Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Team Dongfeng’

Feliz natal do Mapfre, mais líder do que nunca, foi chegando em primeiro lugar a Melbourne na terceira perna da VOR.

m109677_13-03-171224-jre-01829-1540.jpg
O espanhol MAPFRE foi o vencedor da terceira etapa da Volvo Ocean Race. A equipe comandada pelo campeão olímpico Xabi Fernández cruzou a linha de chegada às 16:07UTC de hoje 24/12 (14:07 em Brasília), mas já pouco depois de 3 da manhã do dia de natal (25/12) no fuso de Melbourne (UTC + 11h), na Austrália, destino final das 6.500 milhas náuticas de prova. Se o bom velhinho chegou à meia noite em ponto na árvore deles deve ter se molhado um pouco…
Os espanhóis fizeram o percurso, que saiu da Cidade do Cabo, na África do Sul, em 14 dias, 4 horas e 7 minutos. O resultado dá 14 pontos ao MAPFRE e mais um de bônus pela vitória na perna pelos mares do sul. O MAPFRE já liderava o campeonato e agora abre, no mínimo, seis pontos para o Dongfeng Race Team. O barco sino-gaulês deve ser o segundo colocado em Melbourne e assumirá o segundo posto na classificação geral da Volvo Ocean Race também.
“Tivemos que lutar muito para a vitória”, disse o herói espanhol Xabi Fernández. “Ainda tem muito campeonato pela frente, mas por enquanto estamos muito bem”.   A terceira etapa foi a mais difícil até agora.
Os barcos, que ainda estão navegando, sofreram pelos mares do sul com ventos extremos, tempestades e frio. A organização estabeleceu um limite para evitar que os times encontrassem os icebergs do sul.   O MAPFRE duelou milha a milha pela liderança com o Dongfeng Race Team. Destaque para um número alto de manobras de mudanças de rumo que ajudaram os espanhóis na regata.
“O destaque da nossa equipe é o conjunto! Os velejadores são bons e dão tudo a bordo. Foi muito difícil, mas tudo deu certo. Agora temos alguns dias para se recuperar e preparar para a próxima”, contou o espanhol.
O time da MAPFRE venceu a segunda etapa consecutiva e na primeira perna chegou em segundo lugar. A quarta etapa da Volvo Ocean Race será de Melbourne, na Austrália, até Hong Kong. O percurso tem ao todo 6.000 milhas náuticas.
Ainda falando sobre a terceira etapa, o Dongfeng Race Team deve chegar ainda neste domingo ao destino final. O Vestas 11th Hour Racing e o Team Brunel lutam pelo terceiro lugar com o Vestas 10mn à vante. Já o Scallywag vem a 300 milhas da chegada, com o Turn the Tide On Plastic mais 46 milhas atrás e, em  último, o “nosso” Akzo Nobel, com Martine Gral à bordo, mais 300 milhas na esteira de Dee Caffari e companhia depois de velejar sem a vela grande por três dias após im jaibe muito ruim que quebrou algumas taxas e arrancou o trilho da grande no mastro. Acontece…
E para você, querido amigo e leitor e queridíssima amiga e leitora (e todos os outros 35 gêneros entre um e outro! Com o máximo respeito e tolerância sempre.) um natal de muita paz, união, harmonia, felicidade, alegria, saúde e, claro, bons ventos! Ho-ho-ho!!!
Feliz tudo para todos!!
Murillo Novaes

China e França são a base do Dongfeng para a Volvo Ocean Race 2014-15

Equipe terá cinco franceses, incluindo o comandante Charles Caudrelier, quatro chineses e um sueco na Volta ao Mundo

VolvoOceanRace_dongfeng200614--1113

Está definida a tripulação do Dongfeng para a Volvo Ocean Race 2014-15. Em Lorient, na França, base de treinamento da equipe, o comandante Charles Caudrelier anunciou o time e cumpriu a promessa de mesclar velejadores experientes com atletas chineses. É a primeira vez na história que quatro asiáticos participam da regata a bordo. A Volta ao Mundo começa no dia 4 de outubro, com a in-port race, uma regata de curta duração, em Alicante, na Espanha. Depois, os barcos partem para a Cidade do Cabo, na África do Sul.

“Essa equipe é um marco no desenvolvimento da regata”, disse o CEO da Volvo Ocean Race, Knut Frostad. “Estamos aumentando nossa base de fãs na China, uma chave estratégica para o mercado. Agora todos vão querer saber como estão os velejadores chineses a bordo. Além disso, a modalidade está crescendo no país depois dos Jogos Olímpicos de Londres, quando uma velejadora ganhou uma medalha de ouro”.

Aos poucos os chineses começam a povoar as regatas, principalmente a Volvo Ocean Race. Um velejador do país correu as edições de 2008-09 e 2011-12. Agora, o número subiu pra quatro e, até 2020-21, o objetivo é que um barco 100% asiático dispute a prova.

Jin Chen Hao (nome em português para Horácio), Jiru Yang (Lobo), Ying Kit Cheng (Kit) e Liu Ming (Leo) foram os velejadores chineses selecionados após seis meses de formação e 10.000 milhas velejadas, incluindo travessias oceânicas. Charles Caudrelier ressaltou que o fator decisivo para a escolha do quarteto foi a motivação.

“Sabíamos que havia muitos candidatos fortes e que o nosso processo de formação deveria ser rigoroso e intenso”, disse o diretor da equipe de Bruno Dubois. “Temos uma grande equipe, mas estes velejadores chineses têm muito a aprender”.

Charles Caudrelier completou a equipe com o sueco Martin Strömberg, ex-companheiro de Groupama, e com os franceses Thomas Rouxell, Pascal Bidégorry, Kevin Escoffier e Eric Peron. O nome do repórter a bordo será anunciado nas próximas semanas.

O Dongfeng Race Team também apresentou outros dois patrocinadores para a campanha: Aeolus Pneus, fabricante de pneus, e da cidade de Shiyan, onde fica a sede da montadora Dongfeng, famosa pelas montanhas Wudang e pelo berço do Kung Fu no país.

Por Flavio Perez

Francês campeão da Volvo Ocean Race assume Dongfeng Race Team

VolvoOceanRace_psi08028-26feb14-vf0160-2

Sanya, China – Charles Caudrelier completa 40 anos nesta quarta-feira e recebe um presente especial: o francês será o comandante do Dongfeng Race Team na Volvo Ocean Race 2014-15. “Será uma realização como homem e velejador”, contou o atleta.

Charles Caudrelier, atual campeão da Volvo Ocean Race com o Groupama, está novamente escalado para a Volta ao Mundo. Desta vez, o francês será o comandante do barco chinês Dongfeng Race Team na aventura de 38.739 milhas náuticas, que começa em outubro deste ano. Preparado para o desafio, o velejador quer fazer história na regata, mais uma vez.

“Ser um comandante da Volvo Ocean Race é uma responsabilidade enorme. Eu vi isso na figura de Franck Cammas na edição passada. Aprendi bastante e quero melhorar ainda mais”, destacou Charles Caudrelier, um dos maiores velejadores franceses. Recentemente, o atleta foi campeão da Transat Jacques Vabre, regata transatlântica da França até Itajaí (Brasil), ao lado de Seb Josse a bordo do trimarã Edmond de Rothschild.

Charles Caudrelier, que completa 40 anos nesta quarta-feira (26), completou: “Chegar aos 40 anos hoje é simbólico pra mim, pois dou um passo importante na minha carreira. Eu nunca imaginei que chegaria nesta posição, que ídolos como Eric Tabarly e Peter Blake tiveram no passado”.

O batismo oficial do barco Volvo Ocean 65 do Dongfeng Race Team e a confirmação de Charles Caudrelier ocorreram ao mesmo tempo em Sanya e reuniram autoridades locais e da Volvo Ocean Race.

“Charles é um dos melhores velejadores com personalidade ideal para assumir o desafio de integrar os chineses com o resto da tripulação”, disse Knut Frostad, CEO da Volvo Ocean Race. “O francês está focado em ganhar a regata, mas, em paralelo, é um cara que está sempre disposto a compartilhar seus conhecimentos e ajudar a formar velejadores para as próximas edições da Volvo Ocean Race”.

A próxima fase para Charles Caudrelier e o Dongfeng será selecionar os quatro velejadores locais para a regata. “Nossos candidatos chineses são muito dedicados e estão trabalhando duro. No entanto, poucos deles sabem sobre a vela oceânica. Teremos seis meses para preparar tudo”, citou Charles Caudrelier. “Quero fazer a minha parte e ajudar a vela chinesa e o Dongfeng Race Team”.

Charles Caudrelier pretende anunciar sua equipe completa até o final de março. A ideia do comandante é ter 50% de velejadores internacionais e a outra metade de chineses.

“Eu já tenho falado com velejadores que já correram a regata, mas não será fácil. Quem entrar precisa abraçar a ideia. Vamos ser claros: a campanha chinesa é um desafio. Eu quero criar um bom ambiente a bordo recrutando atletas com capacidade de compartilhar conhecimento, além do interesse na cultura chinesa”. O barco ficará em Sanya até o final de março. Depois, a equipe parte para treinos em Auckland , na Nova Zelândia.

Da assessoria

%d blogueiros gostam disto: