Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Mundial de Snipe’

Bruno Betlhem e Dante Bianchi conquistam o bicampeonato mundial de Snipe

Brasil ainda ficou com a prata e o bronze, em evento disputado no Rio de Janeiro

Dante e Bebum comemoram o título

Dante e Bebum comemoram o título

Rio de Janeiro – Ouro, prata e bronze. Foi assim que o Brasil terminou no Mundial de Snipe, disputado no Iate Clube do Rio de Janeiro até este sábado. Correndo em casa, Bruno Bethlem e Dante Bianchi tiveram o apoio da torcida ao cruzarem a linha e comemorarem o bicampeonato na classe, deixando para trás outras 79 duplas. Os baianos Maru Urban e Foguinho, e os gaúchos Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling completam o pódio.

“Ganhar em casa é muito bom, tem mais gente, mais torcida. Este foi o Mundial com mais barcos na história da classe e nós participamos da organização, então tem um gostinho diferente. No começo da semana tinha um vento que não estávamos acostumados e isso nos atrapalhou um pouco, fora que na primeira regata nós largamos escapados, então não foi nada fácil vencer”, disse Dante.

“Foi um dia bastante difícil, estávamos em dúvida se iam ter duas ou três regatas, então quisemos sempre velejar pra frente, ao invés de marcar as outras duplas. Vencer em casa tem um gosto especial. Nós não tivemos esta torcida em San Diego e isso nos deixou ainda mais motivados”, completa Bruno.

A largada da primeira regata foi dada pontualmente ao meio dia e já na primeira boia deu pra ver que a disputa ia ser acirrada. A troca de posições foi constante até a linha de chegada, com a vitória de Bruno e Dante.  Nas duas regatas seguintes deu Estados Unidos , com os barcos comandados por Ernesto Rodriguez e Brian Kamillar, enquanto os brasileiros seguiam na briga por posições.

“Só de termos conseguido vir para este mundial já estava bom”, disse Maru. A dupla foi a última do Brasil a conquistar a vaga para o evento e não teve muito tempo para se preparar. “Felizmente estamos acostumados com vento forte e conseguimos brigar pelo título até a última regata”, completa.

Quem também ficou feliz foi Alexandre Paradeda. Depois de um começou ruim, o campeão mundial de 2001 foi pegando ritmo de regata e ainda subiu duas posições neste sábado, para ficar com o bronze. “Estou mais do que satisfeito. Praticamente ressurgimos das trevas”, brincou ele.

Resultados após onze regatas e dois descartes:

  1. Bruno Bethlem e Dante Bianchi, BRA, 47 pontos perdidos
  2. Maru Urban e Foguinho, BRA, 63 pp
  3. Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling, BRA, 70 pp
  4. Alexandre Tinoco e Matheus Gonçalves, BRA, 74pp
  5. Luis Soubie e Diego Lipszyc, ARG, 81 pp
  6. Rafael Gagliotti e Henrique Winsiewski, BRA, 81 pp
  7. Mateus Tavares e Daniel de Seixas Claro, BRA, 83 pp
  8. Juninho de Jesus e Binho, BRA, 90 pp
  9. Raul Santaella e Antolin Oña, ESP, 93 pp
  10. Henrique Haddad e Rodrigo Lins, BRA, 112 pp

Os Campeonatos Mundiais Jr e Sênior da classe Snipe têm a organização do ICRJ, SCIRA Brasil, CBVela e apoio da Olimpic Sails

Vento forte cancela o segundo dia de regatas do Mundial de Snipe

Com apenas três regatas disputadas, baianos Maru e Foguinho lideram a competição

Marcos Mendez registrou os espanhois voando baixo na baía de Guanabara

Fred Hoffmann registrou os espanhois voando baixo na baía de Guanabara

Rio de Janeiro – Mais uma vez o vento cancelou as regatas do Mundial de Snipe, que está sendo disputado no Rio de Janeiro até o próximo sábado (21). Mas, diferente de segunda-feira quando ele não apareceu, nesta quarta-feira ele entrou forte demais, com rajadas de até 31 nós (quase 56 km/h). Com isso os baianos Maru Urban e Foguinho seguem na liderança da competição.

“O vento estava muito rondado e foi melhor não ter regata para não prejudicar ninguém”, disse um sorridente Maru.

A classe Snipe, que faz parte do programa pan-americano, tem regras próprias, que impede a realização de regatas quando o vento está mais forte do que 25 nós (45 km/h). Além disso, como sua direção variava muito, a Comissão de Regatas não conseguiu posicionar as boias. Por isso os velejadores foram para a água e tentaram se proteger do vento se escondendo na baía da Escola Naval.

“As condições estavam muito complicadas. Se tivesse regata, os resultados iam depender mais de sorte do que de técnica. Este vento oeste que entrou hoje não costuma vir com tanta intensidade. Se soubéssemos antes que seria assim, a Comissão não deveria nem ter mandado a gente para a água”, disse Felipe Sabino, velejador de Niterói.

Quem também comemorou a volta para casa foram os argentinos Gonzalo Ramos Vertis e Rene Hormazabal. Os dois são amigos há muito tempo e velejam juntos em outras classes, mas se juntaram há pouco para vir para o Mundial. “Além de estarmos muito leves, nós não treinamos nada. Esta é a primeira vez que subimos juntos em um Snipe e se a regata não tivesse sido cancelada, teríamos voltado antes para terra”, disse Rene.

Para esta quinta-feira estão programadas três regatas, com largada a partir do meio dia. A previsão indica vento forte novamente.

Resultados após três regatas:

  1. Maru Urban e Foguinho, BRA, 17 pontos perdidos
  2. Bruno Bethlem e Dante Bianchi, BRA, 24 pp
  3. Alexandre Tinoco e Matheus Gonçalves, BRA, 25 pp
  4. Mateus Tavares e Daniel de Seixas Claro, BRA, 28 pp
  5. Luis Soubie e Diego Lipszyc, ARG, 35 pp
  6. Raul Santaella e Antolin Oña, ESP, 38 pp
  7. Koji Kamiya e Kenta Shinoda, JPN, 40 pp
  8. Bernardo Assis e Pedro Leão, BRA, 41 pp
  9. Rafael Gagliotti e Henrique Winsiewski, BRA, 47 pp
  10. Augie Diaz e Kathleen Tocke, USA, 54 pp

Os Campeonatos Mundiais Jr e Sênior da classe Snipe têm a organização do ICRJ, SCIRA Brasil, CBVela e apoio da Olimpic Sails

 

Velejadores brasileiros dominam pódio do Mundial de Snipe na Dinamarca

Três duplas do País sobem no pódio da competição; Campeões, Alexandre Tinoco e Gabriel Borges lutarão também pelo ouro no Pan

A vela brasileira brilhou mais uma vez na Europa. Depois do ouro de Robert Scheidt e Bruno Prada (Star) no evento-teste para a Olimpíada de 2012, cinco duplas nacionais brilharam no Mundial de Snipe, disputado em Rungsted, na Dinamarca. Os velejadores dominaram a classificação geral com cinco equipes entre os oito primeiros. O campeonato contou com 59 barcos de 18 nações.

O título ficou para Alexandre Tinoco e Gabriel Borges (25 pontos perdidos em nove regatas), parceria que representará o País nos Jogos Pan-Americanos. Completaram o pódio Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling com a prata e Bruno Bethlem e Dante Bianchi com o bronze. Mateus Tavares e Daniel Claro terminaram sexto e Mário Urban e Rafael Sapucaia em oitavo.

“Corremos de forma conservadora e soubemos administrar para chegar à vitória no campeonato com nível elevado. A raia oscilou muito, principalmente o vento. Mas, nós devemos comemorar o resultado e destacar os outros brasileiros também”, disse Alexandre Tinoco.

A classe Snipe tem tradição de medalhas para o Brasil em Jogos Pan-Americanos. Na última edição, em 2007, por exemplo, Alexandre Paradeda liderou a equipe brasileira que saiu com o ouro.

“É uma dupla (Alexandre Tinoco e Gabriel Borges)que começou a ganhar consistência na última temporada e apresenta resultados positivos em competições de alto nível. Podemos esperar um bom resultado no Pan”, ressaltou Ricardo Baggio, superintendente da CBVM.

Primeiro lugar para a dupla do Pan – Outra conquista envolvendo velejadores classificados para o Pan-Americano foi na Áustria. Em ritmo de treino, Bernardo Arndt e Bruno Oliveira venceram o Europeu de HobieCat 16 após um começo arrasador com três primeiros e um segundo.

“Tivemos uma boa surpresa na competição, já que entramos para treinar e ganhamos. Nas primeiras regatas ventou 25 nós. Depois, as condições mudaram e ficamos em quinto e 12º”, informou Bernardo “Baby”.

A dupla tentará no México recuperar a medalha de ouro perdida no Pan do Rio de Janeiro, quando foi desclassificada por uma suposta irregularidade no barco. Além do HobieCat 16 e do Snipe, o Brasil disputará a competição Continental também nas classes RS:X (masculino e feminino), Laser (masculino e feminino), Lightning e J24.

Por Flavio Perez, da ZDL de Comunicação

Amiguinho e Coveiro lideram o Mundial de Snipe

O segundo dia de regatas do Mundial de Snipe que está acontecendo na Dinamarca não foi fácil. O vento bom que apareceu pela manhã foi enfraquecendo e ficando cada vez mais rondado no decorrer do dia. Na segunda regata, inclusive, cerca de 10 velejadores pediram reparação, pois o vento rondou mais do que o permitido na segunda perna de contravento. Porém como a regra da classe diz que a regata deve ser anulada quando esta situação acontecer na primeira perna de contravento, o resultado continuou valendo.

Apesar disso, Alexandre “Amiguinho” Tinoco e Gabriel “Coveiro” Borges,conseguiram dois bons resultados e lideram a competição. Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling ocupam a 3ª colocação. Maru Urban e Rafael Sapucaia, com um resultado ruim nesta sexta-feira, caíram para a 7ª posição, seguidos por Bruno “Bebum” Bethlem e Dante Bianchi, em 8º.

Brasileiros lideram Mundial de Snipe na Dinamarca

Começou nesta quinta-feira na Dinamarca o Mundial de Snipe. Os brasileiros Maru Urban e Rafael Sapucaia lideram a competição com 18 pontos perdidos. Mateus Tavaes e Daniel “Top”, estão 4º, com 29 pontos. Alexandre “Amiguinho “ Tinoco e Gabriel “Coveiro” Borges, em 7º e Bruno “Bebum” Bethlem e Dante Bianchi, na 9ª colocação e Alexandre Paradeda e Gabriel Kieling, em 11º, completam os time brasileiro.

%d blogueiros gostam disto: