Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Laser Radial’

Vídeo: Durante treino fora da Baía de Guanabara, Fernanda Decnop encontra uma baleia

Fernanda Decnop é a primeira mulher a vencer o Carioca de Radial

O final de semana foi agitado na raia de Manguinhos em Búzios. O Búzios Vela Clube sediou o Carioca de Laser Radial, que contou com 22 participantes. Depois de seis regatas com ventos de fraco a médio, a niteroiense Fernanda Decnop sagrou-se campeã. Esta foi a primeira vez que uma mulher ficou com o lugar mais alto da competição. Mateus Guimarães e Lucas Alves completaram o pódio.

Brasileiros sofrem com vento forte no primeiro dia do Trofeo Princesa Sofia, mas têm bom resultados

Velejadora espanhola quebra o mastro

Velejadora espanhola quebra o mastro

O Trofeo Princesa Sofia, válido como terceira etapa da Copa do Mundo de Vela, teve um começo difícil para os velejadores das classes olímpicas que estão reunidos em Palma de Maiorca, na Espanha. Os ventos de mais de 30 nós e muita onda dificultaram a vida de quem foi pra água. Porém, alguns brasileiros conseguiram se virar bem em condições tão difíceis e conquistaram bons resultados.

Este foi o caso de Bimba, que após conquistar o quarto lugar no Mundial de RS:X disputado em Búzios em março, ocupa a 3ª colocação na Espanha. Quem também começou bem foi a dupla gaúcha Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, com um 6º lugar entre os 470. Bruno Fontes, na Laser Standard, a maior flotilha da competição com 114 barcos, está em 11º, resultado que também alegra o velejador. Na mesma classe, Matheus Dellagnelo está em 52º. Na Finn, os brasileiros sofreram com as ondas e Bruno Prada ocupa o 20º lugar, enquanto Jorginho Zarif está em 23º.

“Foram duas regatas de ventos fortíssimos de ate 30 nós. Tive boas largadas e contornei a primeira boia entre os dez primeiros em ambas. Mas acabei virando o barco nas duas, o que comprometeu os meus resultados”, disse Prada.

A classe 49er sofreu com as ondas grandes e apenas a flotilha amarela cumpriu parte do programa. Na segunda regata do dia, apenas cinco barcos completaram a prova. Os brasileiros Marco Grael e Gabriel Borges nem chegaram a competir, assim como Martine Grael e Kahena Kunze, do 49er FX.

“Por um descuido da comissão de regatas, o segundo grupo foi mandado para água, mas já sem condições de regata, especialmente pelas ondas que com pouca profundidade eram grandes. Houve muita quebra de material, mas conseguimos escapar ilesos. Voltamos para terra apos enrolar a vela grande, que foi deixada com Edu Penido, técnico dos 49er’s”, disse Marco.

Para esta terça-feira a previsão é de ventos um pouco mais amenos, na casa dos 18 nós.

Equipe olímpica do Brasil será definida nesta sexta-feira no Rio de Janeiro

Os melhores velejadores do País estão reunidos no Rio de Janeiro para a Semana Brasileira de Vela envolvendo todas as classes olímpicas, exceto a Nacra

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rio de Janeiro (RJ) – A Semana Brasileira de Vela, primeira seletiva olímpica para os Jogos de 2016 da modalidade, entra na sua reta final no Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ). Nesta sexta-feira (22), os atletas mais bem classificados do campeonato disputam uma regata que tem peso dobrado, chamada de medal race. A prova na Baía de Guanabara apontará os vencedores de nove classes do calendário das próximas Olimpíadas. Apenas a Nacra não está na competição. Os melhores de cada categoria terão apoio ao longo da temporada 2013, podendo disputar as principais competições na Europa. A vela já rendeu ao Brasil 17 medalhas na história dos Jogos, ficando atrás apenas do judô.

A raia carioca reúne os melhores velejadores do País e alguns destaques internacionais, que aproveitam o verão brasileiro para conhecer o local e se preparar para 2016, como a espanhola campeã olímpica Marina Alabau. O bicampeão olímpico Robert Scheidt, por exemplo, dá show no seu retorno ao Laser. Bruno Prada e Jorge Zarif travam um duelo de pesos pesados na Finn e as duplas femininas de 470 mostram que a classe é forte tecnicamente no Brasil. Além disso, Marine Grael e Kahena Kunze, atuais líderes do ranking mundial de 49er FX, competem de igual para igual com os homens.

Os velejadores encerraram a fase de classificação nesta quinta-feira (21), no Rio de Janeiro. A organização fez duas regatas para todas as classes, exceto para a 49er, que contou com três. As provas foram disputadas com ventos variando de 8 a 14 nós, mas na maior parte do tempo os ventos estavam fracos. Os termômetros no bairro da Urca chegaram a bater em 37 graus.

Scheidt, muito perto do título – Os primeiros de cada categoria avançaram para a final de sexta-feira. Na Laser, Robert Scheidt é o grande favorito para vencer a competição após chegar em primeiro em oito das nove regatas. Na última, o maior medalhista olímpico do Brasil decidiu marcar o vice-líder Bruno Fontes para aumentar sua vantagem na ponta. Melhor para João Hackerott, que tirou os 100% de aproveitamento do campeão.

“É um dia especial na minha vida. Venci uma regata do meu ídolo e maior velejador de todos os tempos. Isso me dá ânimo para seguir treinando”, disse João Hackerott. O velejador paulista está na sétima posição, com 49 pontos perdidos.

Para Robert Scheidt, as regatas estão equilibradas, apesar da ampla vantagem dele. “Mas nada está decidido. Não posso errar na medal race. Nesta quinta-feira, o vento estava muito fraco e o calor prejudicou bastante os participantes na raia montada embaixo da Ponte Rio-Niterói. Busquei marcar o Bruninho e ter mais vantagem na decisão. O resultado foi bom”, contou Robert Scheidt, que soma apenas 8 pontos perdidos contra 20 de Bruno Fontes.

Na Laser Radial, o duelo final será entre a paulista Adriana Kostiw e a fluminense Fernanda Decnop. As duas estão empatadas com 14 pontos perdidos, após nove regatas. “A medal race será match race. Quem chegar na frente vence o campeonato. Estamos andando bem, mas agora ninguém pode errar. A entrada do descarte e um bom dia de provas me colocaram outra vez na disputa”, disse Fernanda Decnop.

Na 470, cinco duplas irão disputar a regata da medalha. Porém os resultados já estão definidos. A campeã da Semana Brasileira de Vela é a parceira formada por Fábio Pillar e Samuel Albrecht. Os gaúchos superaram os conterrâneos Geison Mendes e Gustavo Thiessen. “Fizemos tudo certinho. Velejamos bem na parte tática e alcançamos esse resultado positivo. A tendência é melhorar”, explicou Samuel Albrecht.

No feminino, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan estão muito perto de vencer o campeonato, pois mostraram o entrosamento que vem desde a campanha olímpica para Londres/2012. Elas estão em segundo no geral, incluindo os homens. “Velejamos bem tecnicamente e conseguimos transformar em resultado nosso entrosamento. Estamos bem confiantes nessa nova temporada”, explicou Ana Barbachan.

Isabel Swan, proeira de Renata Decnop, aprovou o desempenho das adversárias. “Começamos a nova parceria e posso dizer que estamos em um processo de crescimento técnico. O entrosamento vem aos poucos”. Oliveira e Barbachan têm sete pontos de vantagem para Swan e Decnop e precisam de um quarto lugar na medal race para garantir o título.

Jorginho Zarif faz duelo com Bruno Prada – Na classe Finn, Jorge Zarif e Bruno Prada sobram tecnicamente na competição. Os dois treinam e competem juntos para aprimorar ainda mais a técnica. Melhor para o Brasil, que terá representantes de peso nos eventos internacionais. “Para a Olimpíada só vai um, mas quem conseguir a vaga em 2016 certamente estará pronto. Vamos correr os principais eventos na Europa e melhorar ainda mais”, disse Jorge Zarif, que tem oito pontos de vantagem para Bruno Prada.

Na 49er, que tem duplas masculinas e femininas na raia competindo juntos, os brasileiros André Fonseca e Francisco Andrade seguem em primeiro lugar e com vantagem para a medal race. A dupla já está garantida como a melhor do Brasil na Semana de Vela e terá apoio ao longo do ano. Entre as mulheres, as líderes do ranking mundial, Martine Grael e Kahena Kunze, também confirmaram o favoritismo e venceram a competição antes da última regata. “Estamos velejando bem, graças ao treino intensivo que temos feito. Dá pra ver que o nosso nível e das outras meninas é bem diferente, algo que prova que estamos no caminho certo”, analisou Kahena Kunze.

Na RS:X, a chamada prancha a vela, Patrícia Freitas mostra que é uma das esperanças de medalha para o Brasil em 2016. A atleta da nova geração, mas que já foi para duas Olimpíadas, lidera o campeonato, que tem a campeã olímpica Marina Alabau na disputa. “Competir contra uma atleta desse nível é muito importante, mas o fator casa está fazendo a diferença. Eu conheço bem a raia da Baía de Guanabara. Espero evoluir ainda mais”, avaliou Patrícia Freitas.

No masculino, Ricardo Winicki Bimba segue em segundo lugar com 20 pontos perdidos, atrás do israelense Nimrod Maschiah com 15. Em terceiro aparece o grego Byron Kokkalanis, com 21 pontos perdidos.

As regatas finais, as medal races, serão disputadas nesta sexta-feira (22) a partir das 13h no Iate Clube do Rio de Janeiro (ICRJ). As classes que tinham mais de 10 competidores ao longo do campeonato terão os 10 melhores na medal race, aqueles que tinham menos de 10 velejadores terão apenas os cinco mais bem classificados na disputa.

Resultados

Laser – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Robert Scheidt – 8 pontos perdidos (1+1+1+1+1+1+1+1+[4])
2º – Bruno Fontes – 20 pp (2+2+2+[3]+2+2+2+[5]+5)
3º – Eduardo Couto – 27 pp (5+4+[7]+2+5+3+3+2+3)

Laser Radial – após 9 regatas e 1 descarte
1ª – Adriana Kostiw – 14 pp (2+1+3+1+1+1+1+[5]+4)
2ª – Fernanda Decnop – 14 pp (1+2+1+2+3+4+2+2+1)
3ª – Maria Cristina Boabaid – 21 pp (3+3+[5]+4+2+2+4+1+2)

470 Masculino – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Fábio Pillar/Samuel Albrecht – 16 pp (1+1+2+4+[5]+2+1+1+4)
2º – Geison Mendes/Gustavo Thiesen – 25 pp (2+2+3+5+4+1+3+[6]+5)
3º – Francisco Sucari/Francisco Renna (ARG) – 29 pp (3+3+4+3+[6]+5+4+4+3)

470 Feminino – após 9 regatas e 1 descarte
1ª – Fernanda Oliveira/Ana Barbachan – 22 pp (5+[6]+1+1+1+6+5+2+1)
2ª – Renata Decnop/Isabel Swan – 29 pp ([6]+5+5+2+2+4+6+3+2)

Finn – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Jorge Zarif – 8 pp (1+1+1+1+1+1+1+[2]+1)
2º – Bruno Prada – 16 pp (2+2+2+2+2+3+2+1+[4])
3º – Pedro Trouche- 30 pp (3+3+4+[6]+5+2+3+4+6)

49er – após 14 regatas e 1 descarte
1º – André Fonseca/Francisco Andrade – 24 pp (2+2+2+1+2+2+2+1+1+2+2+[5]+3+2)
2º – Allan Norregaard/Aders Thomsen (DIN) – 29 pp (1+1+1+5+1+1+1+[11]+11+1+1+3+1+1)
3º – Dante Bianchi/Thomas Low-Beer – 47 pp (3+5+3+2+6+6+3+3+4+4+[7]+1+2+5)

49er FX – após 14 regatas e 1 descarte
1ª – Martine Grael/Kahena Kunze – 71 pp ([7]+6+5+6+4+5+5+5+6+5+4+7+7+7)
2ª – Juliana Mota/Stephanie Ferron – 111 pp (9+8+7+7+11+7+8+8+[11]+9+11+9+9+9)
3ª – Juliana Senfft/Gabriela Nicolino – 123 pp
(8+[11]+11+8+11+9+10+9+8+11+9+10+10+10)

RS:X Masculino – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Nimrod Maschiah (ISR) – 15 pp (2+2+2+1+[4]+3+1+1+3)
2º – Ricardo Santos – 20 pp (3+3+3+2+3+2+[4]+3+1)
3º – Byron Kokkalanis (GRE) – 21 (5+5+1+3+1+[6]+2+2+2)

RS:X Feminino – após 9 regatas e 1 descarte
1º – Patricia Freitas – 10 pp (1+1+1+1+[2]+2+2+1+1)
2º – Marina Alabau (ESP) – 17 pp (2+2+2+2+1+1+1+6+[6])
3º – Bruna Martinelli – 24 pp (3+3+3+[5]+4+3+4+2+2)

Da ZDL

Fernanda Decnop é campeã brasileira de Laser Radial

Marinha, Brasil!! Fernanda Decnop, militar de nossa armada, venceu o Brasileiro de Laser Radial em Porto Alegre. Uhuu!

Marinha, Brasil!! Fernanda Decnop, militar de nossa armada, venceu o Brasileiro de Laser Radial em Porto Alegre. Uhuu!

Catarinense Mateus Dellagnelo ganhou no masculino por antecipação no penúltimo dia

A velejadora carioca Fernanda Decnop confirmou o título do Brasileiro da classe Laser Radial na categoria feminina que encerrou nesta terça-feira no Veleiros do Sul. Na segunda colocação ficou a paulista Adriana Kostiw e em terceiro a argentina Lucia Falasca. Enquanto desmontava o barco no pátio do clube, a velejadora recebia os cumprimentos dos amigos pelo seu segundo título brasileiro de Radial, o primeiro foi em 2008.

“O campeonato teve vento todos os dias e achei que minhas adversárias também velejaram muito bem. Retornei à Radial no final do ano passado com objetivo de fazer campanha olímpica para conseguir a vaga na equipe de vela do Brasil nos Jogos do Rio em 2016”, disse a velejadora da Marinha do Brasil que corre pelo clube Cota Mil, do Distrito Federal. Decnop ficou satisfeita com seu desempenho por ter superado Adriana Kostiw que representou o Brasil na Olimpíada de Londres no ano passado. Sua missão agora é ganhar um pouco mais de peso. “Estou com 68 quilos e o ideal é chegar aos 70, pois o barco exige muita escora na borda e teria mais chance de andar na frente da flotilha. Faço um trabalho físico na Academia Tio Sam com esse objetivo.” Ela nem vai descansar por estes dias. Segue direto para o Rio de Janeiro onde correrá a partir desta quarta-feira o Brasileiro de Snipe, com Juliana Mota.

Na categoria masculina o catarinense Mateus Dellagnelo venceu por antecipação no penúltimo dia da competição. Na segunda colocação ficou Henrique Back (SC), em terceiro o carioca Pedro Castro. A flotilha de Laser de Santa Catarina mostrou que está com nível forte, além de Bruno Fontes na Standard, os competidores da Radial também foram bem e alcançaram três colocações entre os cinco primeiros lugares. O vice-campeão Henrique Back disse que o grupo tem treinado junto para melhorar o rendimento. “Temos bons velejadores e todos dividem suas experiências na raia”, comentou.

O Campeonato Brasileiro de Laser Radial teve 10 regatas realizadas de sexta-feira até hoje na raia do Guaíba, em Porto Alegre. O vento no último dia foi de direção sul com velocidade de 27 km/h. Participaram na Radial 72 velejadores de nove estados do Brasil e Argentina.

Classificação final – 10 regatas
Masculino
1º – Matheus Livramento Dellagnelo (SC) (1+ 1 + (5) + 1 + 2 + 1 + 2 + 3 + 2 + 3) = 13
2º – Henrique de Vasconcellos Back (SC) (2 + 4 + (19) + 7 + 1 + 6 + 5 + 10 + (17) + 9) = 35
3º – Pedro Matos Castro (RJ) (3 + 3 + 3+ 2 + (16) + 8 + 6 + 9 + 6 + (14)) = 40
4º – Alex Louis Ramos Veeren (SC) (DNF) + (DNC) + 14 + 3 + 8 + 2 + 10 + 2 + 11 + 1) = 51
5º – João Pedro de Oliveira (RJ) ( 6 + 7 + 8 + (17) + 5 + 3 + (19) + 4 + 9 + 13) = 55

Classificação final – 10 regatas
Feminino
1º – Fernanda Decnop (RJ) (9 + 18 + (30) + 5 + 17 + 20 + 12 + 7 + 8 + (26)) = 96
2º – Adriana Kostiw (SP) (27 +16 + 31 + 6 + 9 + 14 + 46 + 10 + 25 + 12) = 119
3º – Lucia Falasca (ARG) (11 + 11 + 18 + 22 + (27) +19 + 18 + 17 + 4 + (23) = 120
4º – Mônica Matschinske (RJ) (24 + (43) + 10 + 38 + 34 + 41 + 22 + 20 + 20 + 6) = 174
5º – Maria Cristina Boabaid (SC) ( 36 + (40) + 11 + 30 + 35 + 28 + 15 + 25) = 201

Da assessoria

Matheus Dellagnelo vence o Brasileiro de Laser Radial por antecipação

A carioca Fernanda Decnop lidera na categoria feminina que é classe olímpica. A competição encerra nesta terça-feira com as duas regatas finais a partir das 13 horas

A flotilha de Laser Radial no Guaíba

A flotilha de Laser Radial no Guaíba

No penúltimo dia do Campeonato Brasileiro da classe Laser Radial, o catarinense Mateus Dellagnelo garantiu o título masculino por antecipação faltando ainda duas regatas para serem realizadas nesta terça-feira no Veleiros do Sul, em Porto Alegre. Matheus abriu uma diferença de 15 pontos sobre o segundo colocado, Henrique Back, que também é de Santa Catarina. Em terceiro lugar está o carioca Pedro Castro.

Matheus liderou o campeonato desde o seu início na sexta-feira e manteve uma boa média de resultados. Das oito regatas disputadas até agora venceu quatro e sua pior classificação foi uma quinta colocação, que acabou sendo descartada conforme a regra. Nas regatas de hoje ele ficou em segundo lugar e depois em terceiro, mesmo assim foi o suficiente para chegar ao tricampeonato de Laser Radial (2009, 2011 e 2013). Matheus, 24 anos, disputou o Brasileiro de Laser Standard, realizado antes do Radial, também no Veleiros do Sul, que teve como campeão Robert Scheidt. O velejador catarinense ficou em terceiro lugar.

“Meu objetivo é seguir minha campanha olímpica no Laser Standard para os Jogos do Rio, em 2016. O barco exige muito trabalho de corpo e já iniciei um programa de preparação física que visa chegar ao estágio ideal em 2014”, diz. No Brasileiro de Laser Radial ele considerou que o nível técnico estava elevado e durante os dois campeonatos cometeu alguns erros que foram corrigidos. “Consegui velejar com velocidade e acertei melhor as largadas, ponto crucial para vencer uma regata”. Mesmo com o título já conquistado, Matheus garante que amanhã estará na raia. “Servirá para um bom treino”.

Em 2011 Matheus foi campeão mundial da classe Sunfish e medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos do México. Depois de uma ausência de dois anos na classe Laser voltou no ano passado.

Na categoria feminina Fernanda Decnop continua na frente e está em 12º na classificação geral. Ela também abriu uma diferença que lhe dá uma boa vantagem sobre a segunda colocada, a paulista Adriana Kostiw. “Hoje acertei as largadas e tudo deu certo na raia, o vento foi forte com algumas rondadas, mas andei bem”, disse Decnop. Dois competidores do Veleiros do Sul se destacam no masculino. Philipp Grochtmann é o gaúcho melhor classificado, está na 6ª colocação (54pp) e em sétimo, Antonio Cavalcanti Rosa, o Toto, que nesta segunda-feira venceu a sétima regata (60).

No rio Guaíba foi mais um dia de vento forte, com rajadas de até a 38 km/h de intensidade e de direção sul. O Brasileiro encerrará nesta terça-feira com a nona e décima regatas a partir das 13 horas. Acesse aqui a súmula completa.

Classificação provisória – 8 regatas
Masculino
1º – Matheus Livramento Dellagnelo (SC) (1+ 1 + (5) + 1 + 2 + 1 + 2 + 3) = 11 PP
2º – Henrique de Vasconcellos Back (SC) (2 + 4 + (19) + 7 + 1 + 6 + 5 + 10) = 26
3º – Pedro Matos Castro (RJ) (3 + 3 + 3+ 2 + (16) + 8 + 6 + 9) = 34
4º – Allan Godoy (PR) (10 + 2 + 1 + 11 + 6 + 11 + (20) + 6) = 47
5º – João Pedro de Oliveira (RJ) ( 6 + 7 + 8 + (17) + 5 + 3 + (19) + 4 = 50

Classificação provisória – 8 regatas
Feminino
1º – Fernanda Decnop (RJ) (9 + 18 + (30) + 5 + 17 + 20 + 12 + 7) = 88 PP
2º – Adriana Kostiw (SP) (27 +16 + 31 + 6 + 9 + 14 + 46 + 10) = 113
3º – Lucia Falasca (ARG) (11 + 11 + 18 + 22 + (27) +19 + 18 + 17) = 116
4º – Odile Ginaid (ES) (20 + 32 + 20 + (36) + 32 + 31 +26 + 26) = 187
5º – Mônica Matschinske (RJ) (24 + (43) + 10 + 38 + 34 + 41 + 22 + 20) = 189

Matheus Dellagnelo lidera o Brasileiro de Laser Radial

Na foto de Ricardinho Pedebos a largada da 5ª regata no Guaíba.

Na foto de Ricardinho Pedebos a largada da 5ª regata no Guaíba.

No feminino Fernanda Decnop continua em primeiro lugar. Campeonato encerra na terça-feira.

O velejador catarinense Matheus Dellagnelo consolida sua liderança no Campeonato Brasileiro da classe Laser Radial. Ele abriu uma diferença de 13 pontos para o segundo colocado, o carioca Pedro Castro, após a disputa de seis regatas que iniciaram na sexta-feira no Veleiros do Sul. Em terceiro está outro catarinense, Henrique Back. O gaúcho melhor classificado é Phillip Grochtmann que ocupa o sétimo lugar.Matheus chegou na segunda colocação e em primeiro nas duas regatas realizadas neste domingo no rio Guaíba.

“O Henrique abriu uma boa diferença na minha frente na primeira regata e não consegui buscar ele. Perdi o tempo da rajada. Mas na regata seguinte velejei bem, principalmente nas pernas de través”, disse Matheus.

A carioca Fernanda Decnop lidera no feminino e agora é seguida de perto pela paulista Adriana Kostiw, que representou o Brasil na Olimpíada de Londres no ano passado na Laser Radial. Mesmo se mantendo na frente da classificação das mulheres, Decnop não saiu satisfeita da água. “Foi um dia ruim, não consegui velejar como eu desejava, principalmente na hora das largadas”, lamentou. Os competidores tiveram hoje o primeiro descarte do pior resultado até agora.

As regatas largaram hoje no horário, 13 horas, com vento de direção sul e intensidade de 36 km/h. O Brasileiro de Laser Radial continua amanhã partir das 13 horas no Veleiros do Sul. A final da competição será na terça-feira (29). Participam 68 velejadores da Argentina e de nove estados do Brasil.

Classificação provisória – 6 regatas

Masculino
1º – Matheus Livramento Dellagnelo (SC) 6
2º – Pedro Matos Castro (RJ) 19
3º – Henrique de Vasconcellos Back (SC) 20
4º – Alexander Elstrodt (SP) 28
5º – João Pedro de Oliveira (RJ) 29

Classificação provisória – 6 regatas

Feminino
1º – Fernanda Decnop (RJ) 69
2º – Adriana Kostiw (SP) 72
3º – Lucia Falasca (ARG) 62
4º – Odile Ginaid (ES) 135
5º – Maria Cristina Boabaid (SC) 140

Da assessoria

Matheus Dellagnelo se mantém na frente no Brasileiro de Laser Radial

Fernanda Decnop lidera no feminino, mas está empatada em pontos com a argentina Lucia Falasca

O vento atrasou, mas veio com força no segundo dia do Campeonato Brasileiro da classe Laser Radial, que se realiza em Porto Alegre. Mais duas regatas foram disputadas no Veleiros do Sul e na classificação da categoria masculina o catarinense Matheus Dellagnelo se mantém na primeira posição. Ele não velejou bem e ficou em quinto lugar na terceira regata, porém na quarta cruzou a linha de chegada na frente da flotilha e soma três vitórias até agora no campeonato.

“Apesar do vento fraco no começo da disputa o barco até andou rápido, no entanto deu uma rondada bem para o lado esquerdo da raia e não voltou e isso me atrapalhou. Consegui salvar a regata na perna través porque andei melhor, senão teria sido pior” avaliou Matheus.

No campeonato das mulheres a briga está bem equilibrada entre a brasileira Fernanda Decnop e a argentina Lucia Falasca, que estão empatadas com 62 pontos perdidos. Pelo critério de desempate Decnop (11º na geral) assumiu a liderança feminina e Falasca (12º) ficou em segundo. “A primeira regata foi como se eu andasse com um balde preso”, brincou Decnop que chegou em 30º. “Tinha planejado tudo na minha cabeça, mas acabei fazendo tudo ao contrário e errei bastante. Já na segunda deu tudo certo, consegui largar bem e andar com boa velocidade, ”disse Decnop.

O vento entrou somente na metade da tarde e atrasou em duas horas o início da competição neste sábado. A direção foi de sul e a intensidade variou de 12 nós na primeira regata a 22 nós na segunda. O Brasileiro de Laser Radial conta com a participação de 68 velejadores nas categorias masculina e feminina. A programação segue neste domingo com mais duas regatas a partir das 13 horas.

Classificação provisória dos cinco primeiros colocados – 4 regatas
Masculino
1º – Matheus Livramento Dellagnelo (SC) 8
2º – Pedro Matos Castro (RJ) 11
3º – Allan de Oliveira Godoy (PR) 24
4º – Philipp Grochtmann (RS) 30
5º – Henrique de Vasconcellos Back (SC) 32

Classificação provisória das cinco primeiras colocadas – 4 regatas
Feminino
1º – Fernanda Decnop (RJ) 62
2º – Lucia Falasca (ARG) 62
3º – Adriana Kostiw (SP) 80
4º – Odile Ginaid (ES) 108
5º – Mônica Matschinke (RJ) 115

Da assessoria

Brasileiro de Laser Radial começa disputado em Porto Alegre

Catarinense Matheus Dellagnelo e a argentina Lucia Falasca são os líderes

Largada da Laser Radial

Largada da Laser Radial

O Campeonato Brasileiro da classe Radial iniciou nesta sexta-feira no Veleiros do Sul com uma disputa acirrada entre os 68 competidores nas categorias masculina e feminina. O vento que andou ausente nos dias anteriores em Porto Alegre voltou após a passagem de uma frente fria. E os representantes de Santa Catarina começaram bem na competição dos homens. Matheus Dellagnelo venceu as duas primeiras regatas realizadas nesta tarde. Enquanto Henrique Back ficou em segundo lugar.

Matheus ficou na terceira colocação no Brasileiro de Laser Standard, encerrado na quarta-feira (23) no Veleiros do Sul. O velejador disse que sempre dá uma sensação diferente entre uma e outra classe, mas logo se adaptou. Na verdade o casco do barco é o mesmo, apenas o tamanho da área vélica é um pouco menor na Radial. “A primeira largada foi meio complicada para mim, estranhei porque tinha mais barcos na linha. O vento estava bem rondado, mas até gosto dessa condição de mudanças bruscas de direção. Eu chamo isso de ‘rondada justa’ porque vai e volta em todo momento e dá mais emoção”, disse o velejador catarinense.

Na categoria feminina a argentina Lucia Falasca terminou o dia em primeiro lugar e a brasileira Fernanda Decnop em segundo. “Acho que taticamente fui bem, a não ser um pequeno erro na segunda regata, mas o que ainda está me faltando é um melhor condicionamento físico para escora do barco”, comentou Fernanda.

O vento foi meio atípico para esta época do ano no rio Guaíba. As regatas foram disputadas com vento de noroeste a oeste com a intensidade variando de 16 a 22 nós. O Brasileiro da classe Radial segue neste sábado a partir das 13 horas com mais duas regatas. A final será na terça-feira (29) no Veleiros do Sul.

Classificação provisória dos cinco primeiros colocados – 2 regatas
Masculino
1º – Matheus Livramento Dellagnelo (SC) 2
2º – Henrique de Vasconcellos Back (SC) 6
3º – Pedro Matos Castro (RJ) 6
4º – Allan de Oliveira Godoy (PR) 12
5º – João Pedro Souto de Oliveira (RJ) 12

Classificação provisória das cinco primeiras colocadas – 2 regatas
Feminino
1º Lucia Falasca (ARG) 22
2º Fernanda Decnop (RJ) 27
3º Adriana Kostiw (SP) 43
4º Odile Ginaid (ES) 52
5º Maria Carolina Boabaid (SC) 64

Brasileiro da classe Laser Radial começa amanhã no Veleiros do Sul

Competição abre nesta sexta, a partir das 11h, e contará com a participação de 80 velejadores nas classes masculina e feminina

Adriana disputou o Brasileiro de Laser Standard e agora tenta o título na Radial

Adriana disputou o Brasileiro de Laser Standard e agora tenta o título na Radial

O Campeonato Brasileiro de Laser tem continuidade nesta sexta-feira no Veleiros do Sul com a disputa da classe Radial masculino e feminino. Para as mulheres não será apenas o título nacional que estará em jogo, pelo menos para algumas das competidoras será a oportunidade de começar bem a campanha para os Jogos do Rio de 2016, por ser classe olímpica a Laser Radial.

No Brasileiro em Porto Alegre estão presentes nomes conhecidos da classe e também novas integrantes. A paulista Maria Hackerott vem para defender o título feminino conquistado em Minas Gerais no ano passado. Já a representante do Brasil nas Olimpíadas de Pequim (2008) e Londres (2012), Adriana Kostiw (SP), veio em busca de mais uma vitória na Radial, enquanto não vai para a nova classe olímpica, a Nacra 17.

Fernanda Decnop (RJ) foi campeã brasileira de Radial em 2009 e quer ser a representante nacional nos Jogos do Rio. “Troquei a Laser pelo match race e voltei no final do ano passado pensando na Olimpíada do Rio. Esse período no match race me proporcionou bom aprendizado sobre regras e o quê fazer nas mudanças rápidas durante a regata”, diz Decnop, 25 anos. Sua expectativa é marcar o seu retorno com uma vitória no Brasileiro.

A gaúcha Júlia Silva, 17, (Veleiros do Sul), é um dos nomes que despontam da nova geração da Laser Radial. Ela foi campeã sul-brasileira em 2011, e 17º no Mundial Jovem, na Austrália, em 2012. E ficou com o título feminino na Laser 4.7 que encerrou na quarta-feira no Veleiros do Sul. Ela também está começando sua campanha olímpica com pretensões de estar no Rio em Janeiro, em 2016.

O programa do 20º Campeonato Brasileiro da classe Laser Radial masculino e feminino prevê a realização de 10 regatas até a próxima terça-feira (29). Participam 80 velejadores de oito estados brasileiros.

Da assessoria

%d blogueiros gostam disto: