Pular para o conteúdo

Posts com Tag ‘Veleiros’

Jean-Luc Van Den Heede, aos 73 anos, vence Golden Globe 2018 e entra na história.

PPL PHOTO AGENCY - COPYRIGHT FREE (for editorial use only) Tel: +44 (0)7768 395719.  ppl@mistral.co.uk Photo Credit: Christophe Favreau/PPL/GGR ***2018 Golden Globe solo round the world yacht race: Jean-Luc Van Den Heede and his Rustler 36 MATMUT crossing the finish line at 10:12 to win the 2018 Golden Globe Race, off les Sables d'Olonne France today  The 71-year old Frenchman and his yacht MATMUT completed the 27,000 mile race in 211 days 23 hours 12 mins 19 seconds - 100 days faster than Knox-Johnston's SUHAILI   IN 1969

Jean-Luc Van Den Heede (FRA) escreveu seu nome nos livros de recordes não apenas vencendo a Golden Globe Race 2018, a circunavegação em solitário que replica nos mesmos moldes o feito de 50 anos atrás na Golden Globe original. Aquela que transformou em Sir o, até então, obscuro marinheiro inglês Robin Knox-Josnton e inaugurou a era das regatas em solitários sem paradas e sem assistência.

O veterano francês de 73 anos de seis circunavegações solitárias – uma na “direção contrária” –,  tomou dois títulos do britânico Sir Robin Knox-Johnston, o único finalista e, obviamente, vencedor, da regata do Globo de Ouro (Golden Globe) do Sunday Times há 50 anos e o velejador mais velho da história a completar uma regata de circunavegação solitária. Até o espocar do tiro de chegada às 09:12 UTC de hoje (29/01), Sir Robin tinha também o título de mais velho circunavegador solitário em uma regata, depois de completar a Velux 5 Oceans Race em 2007 com 68 anos de idade.

O idealizador da regata que revive os áureos e românticos tempos de outrora, onde só se navegava com sextante, leme de vento, não havia quase comunicação e os barcos tinha outro tipo de construção, Don McIntyre, estava exultante. Ele, que se inspirou na conquista de Knox-Johnston ao vencer a primeira regata solo em 1968/9 para organizar este evento de 50 anos, vibrou com o sucesso de Van Den Heed, “Que fantástico! Que vitória para o Jean-Luc! Ele provou que a idade é apenas um número. O desempenho dele é um exemplo clássico de planejamento, preparação e execução. Esta tem sido uma grande celebração para a aventura em geral e ressuscitar a história do Golden Globe Race do Sunday Times original era um sonho para mim”.

A regata original teve nove participantes e apenas um comandante chegou: Sir Robin Knox-Johnston. Bem, Bernard Moitessier não quis chegar, nem ganhar, porque considerou que obter os louros e o dinheiro do prêmio conspurcaria seu espírito de livre velejador. Outros tempos…  Assim, Sir Robin se tornou o primeiro a navegar em solitário sem parar ao redor do mundo enquanto o franco-polinésio Moitessier deu quase mais meia volta no planeta para chegar ao seu amado Tahiti. O desempenho de Jean-Luc VDH, de 211 dias, superou o tempo de Sir Robin Knox-Johnston em 100 dias – uma conquista notável levando em consideração todas as restrições para que os barcos e tudo mais tivessem a tecnologia de 1968. Bravo! 

Na GGR18 largaram 18 comandantes de 13 países: França (4), Grã-Bretanha (3), Austrália (2) e um de: Estônia, Finlândia, Irlanda, Índia, Itália, Holanda, Noruega, Palestina, Rússia e EUA, com idade média é de 47 anos. O caçula tinha 28 anos; o mais velho, 72, o agora vencedor aos 73 anos. 

Quatro navegadores ainda velejam neste momento. Mark Slats que recuperou incríveis 1500 milhas sobre Jean-Luc nas últimas semanas e está a 350 milhas da chegada. Ele ainda foi punido por um contato impróprio de rádio sobre meteorologia com o gerente de seu projeto. Os outros três estão a 3500 milhas náuticas (Randmaa, EST); 4400mn (Kopar, USA); e 7800mn (Lethinen, FIN) da linha final em Les Sables D’Olonne, na França. Chegadinha Old school também!!

Dos que não completaram, quatro desistiram por motivos pessoais, um sofreu uma falha no leme e cinco foram capotados, desmatreados e resgatados no Oceano Antártico, incluindo a britânica Susie Goodall, cuja história correu mundo. Outro montou um a mastreação de fortuna e conseguiu chegar à Cidade do Cabo sem ajuda. E mais dois foram obrigados pelas circunstâncias a parar na Austrália. Dureza! Quem se habilita para a próxima? 

Murillo Novaes

Anuário Brasileiro de Vela, o resumão dos resumões em um livrão bacanão.

FB-testeira-Anu-01

 

capa_anu3

Olá querido amigo e mais que querida amiga, eis que estamos nós novamente aqui, neste internáutico espaço, evocando mais uma vez a sua boa vontade, alegria, tesão, camaradagem e participação na comunidade da vela nacional.

O lance é o seguinte: eu e Diego, da finada revista Velejar, estamos lançando o Anuário Brasileiro de Vela, uma “bíblia” super premium, de 256 páginas de luxo, com todos os resultados de eventos de vela (os principais internacionais e todos os nacionais) de 2015 e de 2016 (até o fechamento, final de março), fotos, ilustrações, mapas, principais publicações, fotógrafos, equipes, sites, todas súmulas e um diretório de prestadores de serviço, além de duas matérias hiperespeciais sobre o Rio2016, olímpico e paralímpico, e sobre a incrível revolução dos fólios que estão fazendo, literalmente, todos os veleiros voarem hoje em dia. Tudo claro, limpo, completo e tudo lindo!

Com o suporte mais que especial do nosso querido amigo Eduardo Souza Ramos, e sua sempre presente na vela Mitsubishi Motors, que patrocina a empreita toda, e o apoio das principais entidades da vela nacional, começando por CBVela e CBVA e indo pela ABVO, ABVClass, ABVC, federações estaduais, clubes, classes e indivíduos-chave em nosso mundinho eólico (a lista de amigos seria muito grande para citar aqui, mas valeu pela força a cada um de vocês!), o anuário só vai ser sucesso mínimo (para este manza investidor incansável na informação vélica de alto nível) se vender, ao menos, 2500 exemplares. Daí meu apelo sincero a você e todos os velejadores e simpatizantes de todo o território nacional e lusofonia! Compre, divulgue, dê de presente!

Isso não é um crowdfunding (ou cow-funding, a famosa vaquinha) porque vamos lançar de qualquer jeito na segunda semana de abril. No entanto, se não rolar as vendas, no volume mínimo supra citado, a vaquinha que vai pro brejo é a nossa!… Help!!

No site www.anuariobrasileirodevela.com.br vamos informar os amigos quantos exemplares já foram comercializados (prometo atualizar sempre que possível) e espero que consigamos nosso objetivo. O preço é R$ 72,00 (dá pra dividir em até 18x no cartão, no PagSeguro) e para compras em volume temos descontos, claro. Para quem quiser doar para projetos sociais de vela, temos 500 exemplares reservados e nossos companheiros de baixa renda e alta vontade também poderão exibir seus lustrosos exemplares do livrão-resumão de sua paixão. Se a crise não te pegou de jeito, compre e doe! Vai ser legal!

Para os clubes, como a FEVESP está fazendo com seus filiados (valeu demais John Bennett, incentivador desde o início), temos um pacotinho super especial também. Consulte!! E para os anunciantes (se quiser ter uma ideia do visual baixe o leiaute em PDF, tudo fictício, apenas um boneco mesmo, na página “anunciantes” do site) e junte-se a marcas de prestígio como North Sails, Harken, B&G, Bavaria, Jeanneau, Skipper, Holos, Regatta, etc. que já garantiram seu lugar!

Conteúdo – Para todo e qualquer velejador, clube, rali de cruzeiro, prestador de serviços para veleiros e afins, associação, entidade, etc. que queira ter seu material publicado é só entrar em contato conosco que é totalmente de graça e será um imenso prazer! Faço também um apelo para que divulguem para TODOS para que tenhamos as súmulas, fotos, campeões, informações, participantes e tudo mais do maior número de eventos de vela (grandes ou pequenos) do Brasil em 2015 e princípio de 2016. Divulguem e mande seus resultados para resultados@anuariobrasileirodevela.com.br

Enfim, a sorte está lançada! Conto pessoalmente com o seu carinho, prestígio e trabalho em prol da vela brasileira que, mais que nunca, merece e precisa ter um veículo (nem que seja anual) de alto nível para nos representar e informar.

Espero que todos sejam tripulantes deste imenso barco e que nosso, agora, contravento apertado ronde para um través mais folgado com a ajuda de todos. O Anuário Brasileiro de Vela é seu! É nosso e é de todos os amantes da vela no Brasil! Clique www.anuaariobrasileirodevela.com.br e compre, informe, divulgue e apoie!

Obrigado! Bons ventos!

Murillo Novaes

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: