Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Optimist’

João Victor Barini Ramos é campeão estreante de Optmist

Evento que abriu o Brasileiro de Optimist reuniu mais de 50 crianças de vários estados no Yacht Club Santo Amaro (YCSA)

O campeão João Victor

O campeão João Victor

São Paulo (SP) – A abertura do Campeonato Brasileiro de Optimist foi concluída em grande estilo no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA). Mais de 50 crianças de 7 a 15 anos tiveram a primeira oportunidade de competir em um evento de alto nível na Copa de Estreantes. Sem se importar com o clima ruim dos últimos dias, principalmente a forte chuva que caiu na zona sul de São Paulo nesta quarta-feira (16), meninos e meninas participaram de seis regatas e o campeão de 2013 foi João Victor Barini Ramos, do Clube Naval Piraquê, do Rio de Janeiro (RJ). No feminino, a atleta com melhor desempenho foi Daniela Luz, do Iate Clube do Rio de Janeiro (RJ).

Com sonho de repetir um dia o sucesso de Torben Grael e Robert Scheidt nas raias mundiais, o fluminense de 12 anos quer aproveitar ao máximo a passagem pela categoria para aprender. “Tenho muita chão para percorrer na vela. Tenho quase dois anos de pratica e meu objetivo é melhorar sempre e ganhar muitas competições. No campeonato, mesmo não conhecendo a raia da Guarapiranga, consegui ver algumas semelhanças com a Lagoa Rodrigo de Freitas”, disse o garoto. “Vou ficar mais um pouco no Optimist e depois migrar para a Laser”.

A mãe de João Vitor, Fabiana Barini, apóia a decisão do filho de se tornar um velejador e elogia sua força de vontade e determinação. “Estou super feliz com essa conquista dele, pois conseguiu unir determinação e dedicação aos treinos. O João é apaixonado pela vela e é motivo de orgulho para a família. Ele vai longe, não tenho dúvidas”, relatou a mãe e fã número um do velejador. “No futebol ele não leva menor jeito, mas na vela tem tudo para brilhar”, completou.

A campeã no feminino foi Daniela Luz, de apenas 12 anos. A representante do Iate Clube do Rio de Janeiro surpreendeu ficando também em segundo no geral, mas segundo ela dava para ter ficado com o ouro. “Tinha tudo até para ganhar. Não consegui aproveitar melhor os ventos e o João Vitor foi melhor. Minha meta é chegar sempre em primeiro, pois me cobro muito”, contou a velejadora do Rio de Janeiro. “Espero competir mais vezes, principalmente fora do meu estado, para conhecer pessoas e lugares. Isso é o mais legal da vela”.

Mudanças climáticas e falta de vento – A garotada vivenciou literalmente a realidade de uma competição de vela, assim como os profissionais. Mudanças climáticas como chuva e falta de vento deram o tom nos três dias na Represa do Guarapiranga. Nesta quarta-feira (16), por exemplo, a conhecida bandeira vermelha e branca de ‘recon’ (retardamento das regatas) subiu duas vezes. Depois de uma espera de quase três horas, os velejadores foram para água mesmo com forte chuva e frio.

“A mudança de tempo faz parte da essência da vela e a garotada teve uma experiência de luxo no campeonato. Essa oportunidade é única no País, já que reúne velejadores mirins menos experientes em uma competição de alto nível”, explicou Marcos Biekarck, coordenador do evento no Yacht Club de Santo Amaro.

Durante os intervalos entre as regatas, as crianças e adolescentes se divertiam jogando tênis de mesa, pebolim (totó), futebol ou mesmo se distraindo com o modernos tablets e celulares. “O clima é de amizade e aprendizado. Os pais e treinadores nesta fase evitam fazer cobranças por resultado. As crianças amadurecem a cada competição”, adiantou Marcos Biekarck.

O evento com os estreantes contou com atletas de cinco estados. São Paulo e Rio de Janeiro lideraram a flotilha, seguidos por Rio Grande do Sul, Bahia e Brasília. “Além de competir, as crianças fazem amizades que duram pra vida toda. A vela tem muito desse espírito e a rivalidade no Optimist é muito pequena. Os meninos aprendem muito na água e quando estão no clubes pedem informações aos mais experientes sobre as condições da raia”, disse Túlio Cipriani, técnico dos garotos do Iate Clube de Brasília. A equipe conta com três mirins na Copa de Estreantes e seis no Brasileiro da categoria.

O Brasileiro de Optimist de 2013 começa a ser disputado na sexta-feira (18) e seguirá até o dia 25. Até o momento estão inscritos 130 velejadores de todo o Brasil. O campeonato também serve de eliminatória para o Sul-Americano da categoria, na Semana Santa, no final de março, em Porto Alegre. Os melhores defenderão o Brasil no evento continental. Outro foco da garotada é o Mundial, que será no meio do ano na Itália.

“No Brasil, seguramente, a Optimist é a maior classe em número de competidores. O nível consequentemente é alto, ajudando a garotada nas outras categorias no futuro. O mais interessante é que os que saem da Optimist por causa da idade continuam colaborando, principalmente como treinadores”, disse Pedro Paulo Petersen, presidente nacional da classe

A 41ª edição do Brasileiro de Optimist tem patrocínio do Sistema ANGLO de Ensino – Abril Educação e tem tudo para ser o melhor da história no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA), clube responsável pela realização do evento, que tem a supervisão técnica da Confederação Brasileira de Vela e Motor e apoio da Federação Paulista de Vela.

Resultados da Copa de Estreantes após cinco regatas e um descarte:
1º – João Victor Barini Ramos (RJ) – 14 pontos perdidos (4+1+5+2+2+10)
2º – Daniela Luz (RJ) – 18 pp (3+6+4+8+4+1)
3º – Antonio Marcelino Godinho (SP) – 25 pp (6+3+1+12+3+15)
4º – Gabriel Gusmão de Almeida (BA) – 27 pp (12+2+10+1+8+6)
5º – Arthur Gusmão de Almeida (BA) – 29 pp (8+9+8+3+1+14)

Da ZDL

Com vídeo: Scheidt dá dicas para a molecada do Optmist

Maior medalhista olímpico do País e ministro do Esporte, Aldo Rebelo, estiveram no Yacht Club de Santo Amaro para evento que envolve crianças e adolescentes de 7 a 15 anos

Os pequenos do OP tietam o ídolo Scheidt

Os pequenos do OP tietam o ídolo Scheidt

São Paulo (SP) – A manhã desta segunda-feira (14) foi pra lá de especial para cerca de 170 garotos que participam do Brasileiro de Optimist, um dos principais eventos da vela nacional. O maior medalhista olímpico do País, Robert Scheidt, foi até o Yacht Club de Ilhabela (YCSA) dar dicas especiais para a nova geração da modalidade. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, também esteve presente. Divididos em duas turmas, a dos menos experientes que participam da Copa dos Estreantes, e a dos mais tarimbados, que começam a disputa nacional apenas na sexta-feira (18), os meninos e meninas de 7 a 15 anos ouviram conselhos do consagrado velejador, que assim como eles, iniciou a carreira na categoria e subiu ao pódio olímpico cinco vezes, sendo duas vezes campeão.

“É o principal evento da vela nacional. Daqui saem realmente as nossas promessas para as próximas Olimpíadas. É um longo caminho, mas é possível chegar lá com dedicação. É legal ver que a garotada está forte e tem futuro”, revelou Robert Scheidt, que correu o primeiro campeonato de Optimist em 1984. “A principal dica que eu passo para quem está na categoria é primeiro se familiarizar com as regatas e sentir o ambiente competitivo. Depois das provas, o próximo passo é analisar erros e tentar não cometê-los novamente. Vale dizer que o resultado final não aponta se o garoto será um grande campeão e sim se tem talento”.

Robert Scheidt explicou que, a partir do biótipo do atleta, será possível definir as classes olímpicas adequadas para o futuro, quando sair da Optimist. O velejador elogiou a presença de quase 170 crianças no evento e ressaltou a tradição do YCSA na modalidade. Conhecedor de cada canto da Represa do Guarapiranga, o bicampeão olímpico disse que a região tem características especiais. “Como têm prédios e casas por perto, a velejada se torna mais estratégica. Tem que ser muito esperto, já que o vento oscila muito. O velejador deve prestar mais atenção na tática do que na velocidade do barco”.

Ministro do Esporte dá largada nas regatas – O ministro Aldo Rebelo, que deu a bandeirada para a primeira regata da Copa dos Estreantes, também considerou importante a participação dos garotos na vela, uma das modalidades que mais trouxe medalhas ao Brasil em Olimpíadas. “O estímulo, incentivo e reconhecimento à pratica esportiva são pilares importantes para as novas gerações. Apoiar no começo de carreira as crianças que se iniciam no esporte é uma forma de acreditar que esforço e disciplina valem a pena”.

“Procuramos, no caso da vela, definir um projeto de popularização da modalidade com apoio das instituições, clubes, Marinha e prefeituras. A ideia da pasta é incentivar crianças das escolas públicas, além de apoiar competições que já estão no calendário”, explicou Aldo Rebelo. O responsável pela pasta informou que mais de 300 centros de formação esportiva serão construídos em todo País até 2016.

A Copa dos Estreantes terá nove regatas até quarta-feira (16), sendo três por dia. A classe Optimist é uma das mais praticadas na vela mundial por ser uma categoria de introdução à modalidade. O barco de 2,34 metros é fácil de tocar e oferece segurança para a garotada de até 15 anos aprender as principais funções de um monotipo. Além de ser um barco de iniciação à vela e de excelente custo/benefício, o formato impede velocidades elevadas, garantindo, assim, a segurança do Optimist. O veleiro suporta até 60 quilos.

O Brasileiro de Optimist de 2013, que terá mais de 170 velejadores de todo País, começa a ser disputado na sexta-feira (18) e seguirá até o dia 25. O evento tem patrocínio do Sistema ANGLO de Ensino – Abril Educação e tem tudo para ser o melhor da história no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA), clube responsável pela realização do evento, que tem a supervisão técnica da Confederação Brasileira de Vela e Motor e apoio da Federação Paulista de Vela.

Mais de mil pessoas estarão envolvidas durante as duas semanas de atividades. A competição tem a chancela da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) e chegará à sua 41ª edição. O YCSA oferecerá uma experiência diferenciada para os competidores de todo País, por meio de atividades em terra, facilidades, prêmios e um convívio com os velejadores.

Copa Estreante de Optimist começa nesta terça na Guarapiranga com 40 inscritos

230682_400691113348612_1335175493_n

Ministro do Esporte e o multicampeão Robert Scheidt prestigiam a abertura na manhã desta segunda (14). Competição reúne atletas com pouca experiência na vela, na represa de Guarapiranga, em São Paulo

São Paulo (SP) – O Campeonato Brasileiro de Optimist de 2013 terá uma abertura especial com a Copa dos Estreantes. O evento com crianças de 7 a 15 anos reúne velejadores com pouca experiência, ou seja, aqueles que praticam a modalidade desde fevereiro de 2012. As regatas começam nesta segunda-feira (14) no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA) e terão a participação de 40 barcos. Serão nove regatas até quarta-feira \(16).

A festa será aberta pelo Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e pelo maior medalhista olímpico do País, Robert Scheidt, que também começou a carreira no Optimist e no mesmo clube do evento. A largada está marcada para as 11h. “A importância da Copa de Estreantes é que permite que os velejadores que estão iniciando na classe vivenciem o que é um campeonato brasileiro, dá a oportunidade para eles conviverem com os melhores do Brasil, e cria neles o desejo de um dia conseguir se classificar e participar de uma competição nacional”, explica Marcos Biekarck, coordenador de vela do YCSA.

A classe Optimist é uma das mais praticadas na vela mundial por ser uma categoria de introdução à modalidade. O barco de 2,34 metros é fácil de tocar e oferece segurança para a garotada de até 15 anos aprender as principais funções de um monotipo. Além de ser um barco de iniciação à vela e de excelente custo/benefício, o formato impede velocidades elevadas, garantindo, assim, a segurança do Optimist. O veleiro suporta até 60 quilos.

O Brasileiro de Optimist de 2013, que terá mais 160 velejadores de todo País, começa a ser disputado na sexta-feira (18) e seguirá até o dia 25. O evento tem patrocínio do Sistema ANGLO de Ensino – Abril Educação e tem tudo para ser o melhor da história no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA).

Mais de mil pessoas estarão envolvidas durante as duas semanas de atividades. A competição tem a chancela da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) e chegará à sua 41ª edição. O YCSA oferecerá uma experiência diferenciada para os competidores de todo País, por meio de atividades em terra, facilidades, prêmios e um convívio com os velejadores.

O Brasileiro de Optimist é uma realização do Yacht Club de Santo Amaro, com supervisão técnica da Confederação Brasileira de Vela e Motor e apoio da Federação Paulista de Vela. O patrocínio é do Sistema ANGLO de Ensino – Abril Educação.

Da ZDL

Robert Scheidt prestigia o Brasileiro de Optimist

Robert também velejou de Optimist quando era criança

Robert também velejou de Optimist quando era criança

São Paulo – Robert Sheidt, dono de cinco medalhas olímpicas na vela (duas de ouro, duas de prata e uma de bronze), participa nesta segunda-feira (14), às 11 horas, no Yatch Club de Santo Amaro (YCSA), na represa de Guarapiranga, em São Paulo, da abertura da Copa de Estreantes de Optmist. A competição, que vai até quarta-feira (16) e reúne crianças e adolescentes entre 7 e 15 anos, será aberta pelo Ministro dos Esportes Aldo Rebelo. Logo depois, no mesmo local, entre 18 e 25, será realizada a 41a. edição do Brasileiro de Optimist.

Ídolo da garotada, Scheit descobriu a vela através da classe optmist. “Eu tinha 9 anos e velejava junto com amigos no YCSA. Tínhamos um grupo unido, que pratica o esporte por diversão. Aos poucos começamos a disputar regatas e a coisa foi ficando mais séria”, diz ele.

Para incentivar os pequenos velejadores no seu clube e na Guarapiranga, o velejador abriu uma brecha em seus treinos para o Brasileiro de Laser, campeonato com início em 19 de janeiro, em Porto Alegre (RS). Para Scheidt, a volta à categoria em que o consagrou e em que ganhou duas medalhas olímpicas de ouro e oito campeonatos mundiais, vem superando todas as expectativas. Em sua primeira competição, em setembro, ele venceu o Campeonato Italiano de Classes Olímpicas. Depois, em dezembro, dominou o primeiro final de semana do Campeonato Paulista e não competiu no segundo porque foi treinar no Rio de Janeiro.

“Acho que, por ter voltado a competir em setembro do ano passado, após o recesso das Olimpíadas, já estou em um nível muito bom. E eu não parei de velejar em momento algum. Estava na Laser ou na Star”, afirma ele. “Agora o mais importante é administrar as lesões. Tenho uma boa programação de exercícios, fisioterapia e acompanhamento durante as competições. No Campeonato Paulista, consegui velejar três dias seguidos sem sentir dor alguma, o que é difícil na Laser, que exige muito mais do corpo”.

Da Local

Copa Estreante antecede o Brasileiro de Optimist no YCSA

Competição com crianças com pouca experiência na vela será disputada de 14 a 16 deste mês, na represa de Guarapiranga, em São Paulo

São Paulo (SP) – O Campeonato Brasileiro de Optimist de 2013 terá mais uma atração. Com o objetivo de formar novos praticantes de vela, será disputada a Copa de Estreantes, que reunirá velejadores mirins com pouca experiência, ou seja, aqueles que começaram a velejar a partir de fevereiro de 2012. A festa está marcada para 14 a 16 de janeiro, no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA), e estão programadas nove regatas na Represa de Guarapiranga. Além das provas, os pequenos, sempre acompanhados dos pais, participam de atividades lúdicas no clube. A organização espera mais de 200 velejadores nos dois eventos.

“A importância da Copa de Estreantes é que ela permite que os velejadores que estão iniciando na classe vivenciem o que é um campeonato brasileiro, dá a oportunidade para eles conviverem com os melhores do Brasil, e cria neles o desejo de um dia conseguir se classificar e participar de uma competição nacional”, explica Marcos Biekarck, coordenador de vela do YCSA

A classe Optimist é uma das mais praticadas na vela mundial por ser uma categoria de introdução à modalidade. O barco de 2,34 metros é fácil de tocar e oferece segurança para a garotada de até 15 anos aprender as principais funções de um monotipo. Além de ser um barco de iniciação à vela e de excelente custo/benefício, o formato impede velocidades elevadas, garantindo, assim, a segurança do Optimist. O veleiro suporta até 60 quilos.

“O objetivo é impactar o maior número possível de velejadores, sejam eles iniciantes ou experientes, o importante é que os jovens se envolvam cada vez mais com o esporte que oferece um contato intenso com a natureza, desenvolve autoconfiança, planejamento, estratégia, concentração e tomada de decisões”, complementa Marcos Biekarck. “Sem dúvida, os velejadores de outros estados poderão conhecer uma raia diferente, um clube diferente, competir com atletas de todo o Brasil. Já para os velejadores de São Paulo, a oportunidade de conhecer seus futuros adversários em campeonatos nacionais é fundamental”.

O Brasileiro de Optimist de 2013, com patrocínio do Sistema ANGLO de Ensino – Abril Educação, tem tudo para ser o melhor da história no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA). A categoria já revelou nomes de peso da modalidade, que começaram suas carreiras de sucesso na classe, como Robert Scheidt, Bruno Prada, Marco Grael e Martine Grael. O campeonato, de 15 a 25 de janeiro, tem os dois primeiros dias para inscrições e medições de barcos. No dia 17 haverá a regata treino e, no dia seguinte, a cerimônia de abertura e a primeira regata oficial.

Mais de mil pessoas estarão envolvidas durante as duas semanas de atividades. A competição tem a chancela da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) e chegará à sua 41ª edição. O YCSA oferecerá uma experiência diferenciada para os competidores de todo País, por meio de atividades em terra, facilidades, prêmios e um convívio com os velejadores. “Com isso, conseguiremos plantar em cada atleta o desejo de se dedicar durante o ano seguinte, treinando, competindo, evoluindo para poder se classificar e ter o direito de participar de outras edições do Brasileiro”, diz o representante do Yacht Club de Santo Amaro.

Da ZDL

Apoio dos pais é fundamental para o futuro dos velejadores de Optmist

Competição no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA) reunirá mais de 200 crianças e adolescentes de 7 a 15 anos. Evento está marcado entre os dias 15 a 25 de janeiro

Disputa no Brasileiro de 2012

Disputa no Brasileiro de 2012

São Paulo (SP) – Os tradicionais gritos de incentivos e conselhos de pais e amigos certamente vão motivar os mais de 200 atletas mirins que participarão do Brasileiro de Optimist 2013, no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA), entre os dias 15 e 25 de janeiro. O campeonato é especial, já que entre os velejadores estarão os futuros campeões da vela. A categoria, considerada a porta de entrada para a modalidade, já revelou ícones do esporte nacional como Robert Scheidt, Bruno Prada, Marco Grael e Martine Grael. E, todos esses nomes, tiveram apoio da família nas regatas.

“As crianças nesta fase da vida são muito dependentes dos pais e precisam ser estimuladas e incentivadas a praticar o esporte que escolheram. Algumas tarefas simples como levar a criança ao clube, uma palavra amiga, aquele abraço amigo ao descer para água, entre outros detalhes simples ajudam muito. Apoiar a criar um ambiente favorável nos clubes também é muito importante”, revela Paulo Gomes, coordenador da classe Optimist no Rio de Janeiro.

“No Optimist se inicia o contato e aprendizado com a vela. Nesta classe as crianças passam de 5 a 7 anos desenvolvendo habilidades que serão decisivas para as etapas seguintes. Com o tamanho do nosso litoral é possível dizer que a prática da vela é possível em boa parte das cidades litorâneas. A união de velejadores, pais, clubes e federações facilitaria bastante a tarefa de expandir este esporte aqui no Brasil”, finaliza Paulo Gomes.

Da ZDL

“Brasileiro de Optimist de 2013 deverá reunir os representantes brasileiros das Olimpíadas de 2020”, diz Scheidt

Maior medalhista da história do Brasil, Robert Scheidt foi revelado na categoria. Campeonato com a garotada de até 15 anos terá mais de 200 velejadores mirins no Yacht Club de Santo Amaro, em janeiro de 2013

A molecadinha do OP

A molecadinha do OP

São Paulo (SP) – O maior medalhista olímpico do País é mais um a apontar a importância do Campeonato Brasileiro de Optmist para a vela nacional. O evento reunirá mais de 200 meninos e meninas até 15 anos e será disputado de 15 a 25 de janeiro de 2013, no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA). Robert Scheidt, dono de cinco pódios, começou a mostrar seu talento velejando justamente na categoria e depois brilhou na Laser e Star. Segundo o atleta, a competição é muito importante para a modalidade.

“O Brasileiro de Optimist reunirá os futuros campeões da vela nacional, aqueles que representarão o País na Olimpíada de 2020. Eu iniciei no Optimist no YCSA e tenho ótimas lembranças desta época. Será o primeiro grande teste da molecada num ambiente competitivo e isso faz diferença no futuro”. Outros campeões como Bruno Prada, Rique Wanderley, Peter Tanscheidt, Marco Grael e Martine Grael saíram da classe, considerada a porta de entrada para a vela.

O YCSA é detentor de sete medalhas olímpicas, 27 pan-americanas, 25 títulos mundiais e inúmeros títulos brasileiros. Nas fileiras dos campeões estão Alex Welter e Lars Bjorkstrom, ouro em Moscou/80 na classe Tornado. O Yacht Club de Santo Amaro formou o maior medalhista olímpico do País, Robert Scheidt. O velejador soma cinco pódios, sendo duas de ouro, duas de prata e uma de bronze. Um dos mais tradicionais clubes do Brasil, O YCSA tem 82 anos de dedicação à vela.

O campeonato de 2013 é apontado com um dos mais importantes da história no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA). Além dos velejadores de todo País, a organização projeta mais de 1.000 pessoas envolvidas no evento de duas semanas na raia da Represa do Guarapiranga. O YCSA terá uma estrutura especial para receber os velejadores, treinadores e dirigentes no evento, considerado o maior de vela monotipo do Brasil. A competição tem a chancela da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) e chegará no ano que vem à sua 41º edição.

“É correto afirmar que o Brasileiro de Optimist será o maior evento dos últimos 50 anos da vela paulistana, desde o Pan-Americano de 1963, também organizado pelo Yacht Club de Santo Amaro. O número de atletas é expressivo e mais do que dobra levando em conta familiares e amigos. Nossa responsabilidade aumenta, por isso contratamos os melhores profissionais, credenciados pela ISAF (Federação Internacional de Vela), para realizar a parte técnica do campeonato”, afirma Mark Essler, comodoro do Yacht Club de Santo Amaro.

O campeonato tem dois dias para inscrições e medições de barcos, 15 e 16. No dia 17 haverá a regata treino e, no dia seguinte, a cerimônia de abertura e a primeira regata oficial.

O Brasileiro de Optimist é uma realização do Yacht Club de Santo Amaro, com supervisão técnica da Confederação Brasileira de Vela e Motor e apoio da Federação Paulista de Vela. O patrocínio é de Abril Educação.

Da ZDL

Brasileiro de OP deverá reunir mais de 200 crianças no YCSA em janeiro

O Brasileiro de Optimist de 2013 tem tudo para ser o melhor da história no Yacht Club de Santo Amaro (YCSA). A organização prevê mais de 200 velejadores de todo País na raia da Represa do Guarapiranga. A competição está para o período de 15 a 25 de janeiro e haverá campeões no individual e por equipes. O YCSA terá uma estrutura especial para receber os velejadores, treinadores e dirigentes no evento, considerado o maior de vela monotipo do Brasil. Mais de mil pessoas estarão envolvidas durante as duas semanas de atividades. A competição tem a chancela da Confederação Brasileira de Vela e Motor (CBVM) e chegará no ano que vem à sua 41º edição.

“É correto afirmar que o Brasileiro de Optimist será o maior evento dos últimos 50 anos da vela paulistana, desde o Pan-Americano de 1963, também organizado pelo Yacht Club de Santo Amaro. O número de atletas é expressivo e mais do que dobra levando em conta familiares e amigos. Nossa responsabilidade aumenta, por isso contratamos os melhores profissionais, credenciados pela ISAF (Federação Internacional de Vela), para realizar a parte técnica do campeonato”, afirma Mark Essler, comodoro do Yacht Clube de Santo Amaro.

O campeonato tem dois dias para inscrições e medições de barcos, 15 e 16. No dia 17 haverá a regata treino e, no dia seguinte, a cerimonia de abertura e a primeira regata oficial.

Da ZDL

Gustavo Luiz Abdulklech e Daniela Luz vencem o Carioca de OP

Daniela Luz, campeã estreante

O Carioca de Optimist foi disputado nos dias 15, 17, 18, 24 e 25 de novembro e reuniu 91 velejadores, sendo 65 veteranos e 26 estreantes. Depois de oito regatas o título dos veteranos ficou com Gustavo Luiz Abdulklech e dos estreantes ficou com Daniela Luz.

Slideshow: Carioca de Optimist por Equipes por Fred Hoffmann

Este slideshow necessita de JavaScript.

%d blogueiros gostam disto: