Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Rio 2016’

Com mais de 200 velejadores, de 27 países, começa Copa Brasil de Vela em Niterói

20150610 Copyright onEdition 2015© Free for editorial use image, please credit: onEdition Martine Soffiatti Grael and Kahena Kunze, BRA, Women's Skiff (49erFX) at Day One of the ISAF Sailing World Cup Weymouth & Portland. Returning to the London 2012 Olympic waters, the ISAF Sailing World Cup Weymouth and Portland is taking place between 8-14 June with the racing conducted over five days between 10-14 June at Weymouth and Portland National Sailing Academy. Medal race day on Sunday 14 June will decide the overall event winners in each class. Follow ISAF Sailing World Cup Weymouth and Portland on Twitter - @SailingWC_GBR and Facebook - www.facebook.com/ISAFSailingWorldCup website: http://www.sailing.org/worldcup/regattas/weymouthandportland_2015.php For more information please contact:Pippa Phillips pippa.phillips@intotheblue.biz +44(0)7967 705697 Supported by: UK Sport #EveryRoadToRio, RYA, Icom, SLAM, Volvo Car UK, Yamaha. If you require a higher resolution image or you have any other onEdition photographic enquiries, please contact onEdition on 0845 900 2 900 or email info@onEdition.com This image is copyright onEdition 2015©. This image has been supplied by onEdition and must be credited onEdition. The author is asserting his full Moral rights in relation to the publication of this image. Rights for onward transmission of any image or file is not granted or implied. Changing or deleting Copyright information is illegal as specified in the Copyright, Design and Patents Act 1988. If you are in any way unsure of your right to publish this image please contact onEdition on 0845 900 2 900 or email info@onEdition.com

Martine Grael e Kahema (onEdition)

Patrícia Freitas (Franck Socha)

Patrícia Freitas (Franck Socha)

Evento teste de Vela para os Jogos Rio2016 - 22.08.15 - Marina da Gloria (RJ) - Evento teste de Vela para os Jogos Rio2016 - Jorge Zarif da classe Finn. Foto: Wander Roberto/Bradesco/Inovafoto - Brasil - rj - Rio de Janeiro - Marina da Glória - - www.inovafoto.com.br - id:99835

Jorge Zarif (Wander Roberto)

Competição que começa hoje (15) na Baía de Guanabara,  define a Equipe Brasileira para o Rio 2016 com as disputas finais nas classes 470 masculina e Nacra 17

Chegou a hora de conhecer a Equipe Brasileira de Vela que disputará os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. A partir desta terça-feira (dia 15), na Baía de Guanabara, será realizada a III Copa Brasil de Vela, competição que apresentará as disputas finais das classes 470 masculina e Nacra 17, as únicas com vaga em aberto no Brasil. Com sede na Praia de São Francisco, em Niterói (RJ), o campeonato reunirá os principais nomes da vela nacional, bem como grandes adversários estrangeiros, que também buscam vagas na Rio 2016 por meio das seletivas dos seus países.

“A realização da III Copa Brasil vem coroar um trabalho de três anos. Trata-se do último grande evento da vela no Rio antes dos Jogos Olímpicos e, após a competição, teremos definida a equipe que representará o Brasil na Olimpíada. A importância do evento também fica evidenciada pela presença maciça de grandes nomes do cenário internacional”, disse o presidente da Confederação Brasileira de Vela (CBVela), Marco Aurélio de Sá Ribeiro.

Na competição, o Brasil terá a presença dos 11 velejadores que já garantiram a classificação olímpica. São eles Robert Scheidt, na classe Laser; Fernanda Decnop, na Laser Radial; Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan, na 470 feminina; Martine Grael e Kahena Kunze, na 49erFX; Marco Grael e Gabriel Borges, na 49er; Jorge Zarif, na Finn; Patricia Freitas, na RS:X feminina; Ricardo Winicki, o Bimba, na RS:X masculina.

Na 470 masculina, disputam a vaga nos Jogos as duplas Henrique Haddad e Bruno Bethlem contra Geison Mendes e Gustavo Thiesen. Quem terminar na frente na Copa Brasil garante a classificação. Na Nacra 17, ganha o direito de estar na Rio 2016 quem obtiver o melhor resultado na soma das posições no Sul-Americano, realizado na última semana, e na Copa Brasil. Em caso de empate, prevalecerá o desempenho na Copa Brasil. Samuel Albrecht e Isabel Swan largaram na frente nessa disputa.

Para definir os representantes nos Jogos Olímpicos, a CBVela adotou o critério de avaliação do desempenho nas principais competições nacionais e internacionais em 2013,2014 e 2015. Por meio de análises dos resultados, o Conselho Técnico da Vela (CTV) define o representante.

Até ontem, segunda-feira (dia 14), a Copa Brasil já contava com 204 velejadores inscritos, totalizando 144 de barcos de 27 países. Entre os estrangeiros, destaques para nomes como o holandês Dorian Van Rijsselberge (RS:X), o cipriota Pavlos Kontides (Laser), a lituana Gintare Scheidt (Laser Radial), os franceses Billy Besson e Marie Riou (Nacra 17), entre outros. O número tende a aumentar pois as inscrições terminam às 10h desta terça-feira.

Durante a realização da Copa Brasil, a CBVela organizará a primeira edição da Copa Brasil de Vela Jovem, que busca a revelação de novos talentos e evidencia o trabalho da entidade com as categorias de base. A competição está aberta para disputa nas classes RS:X masculina e feminina, Laser Radial masculina e feminina, 420 masculina e feminina, 29er masculina e feminina e Hobie Cat 16.

A III Copa Brasil de Vela é organizada pela CBVela e conta com patrocínio da Prefeitura de Niterói, Bradesco e Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Por Felipe Mendes/In Press Media Guide

Já estão abertas as inscrições para voluntários do Rio 2016

10354138_10152669047054111_2920550555552762542_n

No último dia 28 de agosto foram abertas as inscrições para quem quer ser voluntário nos Jogos Olímpicos Rio 2016. A vela, assim como outros esportes, precisa de especialistas, ou seja, gente que conhece o funcionamento de uma regata e que esteja disposto a trabalhar ao menos 10 dias. Existem alguns requisitos mínimos, como idade mínima de 18 anos em 2016, Ensino Fundamental, acesso à internet e disponibilidade para o processo de seleção e de treinamento (presencial e e-learning). Algumas entrevistas serão presenciais no Rio de Janeiro e a organização não paga nem transporte e nem hospedagem para quem é de fora. Quem quiser concorrer a uma vaga, pode clicar aqui: http://bit.ly/1rTiTkj. Se a ideia for ser um voluntário específico da vela, use o código SPT141.

COI confirma: Star está realmente fora dos Jogos do Rio 2016

Scheidt e Prada (clicados por Carlo Borlenghi), eram favoritos ao ouro no Rio

Scheidt e Prada (clicados por Carlo Borlenghi), eram favoritos ao ouro no Rio

O Comitê Olímpico Internacional confirmou esta semana que a classe Star não irá voltar ao programa olímpico e, por isso, está realmente fora dos Jogos do Ri0 2016. A justificativa é que não há espaço para a disputa de mais uma categoria na vela. A notícia é vista com muito pesar por todos os brasileiros, já que a classe é responsável por seis das 17 medalhas olímpicas do país: duas de ouro, uma de prata e três bronzes.

Estão mantidas, por tanto, dez classes, conforme decisão em 2011: RS:X (masculino e feminino), Laser Standard, 470 (masculino e feminino), 49er masculino, Laser Radial, 49erFX feminino, Finn masculino e Nacra 17 misto.

Primeiro Mundial de Nacra 17 será realizado na Holanda em julho; Brasileiro começa quinta-feira

Cacau Swan e Clínio de Freitas foram a primeira dupla a ir para a água

Cacau Swan e Clínio de Freitas foram a primeira dupla a ir para a água

A classe Nacra 17 entrou para o programa olímpico do Rio 2016 e a partir do dia 21 de julho terá o seu primeiro Campeonato Mundial. O evento será realizado em Hague, na Holanda e terá velejadores de 22 países.

Enquanto o resto do mundo já está treinando, finalmente os primeiros barcos chegaram ao Brasil, depois de muita burocracia. Quatro dos cinco barcos que foram entregues na semana passada estarão nas águas da Baía de Guanabara a partir de quinta-feira para a disputa do primeiro Campeonato Brasileiro.

 

Windsurfe volta para os Jogos Olímpicos do Rio 2016

Neste domingo, durante a reunião anual da Isaf realizada em Dún Laoghaire, na Irlanda, ficou decidido que o Windsurfe estará no programa olímpico do Rio 2016. A classe tinha sido trocada pelo kitesurfe, porém, depois de muita conversa e muito lobby, a prancha voltou.

Estarão em águas cariocas em 2016 as seguintes classes:

RS:X masculino e feminino
Laser Radial
Laser Standard
Finn
49er
49er FX
470 masculino e feminino
Nacra 17 misto

Esta foi a primeira vez que a Isaf confirmou equipamentos para dois ciclos olímpicos.

Federações espanhola e israelense afirmam que tirar a prancha do Rio 2016 foi um erro

Yehuda Maayan, representante de Israel no comitê da Isaf afirmou esta semana que o seu voto a favor da saída do Windsurf e da entrada do Kitesurf nas Olimpíadas do Rio 2016 foi um erro de interpretação. O seu comentário veio a tona logo após a Federação Espanhola afirmar o mesmo.

“Os delegados provavelmente ficaram confusos ou não entenderam o assunto por causa da dificuldade da língua, ou alguns simplesmente ignoraram a apresentação e votaram sem perceber as implicações disso”, disse Maayan em entrevista à Reuters.

“Apesar de tudo, no último momento, o representante da Espanha no conselho da Isaf votou a favor do Kite, um erro causado pela confusão no sistema de votação, do qual o presidente da Federação Gerardo Pombo assume toda a responsabilidade e pede perdão a todos os velejadores de windsuf do país”, disse a Federação em nota no seu site oficial.

Atualmente o velejador israelense Nimrod Mashich e o espanhol Ivan Pastor ocupam respectivamente a 4ª e a 7ª posição no ranking mundial da Isaf entre os homens, enquanto a velejadora espanhola Blanca Manchon e a israelense Maayan Davidovich ocupam a 5ª e 6ª posição entre as mulheres.

A mudança pode ser revertida caso dois terços dospresentes na reunião anual da Isaf em Novembro votem contra a decisão da semana passada.

BMW Motorrad Brasil patrocina dupla de velejadores em campanha por Rio 2016

Marcos Ferrari e Priscila Ralisch treinam visando a classificação para os Jogos de Toronto/2015 na classe Hobie Cat 16, mas objetivo maior é a disputa pela vaga olímpica em classe que pode estrear nos Jogos do Rio de Janeiro

São Paulo – A dupla Marcos Ferrari e Priscila Ralisch são os primeiros brasileiros a iniciar oficialmente uma campanha pela vaga em uma classe mista de multicascos, que está em processo de avaliação para estrear nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. Como o novo barco ainda não foi anunciado, a dupla se manterá na disputa por uma vaga para os Jogos Pan-Americanos de Toronto/2015 na classe Hobie Cat 16, hoje a mais importante classe multicasco no Brasil.

Com patrocínio da BMW Motorrad, divisão de motocicletas da marca, os velejadores disputarão os principais eventos nacionais e internacionais da categoria. O primeiro evento da temporada 2012 já definido é a 1ª etapa do Campeonato Paulista. Estão programados outros eventos, como o Campeonato Brasileiro, Sul Americano, Norte Americano e o principal campeonato de Vela da Europa, a Semana de Kiel, na Alemanha.

“Para a BMW Motorrad Brasil é muito gratificante poder patrocinar um esporte que apresenta tanta sinergia com o universo da nossa marca e das duas rodas. A Vela, além de ser um dos pilares esportivos da BMW em nível mundial (assim como o golfe e o automobilismo), é um esporte exclusivo que exalta o espírito de equipe, assim como o motociclista que geralmente anda em grupos. O contato com a natureza e o sentimento de liberdade que proporciona são outros dois pontos em comum com o nosso universo, portanto estamos bastante entusiasmados com a ideia de promover essa parceria com o esporte também no país.”, afirma Rolf Epp, Diretor da BMW Motorrad Brasil.

O apoio da BMW na modalidade, segundo Marcos Ferrari, é importante para o crescimento da vela. Na edição dos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México, o Brasil conquistou sete medalhas, sendo cinco de ouro, uma de prata e uma de bronze. “Os velejadores brasileiros são talentosos e brigam de igual para igual com os estrangeiros. O patrocínio nos motiva muito para encarar este longo ciclo”, relata.

A velejadora Priscila Ralisch também destaca o incentivo da divisão de motos da BMW: “Nós temos a capacidade, o conhecimento e garra para representar a vela brasileira. Só nos faltava a oportunidade, que se tornou real com o apoio da BMW Motorrad”, comenta a atleta de 27 anos.

Marcos Ferrari explica ainda que, além das principais regatas do calendário oficial da Classe Hobie Cat 16 deste ano, a dupla irá participar de outras provas, inclusive as de longo percurso, a bordo de catamarãs, disputadas no Brasil. “São provas desafiadoras e que nos dão ritmo de regata em condições rigorosas, que normalmente não encontramos nos eventos tradicionais. Tudo isso ajuda na evolução técnica”.

Os velejadores contarão com uma equipe multidisciplinar durante a campanha Pan-Americana, que inclui: diretor, técnico, coordenador de logística, nutricionista, preparador físico, supervisor e a assessoria de comunicação. O grupo de profissionais prestará todo o suporte necessário para que os velejadores tenham a possibilidade de se destacar nos eventos incluídos na programação, no Brasil e no exterior.

O Multicasco e os Jogos Olímpicos de 2016

Em maio de 2011, a ISAF (Federação Internacional de Vela) anunciou as classes olímpicas que podem ser disputadas na vela nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro. Nesse grupo, seis já estão definidas: a classe Laser Standart no masculino e Laser Radial no feminino, o Finn, o 49er e o 470 para homens e mulheres.

As outras classes ou eventos ainda estão em avaliação. Na prancha, masculina ou feminina, disputam a indicação a atual RS:X e o kiteboard. Em outros dois eventos, skiff feminino e multicasco misto, as classes ainda não foram anunciadas.

Da Local da Comunicação

Avaliação dos barcos para os Jogos de 2016 começa dia 17 de março

A partir do dia 17 de março acontece em Santander, na Espanha, o teste dos barcos multicascos misto e skiff feminino para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. No total 45 velejadores, de 23 países, dentre eles Austrália, Canadá, Espanha, França, Inglaterra, Japão, Alemanha e Itália estarão no evento. Serão testados seis skiff e sete multicascos. Os elementos avaliados serão: manobras em geral, velejar em um campo de regatas, velejada livre em um percurso definido e capacidade de desvirar o barco. Os resultados serão dados na reunião de meio do ano da Isaf, que acontece entre os dias 3 e 6 de maio em Stresa, na Itália.

%d blogueiros gostam disto: