Francisco, em Niterói, de 13 a 20 de dezembro

O catarinense Bruno Fontes também já confirmou presença. Foto Kyra Mirsky/CBVela

O catarinense Bruno Fontes também já confirmou presença. Foto Kyra Mirsky/CBVela

Faltando pouco menos de um mês para o início da Copa Brasil de Vela, os melhores velejadores do mundo que estão em busca de uma vaga nos Jogos Olímpicos Rio 2016, já começam a se preparar. O evento, que terá como sede a praia de São Francisco, em Niterói, será realizado de 13 a 20 de dezembro e valerá também como Campeonato Brasileiro das classes 470, 49er e 49er FX.

Nomes como Martine Grael e Kahena Kunze, eleitas melhores velejadoras do ano pela federação internacional (ISAF), Jorge Zarif, vencedor do Prêmio Brasil Olímpico de 2013, Robert Scheidt e sua esposa, a lituana Gintare Scheidt, e a holandesa Marit Bowmeester, prata em Londres 2012 na Laser Radial, já confirmaram a sua presença.

“A Copa Brasil e o Evento Teste são as duas principais competições realizadas na raia dos Jogos 2016 durante o ano. Então está segunda edição do evento será essencial para medirmos forças com os adversários estrangeiros, que virão em número mais expressivo do que na primeira edição, e também fazer uma avaliação do desempenho dos atletas brasileiros nas cinco raias olímpicas”, disse Daniel Santiago, Diretor Executivo da CBVela.

Assim como na primeira edição estarão na água as dez classes olímpicas: Laser, Laser Radial, Nacra 17, 49er, 49er FX, Finn, RS:X masculino e feminino e 470 masculino e feminino. Os dias 13, 14 e 15 serão dedicados à medição e inscrição e no dia 16 serão disputadas as primeiras regatas. Serão usadas as cinco raias olímpicas: Ponte, Escola Naval, Pão de Açúcar (dentro da baía de Guanabara) e Niterói e Copacabana (fora da baía). No dia 20, sábado, todas as classes terão a regata da medalha, em que participam apenas os dez primeiros colocados. Estas regatas serão realizadas próximas à praia, bem pertinho do público, e contarão com a narração em tempo real, para que aqueles que estejam na areia possam entender um pouco mais sobre o esporte e torcer para o seu velejador favorito.

Público ficará próximo dos velejadores:

Seguindo o modelo de sucesso da primeira edição, toda a estrutura do evento será montada nas areias da praia de São Francisco, em Niterói, o que possibilita uma maior interação do público com os velejadores.

Desta vez a área do evento será ainda maior, ocupando quase metade da praia, e contará com um espaço para convivência dos atletas, sala para os juízes, sala de imprensa e espaço de guardaria para todos os barcos. A premiação de todas as classes também será feita bem pertinho do público.

“A Copa Brasil de Vela é o principal evento organizado pela Confederação, que tem o objetivo de torna-lo o maior evento de monotipos da vela brasileira e sul-americana. A ideia é que já em 2015 a Copa seja válida como Campeonato Brasileiro de Classes Olímpicas. A partir de 2016 o evento deverá ser realizado em outros estados, de forma que a cada ano tenha uma sede diferente”, disse Ricardo Baggio, gerente de eventos da CBVela.

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e conta com o patrocínio do Bradesco, Prefeitura de Niterói, Grupo Águas do Brasil e BG Brasil através da Lei de Incentivo ao Esporte, e com o apoio da Slam e da Richards.

CBVela confirma Niterói como sede das próximas duas edições da Copa Brasil de Vela

Confirmando o sucesso que foi a edição de Janeiro da Copa Brasil de Vela, a CBVela anunciou nesta última semana que a praia de São Francisco, em Niterói, será sede das duas próximas edições do evento. A primeira será disputada em dezembro deste ano e a segunda em dezembro de 2015. O evento será classificatório para a Equipe Brasileira de Vela Olímpica e servirá como Campeonato Brasileiro de algumas das classes. Confira o comunicado oficial clicando aqui.

Em janeiro as dez classes que fazem parte do programa olímpico estiveram reunidas em um evento de alto nível, que serviu como teste para as Olimpíadas. Na ocasião foram usadas as cinco raias que serão usadas em 2016, sendo três dentro da baía de Guanabara e duas fora.

Além de velejadores brasileiros, ingleses, argentinos, franceses e holandeses foram alguns dos estrangeiros que vieram conhecer a raia carioca.

 

Líder do ranking mundial, Martine Grael está ansiosa para competir em casa

Praia de São Francisco, onde ela nasceu e cresceu, é palco da Copa Brasil de Vela até o dia 11

Kyra Mirsky registrou, do mar, a vila da regata

Kyra Mirsky registrou, do mar, a vila da regata

Niterói – O segundo dia da Copa Brasil de Vela agitou a praia de São Francisco, em Niterói. A chegada de boa parte dos velejadores brasileiros e estrangeiros que irão participar da competição agitou a vila da regata, atraindo curiosos tanto na areia, quanto na avenida. E quem ficou feliz de chegar na praia foi Martine Grael, filha do multi medalhista Torben Grael.

A niteroiense, líder do ranking mundial na classe 49er FX ao lado da parceira Kahena Kunze, ficou contente com a estrutura montada pela CBVela e pela prefeitura da cidade.

“É raro vermos eventos de vela na praia e ter a oportunidade de participar de um na porta de casa é especial. Estou bastante contente em ver que um evento como este pode atrair um público grande para a praia”, comenta ela.

A dupla está em campanha olímpica e conhece bem a raia aonde serão disputadas as regatas, porém agora terão um desafio maior. As duas principais duplas inglesas da modalidade também já chegaram na praia de São Francisco e deixam as brasileiras um pouco inquietas.

“Nós queremos ser desafiadas por outras duplas, só assim o nosso nível vai aumentar”, disse Kahena.

No Brasil apenas mais uma dupla, também de Niterói, está fazendo campanha para os Jogos do Rio 2016, o que deixa as competições nacionais com um nível um pouco mais baixo.

Credenciamento – A imprensa interessada em cobrir o evento terá bote disponível para acompanhar as regatas de perto. Para isto, basta enviar um email para imprensa@cbvela.org.br ou mari@peccicom.com com o nome completo da equipe e contato e as datas que deseja acompanhar a competição.

A Copa Brasil de Vela tem organização da CBVela e da Prefeitura de Niterói e conta com o patrocínio do Bradesco, das Águas de Niterói e da Unimed Leste Fluminense, e com o apoio do Polo Orla Gastronomia.

Programação:

 Das 9 às 18h: Inscrições e medições

7/01:

10h: Cerimônia de abertura

10h30: Reunião de participantes

13h: Regatas

De 8 a 10/01:

13h: Regatas

Dia 11:

13h: Medal Race

 

 

 

 

Atletas do Veleiros do Sul participam da Copa Brasil de Vela

O evento será o primeiro do ano na raia dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e vai definir quem fará parte da Equipe Brasileira de Vela

Fred Hoffmann registrou a dupla velejando na baia de Guanabara

Fred Hoffmann registrou a dupla velejando na baia de Guanabara

O Veleiros do Sul estará presente em três classes olímpicas nas disputas da Copa Brasil de Vela na praia de São Francisco, em Niterói (RJ). O evento, válido como Campeonato Brasileiro de classes Olímpicas reunirá mais de 300 velejadores de todo o mundo nas classes olímpicas: Laser Radial e Standard, 470 masculino e feminino, RS:X masculino e feminino, 49er, 49er FX, Finn e Nacra 17. O Veleiros do Sul participa com seus velejadores de Nacra 17, Laser Radial e 470 masculino.

No 470 masculino, os campeões sul-americanos Geison Mendes e Gustavo Thiesen defendem sua campanha olímpica após disputarem a etapa de Melbourne da Copa do Mundo de Vela. No Nacra 17, Samuel Albrecht e Geórgia Silva iniciam a parceria na nova classe Olímpica de vela multicasco, enquanto Marcos Pinto Ribeiro e Valéria Fabiano mostram a sua evolução. No Laser Radial, correm as gaúchas Júlia Silva e Ana Barbachan. As regatas de abertura foram disputadas nesta segunda, mas a partir de amanhã (terça) que será dada a largada para as regatas válidas pelo campeonato.

Na competição, a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) pretende utilizar o desempenho dos velejadores como critério para definir as equipes que irão representar o país no Mundial de Santander. O evento na cidade espanhola irá definir metade das vagas dos Jogos Olímpicos do Rio 2016. O Brasil já tem vaga garantida em todas as modalidades.

Da assessoria

%d blogueiros gostam disto: