Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Laser Standard’

Robert Scheidt segue invicto na Semana Brasileira de Vela

Apesar de estar invicto, a briga não está fácil

Apesar de estar invicto, a briga não está fácil

Robert Scheidt continua com 100% de aproveitamento na Semana Brasileira de Vela, realizada no Iate Clube do Rio de Janeiro. Depois de vencer as duas regatas de segunda-feira (18), primeiro dia de competição, repetiu o desempenho nessa terça-feira (19), faturando as três regatas disputadas.

Assim, o velejador paulista lidera o campeonato com cinco pontos perdidos. Na segunda posição vem Bruno Fontes, representante brasileiro na categoria na Olimpíada de Londres/2012, com 11 pontos. “Consegui mais um bom desempenho na raia olímpica de 2016. As disputas estão equilibradas, mas mesmo assim consegui andar na frente”, disse Scheidt.

O equilíbrio a que ele se refere diz respeito ao duelo que vem travando com Fontes desde o início das provas, no mesmo cenário das provas de vela da Olimpíada do Rio. O velejador paranaense, radicado em Santa Catarina, após os dois segundos lugares de segunda, repetiu a mesma colocação em duas das três regatas disputadas nessa terça. Na outra, ficou na terceira posição.

Recentemente, no brasileiro da categoria, em Porto Alegre (RS), Scheidt e Fontes disputaram regata a regata o título nacional. No Rio Grande do Sul, o paulista levou a melhor, sagrando-se campeão brasileiro na Laser pela 12ª vez. Apesar das vitórias sobre o rival, Scheidt está cauteloso no Rio. “A vantagem pode até ser grande, mas tudo pode acontecer na medal race. Um resultado ruim na ultima regata pode colocar tudo a perder. Por isso a ideia é seguir concentrado ao máximo”, analisou.

A Semana Brasileira de Vela, que segue até sexta-feira (22), com previsão de duas regatas diárias, a partir de 13 horas, mais a medal race, serve de seletiva para a formação da equipe brasileira de vela que representará o País nas competições internacionais de 2013. É, portanto, o primeiro passo para garantir a vaga na Olimpíada de 2016.

Da Local

Scheidt larga na frente na Semana Brasileira de Vela

A competição, disputada na Baía de Guanabara, serve como seletiva para a formação da equipe brasileira de vela em 2013

Rio de Janeiro – Vitória nas duas regatas do dia. Assim foi o início de disputas da Semana Brasileira de Vela para Robert Scheidt, competição que começou nessa segunda-feira (18) e vai até sexta-feira (22), no Iate Clube do Rio de Janeiro. O velejador da Laser, dono de três medalhas olímpicas na classe (ouro em Atlanta/96 e Atenas/2004, além da prata em Sidney/2000) somou apenas dois pontos perdidos, ou seja, começou o campeonato com 100% de aproveitamento “Foi um início de competição excelente. Cometi poucos erros. No início das regatas tive uma boa disputa com o Bruno Fontes, mas consegui me manter à frente e vencer”, analisou Scheidt. “Com o vento rondando pouco, a tendência é que eu e o Bruno sejamos os mais rápidos”, acrescentou.

Assim como no Campeonato Brasileiro de Laser, realizado em janeiro, em Porto Alegre (RS), e vencido por Scheidt pela 12ª vez, Fontes, representante do País na categoria, na Olimpíada de Londres (2012), deverá ser novamente seu grande adversário no Rio. O paranaense, radicado em Santa Catarina, ficou em segundo lugar nas duas regatas dessa segunda-feira. No Rio Grande do Sul, Fontes foi vice-campeão após liderar a competição nos primeiros dias de regatas.

“O Bruno deve vir com tudo para tirar a vantagem que tenho sobre ele nas regatas dessa terça-feira.Vai ser uma boa disputa. Mas espero continuar velejando bem e manter a liderança”,confessou Sheidt.

A Semana Brasileira de Vela, realizada na Baía da Guanabara, mesmo palco de disputas das regatas da Olimpíada do Rio ,em 2016, serve como seletiva para a formação da equipe brasileira de vela, que representará o País nas competições internacionais em 2013. É, portanto, o primeiro passo visando a escolha dos representantes da vela brasileira nos jogos do Rio. Até sexta-feira, serão disputadas mais oito regatas, a partir das 13 horas. O pior resultado de cada competidor será descartado após a sexta regata.

Da Local

Scheidt disputa a Semana Brasileira de Vela em busca da vaga na equipe olímpica

A Semana Brasileira de Vela, que começa, na segunda-feira (18), no iate clube da cidade, será o primeiro passo para o velejador, que retorna à laser, disputar sua sexta olimpíada

São Paulo – Robert Scheidt tem mais um desafio pela frente na categoria Laser, após oito anos velejando na Star: a Semana Brasileira de Vela. A competição que será realizada entre os dias 18 e 22 de fevereiro, no Iate Clube do Rio de Janeiro (RJ), vale como seletiva para a formação da equipe brasileira de iatismo que representará o País nas competições internacionais em 2013.

Para os velejadores brasileiros, essa é uma grande oportunidade de preparação, visando uma vaga na Olimpíada de 2016, no Rio. Na Semana de Vela, que vai até sexta-feira (22) serão disputadas 10 regatas (duas por dia), a partir das 13 horas. O pior resultado de cada competidor será descartado após a sexta regata.

Para Scheidt, que recentemente foi eleito pelos atletas olímpicos para representá-los junto ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o primeiro desafio, porém, é mostrar-se competitivo na categoria que o consagrou internacionalmente. Nela, conquistou oito mundiais e três medalhas olímpicas: duas de ouro (Atlanta/96 e Atenas 2004) e uma de prata (Sidney 2000). “Aos poucos vou conseguindo entrar em forma na Laser. De qualquer forma, preciso provar a partir de agora que tenho condições de lutar pela vaga olímpica. Recentemente, venci mais um Brasileiro da categoria, que, de certa forma, mostrou que ainda velejo no mesmo nível que meus adversário brasileiros. Mas o que vale mesmo é o que o que vai acontecer daqui pra frente”, diz ele.

No campeonato Brasileiro de Laser, disputado em janeiro, em Porto Alegre (RS), Scheidt travou uma batalha acirrada com Bruno Fontes, representante brasileiro da categoria na Olimpíada de Londres 2012. Esse foi 12º título nacional do velejador que, após a Olimpíada de Atenas, se transferiu para a Star quando competiu até os jogos de Londres ao lado de Bruno Prada. Na Star, Scheidt foi tricampeão mundial e conquistou duas medalhas olímpicas: prata em Pequim 2008 e bronze em Londres/2012. O retorno à Laser foi motivado pela exclusão da Star dos jogos do Rio.

Da Local

Bruno Fontes segue na liderança da Laser no Miami OCR

O velejador Bruno Fontes (UNIMED/ AGE DO BRASIL) mostrou-se mais uma vez muito constante durante a Copa do Mundo de Vela de Miami e nessa quarta-feira (30) conseguiu mais uma atuação quase perfeita, que o manteve na liderança da competição. Com um primeiro e um segundo lugares, Bruno passou para a próxima fase do evento em primeiro lugar geral.

“Consegui avançar bem para a segunda parte da competição. Agora começa uma nova competição. Estou bem feliz com minha performance até o momento, mas é preciso estar sempre atento a tudo. Preciso continuar sendo constante para repetir os bons resultados nas regatas que tenho pela frente”, destacou Fontes.

Agora, os trinta e cinco melhores atletas seguem na disputa pelo título. Diferente das demais competições, a Copa do Mundo de Vela de Miami adotou um novo sistema de pontuação. Antes, todos os resultados eram somados e haviam alguns descartes. Agora, serão mais cinco regatas e os pontos obtidos por Bruno não serão acumulados. A única vantagem, no entanto, é que o atleta começa com apenas um ponto perdido, por ter sido o primeiro colocado na classificação geral.

“Agora é como se começasse uma nova competição. Serão mais cinco regatas e depois serão definidos os dez que avançam para a Medal Race. Estou me sentindo muito bem no barco e espero continuar velejando da mesma forma nos próximos dias”, afirmou Bruno.

Com sei regatas disputadas, Bruno somou três primeiros lugares, um segundo, um terceiro e um quarto, mostrando uma ótima consistência de resultados.

Nessa quinta-feira (31), o velejador catarinense tem mais duas regatas pela frente. A previsão, assim como nos outros dias, é para que as provas comecem as 14h, horário de Brasília.

Da assessoria

Brasileiros têm mais um excelente dia no Miami OCR

Oi Bimba! Andando na frente de novo, hein? De Búzios para Miami, non stop. Nosso campeão é vice geral na RS:X na baía de Biscayne.

Oi Bimba! Andando na frente de novo, hein? De Búzios para Miami, non stop. Nosso campeão é vice geral na RS:X na baía de Biscayne.

Nesta quarta-feira os velejadores brasileiros tiveram mais um bom dia de disputas no Miami OCR. Na novíssima classe olímpica, a 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze assumiram a ponta com três regatas quase perfeitas. Na Laser Standard, Bruno Fontes segue também na liderança. Na 470 Fernanda Oliveira e Ana Barbachan também seguem na ponta, com Renata Decnop e Isabel Swan na terceira posição.  Na RS:X masculina, nosso eterno campeão Ricardo “Bimba” Winicki está na vice liderança e na Finn, Jorginho Zarif subiu para terceiro, enquanto Bruno Prada está em quinto. Na 49er, André ‘Bochecha’ Fonseca e Francisco Andrade ocupam também a quinta colocação, enquanto Maurício ‘Santinha’ e Tomas Mangabeira estão em 12º.  Para ver as súmulas completas, clique aqui.

 

Brasileiros lideram segunda etapa da Copa do Mundo de Vela

Renata e Bel estão em terceiro na 470

Renata e Bel estão em terceiro na 470

A segunda etapa da Copa do Mundo de Vela começou há dois dias em Miami. Os velejadores brasileiros têm conquistado bons resultados em cinco das 11 classes. Bruno Fontes lidera na Laser Standard, assim como Fernanda Oliveira e Ana Barbachan na 470. Na mesma classe, Renata Decnop e Isabel Swan ocupam a terceira colocação. Na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze estão na segunda colocação, enquanto na 49er, André Fonseca e Francisco Andrade estão em 7º e Maurício Santa Cruz e Tomas Mangabeira ocupam a 12ª posição. Na Finn, Bruno Prada é o melhor brasileiro na terceira colocação, enquanto Jorginho Zarif está em 5º. Os resultados completos podem ser vistos aqui.

Robert Scheidt é campeão brasileiro de Laser Standard

No último dia o vento não apareceu e a competição foi encerrada com a pontuação das oito regatas realizadas em Porto Alegre

Robert conquistou o título brasileiro pela 12ª vez

Robert conquistou o título brasileiro pela 12ª vez

Robert Scheidt conquistou o título do 39º Campeonato Brasileiro da classe Laser e mostrou que o seu reinado ainda não terminou depois de uma ausência de oito anos. As duas últimas regatas do campeonato não foram realizadas nesta quarta-feira no Veleiros do Sul por falta de vento em Porto Alegre e prevaleceu a pontuação do dia anterior. Bruno Fontes ficou na vice-colocação e Matheus Dellagnelo em terceiro lugar.

“Estou feliz por começar o ano com esta vitória e saber que ainda velejo dentro do mesmo nível alto de quando deixei a classe”, avaliou Robert, que agora completou uma dúzia de títulos brasileiros. O último foi em 2005, em Ilhabela (SP), ano em que ele trocou a Laser pelo Star.

Sobre a sua conquista em Porto Alegre, Robert disse que ficou muito contente por ter vencido essa “batalha” com Bruno Fontes, já que o velejador catarinense é muito rápido e exigiu dele para chegar à vitória. “Cometi alguns erros e as regatas foram decididas nos detalhes. A superação das dificuldades valorizou ainda mais este título”, afirmou o medalhista olímpico, de 39 anos. “Acho que sou o campeão recordista em idade na classificação geral do Brasileiro de Laser Standard”, comenta.

Numa comparação do momento atual e de oito anos atrás, Robert considera que o nível dos velejadores nacionais ainda é forte e a aposta na nova geração que desponta, entre os quais, o catarinense Matheus Dellagnelo. “Neste Brasileiro não havia muitos estrangeiros, com exceção dos argentinos, mas o nível da classe no Brasil se mantém forte”, diz Robert que agora dá andamento a sua campanha olímpica para os Jogos do Rio 2016, começando pela Semana Brasileira de Vela, em fevereiro, no Rio de Janeiro.

Bruno Fontes, 33 anos, liderou o campeonato por três dias, embora estivesse empatado com Robert na pontuação. No penúltimo dia do campeonato caiu para segundo e não teve a chance de se recuperar. Mesmo assim diz que sai contente com o resultado. “Não consegui dar o meu melhor para superar o Scheidt. Quando o adversário se trata do nível dele qualquer escorregada pode ser fatal e foi o que aconteceu”, disse Bruno, referindo-se aos erros cometidos nas duas últimas regatas e que lhe valeram a perda da liderança. O velejador catarinense também mencionou a boa organização do Campeonato no Veleiros Sul. “Como sempre estava 100%.”

O gaúcho melhor classificado foi André Streppel, do Veleiros do Sul, que terminou o  campeonato na quarta colocação. Bizu, como é conhecido por todos, diz que acabou na posição que “deveria ficar” por não estar no mesmo ritmo de competição que os primeiros colocados. “Teve também muita gente boa que ficou atrás de mim. Estou satisfeito pelo nível do Brasileiro e consegui finalizar o campeonato melhor do que iniciei.”

Junto com o Laser Standard foi disputado o Brasileiro de 4.7 que teve como vencedor Lucas Mazim e em segundo lugar Henrique Dias. Martin Lowy ficou em terceiro. O campeão Lucas Mazim comemorou seu primeiro título na Laser. “Foi o meu primeiro grande campeonato que disputei. Teve um nível muito alto e muita adrenalina. Gostaria de agradecer aos colegas e ao meu clube que me incentivaram para que eu alcançasse a vitória. Foi um privilégio competir contra o Henrique Dias”, diz Lucas, 19 anos, que também competirá no Brasileiro de Laser Radial.

Júlia Silva (RS) garantiu o título na categoria feminina e sexto lugar na classificação geral. A campeã brasileira já havia obtido no ano anterior um 4º lugar no Mundial da classe, além de ter corrido o Europeu e confessa que embora tenha vencido no 4.7, está centrada está no próximo desafio: “O meu foco está no Brasileiro de Radial, é para ele todo o meu preparo. E de fato, foi um bom treino porque todos os dez melhores colocados do 4.7 vão correr o Radial, então tivemos uma mostra de nível do quanto teremos bons concorrentes, vai ser bem disputado”, disse a velejadora que também agradece aos colegas de flotilha e ao Veleiros do Sul.

O dia foi de sol forte em Porto Alegre, com temperatura de 32ºC e nada de vento. A água do rio Guaíba estava lisa como a superfície de um espelho. Os velejadores ficaram aguardando em terra o chamado da comissão de regatas para irem até a raia, mas o tempo limite para a primeira largada, às 16h30min, chegou e não havia condições para a realização da competição.
Nesta sexta-feira (25) no Veleiros do Sul iniciará a disputa do Campeonato Brasileiro da classe Laser Radial, masculino e feminino.

Classificação final da Standard – oito regatas (confira aqui a súmula completa)

1º Robert Scheidt (SP) 9
2º Bruno Fontes (SC) 11
3º Matheus Dellagnelo (SC) 21
4º André Streppel (RS) 41
5º Juan Pablo Bisio (ARG) 45

Classificação final na  4.7 – oito regatas

1º Lucas Mazim (RS) 8
2º Henrique Dias (RS) 11
3º Martin Lowy (SP) 13
4º Gabriel Elstrodt (SP) 22
5º Kim Vidal de Andrade (BA) 31

Da assessoria

Scheidt assume a liderança no quarto dia do Brasileiro de Laser

Bruno Fontes caiu para a vice-colocação no campeonato que encerrará nesta quarta-feira

Após falhas de Bruno, Robert assumiu a liderança do Brasileiro de Laser Standard

Após falhas de Bruno, Robert assumiu a liderança do Brasileiro de Laser Standard

 

No penúltimo dia do Campeonato Brasileiro da classe Laser os ventos foram favoráveis para Robert Scheidt. Com duas vitórias obtidas nesta terça-feira, ele assume a liderança do campeonato após oito regatas realizadas no Veleiros do Sul, em Porto Alegre. Ele terminou a série de empates ao abrir uma vantagem de dois pontos sobre Bruno Fontes, que caiu para a vice-colocação e não foi bem nas regatas de hoje. O gaúcho melhor colocado é André Streppel, o Bizu (VDS), que subiu uma posição na súmula e agora é o quarto colocado.

Apesar de ser um dia exaustivo para os competidores que enfrentaram uma longa espera pelo vento e sob um sol forte no rio Guaíba, Robert Scheidt velejou com a habilidade de sempre. Chegou em terra com semblante cansado, mas feliz, e antes mesmo de desmontar o barco deu autógrafos. “Foi um dia excelente,” comentou. Na primeira regata do dia ele começou em segundo lugar, mas na perna do segundo popa do percurso de barla-sota assumiu à frente.

“Aproveitei uma boa rajada na montagem de boia e isso foi crucial para eu decidir a regata. Já na segunda prova larguei na frente e consegui defender a liderança até o final. Tecnicamente velejei bem nas regatas, apesar do vento muito rondado, que assim como pode facilitar a recuperação na competição também pode prejudicar”, disse Robert.

Com a descida para a vice-colocação no Brasileiro, Bruno Fontes lamentou os erros cometidos na raia. “Não velejei bem e fiz coisas erradas, além de ter tido na primeira regata um problema com o cabo da minha escota que se enroscou e prejudicou meu andamento. Na outra regata ocorreram algumas oportunidades de ultrapassar o Scheidt, arrisquei, não consegui e no final o Matheus ainda cruzou a linha em minha frente”, contou Bruno.

Não foi somente Robert que saiu feliz da água, Matheus Dellagnelo, terceiro colocado no Brasileiro também estava contente. Ele tem velejado sempre próximo aos líderes e hoje chegou em segundo lugar na última regata. Em 2011 Matheus foi campeão mundial de Sunfish e medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos do México. Depois de uma ausência de dois anos na classe Laser voltou no ano passado e garantiu o título do Campeonato Sul-Brasileiro da classe também em Porto Alegre. Suas pretensões é chegar os Jogos do Rio 2016. “Tenho um programa de treinos específico para isso”, diz.

No Brasileiro de 4.7 a liderança é de Lucas Mazim que está três pontos na frente do segundo colocado, Henrique Dias. E Martin Lowy se mantém em terceiro. Júlia Silva a primeira na categoria feminina é a sexta colocada na classificação geral.

O dia foi penoso com a demorada espera pelo vento. Por volta das 16 horas começou a soprara de direção leste e 15 nós de intensidade, permitindo a realização de duas regatas no Guaíba. O Brasileiro de Laser encerrará nesta quarta-feira com as duas regatas finais a partir das 13 horas.

Classificação parcial da Standard – oito regatas 
1º Robert Scheidt (SP) 9
2º Bruno Fontes (SC) 11
3º Matheus Dellagnelo (SC) 21
4º André Streppel (RS) 41
5º Juan Pablo Bisio (ARG) 45

Classificação parcial na 4.7 – seis regatas
1º Lucas Mazim (RS) 8
2º Henrique Dias (RS) 11
3º Martin Lowy (SP) 13
4º Gabriel Elstrodt (SP) 22
5º Kim Vidal de Andrade (BA) 31

O 39º Campeonato Brasileiro da classe Laser encerrará nesta quarta-feira com as duas regatas finais a partir das 13 horas.

Da assessoria do VDS

Após três dias Robert Scheidt e Bruno Fontes mantêm o empate no Brasileiro de Laser em Porto Alegre

A briga segue acirrada entre Bruno e Scheidt

A briga segue acirrada entre Bruno e Scheidt

Já virou rotina a disputa entre Robert Scheidt e Bruno Fontes no Campeonato Brasileiro da classe Laser. Eles continuam empatados após seis regatas realizadas na raia do Veleiros do Sul, em Porto Alegre. E tudo é tão igual até agora que até a ordem de chegada não muda. Robert sempre vence a primeira regata do dia e Bruno a segunda. Na terceira colocação também não há mudança, Matheus Dellagnelo vem mantendo sua posição na classificação. Com número atingido regatas no Brasileiro os velejadores puderam descartar hoje o primeiro pior resultado na competição.

Ao chegar em terra os dois velejadores falaram que estavam cansados. E não era para menos, o vento mudou para a direção leste nesta segunda-feira, embora um pouco mais fraco, mas instável exigindo maior número de manobras e conseqüentemente maior esforço físico. Robert ganhou a primeira regata, velejando sempre na frente. E lamentou o erro na largada da segunda prova.

“Não larguei bem, perdi a aceleração e com isso precisei mudar de bordo várias vezes, enquanto Bruno abriu uma distância na minha frente. As condições foram parecidas dos dias anteriores, mas as constantes mudanças na direção do vento na raia levaram a um maior número de cambadas,” disse o medalhista olímpico.

Não foi diferente para Bruno Fontes que também tinha o que lamentar, mas na primeira regata. “O Robert saiu na frente e depois tive a chance de vencer, fiquei muito confiante, em vez de marcar ele na raia, e acabei perdendo já próximo a linha de chegada”, contou Bruno, que representou o Brasil na classe Laser na Olimpíada de Londres no ano passado.

No Brasileiro de 4.7 também continua com praticamente as mesmas posições. Lucas Mazim se mantém em primeiro lugar, Henrique Dias em segundo lugar e Martin Lowy em terceiro. Júlia Silva continua na liderança na categoria feminina e subiu uma posição na classificação geral, ocupando o quinto lugar.

Depois de dois dias com a mesma condição, o vento mudou de direção de sul para leste, ficou um pouco mais fraco, mas rondado o que provou o retardamento em uma hora para o início da competição. A intensidade foi 12 a 16 nós. E não foi só vento que sofreu alteração. A raia que vinha sendo montada em percurso trapezoidal foi de barla-sota, com cinco pernas. O Brasileiro de Laser chega ao seu penúltimo dia nesta terça-feira com mais duas regatas a partir das 13h.

Classificação parcial da Standard – seis regatas
1º Bruno Fontes (SC) 7
2º Robert Scheidt (SP) 7
3º Matheus Dellagnelo (SC) 16
4º Juan Pablo Bisio (ARG) 25
5º Yago Lange (ARG) 31

Classificação parcial na 4.7 – seis regatas
1º Lucas Mazim (RS) 7
2º Henrique Dias (RS) 10
3º Martin Lowy (SP) 12
4º Gabriel Elstrodt (SP) 19
5º Júlia Fernanda Silva (RS) 27

Da assessoria do VDS

Scheidt e Bruno brigam pela liderança no Brasileiro de Laser

Os velejadores continuam empatados na pontuação do campeonato em Porto Alegre

Disputa acirrada entre Robert e Bruno

Disputa acirrada entre Robert e Bruno

 

O duelo timoneiros continuou no segundo dia do Campeonato Brasileiro da classe Laser, que está sendo disputado no Veleiros do Sul, em Porto Alegre. Robert Scheidt e Bruno Fontes estão empatados com seis pontos cada um na classificação geral da classe Laser standard, após quatro regatas realizadas no rio Guaíba. Pelo critério de desempate quem vence a última regata fica em primeiro na tabela. Na terceira colocação está Matheus Dellagnelo.

Além de velejarem sempre perto um do outro na raia, os líderes fazem uma espécie de match race, modalidade da vela de disputa de barco contra barco. A primeira regata do dia Robert saiu na frente e se manteve na liderança da flotilha sem ser ameaçado pelo seu adversário até a linha de chegada. Ele velejou com muito domínio do barco.

Já na segunda largada foi à vez de Bruno assumir à frente desde logo e abriu uma vantagem sobre Robert, porém no segundo contravento do percurso trapezoidal o medalhista olímpico ultrapassou e mudou a liderança. No segundo popa, quando tudo parecia já definido, Robert teve um problema ao fazer uma manobra de jibe e perdeu velocidade, enquanto Bruno aproveitou para recuperar a dianteira e manteve a posição até o final. Foi a regata mais emocionante até agora da competição.

Robert Scheidt velejou muito bem na primeira regata do dia e considerou que houve uma melhora de ontem para hoje com relação a sua disposição física e disse estar satisfeito com seu rendimento nesta “batalha” com Bruno. “Na segunda regata sai atrás e consegui passar na frente do Bruno, mas uma rajada forte inesperada no momento do jibe fez o cabo da escota se enroscar na cana do leme e acabei perdendo a vantagem. São pequenos erros que precisam ser corrigidos devidos ainda a minha falta de ritmo no barco”, diz Robert.

Para Bruno Fontes foi outro dia de disputa dura e prevê que esta briga se manterá até o final. “Robert velejou com maestria na primeira regata, soube aproveitar todas as oportunidades. Consegui melhorar na regata seguinte, perdi a liderança no segundo contravento porque o Robert leu melhor a condição do vento, mas recuperei a vantagem no segundo popa e venci a disputa”, comentou Bruno.
Os velejadores argentinos estão se destacando entre o pelotão da frente no Brasileiro de Laser standard que conta com 65 competidores. Juan Pablo Bisio e Yago Lange ocupam o quarto e quinto lugar, respectivamente. As regatas neste domingo foram realizadas com vento sul na intensidade de 20 nós.

Junto com o standard está sendo disputado o Brasileiro de 4.7 com 36 participantes. O velejador Lucas Mazim manteve a liderança, com Henrique Dias em segundo lugar e Martin Lowy em terceiro. Júlia Silva está na frente na categoria feminina e ocupa a sexta colocação no geral. O Brasileiro de Laser continua nesta segunda-feira a partir das 13 horas.

Classificação parcial dos cinco primeiros da Standard – 4 regatas
1º Bruno Fontes (SC) 6
2º Robert Scheidt (SP) 6
3º Matheus Dellagnelo (SC) 13
4º Juan Pablo Bisio (ARG) 25
5º Yago Lange (ARG) 26

Classificação parcial dos cinco primeiros na 4.7 – quatro regatas
1º Lucas Mazim (RS) 6
2º Henrique Dias (RS) 7
3º Martin Lowy (SP) 11
4º Kim Andrade (BA) 18
5º Gabriel Elstrodt (SP) 19

%d blogueiros gostam disto: