Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Jorge Zarif’

Bruno Prada e Jorge Zarif estreiam nesta segunda no Trofeo Princesa Sofia

Terceira etapa da Copa do Mundo de Vela, competição reunirá na Espanha os melhores do ranking mundial da Finn

São Paulo – Os brasileiros Jorge Zarif e Bruno Prada estreiam nesta segunda-feira (1) no Trofeo SAR Princesa Sofía, em Palma de Mallorca, Espanha. Os dois enfrentarão seis dos dez primeiros colocados no ranking da ISAF e outros nomes importantes da Finn, como o sueco Max Salminen, ouro na Star nos Jogos de Londres/12 com Fredrik Loof. Terceira etapa da Copa do Mundo de Vela, a competição em Mallorca reunirá 75 barcos..

“Esta será a primeira vez que velejarei numa flotilha de mais de 70 barcos. Em uma disputa assim, a largada é um dos pontos importantes”, destaca Bruno Prada.

Entre os adversários, estarão alguns velejadores com quem Prada já travou duelos acirrados na etapa de Miami da Copa do Mundo, em janeiro. Primeiro e segundo do ranking mundial da Finn, respectivamente, o australiano Brendan Casey foi o quinto colocado na disputa, enquanto o norte-americano Caleb Paine ficou com a medalha de ouro. Bruno também terá em Mallorca a companhia de outro brasileiro, Jorge Zarif, bronze em Miami

O Trofeo SAR Princesa Sofía segue o mesmo formato dos Jogos Olímpicos, com dez regatas (duas por dia) e a medal race, que será disputada pelos dez primeiros colocados no sábado (6).

“Os ventos estão fortes na raia da competição, com ondas grandes. Será importante continuar aprimorando o popa para fazer uma boa competição”, explica Prada, que marcou a sua volta à Finn, no início do ano, com a vitória na Semana Internacional de Vela do Rio de Janeiro. O velejador também foi bronze no Brasileiro da classe e na Semana Brasileira de Vela.

Da Local

Equipe olímpica do Brasil será definida nesta sexta-feira no Rio de Janeiro

Os melhores velejadores do País estão reunidos no Rio de Janeiro para a Semana Brasileira de Vela envolvendo todas as classes olímpicas, exceto a Nacra

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rio de Janeiro (RJ) – A Semana Brasileira de Vela, primeira seletiva olímpica para os Jogos de 2016 da modalidade, entra na sua reta final no Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ). Nesta sexta-feira (22), os atletas mais bem classificados do campeonato disputam uma regata que tem peso dobrado, chamada de medal race. A prova na Baía de Guanabara apontará os vencedores de nove classes do calendário das próximas Olimpíadas. Apenas a Nacra não está na competição. Os melhores de cada categoria terão apoio ao longo da temporada 2013, podendo disputar as principais competições na Europa. A vela já rendeu ao Brasil 17 medalhas na história dos Jogos, ficando atrás apenas do judô.

A raia carioca reúne os melhores velejadores do País e alguns destaques internacionais, que aproveitam o verão brasileiro para conhecer o local e se preparar para 2016, como a espanhola campeã olímpica Marina Alabau. O bicampeão olímpico Robert Scheidt, por exemplo, dá show no seu retorno ao Laser. Bruno Prada e Jorge Zarif travam um duelo de pesos pesados na Finn e as duplas femininas de 470 mostram que a classe é forte tecnicamente no Brasil. Além disso, Marine Grael e Kahena Kunze, atuais líderes do ranking mundial de 49er FX, competem de igual para igual com os homens.

Os velejadores encerraram a fase de classificação nesta quinta-feira (21), no Rio de Janeiro. A organização fez duas regatas para todas as classes, exceto para a 49er, que contou com três. As provas foram disputadas com ventos variando de 8 a 14 nós, mas na maior parte do tempo os ventos estavam fracos. Os termômetros no bairro da Urca chegaram a bater em 37 graus.

Scheidt, muito perto do título – Os primeiros de cada categoria avançaram para a final de sexta-feira. Na Laser, Robert Scheidt é o grande favorito para vencer a competição após chegar em primeiro em oito das nove regatas. Na última, o maior medalhista olímpico do Brasil decidiu marcar o vice-líder Bruno Fontes para aumentar sua vantagem na ponta. Melhor para João Hackerott, que tirou os 100% de aproveitamento do campeão.

“É um dia especial na minha vida. Venci uma regata do meu ídolo e maior velejador de todos os tempos. Isso me dá ânimo para seguir treinando”, disse João Hackerott. O velejador paulista está na sétima posição, com 49 pontos perdidos.

Para Robert Scheidt, as regatas estão equilibradas, apesar da ampla vantagem dele. “Mas nada está decidido. Não posso errar na medal race. Nesta quinta-feira, o vento estava muito fraco e o calor prejudicou bastante os participantes na raia montada embaixo da Ponte Rio-Niterói. Busquei marcar o Bruninho e ter mais vantagem na decisão. O resultado foi bom”, contou Robert Scheidt, que soma apenas 8 pontos perdidos contra 20 de Bruno Fontes.

Na Laser Radial, o duelo final será entre a paulista Adriana Kostiw e a fluminense Fernanda Decnop. As duas estão empatadas com 14 pontos perdidos, após nove regatas. “A medal race será match race. Quem chegar na frente vence o campeonato. Estamos andando bem, mas agora ninguém pode errar. A entrada do descarte e um bom dia de provas me colocaram outra vez na disputa”, disse Fernanda Decnop.

Na 470, cinco duplas irão disputar a regata da medalha. Porém os resultados já estão definidos. A campeã da Semana Brasileira de Vela é a parceira formada por Fábio Pillar e Samuel Albrecht. Os gaúchos superaram os conterrâneos Geison Mendes e Gustavo Thiessen. “Fizemos tudo certinho. Velejamos bem na parte tática e alcançamos esse resultado positivo. A tendência é melhorar”, explicou Samuel Albrecht.

No feminino, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan estão muito perto de vencer o campeonato, pois mostraram o entrosamento que vem desde a campanha olímpica para Londres/2012. Elas estão em segundo no geral, incluindo os homens. “Velejamos bem tecnicamente e conseguimos transformar em resultado nosso entrosamento. Estamos bem confiantes nessa nova temporada”, explicou Ana Barbachan.

Isabel Swan, proeira de Renata Decnop, aprovou o desempenho das adversárias. “Começamos a nova parceria e posso dizer que estamos em um processo de crescimento técnico. O entrosamento vem aos poucos”. Oliveira e Barbachan têm sete pontos de vantagem para Swan e Decnop e precisam de um quarto lugar na medal race para garantir o título.

Jorginho Zarif faz duelo com Bruno Prada – Na classe Finn, Jorge Zarif e Bruno Prada sobram tecnicamente na competição. Os dois treinam e competem juntos para aprimorar ainda mais a técnica. Melhor para o Brasil, que terá representantes de peso nos eventos internacionais. “Para a Olimpíada só vai um, mas quem conseguir a vaga em 2016 certamente estará pronto. Vamos correr os principais eventos na Europa e melhorar ainda mais”, disse Jorge Zarif, que tem oito pontos de vantagem para Bruno Prada.

Na 49er, que tem duplas masculinas e femininas na raia competindo juntos, os brasileiros André Fonseca e Francisco Andrade seguem em primeiro lugar e com vantagem para a medal race. A dupla já está garantida como a melhor do Brasil na Semana de Vela e terá apoio ao longo do ano. Entre as mulheres, as líderes do ranking mundial, Martine Grael e Kahena Kunze, também confirmaram o favoritismo e venceram a competição antes da última regata. “Estamos velejando bem, graças ao treino intensivo que temos feito. Dá pra ver que o nosso nível e das outras meninas é bem diferente, algo que prova que estamos no caminho certo”, analisou Kahena Kunze.

Na RS:X, a chamada prancha a vela, Patrícia Freitas mostra que é uma das esperanças de medalha para o Brasil em 2016. A atleta da nova geração, mas que já foi para duas Olimpíadas, lidera o campeonato, que tem a campeã olímpica Marina Alabau na disputa. “Competir contra uma atleta desse nível é muito importante, mas o fator casa está fazendo a diferença. Eu conheço bem a raia da Baía de Guanabara. Espero evoluir ainda mais”, avaliou Patrícia Freitas.

No masculino, Ricardo Winicki Bimba segue em segundo lugar com 20 pontos perdidos, atrás do israelense Nimrod Maschiah com 15. Em terceiro aparece o grego Byron Kokkalanis, com 21 pontos perdidos.

As regatas finais, as medal races, serão disputadas nesta sexta-feira (22) a partir das 13h no Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ). As classes que tinham mais de 10 competidores ao longo do campeonato terão os 10 melhores na medal race, aqueles que tinham menos de 10 velejadores terão apenas os cinco mais bem classificados na disputa.

Resultados

Laser – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Robert Scheidt – 8 pontos perdidos (1+1+1+1+1+1+1+1+[4])
2º – Bruno Fontes – 20 pp (2+2+2+[3]+2+2+2+[5]+5)
3º – Eduardo Couto – 27 pp (5+4+[7]+2+5+3+3+2+3)

Laser Radial – após 9 regatas e 1 descarte
1ª – Adriana Kostiw – 14 pp (2+1+3+1+1+1+1+[5]+4)
2ª – Fernanda Decnop – 14 pp (1+2+1+2+3+4+2+2+1)
3ª – Maria Cristina Boabaid – 21 pp (3+3+[5]+4+2+2+4+1+2)

470 Masculino – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Fábio Pillar/Samuel Albrecht – 16 pp (1+1+2+4+[5]+2+1+1+4)
2º – Geison Mendes/Gustavo Thiesen – 25 pp (2+2+3+5+4+1+3+[6]+5)
3º – Francisco Sucari/Francisco Renna (ARG) – 29 pp (3+3+4+3+[6]+5+4+4+3)

470 Feminino – após 9 regatas e 1 descarte
1ª – Fernanda Oliveira/Ana Barbachan – 22 pp (5+[6]+1+1+1+6+5+2+1)
2ª – Renata Decnop/Isabel Swan – 29 pp ([6]+5+5+2+2+4+6+3+2)

Finn – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Jorge Zarif – 8 pp (1+1+1+1+1+1+1+[2]+1)
2º – Bruno Prada – 16 pp (2+2+2+2+2+3+2+1+[4])
3º – Pedro Trouche- 30 pp (3+3+4+[6]+5+2+3+4+6)

49er – após 14 regatas e 1 descarte
1º – André Fonseca/Francisco Andrade – 24 pp (2+2+2+1+2+2+2+1+1+2+2+[5]+3+2)
2º – Allan Norregaard/Aders Thomsen (DIN) – 29 pp (1+1+1+5+1+1+1+[11]+11+1+1+3+1+1)
3º – Dante Bianchi/Thomas Low-Beer – 47 pp (3+5+3+2+6+6+3+3+4+4+[7]+1+2+5)

49er FX – após 14 regatas e 1 descarte
1ª – Martine Grael/Kahena Kunze – 71 pp ([7]+6+5+6+4+5+5+5+6+5+4+7+7+7)
2ª – Juliana Mota/Stephanie Ferron – 111 pp (9+8+7+7+11+7+8+8+[11]+9+11+9+9+9)
3ª – Juliana Senfft/Gabriela Nicolino – 123 pp
(8+[11]+11+8+11+9+10+9+8+11+9+10+10+10)

RS:X Masculino – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Nimrod Maschiah (ISR) – 15 pp (2+2+2+1+[4]+3+1+1+3)
2º – Ricardo Santos – 20 pp (3+3+3+2+3+2+[4]+3+1)
3º – Byron Kokkalanis (GRE) – 21 (5+5+1+3+1+[6]+2+2+2)

RS:X Feminino – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Patricia Freitas – 10 pp (1+1+1+1+[2]+2+2+1+1)
2º – Marina Alabau (ESP) – 17 pp (2+2+2+2+1+1+1+6+[6])
3º – Bruna Martinelli – 24 pp (3+3+3+[5]+4+3+4+2+2)

Da ZDL

Jorge Zarif segue na liderança da Semana Brasileira de Vela na Finn

Invicto, o jovem velejador disputa a ponta com o medalhista olímpico Bruno Prada. O terceiro e segundo lugares nas regatas desta quarta-feira (20), mantêm o parceiro de Robert Scheidt na vice-liderança da competição.

Bruno é o segundo colocado na Finn

Bruno Prada é o segundo colocado na Finn

Rio de Janeiro – Bruno Prada aposta na regularidade para brigar pela título na Semana Brasileira de Vela, na Finn. Com um terceiro e um segundo lugar nas regatas desta quarta-feira (20), ele soma agora 12 pontos perdidos, seis a mais que o líder, Jorge Zarif que venceu nada menos que sete das sete regatas disputadas até agora na Baía de Guanabara.

“Tivemos duas regatas muito parecidas com as de ontem. Acabei largando escapado na primeira, tive que voltar e fui me recuperando ao longo da prova”, explicou Prada. Os ventos fortes, entre 12 e 17 nós, exigiram mais esforço físico dos velejadores, no terceiro dia de disputas da Semana Brasileira de Vela. Ainda assim, Prada ficou satisfeito com o seu desempenho e projetou evolução. “O Jorginho ainda é mais rápido que eu no popa. É como a reta final da Fórmula 1, que define a regata. Mas o projeto para este ano é ficar entre os três melhores da Finn, e estou seguindo bem o cronograma, melhorando a cada regata”, apontou.

Para a quinta-feira (21), as duas últimas regatas da Finn, antes da medal race, devem ser realizadas com ventos um pouco mais fracos. “Isso vai acirrar a disputa”, apostou o velejador. A competição, na Baía de Guanabara, raia olímpica dos Jogos do Rio de Janeiro/216, é seletiva para a formação da equipe olímpica brasileira que vai participar dos principais torneios mundiais deste ano.

Da Local

Jorginho Zarif segue na liderança da Finn na Semana Brasileira de Vela

Bruno Prada segue firme na briga pela liderança da Semana Brasileira de Vela na Finn. O medalhista olímpico fez três segundos lugares nas regatas desta terça-feira (19), na Baía de Guanabara, garantindo a segunda colocação geral, com 10 pontos perdidos. Jorge Zarif, com quem Prada tem protagonizado duelos acirrados, é o líder, com 5. A competição carioca é seletiva para a formação da equipe brasileira de vela que vai disputar os principais eventos mundiais nesta temporada.

“A disputa segue equilibrada com o Jorge Zarif. Largamos bem, contornamos as boias dividindo a liderança, mas quando entra no vento em popa, o Jorginho tem vantagem. Preciso melhorar esse fundamento. Mesmo assim estou velejando bem, evoluindo gradativamente”, analisou Bruno Prada. Como na estreia da competição, o dia foi de ventos fortes, entre 12 e 15 nós de intensidade, e temperatura de 35 graus.

O atual confronto entre o velejador e Jorge Zarif repete a Semana Internacional de Vela, também disputada na Baía de Guanabara, no início do ano, e vencida por Prada. Os dois voltaram a se enfrentar na etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela, quando Zarif levou a melhor, ficando com a medalha de bronze.

Para a Semana Brasileira de Vela, o principal objetivo de Bruno é acertar detalhes no popa, aproveitando a oportunidade de competir na raia olímpica dos Jogos do Rio 2016. “É uma oportunidade única, que deve ser bem aproveitada por todos os velejadores”, destacou o velejador.

A competição segue até sexta-feira (19), com mais cinco regatas programadas para a Finn. Serão duas por dia, com descarte do pior resultado após a sexta regata, mais a medal race, seguindo o formato das Olimpíadas.

Da Local

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan e Robert Scheidt brilham no segundo dia da Semana Brasileira de Vela

As meninas venceram as três regatas do dia na 470 e deixam homens para trás. Na Laser, Robert Scheidt segue com 100% de aproveitamento na raia olímpica de 2016

Adriana Kostiw lidera a Laser Radial

Adriana Kostiw lidera a Laser Radial

Rio de Janeiro (RJ) – O segundo dia de regatas da Semana Brasileira de Vela, evento disputado na raia olímpica de 2016, foi marcado por vitórias das mulheres sobre os homens. As regatas na Cidade Maravilhosa foram realizadas com ventos variando de 12 a 15 nós, com mais de 35 graus de temperatura mais uma vez. Na classe 470, a dupla Fernanda Oliveira e Ana Barbachan mostrou que está entrosada e pronta para ser outra vez a representante do País nos Jogos do Rio de Janeiro. A parceira gaúcha venceu as três provas desta terça-feira (19), na Baía de Guanabara, deixando os atletas do masculino para trás.

“O nosso entrosamento fez a diferença em um campeonato difícil como esse. Isso conta muito. A gente se conhece e já sabe o que fazer em cada situação”, disse Ana Barbachan. “Fomos para água para fazer o nosso melhor e as coisas ocorreram naturalmente. Conseguimos largar bem nas regatas e, quando não estávamos na frente, adotamos uma estratégia para superar posição por posição. Nós confiamos no nosso taco,” acrescentou. Na classificação geral, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan estão em segundo lugar com 14 pontos perdidos, atrás de Fábio Pillar e Samuel Albrecht, que somam um ponto a menos, e superam quatro parcerias masculinas.

Na Laser, a experiência do maior medalhista olímpico do País fez a diferença. Robert Scheidt segue com 100% de aproveitamento após cruzar em primeiro lugar nas três regatas. O velejador paulista soma apenas cinco pontos perdidos e abriu vantagem de seis pontos para o vice-líder, Bruno Fontes. “Consegui mais um bom desempenho. As regatas estão equilibradas, mas mesmo assim andei na frente. A vantagem pode até ser grande, mas tudo pode acontecer na medal race. Um resultado ruim na última regata pode colocar o campeonato a perder. Por isso, a ideia é seguir com a mesma estratégia dos dois primeiros dias” disse Robert Scheidt. Estão programadas 9 regatas e mais a medal race (regata da medalha) em todas as classes, exceto na 49er e na 49er FX, que terão 14 mais a medal.

Na Laser Radial, Adriana Kostiw segue em primeiro lugar após tirar um terceiro e vencer as duas últimas regatas do dia. Mesmo assim, a diferença para a vice-líder Fernanda Decnop é de apenas um ponto. Confiante, a atleta que representou o Brasil em Londres/2012 promete seguir a mesma estratégia. “Estou bem preparada para mais essa campanha olímpica. Quero continuar na liderança, mas as meninas estão treinando ainda mais. A Olimpíada no Rio de Janeiro puxou todo mundo e o nível da Radial vai subir”, explicou Adriana Kostiw.

Jorginho continua absoluto – Na classe Finn, Jorge Zarif não foi derrotado em nenhuma regata. Venceu as cinco do calendário, deixando o medalhista olímpico Bruno Prada em segundo lugar. Os dois travam uma disputa equilibrada, mas o atleta de 20 anos leva a melhor com o vento de popa. “Estamos treinando juntos e o meu nível aumentou bastante com a ajuda do Bruno Prada. Temos um plano de trabalho em conjunto para que, quem chegar na Olimpíada de 2016, esteja mais bem preparado”, contou Jorge Zarif.

Na 49er, que tem duplas masculinas e femininas na raia competindo em igualdade, os dinamarqueses Allan Norregaard e Aders Thomsen seguem líderes isolados após seis regatas e um descarte. A dupla soma seis pontos perdidos contra 11 dos brasileiro André Fonseca e Francisco Andrade. Na versão feminina, batizada de FX, o melhor desempenho é de Martine Grael e Kahena Kunze.

“Estamos felizes por competir contra os homens. Como as outras duplas femininas não estão treinadas, eles passam a ser um outro desafio a ser batido”, comenta Martine.

Na RS:X, a chamada prancha a vela, velejadores estrangeiros estão na disputa com os brasileiros. No feminino, após quatro regatas, Patrícia Freitas tem 100% de aproveitamento e está na frente da campeã olímpica, a espanhola Marina Alabau. No masculino, Ricardo Winicki Bimba assumiu a segunda colocação após as provas desta terça-feira. A liderança é do israelense Nimrod Maschiah. Os atletas se preparam para o Mundial da categoria, que será em Búzios, no início de março. “Consegui andar bem, apesar do vento, que estava mais fraco do que na segunda. Está tudo muito equilibrado, já que a flotilha anda junta mudando de posição constantemente”, analisou Bimba.

As regatas voltam a ser disputada nesta quarta-feira (20) a partir das 13h no Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ). A Semana Brasileira de Vela termina na sexta-feira (22) e conta com todas as classes do calendário olímpico de 2016, exceto a Nacra.

Resultados

Laser – após 5 regatas
1- Robert Scheidt – 5 pontos perdidos (1+1+1+1+1)
2- Bruno Fontes – 11 pp (2+2+2+3+2)
3- Bernaz Baptiste – 20 pp (3+5+5+4+3)

Laser Radial – após 5 regatas
1- Adriana Kostiw – 8 pp (2+1+3+1+1)
2- Fernanda Decnop – 9 pp (1+2+1+2+3)
3- Maria Cristina Boabaid – 17 pp (3+3+5+4+2)

470 Masculino – após 5 regatas
1- Fábio Pillar/Samuel Albrecht – 13pp (1+1+2+4+5)
2- Geison Mendes/Gustavo Thiesen – 16 pp (2+2+3+5+4)
3- Francisco Sucari/Francisco Renna (ARG) – 19 pp (3+3+4+3+6)

470 Feminino – após 5 regatas
1- Fernanda Oliveira/Ana Barbachan – 14 pp (5+6+1+1+1)
2- Renata Decnop/Isabel Swan – 20 pp (6+5+5+2+2)

Finn – após 5 regatas 
1- Jorge Zarif – 5 pp (1+1+1+1+1)
2- Bruno Prada – 10 pp (2+2+2+2+2)
3- Fabio Bodra – 19 pp (5+4+3+3+4)

49er – após 7 regatas e 1 descarte
1- Allan Norregaard/Aders Thomsen (DIN) – 6 pp (1+1+1+[5]+1+1+1)
2- André Fonseca/Francisco Andrade – 11 pp ([2]+2+2+1+2+2+2)
3- Dante Bianchi/Thomas Low-Beer – 22 pp (3+5+3+2+[6]+6+3)

49er FX – após 7 regatas e 1 descarte
1- Martine Grael/Kahena Kunze – 31 pp ([7]+6+5+6+4+5+5)
2- Juliana Mota/Stephanie Ferron – 46 pp (9+8+7+7+[11]+7+8)
3- Juliana Senfft/Gabriela Nicolino – 57 pp (8+[11]+11+8+11+9+10)

RS:X Masculino – após 4 regatas
1- Nimrod Maschiah (ISR) – 7 pp (2+2+2+1)
2- Ricardo Santos – 11 pp (3+3+3+2)
3- Byron Kokkalanis (GRE) – 14 (5+5+1+3)

RS:X Feminino – após 4 regatas
1- Patricia Freitas – 4 pp (1+1+1+1)
2- Marina Alabau (ESP) – 8 pp (2+2+2+2)
3- Bruna Martinelli – 14 pp (3+3+3+5)

A Semana Brasileira de Vela é organizada pela Federação de Vela do Rio de Janeiro. O evento tem o apoio do Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ).

Da ZDL

Finn: Jorginho Zarif lidera o primeiro dia de regatas da Semana Brasileira de Vela

Rio de Janeiro – A estreia do medalhista olímpico Bruno Prada na Semana Brasileira de Vela, nesta segunda-feira (18), foi uma mostra do que deve permear as disputas da Finn durante toda a semana. Nas duas regatas do dia, Prada travou duelos acirrados com Jorge Zarif, representante brasileiro da classe nos Jogos de Londres/2012, e alcançou a vice-liderança, com dois segundos lugares e quatro pontos perdidos. Zarif é o líder, com 2. A competição, realizada na Baía de Guanabara, mesma raia que será usada na Olimpíada do Rio de Janeiro/2016, é seletiva para a formação da equipe brasileira que disputará os principais torneios mundiais do ano.

O primeiro dia de disputas, na Baía de Guanabara, teve sol forte, com temperatura em torno de 36 graus, e ventos fortes de 12 a 15 nós, proporcionando regatas mais velozes. “Vai ser uma boa briga com o Jorginho, até o fim. Estou montando a boia primeiro, mas ele está melhor no popa e acaba me passando e administrando a vantagem na regata”, analisou Bruno Prada. “Ainda tenho muito o que melhorar, no popa, é um processo de paciência.”

Prada destacou também a importância de competir no mesmo local onde serão realizadas as competições da vela nos Jogos do Rio de Janeiro/2016. “É uma raia complicada, por causa do regime de correntes e dos ventos fortes, oscilantes. Quanto mais competirmos aqui, melhor”, disse o velejador, que reencontra no Rio o ex-companheiro da Star, Robert Scheidt, agora em classes diferentes. Scheidt, com quem Bruno conquistou o inédito tricampeonato mundial da categoria e duas medalhas olímpicas (prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012) em oito anos, estreou no torneio carioca na liderança da Laser, nesta segunda.

Para a Finn, estão previstas mais oito regatas, até sexta-feira (22), sendo duas por dia, a partir das 13 horas. Os velejadores poderão descartar o pior resultado após a sexta regata.

Em seu retorno à antiga classe, no início do ano, o velejador venceu a Semana Internacional de Vela do Rio de Janeiro, título que se soma a outros 45, conquistados entre 1989 e 2004, como o tricampeonato brasileiro (1993, 1997 e 1998), três Pré-Olímpicos (1997, 1998 e 2001) e o bronze nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg/1999. Na temporada 2013, Prada, que conta com o patrocínio da Gocil e Oakley e apoio do Club Athletico Paulistano, ainda tem pela frente mais uma etapa da Copa do Mundo de Vela, em Palma de Mallorca, na Espanha, no começo de abril.

Resultados após duas regatas

1- Jorge Zarif – 2 pontos perdidos (1+1)
2- Bruno Prada – 4 pp (2+2)
3- Pedro Henrique Trouche – 6 pp (3+3)
4- Fábio Bodra – 9 pp (5+4)
5- André Mirsky – 9 pp (4+5)

Da Local

Brasileiros têm mais um excelente dia no Miami OCR

Oi Bimba! Andando na frente de novo, hein? De Búzios para Miami, non stop. Nosso campeão é vice geral na RS:X na baía de Biscayne.

Oi Bimba! Andando na frente de novo, hein? De Búzios para Miami, non stop. Nosso campeão é vice geral na RS:X na baía de Biscayne.

Nesta quarta-feira os velejadores brasileiros tiveram mais um bom dia de disputas no Miami OCR. Na novíssima classe olímpica, a 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze assumiram a ponta com três regatas quase perfeitas. Na Laser Standard, Bruno Fontes segue também na liderança. Na 470 Fernanda Oliveira e Ana Barbachan também seguem na ponta, com Renata Decnop e Isabel Swan na terceira posição.  Na RS:X masculina, nosso eterno campeão Ricardo “Bimba” Winicki está na vice liderança e na Finn, Jorginho Zarif subiu para terceiro, enquanto Bruno Prada está em quinto. Na 49er, André ‘Bochecha’ Fonseca e Francisco Andrade ocupam também a quinta colocação, enquanto Maurício ‘Santinha’ e Tomas Mangabeira estão em 12º.  Para ver as súmulas completas, clique aqui.

 

Brasileiros lideram segunda etapa da Copa do Mundo de Vela

Renata e Bel estão em terceiro na 470

Renata e Bel estão em terceiro na 470

A segunda etapa da Copa do Mundo de Vela começou há dois dias em Miami. Os velejadores brasileiros têm conquistado bons resultados em cinco das 11 classes. Bruno Fontes lidera na Laser Standard, assim como Fernanda Oliveira e Ana Barbachan na 470. Na mesma classe, Renata Decnop e Isabel Swan ocupam a terceira colocação. Na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze estão na segunda colocação, enquanto na 49er, André Fonseca e Francisco Andrade estão em 7º e Maurício Santa Cruz e Tomas Mangabeira ocupam a 12ª posição. Na Finn, Bruno Prada é o melhor brasileiro na terceira colocação, enquanto Jorginho Zarif está em 5º. Os resultados completos podem ser vistos aqui.

Jorginho Zarif é campeão brasileiro de Finn

Jorge Zarif, em foto antiga das olimpíadas de Londres, não deu mole para o amigo e rival Bruno Prada na Guarapiranga.

Jorge Zarif, em foto antiga das olimpíadas de Londres, não deu mole para o amigo e rival Bruno Prada na Guarapiranga.

São Paulo – Neste domingo (20), Jorge Zarif, representante do País na Olimpíada de Londres/2012, venceu o 53ª Campeonato Brasileiro da classe Finn, Bruno Prada foi vice-campeão em evento disputado na Represa de Guarapiranga. André Mirsky completou o pódio.

Sem perder tempo, Bruno Prada já embarcou para a Flórida neste domingo para treinar na raia da competição internacional. “O local da Copa do Mundo de Miami é bem diferente do que encontrei em São Paulo. Os ventos são mais constantes. No meu retorno à classe Finn estou confiante. Meu treinamento está forte e posso fazer uma boa disputa”, destacou. Prada está confiante em obter um bom resultado na primeira etapa de 2013 da Copa do Mundo de Vela, marcada entre 26 de janeiro e 3 de fevereiro, em Miami, nos Estados Unidos.

No Brasileiro de Finn, Bruno se recuperou nas últimas regatas e terminou em segundo. O velejador, tricampeão nacional da classe, fez dois segundos lugares e um quarto neste domingo (20), somando 15 pontos perdidos. O favorito Jorge Zarif, com quem Prada protagonizou disputas acirradas no Yatch Club Paulista, na represa de Guarapiranga, venceu a competição, com apenas 6 pontos perdidos.

“Foi um belo dia de disputas. O tempo esteve bem melhor, com ventos entre 10 e 13 nós, o que é bom em se tratando da Guarapiranga. E as regatas com o Jorginho e com os outros foram muito disputadas”, disse Bruno Prada, satisfeito com os resultados. “O campeonato foi bem difícil, com um alto nível, mas alcancei o objetivo, que era ficar entre os três primeiros.”

Em sua 53ª edição, o Brasileiro de Finn reuniu um número recorde de 26 barcos na raia 3 da represa de Guarapiranga. Além de Bruno Prada e Jorge Zarif, participaram da disputa nomes fortes da modalidade como André Mirsky, Maurício Bueno e Fábio Bodra.

O velejador, que marcou a reestreia na Finn, este ano, com a vitória na Semana Internacional de Vela do Rio de Janeiro, no último dia 6, conquistou outros 45 títulos na classe, entre 1989 e 2004. Entre os principais resultados de Bruno Prada, destacam-se o tricampeonato brasileiro (1993, 1997 e 1998), três Pré-Olímpicos (1997, 1998 e 2001) e a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg/1999. Bruno Prada, que conta com o patrocínio da Gocil e Oakley e apoio do Club Athletico Paulistano, tem como principal objetivo da temporada ficar entre os três melhores do Brasil na Finn.

Competindo com Scheidt na Star, nos últimos oito anos, conquistou o inédito tricampeonato mundial da categoria e duas medalhas olímpicas: prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012. O retorno à antiga classe foi motivado pela saída da Star do programa olímpico.

Resultado final, após seis regatas e um descarte

1- Jorge Zarif – 6 pontos perdidos (1+1+1+[2]+1+1+1)
2- Bruno Prada – 15 pp ([8]+2+4+1+2+4+2)
3- André Mirsky – 21 pp (2+3+3+4+[15]+3+6)
4- Maurício Bueno – 29 pp ([10]+6+9+6+3+2+3)
5- Fábio Bodra – 38 pp ([11]+7+8+5+7+7+4)

Da Local

Jorginho Zarif lidera o Brasileiro de Finn

Primeiro dia de disputas teve apenas uma regata; competição segue até domingo (20) na represa de Guarapiranga

São Paulo – Bruno Prada teve uma estreia difícil no Campeonato Brasileiro de Finn, nesta sexta-feira (18). O velejador, tricampeão brasileiro da classe, terminou a única regata do dia em oitavo lugar. O vencedor foi Jorge Zarif, seguido por André Mirsky. Os ventos normalmente rondados na represa de Guarapiranga se transformaram em tempestade no final da tarde, impedindo a realização da segunda regata.

“Foi um dia ruim, com muita chuva no final da regata. Mas as condições geralmente são irregulares, na represa, é normal. Também cometi alguns erros que acabaram me atrasando”, analisou Bruno Prada. A disputa, prevista para as 14 horas, começou apenas depois das 16 horas, devido à instabilidade do clima. “Sábado é um novo dia. Agora é pensar em largar melhor, velejar melhor. A previsão é de que teremos um tempo um pouco melhor, com ventos mais fortes.”

Outras três regatas estão programadas para este sábado (19), com início às 13 horas. Após a sexta regata, os velejadores poderão descartar o pior resultado. O Campeonato Brasileiro segue até domingo, na raia 3 da represa de Guarapiranga.

Da Local

%d blogueiros gostam disto: