Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Miami’

Ouro, prata e bronze! Brasil fecha ótima campanha na etapa de Miami da World Sailing Cup

Fernandinha e Ana começaram 2019 em alto nível. ©JESUS RENEDO/SAILING ENERGY/WORLD SAILING.

3, 2, 1… O ano de 2019 começou com um ótimo resultado para a Equipe Brasileira de Vela. Neste domingo, dia 3, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan conquistaram a medalha de bronze na classe 470 feminina, na etapa de Miami da Copa do Mundo da World Sailing (Federação Internacional de Vela). Assim, o país fechou a primeira grande competição do calendário com três pódios. 

No sábado, Martine Grael e Kahena Kunze foram ouro na 49erFX, e Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino ganharam a prata, a primeira medalha do Brasil na história da Nacra 17. 

Na 470 feminina, após uma semana consistente no top 10 da classificação, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan entraram na regata da medalha deste domingo na quarta colocação no geral. Velejando em ventos fracos, as brasileiras se mantiveram o tempo todo no pelotão da frente. Na descida do último popa, consolidaram a segunda posição na prova, suficiente para garantir um lugar no pódio, com 64 pontos perdidos, um ponto à frente da atual campeã olímpica, a britânica Hannah Mills, que ficou em quarto ao lado de Eilidh McIntyre.

A próxima competição de classes olímpicas do calendário é o Troféu Princesa Sofia, a partir de 29 de março, em Palma de Maiorca, na Espanha.

RESULTADOS COMPLETOS DO BRASIL NA COPA DO MUNDO DE MIAMI:

Sempre elas!! Martine e Kahena vieram crescendo ao longo da semana e… ganharam! Mais um ouro para a dupla. ©JESUS RENEDO/SAILING ENERGY/WORLD SAILING.

49er FX

1 – Martine Grael e Kahena Kunze (BRA), 58 pontos perdidos

2 – Alexandra Maloney/ Molly Meech (NZL), 60 p.p.

3 – Chalotte Dobson/ Saskia Tiden (GBR), 63 p.p.

Samuca Albrecht e Gabi Nicolino foram vice campeões em Miami. ©JESÚS RENEDO/SAILING ENERGY/AARHUS 2018.

Nacra 17

1 – Jason Waterhouse/ Lisa Darmanin (AUS), 50 p.p.

2 – Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (BRA), 58 p.p.

3 – Santiago Lange/ Cecilia Carranza Saroli (ARG), 72 p.p.

470 feminina

1 – Frederika Loewe/ Anna Markfort (ALE), 60 p.p.

2 – Fabienne Oster/ Anastasiya Winkel (ALE), 62 p.p.

3 – Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan (BRA), 64 p.p.

Finn

13 – Jorge Zarif, 76 p.p.

Laser Radial

21 – Gabriela Kidd, 215 p.p.

49er

23 – Marco Grael/ Gabriel Borges, 174 p.p.

RS:X feminina

29 – Bruna Martinelli, 169 p.p.

Laser

56 – João Pedro Souto de Oliveira, 170 p.p.

Mais informações sobre a etapa de Miami da Copa do Mundo:
http://miami.ussailing.org/

Resultados completos: http://sailing.org/worldcup/results/index.php

Tiago Campante/CBVela

Lars Grael e Samuca Gonçalves iniciam o ano com vitória no Star em Miami

O velejador Lars Grael começou 2014 com vitória nas águas ao conquistar, ao lado do seu proeiro, Samuel Gonçalves, na classe Star, o Levin Memorial, em Miami. A competição contou com quatro regatas e reuniu 22 barcos da classe Star, de seis países.

Lars e Samuel fecharam a competição e com oito pontos, e desbancaram o favoritismo dos donos da casa, os americanos Augie Diaz/Arni Baltin, em segundo, e George Szabo/ Roger Cheer, em terceiro lugar, com 16 pontos.

“O campeonato foi bastante disputado, com campeões mundiais na raia. As condições do tempo estiveram boas para nós (Lars e Samuel) e conseguimos nos manter entre os primeiros colocados. Começamos 2014 com tudo”, comemorou Lars após checagem do resultado oficial.

Os brasileiros venceram, ainda, os campeões mundiais da classe Star em 2013, os americanos John MacCausland/Phil Trinter, que terminaram a competição em quarto lugar, com 22 pontos. O pior resultado de Lars e Samuel foi um quarto lugar. A dupla fez, ainda: 2°, 1° e 1° lugares nas demais regatas disputadas. A Levin Memorial foi sediada pelo Coral Reef Yacht Club, em Miami.

Da Velassessoria

Brasileiros vencem o Snipe Midwinters em Miami

Juninho e Coveiro, os vice-campeões

Juninho e Coveiro, os vice-campeões

Terminou nesta terça-feira em Miami o Snipe Midwinters, competição que reuniu 27 barcos. Confirmando a fama de serem os melhores velejadores da classe do mundo, os brasileiros fizeram dobradinha com Bruno ‘Bebum’ Bethlem e Dante Bianchi em primeiro e Juninho de Jesus e Gabriel ‘Coveiro’ Borges em segundo. O americano Augie Diaz com Julia Melton na proa completaram o pódio. O resultado completo pode ser visto aqui.

Groupama lidera o início da travessia do Atlântico

A flotilha da Volvo Ocean Race largou neste domingo de Miami, nos EUA, rumo a Lisboa, em Portugal. A etapa marca a volta da regata para a Europa. E a tempestade Alberto, com ventos de mais de 35 nós,  tem ajudado a manter a velocidade dos barcos acima dos 20 nós neste início de travessia. Na manhã desta segunda-feira o Camper, em quarto era o mais rápido, fazendo 23,6 nós. Puma e Telefónica, segundo e terceiro colocados respectivamente vinham na cola, com 23,5 nós. O líder Groupama era o mais lento, com 22,4 nós.

“Uma frente fria com uma zona de baixa pressão irá trazer bastante vento, permitindo com que os times velejem em uma rota bem mais direta. A porta está definitivamente aberta, mas timing é tudo”, disse Gonzalo Infante, meteorologista da regata.

 

Volvo Ocean Race: Abu Dhabi vence Regata do Porto de Miami

Árabes vencem pela terceira vez a In-port Race. Campeonato fica mais equilibrado com prova ruim do líder da competição, o Telefónica


Itajaí (SC) – A classificação geral da Volvo Ocean Race ficou ainda mais equilibrada após a Regata do Porto de Miami, disputada neste sábado (19), na cidade norte-americana. A vitória foi do Abu Dhabi, que já soma três ouros em In-port Races da edição 2011/2012. Mas, o que chamou atenção foi outra jornada irregular do Telefónica, que tem o brasileiro Joca Signorini como chefe de turno.

Os espanhóis, líderes da Volta ao Mundo, ficaram em último lugar novamente e viram a diferença para o quarto colocado, o Puma, cair para 14 pontos. Estão na briga pelo título Groupama (sete atrás)e Camper (13 atrás) e a perna que começa neste domingo (20), até Lisboa (Portugal), ganhará importância ainda maior. A largada terá transmissão ao vivo do canal Bandsports, às 14h. O percurso até a capital portuguesa será de quaase 4 mil milhas.

“Todo mundo está navegando muito bem. Tentamos fazer o melhor possível, mas não deu. A competição será apertada até o final em Galway e tudo pode mudar”, explica Iker Martínez, do Telefónica.

O Abu Dhabi, do comandante Ian Walker, tem um desempenho especial nas Regatas do Porto. Além de Miami, havia vencido a primeira, em Alicante, e depois em casa, nos Emirados Árabes Unidos. O time árabe fez seis pontos ao cruzar a linha de chegada em primeiro. “Foi uma regata muito disputada. Conseguimos uma recuperação no final e tenho que agradecer todo o trabalho da tripulação, já que não tivemos muito tempo para treinar”, relata Ian Walker, que fez o trecho em 1h14.

O percurso teve quase 7 milhase contou com um final bastante disputado com Groupama em segundo (30 segundos atrás), Puma em terceiro e Camper em quarto. A equipe do Sanya voltou a correr uma prova após dois meses fora. O Telefónica errou mais uma vez e acabou em último, assim como em Itajaí, no mês passado. Desta vez, os espanhóis escolheram uma rota quase sem vento e foram ultrapassados por toda flotilha.

Classificação geral da Volvo Ocean Race:
1º – Telefónica – 165 pontos
2º – Groupama – 158 pontos
3º – Camper – 152 pontos
4º – Puma – 151 pontos
5º – Abu Dhabi – 74 pontos
6º – Sanya -27 pontos

Da ZDL

Puma vence etapa até Miami e encosta no Telefónica

Barco norte-americano chega em primeiro pela segunda vez consecutiva. Camper fica logo atrás e equilibra classificação geral da Volvo Ocean Race

Itajaí (SC) – O Puma fez a alegria da torcida em Miami e venceu a sexta perna da Volvo Ocean Race, velejando 17 dias pelo Oceano Atlântico desde a saída de Itajaí. Os norte-americanos lideraram praticamente toda a travessia de quase 5 mil milhas, ameaçados somente na região sem vento dos Doldroums e no final da etapa pelo Camper. “Foi bastante desgastante essa disputa. O Camper navegou muito bem. Estou muito orgulhoso da nossa equipe”, diz o comandante Ken Read, que foi recebido por mais de 100 barcos nos Estados Unidos.

Foi a segunda conquista consecutiva da equipe, que se recupera na competição, somando agora 149 pontos. “É ótimo estar de volta aos Estados Unidos e vencer uma perna difícil”. No mês passado, o Mar Mostro, nome dado ao barco negro do time, foi o primeiro a chegar no Brasil, após a etapa mais longa da volta ao mundo. Desta vez, os norte-americanos conseguiram anular as investidas do Camper, que apareceu em Miami uma hora depois, somando 25 pontos.

“Foi uma perna longa e decisiva”, relata Chris Nicholson, do Camper. O barco espanhol/neozelandês teve pouco tempo de trabalho em Itajaí antes da largada da sexta etapa. Por isso, o líder do veleiro vermelho está confiante para a corrida até Lisboa, em Portugal. “Estou muito feliz com o desempenho do barco e o entrosamento da equipe”, conclui o comandante.

Os resultados parciais foram ruins para o Telefónica, que está em quarto na perna e viu o Puma empatar na classificação geral. Se confirmarem a posição nesta quinta-feira (10), os espanhóis somarão mais 15 pontos. O Groupama está em terceiro lugar e o Abu Dhabi em quinto, fechando a flotilha.

As equipes voltam a competir na Regata do Porto, que será no dia 19, em Miami. Desta vez, o Sanya, que não foi a Itajaí por problemas no veleiro, estará na disputa. A partida para Lisboa será no dia seguinte.

Da ZDL de Comunicação

Vídeo da Bacardi Cup de Star em Miami

%d blogueiros gostam disto: