Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Rio de Janeiro’

Gold Coats Australia lidera terceira perna da Clipper Race

Faltando cerca de 600 milhas para o final da terceira perna da Clipper Race, entre Rio de Janeiro e Cidade do Cabo, na África do Sul, o Gold Coast Australia abre 65 milhas de vantagem sobre o Visit Finland, segundo colocado. Mas se engana quem acha que a vida dos líderes está fácil. “Na noite passada nós fizemos quatro trocas de vela em uma hora! A equipe fez tudo direitinho e ainda ficou rindo rindo sobre isso no final, o que atesta o espírito de camaradagem a bordo”, disse o skipper Richard Heweson. O resultado completo pode ser visto no site.

Isaf está aceitando sugestões de barcos skiff feminino e multicasco misto para as Olimpíadas do RJ

A Isaf decidiu em sua reunião no meio do ano que para os Jogos Olímpicos do Rio 2016 as classes Star e Match Race feminino estariam fora do programa e seriam substituídas por um barco skiff feminino e um multicasco misto. A próxima fase agora será a de testes. Eles estão aceitando sugestões de barcos, que serão testados em 2012, na Europa. Os velejadores que farão estes testes serão selecionados por cada autoridade nacional. A decisão final será tomada na reunião anual, em 2012, que acontecerá em Dublin.

Sailing sedia o Campeonato Carioca de Star de 14 a 16 de outubro

Entre os dias 14 e 16 de outubro o Rio Yacht Club irá sediar o Campeonato Carioca de Star. O campeonato será válido também como Semana Internacional de Vela do ICRJ. Estão previstas seis regatas, com um descarte, sempre no Saco de São Francisco. Não haverá pesagem das tripulações.

Flotilha da Clipper Race larga do Rio rumo a Cidade do Cabo

Fred Hoffmann estava lá e registrou a partida da flotilha da Clipper Race na Cidade Maravilhosa

Neste sábado os 10 barcos da flotilha da Clipper Race partiram do Rio de Janeiro rumo a Cidade do Cabo, na África do Sul, na terceira perna da regata de volta ao mundo para profissionais (os comandantes e navegadores) e amadores. Os velejadores terão pela frente 3.300 milhas entre as duas cidades. Até a cidade africana os velejadores deverão enfrentar vento fraco e a previsão é que os primeiros barcos aportem dentro de três semanas.

Com duas vitórias neste domingo Torben e Marco Grael garantem título da Mitsubishi Sailing Cup no Rio e vice-campeonato geral do circuito.

Capizzano capturou a alegria da graelada e seus asseclas na Guanabara hoje.

Após 8 regatas corridas terminou hoje a terceira e última etapa da Mitsubishi Sailing Cup 2011. O ‘Negra’, na S40 e o ‘Match Point’, na HPE25, foram os campeões de 2011.

Com um belíssimo domingo de sol e muitos ventos terminou hoje no Rio de Janeiro a Mitsubishi Sailing Cup 2011. Após três etapas, realizadas em Ilhabela, Búzios e aqui no Rio, a competição chega ao fim da sua segunda temporada curiosamente com dois bicampeões nas duas classes disputadas.

Na S40, o barco argentino de Juan Ball, com a tripulação uruguaia liderada pelo timoneiro Nicolás Gonzalez, venceu o circuito em 2011 com autoridade. Depois de se sagrar campeão em 2010, o barco venceu as etapas de Ilhabela e Búzios e, com o auxílio luxuoso de Lars Grael na tática, foram os vice-campeões no Rio. Sem dúvida, um resultado notável em uma classe de monotipos oceânicos rigorosamente iguais que traz em suas tripulações as maiores estrelas da Vela do Cone Sul.

No final, após 23 regatas no ano, com o descarte dos seis piores resultados de cada barco, o ‘Negra’ abriu 18 pontos sobre o vice-campeão geral de 2011, o ‘Mitsubishi/Gol’, de Torben e Marco Grael, que, por sua vez, terminou a temporada com 7 pontos de vantagem sobre o ‘Pisco Sour’, barco chileno de Bernardo Matte que contou com estrela argentina Guillermo Parada na tática.

Na classe HPE 25, a aparente supremacia do ‘Match Point’, de Hugo del Priore, veleiro que venceu o circuito em 2010 e também triunfou no Rio e em Ilhabela, tendo sido vice-campeão da etapa de Búzios, escondeu uma disputa feroz com o ‘Ginga’. O veleiro do comandante Breno Chvaicer, jamais deixou os bicampeões em paz e o resultado do circuito só foi definido na última regata.

Ao final de 23 provas disputadas no ano, com o descarte dos seis piores resultados, o ‘Match Point’ ficou apenas um ponto, ou seja, o equivalente a uma única posição em qualquer regata, à frente do ‘Ginga’. Um resultado que demonstra o quanto as classes de monotipos proporcionam disputas acirradas.

Etapa Rio – Ao final de quatro dias de provas na baía de Guanabara a etapa carioca da Mitsubishi Sailing Cup 2011 consagrou o ‘Mitsubishi/Gol’ e o esforço da família de Torben Grael, o tático do barco, que junto aos filhos Marco, o timoneiro, e Martine e a sua esposa Andrea venceu três das últimas quatro regatas – foi segundo na sexta prova – e garantiu a vitória em casa.

André “Bochecha” Fonseca, que na classe olímpicas 49er inverte os papais com Marco Grael, lá ele timoneia e Marco faz a proa, ficou muito satisfeito com a vitória em águas cariocas. “Nós ficamos contentes com o desempenho do barco e da tripulação. Conseguimos colocar 10 pontos sobre o Negra e isso mostra o quanto andamos bem aqui. A Mitsubishi Sailing Cup é muito legal e estou ansioso pela temporada de 2012. Tomara que o calendário da campanha olímpica nos permita correr aqui também”, comentou o veterano de dois Jogos Olímpicos e de duas regatas de volta ao mundo. Atrás do ‘Mitsubishi/Gol’ na etapa do Rio de Janeiro ficou o ‘Negra’ e em terceiro, o barco gaúcho ‘Crioula’, timoneado por Samuel Albrecht.

Na classe HPE 25 a disputa, como durante todo o ano, foi entre o ‘Match Point’ e o ‘Ginga’, com o veleiro ‘Atrevido’ de Fábio Bocciarelli em terceiro. Por curiosidade o pódio do Rio de janeiro foi a reprodução final do pódio do circuito em 2011. A Mitsubishi Sailing Cup, que já se consolidou como o melhor torneio de Vela da América do Sul, vai ter sua terceira temporada disputada no ano que vem.

Fui!!!

Resultados: Crioula e Max lideram a última etapa da Mit Sailing Cup no Rio de Janeiro

Resultados do Primeiro dia de Regata – Mit Sail Cup – Rio

S40
1o Crioula (BRA) – 4 pontos perdidos
2o Pajero (BRA) – 4 pp
3o MItsubishi Motors (CHI) – 6 pp
4o Negra (ARG) – 8 pp
5o Pisco Sour (CHI) – 11 pp
6o Celfin Capital (CHI) -12 pp
7o MItsubishi/Gol (BRA) -12 pp
8o Movistar (CHI) -13 pp
9o Patagonia (ARG) – 18 pp
10o Carioca (BRA) – 18 pp
11o Santander (CHI) -20 pp
12o Claro (CHI) – 22 pp

HPE25
1o Max (BRA) – 5 pp
2o Ginga (BRA) – 6 pp
3o Atrevido (BRA) – 6 pp
4o Match Point (BRA) – 7pp
5o Vuarnet (BRA) -8pp
6o BSS (BRA) – 12 pp
7o Aventura (BRA) -14 pp
8o Ah Moquele (BRA) -14 pp
9o Vesper (BRA) – 19 pp
10o Arion (BRA) – 22pp
11o Alifa (BRA) -22 pp
12o Montecristo – 23 pp
13o Repeteco – 28 pp

Da assessoria de imprensa

Brasileiro Roberto Negraes é terceiro colocado na segunda perna da Clipper Race virtual

O brasileiro Roberto Negraes mostrou mais uma vez que entende tudo de regatas virtuais. Ele foi o terceiro colocado na segunda etapa da Clipper Race, entre Madeira e Rio de Janeiro, deixando pra trás mais de 15 500 outros barcos virtuais. Somando o resultado da primeira perna, Roberto e o seu Onda Azul BRA Nat ocupam a 4ª colocação geral. Em 2009 ele já havia vencido a décima perna da Volvo Virtual, com um barquinho de mesmo nome.

Gold Coast Australia garante a segunda vitória ao ser o primeiro barco da Clipper Race a cruzar a linha de chegada no Rio de Janeiro

O barco Gold Coast Australia foi o primeiro barco da Clipper Race a cruzar a linha de chegada da segunda perna no Rio de Janeiro. A equipe aportou em terras tupiniquins na manhã desta quarta-feira, depois de 19 dias de regatas desde a Ilha da Madeira, em Portugal. E o skipper Richard Hewson atribiu a segunda vitória à equipe. “Estou muito orgulhoso. A equipe trabalhou muito bem, eles foram fantásticos. Fizemos a nossa tática como dissemos que iríamos fazer”.

De acordo com a previsão o próximo barco a chegar na Cidade Maravilhosa será o Welcome to Yorkshire. No final da tarde desta quarta faltavam apenas 40 milhas para a linha de chegada. Atrás dele está o Singapore, a pouco mais de 70 milhas da chegada.

Única regata global em que pessoas comuns, independentemente de sua experiência na vela, podem cruzar oceanos a bordo de barcos de 68 pés, a Clipper Race conta com alguns tripulantes de origem brasileira em sua primeira perna. Annelise Nelson, consultora de 28 anos que vive em Londres, na Inglaterra estava a bordodo barco vencedor. Outro tripulante da edição 2011-12 da Clipper Race estará em casa no Rio de Janeiro: Fabio Peixoto, de 39 anos, nascido e criado na cidade, chegará com o barco New York até o fim da semana. Engenheiro financeiro, Fabio decidiu participar da regata depois de ver a flotilha da Clipper passar por Manhattan, onde ele veleja

Maestrale vence a regata Rei Olav no Rio de Janeiro

Neste domingo o Iate Clube do Rio de Janeiro promoveu a tradicional regata Rei Olav para veleiros de oceano. No total 11 veleiros percorreram as 11 milhas do percurso. E a vitória ficou com o Maestrale, de Adalberto Casaes, que contou com Maurício Santa Cruz na tripulação. A equipe levou 2h39min49s para completar a prova. O segundo lugar ficou com Ventaneiro, de Renato Cunha, seguido por Rocket Power, de Luis Augusto Castro. Para ver o resultado completo, clique aqui.

Vento diminui e equipes da Clipper Race começam a se juntar próximo à chegada no Rio de Janeiro

Faltando pouco menos de 400 milhas para a chegada no Rio de Janeiro o vento se tornou um problema para o Gold Cost Austrália, líder da segunda perna da Clipper Race. A distância para o Welcome to Yorkshire diminuiu 17 milhas em 24 horas quando o vento também caiu. Os dois estão a pouco mais de 40 milhas de distância um do outro.

Nenhum barco tira o olho das velas, esperando pelo momento certo para subir o balão. “Içar muito cedo te força a arribar para a costa brasileira, arriscando a perder vento e corrente próximo da costa. Içar muito tarde adiciona milhas extras até a linha de chegada”, disse o skipper do Yorkshire, Rupert Dean.

%d blogueiros gostam disto: