Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Laser Standard’

Bruno Fontes será um dos representantes brasileiros em Palma de Maiorca

Velejador viajou nesta terça-feira (25) para Espanha, onde acontece a 45ª edição do Trofeu S.A.R. Princesa Sofia

Florianópolis (SC) – 25/03/2014 – O velejador Bruno Fontes (UNIMED/ CBVELA/ MARINHA DO BRASIL/ GOVERNO DO PARANÁ/ AGE DO BRASIL) embarcou nesta terça-feira (25) para a cidade de Palma de Mallorca, na Espanha, para as disputas da penúltima etapa da Copa do Mundo de Vela 2013/2014. O Trofeu S.A.R. Princesa Sofia chega a sua 45ª edição sendo uma das competições mais tradicionais do calendário mundial de competições da ISAF – Federação Internacional de Vela (sigla em inglês).

Com os principais velejadores do mundo confirmados no evento, Fontes terá pela frente um dos principais compromissos na temporada. Quinto colocado em 2013 na etapa de Mallorca da Copa do Mundo, o velejador pretende melhorar seu resultado nesta temporada.

“Ano passado eu consegui fazer um grande evento em Mallorca, assim como nas outras etapas de Copa do Mundo que participei, mas ficou faltando cravar uma medalha e é em busca disso que estou viajando para Espanha. Meu primeiro objetivo é classificar entre os melhores para depois ter a chance de beliscar uma medalha e lutar pelo título”, ressaltou Bruno.

A competição terá início apenas no dia 30 de março e até lá Bruno terá aproximadamente uma semana para se adaptar as condições de vento do local e fazer o reconhecimento da raia de competição.

“Apesar de já ter vindo para Mallorca algumas vezes sempre é importante chegar mais cedo, pois as condições de vento mudam muito de um ano para o outro. Os melhores velejadores do mundo estão por aqui e qualquer detalhe faz a diferença. Espero poder usar bem esses dias de preparação para me adequar o mais rápido possível a raia das regatas”, explicou Bruno.

Atual 3º colocado no ranking mundial, Bruno Fontes segue em ritmo forte de treinamentos, de olho na temporada européia de competições. Logo após as disputas em Mallorca, o velejador já terá pela frente outro compromisso – também pela Copa do Mundo. No mês de abril a cidade de Hyéres, na França, encerra as etapas da temporada 2013/2014 da ISAF Sailing World Cup.

O velejador Bruno Fontes tem os patrocínios da Unimed, CBVela, Marinha do Brasil, Governo do Estado do Paraná e AGE do Brasil e conta com o apoio do do COB – Comitê Olímpico Brasileiro.

Para mais informações sobre Bruno Fontes acesse o site do atletawww.brunofontes.com

Da assessoria

Scheidt e Fontes seguem entre os dez melhores no Miami OCR

Diferente dos três primeiros dias, a raia de Biscayne Bay recebeu uma leve brisa na manhã desta quinta-feira, 30, e em condições de 6-8 nós de vento (10-15km/h) foram realizadas duas regatas da classe Laser, com mais uma boa atuação do velejador Bruno Fontes (UNIMED/ AGE DO BRASIL), somando um sétimo e um oitavo lugares na Copa do Mundo de Vela de Miami. Com isso, Bruno manteve-se entre os dez primeiros que garantem vaga na Medal Race, agora com um descarte para cada atleta no somatório geral.

“Pela primeira vez as regatas começaram no horário apesar do vento ainda estar fraco. No entanto, podemos dizer que foi o melhor dia em termos de condição. Estou entre os dez primeiros e com boas chances de brigar pela Medal. Meus dias têm sido bem constantes aqui e agora é descansar para entrar na fase final de classificação com foco total nas próximas três regatas”, declarou Bruno.

O velejador fez menção ao quinto dia de regatas, que será disputado nesta sexta-feira, 31, em Miami. Após cinco velejos, foram definidos os atletas que seguem na flotilha ouro (ainda na disputa por título e medalha) e os que disputão a flotilha prata. Agora, cada competidor terá mais três disputas pela frente, para definir que serão os dez finalistas da Medal Race.

A vantagem de Bruno para os demais concorrentes está na consistência dos resultados. Em todas as cinco regatas, o velejador conseguiu ficar sempre entre os top-10. “Nesse tipo de competição é importante estar sempre entre os primeiros. Tem alguns caras que estão na minha frente, mas que já tem um resultado de 20, 30 e até 40. Isso quer dizer que eles não têm mais gordura para errar. É como eu sempre digo, com um descarte a margem para erro é nula e até o momento eu tenho conseguido tirar esse problema da frente. No entanto, o nível é muito alto e eu preciso estar consciente de que se a atenção não for a máxima pode ser ruim para mim”, explica.

Nesta sexta-feira, 31, estão previstas as disputas de mais três regatas, ao contrário dos outros dias, que tiveram duas ou uma. No sábado, 01, ocorre a Medal Race, que vale pontos dobrados na classificação geral e conta apenas com os dez melhores velejadores do evento.

Classificação geral após cinco regatas (um descarte)
1 – Tonci Stipanovic (CRO) 2+(5)+1+1+2 = 6 pontos perdidos
2 – Tom Burton (AUS) 1+1+(26)+4+3 = 9 pontos perdidos
3 – Pavlos Kontides (CYP) (26)+1+4+7+1 = 13 pontos perdidos
4 – Nick Thompson (GBR) 2+6+6+1+(9) = 15 pontos perdidos
5 – Robert Scheidt (BRA) (10) +4+1+3+10 = 18 pontos perdidos
6 – Giovani Coccoluto (ITA) 5+10+3+(46)+2 = 20 pontos perdidos
7 – Charlie Buckingham (EUA) (46)+3+9+3+10 = 25 pontos perdidos
8 – Elliot Hanson (GBR) 7+(20)+8+8+4=27 pontos perdidos
9 – Bruno Fontes (BRA) (9)+5+7+7+8 = 27 pontos perdidos
10 – Filip Jurisic (CRO) (33)+6+5+12+5 = 28 pontos perdidos

 Da assessoria

Bruno Fontes estreia em sexto do Delta Lloyd Regata

Começou nesta terça-feira na Holanda, a Delta Lloyd Regata. Único representante do Brasil, o catarinense Bruno Fontes terminou a fase classificatória na sexta colocação da classe Laser. A partir desta quinta-feira ele começará a disputar a vaga na medal race. Até o momento foram corridas cinco, das doze regatas previstas. Os resultados completos podem ser vistos clicando aqui.

 

 

Bruno Fontes e Robert Scheidt estreiam entre os líderes da Semana Francesa

Maior medalhista olímpico brasileiro, velejador venceu uma das três regatas desta segunda-feira (22), em dia de disputas equilibradas

São Paulo – Foi dada a largada para a etapa francesa da Copa do Mundo de Vela, em Hyères, nesta segunda-feira (22), com disputas marcadas pelo equilíbrio nas duas flotilhas da Laser. Dono de cinco medalhas olímpicas, três delas na Laser, Robert Scheidt terminou o dia no quinto lugar geral da classe, após vencer uma das três regatas do seu grupo, somando seis pontos perdidos. Outros três velejadores têm a mesma pontuação, incluindo o também brasileiro Bruno Fontes. O líder é o croata Tonci Stipanovic, sem pontos perdidos.

O primeiro dia de regatas teve ventos médios, chegando a 12 nós, e temperatura na casa dos 15 graus. Na rai francesa, 113 competidores, divididos em duas flotilhas, estão na disputa da Laser. Entre eles, os dez primeiros do ranking mundial da classe, como o australiano Tom Burton (1º), o neozelandês Andy Maloney (2º) e o alemão Phillip Buhl (3º). Alem de Robert Scheidt, o Brasil conta com outros três representantes: Bruno Fontes, Matheus Dellagnelo e Alex Veeren.

“Ainda sinto um pouco a falta de ritmo para competições grandes como esta. Até por isso a etapa de Hyères é um bom termômetro, e vai me ajudar na readaptação para competir em alto nível”, destacou Scheidt.

Em Hyéres, a competição adota o mesmo formato proposto para os Jogos do Rio de Janeiro/2016, com o objetivo de tornar a competição mais atrativa para a mídia e para o público. Uma das novidades é a ausência de pontos para o primeiro colocado em cada regata. Além disso, após a fase classificatória, os velejadores serão agrupados nas flotilhas ouro e prata, de acordo com a classificação, e entram na fase final somando apenas os pontos referentes à sua posição. Os dez melhores vão para a disputa de duas medal races no sábado (27), ambas com valor dobrado. Como nos Jogos de Londres/12, o público poderá assistir de perto às duas provas finais, que serão realizadas a poucos metros do cais. As disputas têm início às 11 horas.

Desde que voltou à Laser, em setembro de 2012, Scheidt, patrocinado pelo Banco do Brasil, Prada, Gocil e Rolex, não perdeu nenhuma competição. Conquistou o Campeonato Italiano de Classes Olímpicas, o Brasileiro da categoria, seu 12º título nacional, a Semana Brasileira de Vela, em fevereiro, e a Laser Europa Cup, em março. Os resultados somam-se a oito títulos mundiais e três medalhas olímpicas (ouro em Atlanta/96 e Atenas/04, prata em Sydney/00), até 2004, quando o velejador passou a competir pela Star com Bruno Prada. A parceria lhe deu outras duas medalhas em Olimpíadas (prata em Pequim/2008 e bronze em Londres/2012) o inédito tricampeonato mundial da classe.

Resultados após três regatas e um descarte

1. Tonci Stipanovic (CRO) – 0 pontos perdidos ([8]+0+0)
2. Bruno Fontes (BRA) – 6 pp ([7]+3+3)
3. Giovanni Coccoluto (ITA) – 6 pp ([5]+3+3)
4. James Espey (IRL) – 6 pp (0+[22]+6)
5. Robert Scheidt (BRA) – 6 pp (6+0+[10])
6. Daniel Mihelic (CRO) – 10 pp ([24]+6+4)
7. Thomas Saunders (NZL) – 10 pp (4+6+[13])
8. Jesus Rogel Sanchez (ESP) – 11 pp ([30]+5+6)
9. Tom Burton (AUS) – 11 pp (0+11+[37])
10. Philipp Buhl (GER) – 12 pp ([21]+10+2)
43. Matheus Dellagnelo (BRA) – 35 pp ([58]+8+27)
63. Alex Veeren (BRA) – 47 pp (15+[46]+32)

Da Local

Seis brasileiros disputam a medal race em Palma

Este slideshow necessita de JavaScript.

A equipe que está representando o Brasil no Trofeo Princesa Sofia, em Palma de Maiorca, é com certeza uma das mais fortes da história. Neste sábado, seis dos onze atletas disputarão a medal racel, em que estarão presentes apenas os dez melhores colocados.

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan fizeram uma campanha perfeita na classe 470. Ao vencerem duas regatas nesta sexta-feira, as gaúchas chegam na medal race na liderança, com dois pontos de vantagem sobre as inglesas Sophie Weguelin e Eilidh Mcintyre.

Quem também está na briga direta pelo ouro é Ricardo Winicki, o Bimba. Ele está na segunda colocação da RS:X, a apenas dois pontos do líder, o espanhol Ivan Pastor.

Na Laser Standard, um 41º na última regata da fase final fez com que Bruno Fontes também passasse para a medal race na segunda colocação. A diferença de pontos entre ele e o australiano Tom Burton é de 16 pontos.

Já as líderes do ranking mundial de 49er FX Martine Grael e Kahena Kunze caíram quatro posições e passam para a regata final na sexta posição, a 25 pontos das líderes, as dinamarquesas Ida Nielsen e Marie Olsen.

A medal race em Palma será diferente das outras já realizadas até agora. Como o objetivo da Isaf é testar novos formatos de competições, os velejadores disputarão duas regatas ao invés de uma. A pontuação continuará sendo dobrada, sem a opção de descarte. Outra novidade, que já está sendo testada desde o início do evento, é que o primeiro colocado ao invés de somar um ponto, não soma nenhum. Do segundo em diante a pontuação segue nomal.

Para os skiffs, no entanto, está sendo testado o formato estádio, com regatinhas curtinhas, de no máximo dez minutos de duração e com a raia delimitada. Os pontos da primeira fase somam na medal, que também tem uma pontuação diferenciada.

Os outros brasileiros na competição são: Matheus Dellagnelo, 35º na Laser Standard, André Fonseca e Francisco Andrade, Marco Grael e Gabriel Borges, 17º e 41º respectivamente na classe 49er, e Bruno Prada e Jorge Zarif, 25º e 36º na Finn.

Scheidt vence a Europa Cup e segue invicto na Laser

A próxima competição do velejador será na França, entre os dias 20 e 26 de abril

Scheidt é campeão na Itália

Scheidt é campeão na Itália

São Paulo – Robert Scheidt é campeão da 17ª Laser Europa Cup, que terminou nesse domingo (17), no Lago de Garda, na Itália. As regatas previstas para o último dia de competição foram canceladas por falta de vento. Assim, prevalece o resultado de sábado (16), com o brasileiro em primeiro lugar com 4 pontos perdidos, seguido pelo sueco Emil Cedergardh com 5. “Vencer sem competir no último dia gera um certo anticlímax, pois sei que teríamos regatas duríssimas na florilha ouro para decidirmos o campeonato. Infelizmente o vento não entrou”, desabafou Scheidt.

De qualquer forma, o velejador brasileiro ficou feliz com seu rendimento na competição. Foram cinco vitórias em cinco regatas. “Velejei muito bem nesses dias mantendo um aproveitamento de 100%. Agora é pensar no próximo desafio, que será a Semana Olímpica de Hyères, na França, um grande evento internacional da vela, entre 20 e 26 de abril”, contou ele.

A Laser Europa Cup começou na quinta-feira (14). Desde o início, a competição foi realizada com temperaturas abaixo de 7 graus e com ventos fortes que chegaram a 30 nós no primeiro dia. Curiosamente, no último dia, o vento ignorou a prova.

Por conta do elevado número de competidores, os mais de 100 velejadores foram divididos em duas flotilhas. Os melhores formariam a flotilha ouro, no último dia de provas, o que acabou não acontecendo. Na quinta-feira, Scheidt disputou a única regata do dia com o sueco Emil Cedergardh e levou a melhor, ficando com o primeiro lugar. No outro grupo, o também sueco Jesper Stalheim, campeão da etapa de Miami da Copa do Mundo, em janeiro, liderava as suas provas, mostrando ótimo desempenho. A expectativa era de que ele fosse o maior adversário de Scheidt na Itália, neste domingo, mas os dois não chegaram a se enfrentar diretamente e Stalheim ficou na terceira posição com 9 pontos perdidos.

Desde que voltou à Laser, em setembro de 2012, Scheidt conquistou o Campeonato Italiano de Classes Olímpicas,o Brasileiro da categoria, seu 12º título nacional e a Semana Brasileira de Vela, em fevereiro, quando venceu nove das dez regatas disputadas. Também dominou o primeiro fim de semana do Campeonato Paulista, até interromper as disputas para cumprir um período de treinos no Rio de Janeiro. O principal objetivo de Scheidt, em 2013, é o Mundial de Omã, nos Emirados Árabes, em novembro.

Da Local

Scheidt segue invicto na Laser Europa Cup em Riva del Garda

O velejador venceu as duas regatas do dia e lidera a competição com 3 pontos perdidos

Scheidt é o líder da competição

Scheidt é o líder da competição

São Paulo – Três regatas, três vitórias. Robert Scheidt continua com 100% de aproveitamento na 17ª Laser Europa Cup, que será disputada até domingo (17), no Lago de Garda, na Itália. O bicampeão olímpico venceu as duas regatas desta sexta-feira (15) e é o líder da competição com apenas 3 pontos perdidos. Devido ao elevado número de competidores (mais de 100), os barcos estão divididos em duas flotilhas até o terceiro dia de provas. Os melhores velejadores integrarão o grupo ‘ouro’, no quarto e último dia de competição, quando brigam pelas primeiras posições.

“Hoje houve muitas oscilações de vento, que tornaram as regatas bem difíceis. Mas eu fui bem, mantive boa velocidade”, comemorou Robert Scheidt. A velocidade do vento ficou entre 12 e 16 nós, bem inferior aos 30 do primeiro dia de competição. Mas os velejadores ainda sofreram com a baixa temperatura, em torno de 4 graus na Itália.

Apesar do bom aproveitamento inicial, o velejador brasileiro mantém cautela. “A pontuação ainda está bem apertada. No sábado teremos mais duas ou três regatas e tudo pode mudar. Os suecos também estão na briga pelo título”, disse Robert Scheidt, referindo-se principalmente a Emil Cedergardh. No primeiro dia de prova, o adversário da Suécia disputou a mesma flotilha de Scheidt, ficando em segundo lugar. Nas regatas desta sexta-feira, competindo na outra flotilha, o sueco obteve a primeiro e segunda posições.

Desde que voltou à Laser, em setembro de 2012, Scheidt conquistou o Campeonato Italiano de Classes Olímpicas e o Brasileiro da categoria, seu 12º título nacional, além da Semana Brasileira de Vela, sua última competição, em fevereiro, na Baia de Guanabara. Na ocasião, ele venceu nove das 10 regatas disputadas, chegando próxima à perfeição.

A disputa na Itália é mais uma oportunidade para o velejador testar sua habilidade na categoria em que o consagrou, após oito anos de parceria com Bruno Prada na Star. O velejador retornou à Laser após a Star ter sido excluída do programa olímpico. A competição mais importante do ano, no entanto, será o Mundial de Omã, nos Emirados Árabes, em novembro.

Classificação da 17ª Laser Europa Laser após três regatas 

1. Robert Scheidt (Brasil) – 3 pontos perdidos ( 1 + 1+ 1)
2. Emil Cedergardh (Suécia) – 5 pp (2 + 1 + 2)
3. Lorenzo Chiavarini (Grã Bretanha) – 12 pp ( 5 + 5 + 2)
4. Francesco Marrai (Itália) – 13 pp ( 8 + 2 + 3)
5. Alessio Spadoni (itália) – 13 pp ( 3 + 4 + 6)
6. Mattias Lindfors (Finlândia) – 14 pp ( 3 + 2 + 9)
7. Enrico Strazzera (Itália) – 16 pp (2 + 10 + 4)
8. Philip Claesson (Suécia) – 18 pp (4 + 8 + 6)
9. Phillip Kasueske (Alemanha) – 19 pp ( 5 + 3 + 11)
10. Holger Tidemand (Suécia) – 20 pp (4 + 6 + 10)

Da Local

%d blogueiros gostam disto: