Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Oracle Racing’

Direto do front! New Zealand vence, abre 4 a 0 e Oracle usa carta de adiamento para ganhar tempo.

Advinha quem chegou na frente hoje em São Francisco?

Adivinha quem chegou na frente hoje em São Francisco?

Boa noite querido amigo e queridíssima, charmosíssima, interessantíssima amiga, hoje foi dia de retomar os trabalhos na friaca franciscana do verão no norte da Califórnia na Copa América. E a chapa esquentou por lá! Esquentou para os lados do vale do silício, por hora quase um vale do silêncio, já que seu cultuado oráculo bilionário, viu novamente uma liderança razoável se esvair no primeiro contravento do desafio mais antigo de nossa contemporaneidade esportiva.

Pois na 34ª disputa da copa da escuna América, que desde 1851 povoa corações e mentes de todos os velejadores do planeta mundo, os caras da Nova Zelândia, ou Aotearoa, em maori, como gostam de chamar os puristas de lá, estão arrebentando. Os legendários kiwis alados, com suas meias da sorte vermelhas como a paixão que tem por velas e ventos, estão mostrando com quantos fólios se faz uma canoa.

Hoje, depois de montar atrás dos americanos as duas primeiras boias, na única regata corrida no dia, o TNZ passou passando, novamente no contravento, o Oracle de tal forma que a cabecinha australiana do meu temporário vizinho em Valência, Jaime Cospemontanha (Ou James Spithill para os íntimos), quase fundiu. Tanto que ele liderou o seu time na proposição de usarem o único recurso disponível para curar o enjôo de ver o New Zealand tão forte, a novidade da “carta de adiamento”. O Dramin dos desvalidos ianques.

É que nesta copa, cada time, defensor ou desafiante, tem o direito de adiar (por uma vez apenas) a segunda regata de um dia para a próxima data programada (no caso, quinta-feira). O diretor da competição Iain Murray se espantou porque, em suas palavras, “isso foi pensado para dar uma chance a quem tivesse um dano estrutural grave ou coisa parecida. Mas aceitamos a decisão do Oracle USA, pois o critério de usar ou não a sua única carta de adiamento é da própria equipe”. Sentiu o tamanho do buraco que o patrão Larry Ellison e seus funcionários se meteram?

Spithill foi sincero. “Eles têm uma vantagem no contravento que precisamos estudar. Temos que trabalhar duro hoje e amanhã para corrigir nossos erros e nos reordenar. Não vou mentir. Eles têm uma vantagem sobre nós”, disse. Enquanto isso, os especuladores imobiliários das margens do golfo de Hauraki, em Auckland, já aumentaram os preços dos terrenos. E Dean Barker e seus asseclas comemoram um 4 a 0 (lembrando que o Oracle venceu uma, mas não levou porque foi punido em 2 pontos) que os deixa a 5 vitórias, entre 17 possíveis matchs, da glória máxima para um desportista neozelandês: levar a Copa América de volta para o arquipélago. Quem viver verá! Façam suas apostas!!

Race 5 Performance Data

  • Course: 5 Legs/10.27 nautical miles
  • Elapsed Time: ETNZ – 22:45, OTUSA – 23:50
  • Delta: ETNZ +1:05
  • Total distance sailed: ETNZ – 11.4 NM, OTUSA – 11.5 NM
  • Average Speed: ETNZ – 30.21 knots, OTUSA – 29.17 knots
  • Top Speed: ETNZ – 46.94 knots, OTUSA – 44.93 knots
  • Windspeed: Average – 20 knots, Peak – 24.1 knots

Fui!!!

Murillo Novaes

Parem as máquinas! TNZ vence uma, Oracle outra, mas está 3 a 0 pros kiwis na 34ª Copa América.

Novamente foi tudo muito próximo no fog de São Francisco hoje para alegria dos fãs de todo o mundo.

Novamente foi tudo muito próximo no fog de São Francisco hoje para alegria dos fãs de todo o mundo.

Olá querido amigo e linda, simpática e muito querida amiga, rapidinho para não encher o saco, vamos atualizando você com o que rolou hoje nas verdes águas da franciscana baía californiana onde rola a 34ª Copa América. Veloz como um megacatamarã de 72 pés de vela rígida navegando sobre fólios!

Na primeira regata do dia deu New Zealand para abrir 3 a 0. Na segunda deu Oracle, mas como eles estão punidos em dois pontos por conta da modificação ilegal no AC45, continuam com zero até pagarem a “dívida”. Quem fizer nove pontos primeiro leva a Auld Mug para o clube!

Regata 3 – Na terceira regata o Oracle manteve a liderança no início da prova, liderando a montagem da primeira boia e ainda impondo uma penalidade ao Team New Zealand (TNZ). Depois os americanos chegaram com 17 segundos de vantagem no portão de sotavento e então uma furiosa batalha se seguiu na perna contra o vento.

James Spithill e cia. estavam marcando de perto, mas o TNZ ficou à esquerda da raia (onde parece ser o bom caminho sempre) e depois de um duelo de cambadas fisicamente desgastante, os kiwis exerceram seu direito de passagem, saindo do limite do campo de regatas à esquerda no rumo da boia. Isso forçou os americanos a mudarem de rumo e uma vez no controle, o Team New Zealand abriu uma vantagem que o Oracle não conseguiu superar.

Race 3 Performance Data
Course: 5 Legs/9.94 nautical miles
Elapsed Time: ETNZ – 25:00, OTUSA – 25:28
Delta: ETNZ +:28
Total distance sailed: ETNZ – 11.8 NM, OTUSA – 12.1 NM
Average Speed: ETNZ – 28.57 knots, OTUSA – 28.62 knots
Top Speed: ETNZ – 42.25 knots, OTUSA – 41.37 knots
Windspeed: Average – 16.8 knots, Peak – 19.3 knots

Regata 4 – E na quarta regata da série de até 17 previstas, em uma maravilhosa exibição de manobras e controle dos barcos, o Oracle de James Spithill conheceu sua primeira vitória. Com o vento soprando a 22 nós e o AC72 de cada equipe aparentemente à beira de descontrole, os americanos cruzaram a linha de chegada 8 segundos à frente dos neozelandeses.

Amanhã é um dia de folga para a Copa América antes da corrida recomeçar na terça-feira com as regats 5 e 6. Estamos de olho!

Race 4 Performance Data
Course: 5 Legs/9.94 nautical miles
Elapsed Time: OTUSA – 22:42, ETNZ – 22:50
Delta: OTUSA +:08
Total distance sailed: OTUSA – 11.7 NM, ETNZ – 11.7 NM
Average Speed: OTUSA – 30.99 knots, ETNZ – 30.92 knots
Top Speed: OTUSA – 45.97 knots, ETNZ – 44.98 knots
Windspeed: Average – 19.5 knots, Peak – 23.3 knots

Fui!!!

Murillo Novaes

Juri pune Oracle Racing por trapaça e americanos já começam a AC com menos 2 pontos

Os jurados da America´s Cup anunciaram nesta terça-feira que o Oracle Racing sofrerá punições por ter trapaceado na America´s Cup World Series. Os americanos foram acusados de colocar peso em um barco que já estava medido para melhorar o desempenho no vento forte.

O resultado foi uma multa de US$ 250 mil, a expulsão de três membros do time e a perda de dois pontos na America´s Cup, ou seja, eles já vão começar perdendo por 2×0 para os neozelandeses do ETNZ.

“Apesar de não concordarmos com as penalidades impostas pelo júri, não temos outra escolha a não ser fazer as mudanças necessárias em nossa equipe e dar o nosso melhor nos treinos destes próximos quatro dias e nos preparar para a disputa da AC”, disse o CEO Roussel Coutts.

O time escalado para a America´s Cup, que começa no dia 7, foi divulgado nesta quarta-feira:

Jimmy Spithill, Timoneiro
Shannon Falcone, Grinder
Rome Kirby, Grinder
John Kostecki, Grinder/Tático
Kyle Langford, Wing Trimmer
Jonathan Macbeth, Grinder
Joe Newton, Jib Trimmer
Gilberto Nobili, Grinder
Tom Slingsby, Grinder/Strategista
Joe Spooner, Grinder
Simeon Tienpont, Grinder

Oracle Racing se retira dos últimos quatro eventos da ACWS

Guilain GRENIER

O Oracle Racing, defensor da America´s Cup, anunciou que se retira das quatro últimas etapas da America´s Cup World Series. O motivo: seu barco foi modificado sem que a equipe responsável ou o skipper tomasse conhecimento. Segundo eles, a mudança não afetau o desempenho do barco, mas ainda assim fere os procedimentos internos da equipe.

“Nossa equipe está muito desapontada com o rumo que as coisas tomaram e acredita que a melhor coisa a fazer é se retirar voluntariamente das regatas”, disse Russel Coutts.

Vídeo: As velas do Oracle Racing

Com vídeo: Oracle Racing veleja dois AC72 em São Francisco

Os dois AC72 velejando em  São Francisco

Os dois AC72 velejando em São Francisco

“Foi o melhor dia da campanha.” Foi com esta frase que o skipper James Spithill definiu a quinta-feira, primeiro dia em que a equipe conseguiu colocar os dois AC72 na água. Os tripulantes passaram a manhã treinando manobras e testando os dois barcos, desde velas diferentes até novas regulagens. 

Vídeo: A nova asa do Oracle Racing

vídeo: James Spithill dá uma “nadada” durante treino do Oracle Racing

Após morte de velejador, equipes voltam a treinar em São Francisco

m5168_ac34sfmayd1-2068

Depois da morte do velejador inglês Andrew Simpson durante os treinos do AC72 da equipe Artemis em São Francisco no início do mês, Emirates Team New Zealand, Oracle Racing e Luna Rossa voltaram a treinar nesta quinta-feira. Os barcos de 72 pés foram para a água menos de dez horas depois do período que recomendava que nenhuma equipe voltasse a velejar. O dia marcou o primeiro treino dos neozelandeses em águas americanas, na preparação para a disputa da Louis Vuitton Cup, a partir de junho.

Enquanto isso, a organização divulgou 37 novas regras visando a segurança dos velejadores durante as competições. As principais são a diminuição do limite do vento de 33 para 23 nós, além de uma equipe maior e mais preparada para cuidar dos velejadores em terra.

Vídeo promocional do Oracle Racing

%d blogueiros gostam disto: